Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Cresce o apoio a Bolsonaro na classe média e nas periferias

Por Redação

27 de junho de 2019 : 16h49

Segundo pesquisa CNI/Ibope que acaba de ser divulgada, a aprovação à maneira do presidente Bolsonaro governar cresceu junto aos brasileiros de renda média e residentes nas periferias das grandes cidades.

Entre brasileiros com renda familiar acima de 5 salários, a aprovação à maneira de governar de Bolsonaro subiu expressivamente, de 56% em abril para 63% em junho.

Entre aqueles residentes nas periferias, a aprovação à maneira do presidente governar subiu de 46% em abril para 49% em junho.

Não se confunda, a pesquisa traz várias perguntas parecidas. Em relação à figura do presidente, há duas perguntas: uma é sobre a “maneira de governar”, outra sobre “confiança no presidente”. Vamos comentar aqui as respostas para as duas perguntas.

A confiança em Bolsonaro caiu muito expressivamente no interior, onde passou de 54% em abril para 46%. Nas periferias, porém, a confiança no presidente cresceu de 47% para 50%. Nas capitais, ficou estável em 46%.

Entre brasileiros que ganham mais de 5 salários, o presidente agora tem 61% de confiança, dois pontos a mais que em abril. Entre aqueles que ganham de 2 a 5 salários, a confiança no presidente é de 55%, dois pontos a menos que na pesquisa anterior.

O percentual de ótimo e bom do governo Bolsonaro, junto a esses brasileiros de renda familiar média para alta (mais de 5 salários), subiu de 45% em abril para 49% em junho.

Entre quem ganha de 2 a 5 salários, o percentual de ótimo e bom do governo Bolsonaro oscilou um ponto para cima: era de 41% em abril e agora é 42%.

Bolsonaro ganhou aprovação e confiança no Sul: 60% dos entrevistados da região confiavam no presidente em abril, e agora são 63%. No Sudeste, Bolsonaro tem confiança de 50%, contra 53% em abril. No Nordeste, porém, Bolsonaro tem confiança de apenas 31% da população, contra 38% em abril. No Norte/Centro-Oeste, 46% confiam no presidente, uma queda muito forte sobre os 57% que ele tinha em abril.

No total, Bolsonaro tem hoje 46% de confiança dos brasileiros, contra 51% em abril.

A rejeição ao governo Bolsonaro entre as mulheres subiu expressivamente, em todos os itens da pesquisa. No item “Combate ao desemprego”,  60% das mulheres desaprova o governo Bolsonaro, contra 52% em abril.

A rejeição a Bolsonaro, porém, também subiu entre os homens: em abril, apenas 39% diziam “não confiar” no presidente Bolsonaro; agora são 44%.

O presidente ainda tem, todavia, 50% de confiança dos brasileiros com ensino superior, e 48% entre aqueles com ensino médio; entretanto, também aí se nota alguma deterioração nesses extratos: em abril, 13% dos brasileiros com ensino superior davam “ótimo” ao governo, percentual que caiu para 9%; ao passo que, neste mesmo segmento, Bolsonaro agora tem 33% de ruim e péssimo, contra 30% em abril.

Na estratificação por renda familiar, a gente vê uma forte e acelerada deterioração da aprovação a Bolsonaro junto aos mais pobres, que ganham até 1 salário, onde a confiança no presidente caiu para 35%, contra 45% em abril.

Abaixo, os gráficos gerais. Em seguida, as tabelas estratificadas, editadas  pelo Cafezinho.

 

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

51 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Nill

28 de junho de 2019 às 22h43

Miguel, tem como verificar se a comparação dessa foto que está no Twitter procede?
https://pbs.twimg.com/media/D-Kq1vPWkAgPNky.jpg

Responder

Thiago

28 de junho de 2019 às 10h04

Fora de Pauta

O GENERAL HELENO COMETEU GENOCÍDIO CONTRA OS MISERÁVEIS HAITIANOS?

General Heleno, peça para sair ou seja exonerado! Por Eugênio Aragão
Publicado por Diario do Centro do Mundo – 27 de junho de 2019

Segue os três parágrafos mais importantes da matéria de Eugênio Aragão
sobre o General Heleno:

“Notabilizou-se por arroubos políticos grosseiros, como o ataque ao Presidente Lula numa reunião de trabalho em que, visivelmente fora de si, esmurrou a mesa a exigir que seu suposto desafeto tomasse prisão perpétua.”

“O mesmo Heleno foi comandante do pilar militar da MINUSTAH, a missão das Nações Unidas para estabilização do Haiti. Nessa condição, conduziu suas tropas ao ataque à Cité du Soleil, bairro de extrema pobreza em Porto Príncipe, promovendo verdadeiro massacre contra a população civil. Nunca foi oficialmente cobrado por isso. Não, voltou ao Brasil e tornou-se Comandante da Amazônia, quando fez uma série de declarações politicamente motivadas, voltando-se contra a proteção das populações indígenas”.

“Mas, isso não foi tudo. Foi para a reserva e esteve à frente, como adjunto do Sr. Nuzman, do Comitê Olímpico Brasileiro, o que dispensa comentários sobre as lambanças na gestão de recursos públicos ali constatadas”.

Matéria completa do Eugênio Aragão:
https://www.diariodocentrodomundo.com.br/general-heleno-peca-para-sair-ou-seja-exonerado-por-eugenio-aragao/

Responder

Thiago

28 de junho de 2019 às 09h02

AO MINISTRO DA “EDUCASSÃO” QUE ACUSOU LULA E DILMA DE TEREM FEITO ANTERIORMENTE TRÁFICO INVISÍVEL DE COCAÍNA

Militar-traficante do Aerococa deve condomínio, o que indica que era estreante no ramo

​​
Publicado em 28 junho, 2019 7:17 am, no DCM
Sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues foi preso por levar no voo 39 kg de cocaína.

Preso na Espanha com 39 kg de cocaína em voo da Força Aérea Brasileira (FAB), o segundo-sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues tinha, até o início do mês, uma dívida de R$ 1.381,25, referentes a três parcelas do condomínio do seu apartamento em Taguatinga, cidade nos arredores de Brasília. O militar só quitou a dívida após ter sido processado pelo próprio condomínio.

Rodrigues, que é comissário de bordo, fazia parte da comitiva de 21 militares que acompanha a viagem de Bolsonaro ao Japão, onde participará da reunião do G-20. O avião da Força Aérea Brasileira (FAB) em que estava o militar é usado como reserva da aeronave presidencial e, portanto, esta comitiva não fazia parte do mesmo voo que transportou o presidente. A droga foi encontrada em sua bagagem ao desembarcar em Sevilha, na Espanha, primeira etapa da viagem.

O imóvel de Rodrigues fica num condomínio com piscina e salão de festa, a cerca de 30 km do Palácio do Planalto. O apartamento está ocupado, mas os funcionários do prédio não disseram se o sargento vive no local e também se recusaram a interfonar a pedido da reportagem.

O preço de uma propriedade no condomínio varia de R$ 150 mil a 210 mil (há opções de 2 e 3 quartos), e alugueis vão de R$ 1 mil a R$ 1,6 mil, segundo condôminos ouvidos pelo Estado. Nenhum deles disse não conhecer o militar.

(…)

https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/militar-traficante-do-aerococa-deve-condominio-o-que-indica-que-era-estreante-no-ramo/

Responder

João

28 de junho de 2019 às 07h24

FORA DE PAUTA PORQUE É O ASSUNTO DO MOMENTO

ELES ESTÃO QUERENDO BLINDAR QUEM?

Aeronáutica impõe sigilo à investigação de militar preso com cocaína
O que há para esconder?

Publicado em 27/06/2019 no Conversa Afiada

De Jussara Soares, no Globo Overseas:

Aeronáutica impõe sigilo nas investigações em caso de militar preso na Espanha

O Comando da Aeronáutica impôs sigilo na investigação envolvendo o caso do militar preso na Espanha, sob suspeita de tráfico de drogas. Em coletiva à imprensa na tarde desta quinta-feira, a corporação não esclareceu se o sargento Manoel Silva Rodrigues, de 38 anos, flagrado com 39 quilos de cocaína em sua bagagem, na terça-feira, passou por uma inspeção na base aérea de Brasília antes de embarcar.

Sob alegação de que o inquérito policial militar (IPM), instaurado na quarta-feira, está sob sigilo, também não houve esclarecimento se, nesta viagem, a equipe de apoio foi submetida a uma vistoria antes da decolagem.

– Especificamente deste caso, é objeto da investigação. E está sob sigilo. Quando for concluído o inquérito, que tem a data de 40 dias mais 20 dias, vai ter a conclusão deste processo – alegou o porta-voz da Aeronáutica, major aviador Daniel Rodrigues Oliveira.

(…)

https://www.conversaafiada.com.br/politica/aeronautica-impoe-sigilo-a-investigacao-de-militar-preso-com-cocaina

QUE TAL o Moro fazer uma proposta de delação premiada ao sargento Manoel Silva Rodrigues, “o dono” dos 39 kg de cocaína? Seria uma ótima oportunidade de abrir um inquérito contra Lula e Dilma, como sugeriu nas entrelinhas o ministro da educação, por tráfico INVISÍVEL de drogas. E a argumentação que levaria Dilma à cadeia seria: ninguém viu, ninguém constatou, mas que ocorreu, ocorreu. E Lula pegaria mais uns 20 anos de prisão.

Porra! Eu já estou arrependido dessa sugestão.

Responder

Miramar

28 de junho de 2019 às 00h09

O engraçado é quando a gente cruza os dados e percebe que muita gente declara não confiar em Bolsonaro e ao mesmo tempo aprova seu jeito de governar…

Responder

    Gilmar Tranquilão

    28 de junho de 2019 às 07h36

    Até ontem essas pesquisas não valiam nada, hoje passaram a valer kkkkk

    Responder

Somos Todos Tontos

27 de junho de 2019 às 20h17

Realmente está difícil de entender esse título.
Disseram que a intenção foi ser crítico mas esse título levou muita gente a pensar que a aprovação ao Bolsonaro aumentou.
Tudo bem que a culpa é deles porque com certeza só leram o título , ainda assim acho que o papel do jornalista é dar a informação mais relevante primeiro.

Responder

    Redação

    27 de junho de 2019 às 20h52

    Mas a intenção era essa mesma: quebrar a ilusão de que a pesquisa só trouxe coisas ruins para Bolsonaro. A novidade da minha análise, que fez a comparação com a pesquisa de abril, é que houve avanços na aprovação em segmentos estrategicamente importantes.

    Responder

      Tiago

      27 de junho de 2019 às 21h49

      Apenas para ficar mais coerente com os dados, acredito que subiu a aprovação do Bolsonaro nas classes altas (acima de 5 SM e não há outra faixa acima disso) ao invés de nas “classes médias”. Porém, interessante pesquisar o que ocorre na Periferia (ou o que se considera periferia para a pesquisa), pois são nestes lugares que está ocorrendo os maiores casos de afronta de governos mais autoritários (vide Dória e Witzel) aos pobres da periferia – será que envolve o crescimento de evangélicos nas periferias, inclusive por causa da piora de condições de vida da população nesses locais?

      Achei que o texto foi interessante por trazer uma análise mais detalhada, mas ficou a desejar em algumas afirmações sem sucitar possíveis fundamentações. Em relação às classes mais ricas estarem apoiando mais, não seria derivado do incentivo à polarização que este desgoverno promove para ser um (ou o) candidato da direita que vá para o segundo turno, com uma coesão de classes abastadas e no ódio de classes (principalmente que se nutre ricos/detentores de capital/empresários contra pobres ou trabalhadores) para se ter um núcleo duro de 20 a 25% militante (ou miliciante kkk) e com possibilidade de aglutinar neoliberais (Partido Novo, PSDB, Dória, etc) em eventual segundo turno?

      Porém uma coisa é bem curiosa, apesar de se fazer um desgoverno tão ruim e cruel para a maioria, como não há ainda uma rejeição maior… Principalmente nas capitais? Será desinformação, ódio de classes ou cinismo em prol de manutenção da estrutura desigual? E outra, será que os repetidos “Fóruns de Liberdade” e outros eventos de Think Tanks de direita que pipocaram no sul fizeram extinguir o legado dos “Fóruns Sociais” ou dos partidos de esquerda no Sul??? Será que não falta uma esquerda no Sul que consiga demonstrar que Uruguai trilhou caminhos mais seguros que o neoliberalismo argentino? Será que já não se deveria contrapor esses think tanks, até porque muitos são financiados por instituições internacionais (Atlas, Student for Freedon, etc) que adoram a liquidação de um país como Brasil?

      É para se refletir, principalmente com o fito de a esquerda parar de se autodestruir e começar a se coordenar e se mostrar a partir de suas qualidades específicas, ao invés de serem a esquerda que a direita gosta(e que municia essa direita com suas falas e ações desastradas)…

      Responder

        Redação

        27 de junho de 2019 às 22h29

        Tiago, 5 salários de renda familiar não é classe alta. É classe média. E avaliação junto a quem ganha de 2 a 5 salários não é ruim. Cresceu a avaliação do governo bom e ótimo e ficou estável nos outros itens.

        Responder

          Tiago

          28 de junho de 2019 às 10h25

          Também não considero quem ganha acima de 5 SM seja classe alta, mas na pesquisa essa é a última faixa de renda… Por isso falei que poderia ser mais apropriado ter falado classe alta. E claro que a pesquisa seria mais elucidativa se continuasse as faixas para 5 SM até 10 SM, 10SM para 20 SM e acima de 20 SM (e esta última ser considerada classe alta – porém a pesquisa Ibope aglutinou todas essas faixas em uma só). Porém é inegável que com a polarização promovida pelo Bozo após as eleições (algo que a Dilma não fez e que poderia lhe render mais dificuldade para tirarem ela do cargo eleito), o Bozo quer consolidar seu “núcleo duro” (moda estatística) de homens, brancos, advindos de faculdades privadas, com rendas elevadas (3 SM a 15 SM, aumentando progressivamente a adesão ao Bozo assim que sobe a renda até um patamar para depois descer), com grande penetração em segmentos evangélicos e militares, além de seu apoio aumentar gradativamente em direção do sul do Brasil (o que é uma lástima para os que se embruteceram nesta região). Também acho que há uma incapacidade da esquerda em saber se colocar nesse momento de adversidade (que deveria ser de resistência/luta e não de oportunismo)

Vicente

27 de junho de 2019 às 20h15

Gosto do Blog. Mas me irrita essa análise de pesquisa por pedacinhos. Qual a margem de erro de cada dado?mais de 5%, portanto o crescimento específico pode ser erro amostral

Responder

MAM

27 de junho de 2019 às 20h07

a continuar desse jeito, a melhor saída é mesmo o aeroporto. Um buraco negro e sem fundo em que vivemos com esse governo infestado de pessoas intelectualmente debilitadas, milicianos, traficantes, assassinos, etc, e ainda existe apoio para essa matilha. Lamentável.

Responder

Paulo

27 de junho de 2019 às 19h07

Por enquanto, “tudo” que o Governo Bolsonaro tem pra exibir são algumas pautas “culturais” e o estancamento da sangria dos últimos Governos, no que toca a desvios de conduta com repercussão grave no erário. Socialmente, de fato, não tem nada.

E eu sugiro tirar o tema Previdência dessa manifestação de domingo. Por duas razões:

1) É uma desonestidade intelectual com os que livremente aderirem, e que, por falta de melhor entendimento da matéria, sem descortinarem seus próprios e mais justos interesses, serão gravemente afetados por essa Reforma;

2) Aqueles que têm tirocínio, simplesmente não irão, embora quisessem apoiar Sérgio Moro.

A direita parece tão inepta quanto a esquerda, nesse tipo de manifestação. Esta última, em temas de interesse geral, leva as bandeiras vermelhas, repudiadas pela maioria que poderia aderir. Já aquela, demonstra desrespeito pelo próprio manifestante ideologicamente afim.

Responder

    Somos Todos Tontos

    27 de junho de 2019 às 20h29

    Realmente eu queria entender sua cabeça.
    Quer dizer que o filho do presidente acusado de receber dinheiro ilegalmente e de ter ligações com mílicias , dinheiro na conta da primeira-dama depositado por um miliciano que já matou pessoas e cocaína no avião da FAB, não são desvios de conduta graves para você?
    Seu julgamento é mais parcial do que o do Moro.
    E que estancamento?
    O PIB está negativo desde de que Bolsonaro assumiu.

    Responder

      Paulo

      27 de junho de 2019 às 20h43

      É fácil. Quanto à esposa do presidente e de seu filho, milicianos, etc, eu quero que as investigações sejam as mais amplas possíveis e que eles sejam punidos na medida da culpa que possam ter. Da mesma forma, em relação ao sargento da Aeronáutica, que cometeu um crime pessoal que nada tem a ver com o Estado, que, se tanto, foi negligente, mas não cúmplice. Quanto ao estancamento, refiro-me à supressão de práticas ilícitas (corrupção, lavagem de dinheiro, peculato, concussão, etc) que vinham sendo cometidas em profusão nos últimos Governos (Temer, Dilma, Lula). Está claro?

      Responder

        Batista

        28 de junho de 2019 às 11h29

        “Crime pessoal”, de taifeiro da comitiva presidencial.

        Cara, tu é uma piada de mau gosto, falta saber se cínica ou desinformadamente leviana.

        Separe 39 saquinhos de 1kg de açúcar, junte-os em 4 carreiras de 4 saquinhos, sobreponha à primeira mais 4 carreiras de 4 saquinhos, espalhe sobre a mesma os 7 saquinhos restantes e depois imagine o “personal criminoso” levando essa muamba para dentro da aeronave da FAB, parte da comitiva presidencial, com destino a China para o G20, sem ser descoberto pela segurança da comitiva.

        Mas o mais divertido é que antes sequer de terem contato com o nomeado “personal criminoso”, detido em Sevilha, quem duvida liminarmente dos “diálogos secretos” do Moro, vocaliza a absoluta certeza fornecida por “isentas” autoridades, tratar-se apenas de uma ‘ação solitária’ do taifeiro “micro empreendedor” e ponto final, no ponto e vírgula.

        A polícia espanhola, com toda certeza, impressionada com a ‘convicta investigação miojo’, já acreditou nessas “autoridades” e também ‘convicta’, dará o caso por encerrado, a jato.

        Vá ver por isso que a delegação espanhola no G20, em contato com a delegação brasileira, abordou fundamentalmente a questão do tráfico de drogas.

        É muita cara de pau ou pouca lógica e discernimentos, disponíveis… ou será o Greenwald?

        Responder

El Bartho

27 de junho de 2019 às 19h06

Analise interessante, revelou muita coisa… rs.

Responder

    Getulio

    27 de junho de 2019 às 19h14

    Revelando lenta transformação do Cafezinho num elitizado Capuccino para o chá das 6 .

    Responder

Marcio

27 de junho de 2019 às 18h35

Não é certamente um Governo populista,

para se reeleger basta fingir de agradar todo mundo.

Com as palavras para enganar o tal de povo e com o dinheiro o congresso, os amigos, os bancos, ecc…

A normalidade paga a longo prazo mas não reelege, o que reelege é fazer merda a curto prazo.

Só escolher.

Responder

Fernando Ribeiro

27 de junho de 2019 às 18h21

Ok

Responder

LUPE

27 de junho de 2019 às 18h05

Caros leitores

Como disse aquele diplomata estrangeiro ,
parece que o Brasil não tem jeito.

Brasileiro é presa fácil da Grande Mídia …

Cabe a pergunta: será que a Grande Mídia trabalha para os interesses dos brasileiros?

A resposta a isto
explica por que o Brasil ,
um dos mais ricos países do Mundo em riquezas minerais ,

é um dos mais atrasados, primitivos, ignorantes ,

e com índices de pobreza e miséria abissais.

Com consequentes e terríveis
índices de criminalidade e violência

quase insuportáveis…………

Responder

ricardo

27 de junho de 2019 às 17h48

Temos que esperar manifestacoes a favor lava jato para dia 30 , para analizarmos se podem melhorar a avaliacao do proprio governo atual dependendo de sua amplitude!!
Se tiverem sucesso, nem intercep com veja e folha adiantarao!!

Responder

    Somos Todos Tontos

    27 de junho de 2019 às 18h05

    É a esperança de vocês , já que esperar uma boa notícia na área econômica ou alguma ação concreta do governo para reduzir o desemprego , tá difícil.
    A direita faz manifestação porque não sabe governar e quer manter clima de campanha.
    Quem está no governo tem que governar , protesto é pra oposição.
    Como diria a Dama de Ferro , se você precisa mostrar que tem poder é porque já perdeu o poder.

    Responder

      Ricardo

      27 de junho de 2019 às 19h51

      Acho q vc se confundiu!! Vcs quem?? Eu voto no ciro e sou antipetista!!

      Responder

        Aliança Nacional Libertadora

        27 de junho de 2019 às 20h20

        Mas não anti-bozo no segundo turno…..clássico leitor do blogue.

        Responder

          Miramar

          28 de junho de 2019 às 00h03

          Todo eleitor do Ciro é antibolsonaro antes, durante e depois das eleições. Diferente da gentinha do PT que não fez nenhuma crítica ao Bolsonaro no primeiro turno por oportunismo eleitoral. Votar no Bolsonaro nunca. Subir em palanque de petista?! Nunca também.

        Tiago

        27 de junho de 2019 às 22h09

        Fiquei curioso, Ricardo.

        O que pensa um eleitor do Ciro que seja “anti-petista”?

        Por exemplo:

        1) Você é a favor ou contra as privatizações? Você é a favor ou contra vender Correios, Petrobrás, Refinarias da Petrobrás, BB, Caixa, Embraer, ou outras empresas públicas?
        2) Você é a favor ou contra do Estado Mínimo?
        3) Você é a favor de um Estado mais Centralizado ou mais Municipalista?
        4) Você é a favor ou contra políticas estatais intervencionistas?
        5) Você é a favor de Presidencialismo ou Parlamentarismo?
        6) Você é a favor ou contra Sindicatos?
        7) Você é a favor ou contra Bolsa Família? Cotas? Demarcação de Terras? Reforma Agrária?
        8) Você é a favor ou contra da Regulação Econômica da Mídia?
        9) Você acha que a área pública é mais corrupta que a área privada?
        10) Você apoia um Juiz/Procurador que utilizou um cargo público de forma politiqueira para influenciar em um processo eleitoral e chegou a cometer ilegalidades e decidir com fragilidades que buscaram tirar um candidato de eleição? Isso poderia ocorrer por ser contra um “petista”?

        Realmente fiquei muito curioso pra entender um eleitor de Ciro e “anti-petista”…

        Responder

          Miramar

          28 de junho de 2019 às 00h00

          Não sou o Ricardo, mas sou um sujeito de centro-esquerda, eleitor do Ciro e odeio o PT por motivos diferentes dos antipetistas de extrema direita. Vou me dar o direito de responder as perguntas.
          1)Sou contra a privatização das empresas mencionadas.
          2) Sou a favor do estado de bem estar social.
          3) Difícil dizer. Não me convenci dos argumentos municipalistas, mas não gosto do estado excessivamente centralizador.
          4)A favor, principalmente no Brasil. Meu maior sonho político é ver uma versão brasileira do New Deal.
          5)Sou parlamentarista.
          6)Sou favorável ao que diz a constituição sobre esse assunto. Mesmo sabendo que no Brasil os sindicatos representam cada vez menos gente.
          7)A favor de tudo isso.
          8) Radicalmente contra.
          9) Não, não acho.
          10) Defendo o tratamento constitucional para essa questão. Deixando claro que é possível odiar o PT e ser contra injustiças cometidas contra essa gente. Mas saindo da esfera legal, o que eu mais queria era que os Bolsonaristas e Petistas se matassem entre si.

          Essas opiniões são pessoais. Não sei quantos eleitores e apoiadores do Ciro às endossam.

          Tiago

          28 de junho de 2019 às 11h40

          Interessantíssimo, Miramar.

          Queria entender quem se vincula a uma pessoa e não a um programa de partido (hoje o Ciro está no PDT, mesmo que o Ciro não esteja o PDT amanhã). Até o PDT que nasceu por uma identificação a um grande líder trabalhista (Brizola), este sempre que podia enfatizava que se deveria estar coerente com o programa do partido.

          E partindo de uma análise sobre o Trabalhismo (Finado PTB e atual PDT e seus grandes líderes Getúlio Vargas, Alberto Pasqualini, Jango, Brizola, Abdias do Nascimento, Darci Ribeiro, entre outros), o Petismo (através dos Governos Lula, Dilma e dos Governadores) e Bolsonarismo (aglutinou as mesmas forças da Ditadura Militar, que foram as mesmas de Collor e também no golpe do Temer… E assim busca um neoliberalismo, entreguista e de defesa das ameaças ao status quo desigual – mesmo que sob o manto militar, evangélico, racial ou financeiro)… Vou tentar dar minhas impressões sobre as suas respostas:

          1) Nesse ponto vc está mais ao lado do Trabalhismo (que inclusive foi um período que se criou várias dessas estatais) e do Petismo (que fortaleceu essas estatais, mesmo que houvessem corrupção nelas desde a Ditadura Militar e fosse mantida, mas que em no período FHC se buscou sucatear para depois vender, como se observou com Temer e agora no Bolsonarismo).
          2) o Estado de Bem Estar foi buscado tanto no Trabalhismo (de forma mais idealista e com busca de efetivação de reformas), assim como no Petismo (de forma mais pragmática em que não quis bater de frente com o parlamento e interesses econômicos). Porém também era perseguido no primórdio do PSDB, mas que descambou em neoliberalismo e que este neoliberalismo do PSDB se impôs em FHC e depois no parlamentarismo de fato de Temer e agora com continuação em Bozo.
          3) O centralismo na União é marca do Getulismo contra os coronelismos da República Velha e falta de transparência do municipalismo. O Petismo é mais permissivo ao municipalismo no seu afã de querer agradar a todos, mas o caminhar ao municipalismo e esvaziamento de um poder central é a busca do neoliberalismo que quer menos dificuldade para não ser regulado e o Bozo caminha assim.
          4) Tanto o Trabalhismo e o Petismo (o Petismo mais) trilhou essa busca de New Dew, apesar de o Petismo se atrapalhar quando quis girar a roda da economia através de isenções de tributos que não diminuem preços, mas só aumentaram lucros de grandes (desigualdade), sem contrapartida de desenvolvimento. Bozismo é contra isso e o banqueiro Paulo Guedes está mais para economista do Chile de Pinochet.
          5) Vc sendo Parlamentarista é contrário até ao mais brando líder trabalhista (João Goulart) e talvez esse seria o sonho do PSDB e Centrão/Direitão que não queria riscos na escolha de quem decidiria sobre o orçamento. Imagina os nossos primeiros ministros se fôssemos parlamentaristas: militares Entreguistas na Ditadura, e os presidentes da Câmara (Temer, Eduardo Cunha, Aécio, Luís Eduardo Magalhães, Rodrigo Maia, Severino, etc) ou presidentes do senado (Acolumbre, Renan, Sarney, etc). Nesse ponto vc se afasta do Trabalhismo, no PT isso não é consenso e se aproxima de PSDB, DEM, PP, etc como o próprio Temer iria tentar após a previdência e o Bozo faz quando faz toma lá dá cá em se colocando pra aprovar a PEC do Orçamento Impositivo (e caminhando de um parlamentarismo de fato para um de direito).
          6) Em relação a sindicatos, o fortalecimento destes sempre foi uma marca do Trabalhismo (até para diminuir a desigualdade entre Capital x Trabalho que é a marca de suas ações) e do Petismo.
          7) Nesse ponto vc é favorável a políticas sociais muito desenvolvidas no Petismo.
          8) Já nesse ponto você é contrário a uma bandeira de luta do Petismo (mesmo que em seu pragmatismo, sempre deixou que se postergadas essa pauta), mas que é algo já feito há muito tempo até nos EUA tanto como forma de proteger a concorrência, como para se buscar a pluralidade de ideias – principalmente em concessões que são públicas. E se conhecesse como Getúlio, Brizola, Jango foram perseguidos pela mídia por afrontar em interesses econômicos (de elite nacional e de interesses estrangeiros), capaz de mudar sua opinião – até pq quem defende propriedade (e olha que é ainda uma concessão pública) sem regulação ou sem cumprir função social são tontos que seguem MBL.
          9) Ufa! Até pq esse preconceito difundido pelos seguidores tontos do MBL não se corrobora com fatos (basta ver que em pesquisas se identifica corrupção 10 vezes maior na área privada, por sonegação de tributos por exemplo, do que na área pública, mas sabendo que ainda assim está ainda longe da transparência e democratização desejada, principalmente em âmbitos municipais).
          10) Esse caso dá um bom debate jurídico ou político. Porém apenas adianto que as ilegalidades seriam realizadas não só em relação a “petistas”, mas em qualquer um que afrontasse o interesse econômico de líquidação do Brasil. Aliás, se Brizola/Getúlio/Jango/Ciro fosse o primeiro colocado em pesquisas nos tempos atuais, tenha certeza que fariam o mesmo o que fazem com o Lula.

          Interessante mesmo suas posições pois em muitos momentos mais se aproximam do Petismo do que você acha. Outra questão interessante é que nessa polarização que se busca efetivar… Vai acabar em três núcleos duros: que o Petismo mantenha seus 25% a 35% de votos históricos, o Bozismo busca aglutinar conservadores e neoliberais para ter seus 25% a 35% (e com esse desgoverno de atiçamento de matilhas/manadas é capaz até de ao final inverter e ter mais conservadores neoliberais do que os ultraliberais que se aglutinavam no PSDB e agora no Novo), e o Cirismo vai brigar pelos “Nem Nem” que também representam de 25% a 35% (hoje se tem quase 15% e pode não se consolidar em todo o Nem Nem, pois nem todo mundo quer viver nesse politicismo). E o que vai sobrar para o Cirismo? O Petismo até votava no Ciro antes dessa eleição, mas a cada dia se perde esse voto. O Bozismo nunca votaria no Ciro, tanto por estarem contaminados pelo neoliberalismo assim como por parte de seu núcleo duro se mover por preconceito.

          Mas não deixa de ser interessante, principalmente quando se vê que essa aderência personalista ao Ciro é bem contraditória – mas isso também é um defeito do próprio Ciro (essa contradição de posicionamentos em relação às esquerda ou em relação ao “petismo”) e que gera não confiança.
          Por isso é mais fácil se confiar em programas que em pessoas (e o próprio Brizola enfatizava muito isso).

          Miramar

          29 de junho de 2019 às 22h05

          Tiago
          Não acho mais que você vai ler isso, pois hoje em dia as cousas envelhecem muito rápido. Ocorre alguns equívocos na sua análise sobre minhas opiniões. Não me identifico com o Ciro apenas pela pessoa (embora goste de sua personalidade e biografia) mas com seu programa, muito mais abrangente e sofisticado que o de qualquer partido brasileiro. Aliás se tem uma coisa que o petismo não pode ser acusado é de possuir um programa. Em geral os petistas oscilam entre uma militância majoritariamente radical, saudosa de uma revolução que nunca fará, e a justificativa das políticas pró mercado desse partido quando no poder. Também não confio nas convicções democráticas desse partido, muito menos de seus militantes.
          Acho um pouco boba a ideia de que eu sou contraditório por defender o parlamentarismo quando a maioria dos lideres parlamentaristas não o faz. Não me parece um bom argumento contra essa ideia. Reitero que apesar de respeitar a memória de Brizola não sou pedetista, apenso cirista, como vocês dizem. Uma coisa engraçada é que o PT foi o primeiro partido surgido com a redemocratização a ter a defesa do parlamentarismo em seu estatuto. Não sei se isso se mantém.
          Engraçado você dizer, que eu tenho pontos de concordância com o petismo, pois votei neles em algumas ocasiões. A última delas no segundo turno de 2018. Foi a última vez. Assim como os petistas não votarão mais em Ciro Gomes, o contrário também não ocorrerá.
          Aliás aproveito para declarar que não faz sentido eu votar ou deixar de votar em alguém calculando apenas suas chances em pesquisas, ainda que essas sejam importantes. Acho que o Ciro deve fazer o dele. Fico contente de ver que ele está conversando com os evangélicos, fazendo palestras, dando entrevistas, têm até um canal no Youtube. Talvez isso seja o suficiente para se aproximar da parte da classe média, dos pobres, dos pequenos empresários e dos fazendeiros que nunca foram de extrema direita, apenas imaginaram que fossem por estar de saco cheio do PT.
          Reitero que durante as passeatas coxinhas eu me perguntava, quando via aquilo, o porque de tanto ódio em relação a um partido. Por motivos diferentes eu posso dizer que odeio o PT. Mas por motivos diferentes.

Zezeca

27 de junho de 2019 às 17h32

Há que se considerar que parte do crescimento do apoio é em razão da tentativa dele de implementar a pauta reacionária: a liberação das armas, o ataque às universidades, e outras insanidades. Sim! tem gente que tava avaliando ele pior por não fazer isso! Porque não há qualquer melhora de vida em qualquer classe social, nem perspectiva. O que acontece é o movimento de aglutinação do “núcleo duro” de seu apoio, que se reflete também nas mudanças na equipe dele. A deterioração econômica vai deixar isso mais nítido nos próximos meses. Mas não creio que ele chegue aos níveis recordes de desaprovação de Temer e Dilma, porque ele tem um segmento de fanáticos bem sólido. Mas vai estacionar lá pelos 15% em poucos meses, antes de cair.

Responder

Francisco

27 de junho de 2019 às 17h31

É exatamente o contrário, a desaprovação caiu apenas no sul, nas demais regiões subiu, enquanto a aprovação caiu.

E o pior, perguntado se era melhor, igual ou pior que o governo Temer, a maioria respondeu que é igual ou pior que o governo Temer, com exceção também do sul onde 63% acham-no melhor, ou seja, em 6 meses, é considerado igual ou pior que Temer.
É o fim da picada, mas não desistem estimulados pelo Cafezinho:

Euuu Acreeeeeedito!!!

Responder

    Redação

    27 de junho de 2019 às 17h36

    No Sul cresceu e no Sudeste ficou estável. Está tudo no texto e nas tabelas. Mas o corte que eu faço é de renda e condição do município (periferia, capital e interior). Não invento nada.

    Responder

    Alan C

    27 de junho de 2019 às 18h40

    Francisco,

    Tb vi a matéria assim como vc e disse isso lá embaixo.

    Responder

Somos Todos Tontos

27 de junho de 2019 às 17h23

Que malabarismo , esconde os números principais da pesquisa.
Pela primeira vez os que não confiam no presidente , 51% , superam os que confiam , 46% , o percentual de ótimo/bom recuou 3% e o de ruim/péssimo cresceu 1%.

Responder

Francisco

27 de junho de 2019 às 17h11

Enquanto o Cafezinho, ainda desinformado sobre o azar do governo Bolsonaro, segundo Heleno, em Sevilha, atira milho para bolsonaristas batendo cabeças, pensando em realizar lucro em 2022…, a realidade, cruel, se impõe e é noticiada até mesmo onde é represada até a undécima hora, a exceção do dito Cafezinho investidor na bolsa de Sobral:

Manchete UOL / Folha de São Paulo

“Ibope: Governo Bolsonaro é aprovado por 32%, menor índice desde a posse”

Sub-manchete G1 / O Globo

Avaliação negativa do governo Bolsonaro sobe 5% e vai de 27% a 32%, aponta Ibope”

Responder

    Redação

    27 de junho de 2019 às 17h19

    Ué, então leia apenas o Globo e o G1. Vai dar muito certo.

    Responder

CezarR

27 de junho de 2019 às 17h04

É um apoio surpreedentemente alto dado o cacareco que está o país, a quantidade de bobagens que fala e os projetos anti povo que leva a frente. Merecemos!

Responder

Deep Fake

27 de junho de 2019 às 17h02

Em meio a guerra comercial , consumidores chineses evitam todos os produtos americanos à medida que o nacionalismo sobe. Trump quer depreciar o dollar.

Responder

Alan C

27 de junho de 2019 às 16h58

Miguel, o título da matéria tá parecendo o “O Globo”…

O apoio cresceu (bem pouco) na classe média e nas periferias, mas caiu em todo o resto, fazendo com que, no geral, que é o que mais importa, o apoio caiu.

Não estou te entendendo…

Responder

    Redação

    27 de junho de 2019 às 17h08

    Alan, é um aumento expressivo de 7 pontos na classe média e 3 pontos nas periferias. A aprovação caiu significativamente apenas no nordeste e norte/centro oeste. O título é provocativo para ver se o pessoal resolve apostar mais na inteligência do povo.

    Responder

      Somos Todos Tontos

      27 de junho de 2019 às 17h41

      Só cresceu a desaprovação no nordeste e norte/centro-oeste?
      Ou seja , três das cinco regiões do país.
      E 3% de crescimento nas periferias quando a margem de erro é 2% não é algo que vale uma manchete , na minha opinião.
      Acho que vocês forçaram a barra apesar de achar válido analisar esses números secundários vocês não podem esconder os números gerais da pesquisa , que são o que realmente importa.

      Responder

      Flávio

      27 de junho de 2019 às 17h43

      Não se esperaria outra coisa do norte e do nordeste, as duas mais miseráveis regiões do país. Aquelas com maior número de analfabetos literais e funcionais.

      Responder

        Somos Todos Tontos

        27 de junho de 2019 às 17h58

        Vocês são tão inteligentes que tem um terraplanista como guru.

        Responder

          Fernando Ribeiro

          27 de junho de 2019 às 18h26

          Foram os nordestinos que votaram em tiririca, Alexandre Frota, Doria e outros menos cotados. Agora te pergunto, o que vc conhece sobre o Nordeste seu arrogante e boçal?

      Alan C

      27 de junho de 2019 às 18h34

      Redação, trecho da tua matéria:

      “Bolsonaro ganhou aprovação e confiança no Sul: 60% dos entrevistados da região confiavam no presidente em abril, e agora são 63%. No Sudeste, Bolsonaro tem confiança de 50%, contra 53% em abril. No Nordeste, porém, Bolsonaro tem confiança de apenas 31% da população, contra 38% em abril. No Norte/Centro-Oeste, 46% confiam no presidente, uma queda muito forte sobre os 57% que ele tinha em abril.”

      Ganhou no sul, perdeu no sudeste, nordeste e centro-oeste… Continuo achando que o título da matéria tá parecido com o PIG.

      Responder

        Redação

        27 de junho de 2019 às 19h31

        O título da matéria não faz o recorte por região. O título fala que Bolsonaro cresce na classe média e na periferia.

        Responder

          Alan C

          27 de junho de 2019 às 20h58

          Ok, então o título no dia seguinte ao 7×1 poderia ser:

          “BRASIL FAZ GOL NA ALEMANHA”

          Redação

          27 de junho de 2019 às 21h35

          Alan, não exagera. A mídia (comercial e alternativa) está tentando impor uma narrativa irreal. A queda de popularidade do Bolsonaro, nessa pesquisa, é irrelevante, e é compensada pelo aumento na classe média, que tem hegemonia nas redes sociais (ou seja, com potencial de crescer). É o mesmo tipo de erro que depois fez as pessoas ficarem “surpresas” com a vitória de Bolsonaro. Não adianta tampar o sol com a peneira.

          Alan C

          28 de junho de 2019 às 07h43

          Te entendo Miguel, sua análise não está errada, acompanho teu blog pelas tuas análises e pela tua habilidade de faze-las sem histeria, só achei o título inadequado, mas isso é mero detalhe, quis causar uma polemicazinha e causou, heheh.


Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?