Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

O discurso de Fachin no TRE-PR

Por Redação

08 de julho de 2019 : 19h14

O ministro do STF, Edson Fachin, discursou em evento realizado no TRE-PR.

O jornalista Luis Nassif fez, em seu blog, o seguinte relato sobre a fala do ministro:

Em discurso proferido no Tribunal Regional eleitoral do Paraná, o Ministro Luiz Robert Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF) condenou de forma eloquentes os processos judiciais baseados na convicção e no ódio. Defendeu os Tribunais Eleitorais, como aqueles capazes de julgar sem a polarização e o ódio que marcaram outros processos.

Alertou que os juízes julgam e também são julgados. Em uma possível alusão aos abusos do governo Bolsonaro, exortou todos a enfrentarem a falta de limites e as interpretações descabidas para que o país possa voltar a se encontrar na diversidade, na compreensão.

Trata-se de um discurso histórico que não absolve Fachin de todas as concessões aos abusos da Lava Jato. Mas demonstra que a frente inquisitorial, da qual Fachin era um dos expoentes, ao lado de Luis Roberto Barroso, se desfez.

Fachin voltou a ser o Fachin que a opinião pública achava que era, antes de assumir o STF.

O discurso de Fachin pode ser visto no vídeo abaixo, a partir do minuto 55:11. Assista e confira. E comente aqui.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Israel Just da Rocha Pita

09 de julho de 2019 às 11h14

Será que nos da esquerda vamos acredita no discurso deste bandido que traiu a indicação da Dilma, ele será redimido? Eu não entro nesta, ele é e será bandido. Não sou daqueles que julgam que ele deveria defender erros do PT, por ter sido indicado por uma Presidente eleita pelo PT. Nos queríamos que ele cumprisse o seu papel constitucional julgando com justiça. Este bandido só tem demonstrado ódio ao PT e demais partidos de esquerda. Tem ele e muitos outros similares a ele.
E se este bandido e seus similares votarem a favor de LULA eles não estão fazendo nada mais que os seus deveres principalmente depois das revelações chovendo a torto e direito sobre o papel canalha ocorrido na lava jato.

Responder

    Geraldo

    11 de julho de 2019 às 09h36

    Às vezes ( muitas ) a esquerda é muito ingênua…

    Responder

JOÃO BATISTA

09 de julho de 2019 às 06h21

Fachin está jogando pra plateia, é um fraco, um Verme!
Cinismo e hipocrisia são marcas da personalidade desses empolados indicados por governos petistas.
Fachin foi indicado por Dilma, mas levado à condição de ministro por obra de Álvaro Dias.
Fux foi obra de Sérgio Cabral e Carmen Lúcia, sugerida por Sepúlveda Pertence, foi obra de Aécio.
Barroso foi obra da globo, de onde ainda é comentarista emérito.

Responder

Marcos Videira

08 de julho de 2019 às 20h56

Fachin e família tinham uma família amiga por 40 anos. Com as decisões que tomou no STF, o seu amigo rompeu a amizade e passou a chamá-lo de “Verme”. Amizade de 40 anos !!!
Será que Fachin cansou de ser um “Verme” e quer recuperar sua antiga identidade ?
Tomara. Ele brevemente terá várias oportunidades para exercitar sua Virtude.
Aguardemos…

Responder

Luis Campinas

08 de julho de 2019 às 20h39

Que loucura, essa conclusão! Quer dizer, bastou um discurso e Fachin…Vamos ver se eu entendi: antes a constituição era relevada para o auto denominada juiz de esquerda e agora…Quase todos eles assim que tomam posse, mudam. Uns já se prostram no senado, outros um pouco mais a frente. E sempre para pior, no sentido de descumprirem a própria constituição, quando se esta a tratar da esquerda. Alguns têm até personalidade forte, estofo intelectual, outros não, mas quase todos mudam. Na tortura era assim: o poder vinha e batia, logo após outro entrava na sala e acariciava e assim busca quebrar. Um dia sai uma notinha no jornal, seja de um genro, da esposa ou sabe-se lá o que, aí o cara sente, logo depois vem o chamego, que inclui desde espaços generosos na mídia, bons contatos e até muitas palestras. O limite máximo disso aí tudo, a menos que o TRF 4 entre na roda do The Intercept, é punir alguém e manter o essencial, Lula sem direitos políticos. Para alguns tá bom!

Responder

Carlos Noel Mazia

08 de julho de 2019 às 19h28

Deus que te ouça! Mas duvido que ele corrija o rumo de decisões que tomou, blindando Sérgio Moro e sacaneando Lula.

Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?