Audiência pública no Senado sobre reforma da Previdência

Foto: Tábata Amaral

PDT suspende mandato de Tábata e mais 7

Por Redação

17 de julho de 2019 : 14h30

No PDT

PDT suspende deputados que votaram contra decisão partidária

17/07/2019

A Executiva Nacional, a Comissão de Ética e os presidentes do Movimentos Sociais do PDT decidiram, na manhã desta quarta-feira (17), instaurar processo disciplinar contra os oito deputados federais que desrespeitaram decisão partidária e votaram a favor da Reforma da Previdência. Por decisão da maioria, os deputados também estão com suas representações partidárias suspensas até que o processo seja concluído – o que pode demorar até 60 dias.

A decisão vem na esteira da deliberação do Diretório Nacional do partido, reunido em março, que fechou questão por unanimidade contra a Reforma da Previdência apresentada pelo atual governo. De acordo com o presidente nacional da legenda, Carlos Lupi, a decisão do Diretório Nacional é soberana e representa todas as instâncias partidárias. O Partido também deliberou que filiados que façam parte de grupos de financiamento externo não receberão legenda do PDT para disputar eleições.

“O Diretório nacional decidiu. Temos uma proposta paralela que Ciro está nos ajudando a levar à todos os cantos do Brasil e que achamos que seja uma reforma justa. Todos tiveram todas as instâncias partidárias para discutir, apresentar propostas. E somente no dia da votação, depois de meses de discussões internas, os parlamentares se posicionaram a favor desta covardia contra os trabalhadores brasileiros. Mas é importante lembrar também que ainda terá uma segunda votação na Câmara, em agosto. O ser humano vive da evolução. E acho que todos podem evoluir durante esse processo”, previu Lupi.

A partir de hoje, a Comissão de Ética do partido, que conta com cinco membros permanentes e mais três suplentes, inicia o processo disciplinar contra os parlamentares. Todos terão amplo espaço de defesa, onde poderão expor todas as variáveis que os levaram a desrespeitar a decisão do Diretório Nacional – maior instância partidária. Depois, um relatório será encaminhado à Executiva Nacional da legenda, que por sua vez, levará ao pleno do Diretório Nacional. A decisão poderá levar até 60 dias.

Enquanto o processo não chegar à decisão final, todos os oitos parlamentares estão com todas as suas representações partidárias suspensas, seja no Congresso Nacional ou nos seus estados de origem.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

26 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Paulo José

18 de julho de 2019 às 11h30

Se eles persistirem em seu votos no segundo turno da câmara, haverá expulsão?

Responder

M Cardoso

18 de julho de 2019 às 08h03

Quais os nomes de todos os envolvidos?

Responder

christian

18 de julho de 2019 às 03h58

Ciro com sua “larga experiência na vida política”, tomou uma volta de uma criança de 25 anos.. Quer ser Presidente? Sei não hein CirãodaMAssa? Caiu no conto da AMBEV?

Responder

    Josue

    18 de julho de 2019 às 17h52

    Agora acreditar, incentivar e investir em novas lideranças é burrice? Ciro não é Lula, próximo de Ciro surgem novas lideranças que agregam valor à sociedade. Ciro não quer ser Deus.

    Traições acontecem, como Lula e o PT fizeram muitas vezes.

    Acorda!

    Responder

christian

18 de julho de 2019 às 03h54

O que parece é que Lupi e Ciro não tem autoridade nem liderança dentro do PDT. 8 votos contra a orientação do partido!!!!! Qual é Lupi? Afrouxou?

Responder

christian

18 de julho de 2019 às 03h47

Ciro achou que aceitando a (B)atata(A)moral, iria ter o $ da AMBEV. Ele tem que parar de tentar agradar o”Capital” e radicalizar o discurso de uma vez. Essa obsessão dele em ser Presidente está esvaziando a imagem dele como TRABALHISTA e NACIONALISTA.

Responder

    Luiz Pedro

    18 de julho de 2019 às 21h58

    Ele tem projeto pra fazer auditória da dívida pública, pra reindustrializar o país, é o que mais crítica os rentistas e banqueiros, e os neoliberais como um todo. O projeto nacional-desenvolvimentista dele assusta mais o mercado do que qualquer ação que o PT pretendesse tomar. Não vejo onde você acha que ele quer “agradar o capital”.

    Responder

christian

18 de julho de 2019 às 03h44

(B)atata (A)moral

Responder

Alan C

18 de julho de 2019 às 00h53

Muito bem! Parabéns ao PDT por colocar ordem na casa.

Responder

LUPE

17 de julho de 2019 às 22h34

Caros leitores

Depois da porta arrombada??????????

Os partidos da real esquerda votaram contra, em sua TOTALIDADE .

PDT e PSB: partidos de “esquerda” real

ou

(Ao som do bolero)

HIPÓCRITA, PERDIDAMENTE HIPÓCRITA
TU ÉS SOLAMIENTE…………………….

Responder

    Alan C

    18 de julho de 2019 às 01h00

    E quem seria essa real esquerda?

    Se aliar com uma das maiores quadrilhas da história da política nacional PMDB??
    Ficar ao lado do Eduardo Cunha, um dos maiores bandidos que este país já teve o desprazer de conhecer, contra um ministro do seu próprio governo??
    Apoiar Renan Calheiros, Eunício Oliveira e Rodrigo Maia para as presidências das casas do legislativo??
    Lula colocar o Bank of Boston pra comandar a economia do país por 8 anos?
    A maluca da Dilma colocar o Bradesco??

    Por favor me diga que não é o partido que estou pensando….

    Responder

    Josue

    18 de julho de 2019 às 17h55

    O PDT deveria ter pedido ajuda a Renan Calheiros e Eunício Oliveira. Como disse o Grande Líder Esquerdista da Modernidade, Haddad: “Os Amigos da Democracia”

    Responder

Paulo

17 de julho de 2019 às 20h19

Claramente a Tábata resolveu “prestigiar” seus financiadores de campanha, como arrolou abaixo o NeoTupi. É assustador mesmo. Nem eu sabia desses fatos. Ela preferiu o carreirismo a melindrar seus tutores, que sempre poderão investir nela, enquanto uma carreira mais à esquerda seria mais sofrida. Só não sei por que ela escolheu o PDT. Daqui pra frente, tudo indica que ela vai tucanar ou quem sabe até entrar entrar num desses Partidos dos “tontos” de direita. Só aguardar!

Responder

Marcio

17 de julho de 2019 às 18h29

Essa moça tà esperando o que para mandar esses velhos falidos, ranzinzes sem futuro caçar rolinhas…?

Responder

Pedro Pulha

17 de julho de 2019 às 18h23

Que inocência do PDT , agora que perceberam que esses grupos com financiamento externo são uma roubada?
Bom , antes tarde do que nunca mas quantos progressistas jogaram seus votos fora com a Tábata e os outros sete?

Responder

Marcos Videira

17 de julho de 2019 às 17h37

MIGUEL
Na prática, o que significa ficar com suas “representações partidárias suspensas” ?
Quais são os prejuízos imediatos para “Os 8 Odiados” (filme da Netflix) ?

Responder

    ZedoBrejo

    17 de julho de 2019 às 20h36

    Significa P…… nenhuma, ela continua deputada, continua votando, continua recebendo, e os velhos babacas do PDT tem que engolir ela e ficar de bico calado, por que se expulsarem ela do partido, ela vai para outro e o PDT perde fundo partidário, então os velhos babacas (Lupi, Ciro e outros amebas) terão que engolir ela até o final do mandato dela, quando ela vai sair do PDT e ir para outro partido e arrebentar nas eleições….. Traduzindo… o PDT tomou no C……………………….

    Responder

      Marcio

      17 de julho de 2019 às 21h56

      Ela deu uma chinelada na orelha do Ciro Ranzinze e uma na bunda do outro barbudo, nem lembro o nome.

      Responder

      Josue

      18 de julho de 2019 às 17h58

      Por onde anda o Lula?

      Responder

Cláudio

17 de julho de 2019 às 17h08

Ela e os outros tinha que ser expulsos do PDT, estão com um partido clandestino infiltrado! Estão manchando a herança de Brizola e Vargas. Queria ver agora o Cafezinho continuar defendendo essa.

Responder

Alexandre Neres

17 de julho de 2019 às 16h56

Vamos ver se a Tabata põe a cabeça no lugar e reverte o voto que contribui para aumentar ainda mais a desigualdade no Brasil. Na convenção do PDT, apoiou o fechamento de questão contra a nefanda reforma e na hora agá deu pra trás. O que ocorreu no meio do caminho? Pelo fato de ser jovem, é perdoável a arrogância ao afirmar que não teria dificuldade em arranjar outro emprego.

Responder

    Josue

    18 de julho de 2019 às 18h01

    Vamos ver como se pronunciará. Se tiver coragem, seguirá sua consciencia e enfrentara as consequências, se não, corromperá sua carreira já na partida e jogará sua história de pobreza e luta, no lixo.

    Responder

NeoTupi

17 de julho de 2019 às 16h22

Se o PDT conseguir cumprir o que diz a nota (“O Partido também deliberou que filiados que façam parte de grupos de financiamento externo não receberão legenda do PDT para disputar eleições”), é um importante passo para recuperar a identidade partidária perdida desde os anos 90.

A lista dos maiores financiadores de campanha de Tábata Amaral no TSE é assustadora: toda a diretoria de uma gestora de fundos do Banco Pactual, gestores de fortunas do mercado financeiro (igual ao Armínio Fraga), diretores de enormes corporações de ensino privado (Kroton, Ânima Educação), o mega publicitário Nizan Guanaes (que aconselhou Temer a aproveitar sua impopularidade para passar reformas anti-povo).
E a campanha dela não foi barata, R$ 1,27 milhões, valor anormal para quem era pobre e candidata de primeira viagem. O limite legal era R$ 2,5 milhões.

Ela diz que seu voto não foi vendido, mas quem a financiou parece plenamente satisfeito com o investimento feito em sua eleição até agora, enquanto a “convicção” dela custou caro para o povo trabalhador.

Responder

    Oblivion

    17 de julho de 2019 às 22h08

    E se não estou enganado, nesse caso me corrijam, mesmo com todo esse poder financeiro ela não seria eleita sem os votos do PDT….
    Tentando ver o “copo meio cheio”, vejo que ela e os outros que votaram a favor dessa vergonha estão numa encruzilhada, talvez a mais importante da vida deles. Ou eles escolhem lutar por um país mais justo, igualitário, democrático…. ou escolhem a alternativa mais fácil e lucrativa que é lutar pela elite endinheirada e a marginalização acentuada da camada mais pobre. Sinceramente, tenho uma ponta de esperança que alguns escolham a primeira alternativa.

    Responder

Marcio

17 de julho de 2019 às 15h49

Não sei o que a Tábata tá esperando para mandar esses velhos falidos, inúteis e sem futuro caçar rolinhas.

É capaz que no segundo turno vai votar contra a reforma… aí sim seria ridículo e demonstraria não valer nada… não é de duvidar.

Responder

Darcy Brasil Rodrigues da Silva

17 de julho de 2019 às 15h37

Parabéns ao presidente do PDT, Carlos Lupi. Agora, é cumprir o que estabelece os estatutos do partido criado por Brizola para defender os direitos trabalhistas, e expulsar os 8 deputados por descumprimento precisamente do princípio fundamental, aquele sem o qual o PDT se desfigura em um partido fisiológico, abrigo de deputados-mercadorias, adquiríveis no mercado da falta de ética e de respeito pelos votos de seus eleitores.

Responder

Deixe uma resposta para Marcos Videira