Entrevista de Lula à Revista Forum

Exclusivo! EUA já controlam quase 70% das importações brasileiras de gasolina

Por Miguel do Rosário

18 de julho de 2019 : 10h19

Recentemente, fizemos um post sobre o aumento da exportação de gasolina americana, e de outros derivados de petróleo produzidos nos Estados Unidos, para o Brasil.

Também fizemos um post sobre o virtual controle, de quase 90%, dos Estados Unidos, sobre a importação brasileira de óleo diesel.

Repercutimos ainda uma informação do IBGE, de que o diesel é a principal indústria brasileira, faturando quase R$ 140 bilhões nos últimos 2 anos.

Hoje vamos falar especificamente da gasolina, o décimo mais importante produto da nossa pauta de importação. Nos últimos seis meses (jan/jun 2019), gastamos US$ 962 milhões com a importação de gasolina, mais do que gastamos com a importação de computadores, trigo e fertilizantes. Em relação ao ano passado, houve aumento de 6%, bem acima do aumento do nosso consumo, o que mostra que está havendo substituição de gasolina brasileira por gasolina importada.

E de onde está vindo essa gasolina?

Segundo dados do Comexstat, o banco estatístico público de comércio exterior, quase 70% da gasolina que importamos tem vindo dos Estados Unidos. 

O aumento da participação americana na importação de gasolina tem sido impressionante, e está em linha com o crescimento vertiginoso da produção norte-americana de derivado nos últimos anos.

Em 2015, os EUA responderam por somente 29% da nossa gasolina importada.

Em valores, o aumento da exportação americana de gasolina para o Brasil também é impressionante. No primeiro semestre de 2016, importamos apenas US$ 126 milhões em gasolina dos EUA. Nos seis primeiros meses deste ano, as importações brasileiras de gasolina oriunda de refinarias norte-americanas saltaram para US$ 634 milhões. 

A economia brasileira é altamente dependente de diesel e gasolina. Quase não temos ferrovias ou transporte de cabotagem (barcos e navios), e todo o transporte interno de mercadorias é feito por caminhões movido a diesel. Nossos carros de passeio são movidos quase todos por gasolina.

Um projeto de desenvolvimento nacional, voltando a consolidar nossa soberania energética, passa portanto, necessariamente, pelo aumento do controle de nossa produção de derivados de petróleo.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

13 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Bob

20 de julho de 2019 às 08h26

Então quer dizer que importa dos EUA é mais vantagem do que a produção Nacional… Então que importe mais. Gasolina esta mais barata
Obrigado

Responder

Guimarães Roberto

19 de julho de 2019 às 13h38

70% do controle não é só na gasolina, é na economia toda.

Responder

Robert

19 de julho de 2019 às 13h15

Com certeza, está no pacote do golpe.

Responder

Admar

19 de julho de 2019 às 11h16

Governo Bozolandia nos colocando de 4 diante dos Gringos!

Responder

LUPE

18 de julho de 2019 às 15h18

Caros leitores

Graças ao governo de direita de Temer Mishell e o atual governo de direita do Exterminador do Brasil, nunca o Brasil fez tanto pelos Estados Unidos.

Por trás dessas importações de gasolina, a mais escabrosa das negociatas,
já descrita aqui no Cafezinho.

Que a Grande Mídia esconde, não comenta, não faz Lava Jato….

Governo de direita é isso aí….

Mas, dizem , o culpado é o PT…..

Responder

Leonel

18 de julho de 2019 às 15h11

Perfeito. Tem que fazer um agora falando da indústria do Refino. Os desde a saída da Dilma paralisaram investimentos em novas refinarias e estão querendo vender parte das que existem. E a gente importando gasolina de EUA e Holanda

Responder

    Onofre Junqueira

    18 de julho de 2019 às 18h07

    Desde a saída de Dilma, militonto ? Desde Dilma, voce quis dizer. Talvez voce não saiba, caro militonto, mas o cancelamento da construçao das refinarias Premium I e II ocorreu em 2015, durante o governo petista de Dilma !

    Responder

      Gilmar Tranquilão

      18 de julho de 2019 às 22h25

      Tá, agora só faltou vc explicar a paralisação das refinarias brasileiras que vc “esqueceu”, bolsoburro kkk

      Responder

        Onofre Junqueira

        19 de julho de 2019 às 09h44

        Paralisação das usinas brasileiras Petebosta ? Acho melhor você perguntar ao Temer , o vice escolhido pelos petistas !

        Responder

      Batista

      19 de julho de 2019 às 11h52

      O milibozo adestrado só esqueceu de explicar que foram canceladas as Premium, como também a segunda unidade da Abreu de Lima, com 91% das obras concluídas, em função da redução nos investimentos em refinarias como reflexo da Operação Lava-Jato que levou a empresa a efetuar um ajuste em seus ativos em torno de R$87 bilhões.

      Antes do milibozo grunhir, sem pensar, ‘a Lava Jato combateu a “currupição e recuperou umas propinas”, há décadas sempre movimentadas em relação a empresa, perceba que todos os brasileiros minimamente honestos (no sentido lato) são contra a corrupção de todos, como são também (quando percebem) contra o uso do combate a corrupção para atingir-se interesses políticos e econômicos.
      Depois, de-se ao desfrute de verificar os balanços da Petrobras, nesse século, e constatar que apresentam lucro líquido, substanciais a partir de 2005 até 2013, com exceção de 2014 (zero), 2015 e 2016 (com prejuízos substanciais), recuperando-se em 2017 com pequeno lucro líquido e a partir de 2018 retorno ao lucro líquido substancial.
      E relacione que o período de exceção dos balanços, com prejuízos substanciais, começam no ano de lançamento da Lava Jato, em março de 2014, para um pente fino na Petrobras contra a corrupção (disfarçado na estória do posto de gasolina em Brasília), com o objetivo de tirar o PT do poder ajudando a eleger Aécio (lembra da capa da Veja á véspera da eleição?), criminalizar o PT e seus líderes, sobretudo Lula e demolir para o patrocinador da operação, a Petrobras, a Industria da construção pesada com forte atuação no exterior e a indústria naval, submarino nuclear incluso.

      O dinheiro que a Lava Jato recuperou na eterna e manjada rubrica da corrupção para dar-se golpes, sequer arranha o volume de prejuízos que proporcionou ao país como um todo, quer no presente, quer para o futuro, em sua razia a empresa e não apenas aos responsáveis, valores perdidos esses, tangíveis e intangíveis, que podem ser devidamente apalpados e considerados, a começar por esses balanços sem mais substanciais lucros líquidos no período da Lava Jato a sufocar a empresa e, pior, com prejuízos substanciais que saltam desses balanços.

      Milibozo, acorde de sua ignorância adestrada ou se cínico, vá pentear macacos em Orlando.

      Responder

        Onofre Junqueira

        19 de julho de 2019 às 18h03

        O Muar petista não sabe mas Premium I e II foram canceladas ( depois de torrados quase 3 bi) devido à falta de dinheiro, de parceiro ( não há muitos otários no mundo do petroleo ) e de viabilidade economica . Quanto a Abreu e LIma (Da qual até o presidente venezuelano correu ) a refinaria mais cara do mundo, e que; segundo Graça Foster :” é um exemplo a ser estudado para que jamais volte a acontecer na Petrobras, nunca gerará lucro para pagar os investimentos em sua construção; mas para o muar petista é mais fácil arranjar um culpado para o resultado da incompetência e corrupção petistas : a Lava-Jato . Depois os muares petistas não entendem como o tosco Bolsonaro conseguiu derrotar o poste de Lula ! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        Responder

Alan C

18 de julho de 2019 às 12h48

“vai depender da articulação com os americanos”

DD, 2019.

Responder

NeoTupi

18 de julho de 2019 às 12h40

Nisso Ciro tem razão: alguém só pode estar levando dinheiro nisso.
Qual a lógica de deixar de produzir gasolina no Brasil mais barata, obrigando a Petrobras a dolarizar o preço no mercado interno, com as consequências:
1) Prejudica o consumidor brasileiro que paga gasolina a preços internacionais e não a preço de custo em reais + margem de lucro da refinaria;
2) Deixa de produzir no Brasil, deixando de recolher impostos aqui, o que aumenta défict primário com menor receita.
3) Prejudica a balança comercial brasileira, aumentando o risco Brasil e o risco cambial;
4) Prejudica o balanço da Petrobras, reduzindo seu faturamento, e ficando com capacidade ociosa de seus ativos industriais;
5) Deprecia o valor das refinarias que o governo quer privatizar. Parece até coisa planejada por corrupto profissional que maneja para comprar pagando menos.
6) Expõe a Petrobras a risco de processos bilionários de acionistas por prejuízos decorrentes de corrupção nos itens acima, se vier a ocorrer o que despertam suspeitas.
7) Gera empregos no exterior e desemprego no Brasil, aumentando a recessão e déficit no orçamento da união com mais seguro desemprego, migração para o SUS de quem tinha plano de saúde, queda na arrecadação da previdência, no IRPF, etc.

Só tem desvantagens para o Brasil, para a empresa e para o povo. Então alguém está levando vantagem indevida.

Responder

Deixe uma resposta para Leonel