Entrevista de Lula à Revista Forum

Cristina Kichner, mesmo liderando as pesquisas, renunciou à cabeça de chapa, visando reduzir o peso da polarização no resultado eleitoral. Crédito: Página 12.

A vitória da humildade

Por Redação

12 de agosto de 2019 : 10h37

O resultado das primárias na Argentina surpreendeu os analistas mais otimistas do campo progressista.

É bom lembrar que as eleições definitivas serão realizadas no dia 27 de outubro, mas os resultados deste domingo apresentam algumas tendências extremamente consolidadas.

A chapa Frente de Todos, da dupla Alberto Fernandez e Cristina Kichner Fernandez, venceu em 22 das 24 províncias do país, com exceção de Córdoba e o Distrito Federal.

Na totalização nacional, com 99% das urnas apuradas, a Frente de Todos obteve 11,62 milhões de votos, ou 49,2% do total; o Juntos por El Cambio, de Macri, obteve 7,8 milhões de votos, ou 33% do total.

Os distritos em azul indicam as vitórias da Frente com Todos.

No Página 12, principal periódico progressista argentino, o jornalista Mario Wainfeld observa que, após a divulgação dos resultados, Cristina Fernández de Kirchner “deixou todo o protagonismo da vitória a Alberto Fernández. Este fez um discurso de concórdia e respeito, e anti-polarização “.

A vitória é uma lição de humildade e estratégia para as forças progressistas de toda a América Latina, porque foi construída sobretudo pelo recuo de Cristina K, a qual, apesar de liderar as pesquisas e ser a personagem mais conhecida do país (foi presidente da república), renunciou a ser a cabeça de chapa e entregou o protagonismo da campanha a Alberto Fernández. A decisão de Cristina foi um gesto consciente para reduzir o peso da polarização: em primeiro lugar, o país, depois o partido, disse ela, em vídeo divulgado por ocasião do anúncio de sua renúncia à cabeça de chapa.

A “grieta”, nome que eles dão à polarização extrema entre kichneristas e antikichneristas, era o principal trunfo com que Macri contava para ganhar novamente as eleições presidenciais.

A chapa Fernández X Fernández conseguiu unir a oposição antimacrista, e atrair parte do eleitorado resistente ao kichnerismo mas insatisfeito com a administração neoliberal de Mauricio Macri. Com isso, inflingiu um golpe aparentemente irreversível na estratégia macrista, que era apostar na “grieta” para vencer as eleições.

As primárias indicaram vitórias importantes em todas as camadas da institucionalidade argentina: para os governos dos distritos, deputados federais, deputados estaduais, senadores federais, senadores locais, prefeitos (intendentes).

Importante observar ainda que os terceiro e quarto lugares das primárias foram conquistados por chapas distantes do macrismo: em terceiro lugar, o Consenso Federal, liderado por peronistas históricos, como Roberto Lavagna, ex-ministro da Economia no governo Kirchner, obteve nada desprezíveis 2 milhões de votos, ou 8,5% do total; em quarto lugar, a Frente de Esquerda, reunindo os setores mais duros e radicalizados da esquerda sindical, obteve quase 700 mil votos, ou 3% do total.

Caso não haja nenhuma reviravolta nas próximas semanas, Alberto Fernández será o próximo presidente da república da Argentina, após uma estratégia que não apenas terá lhe permitido vencer as eleições, mas sobretudo (o que sempre foi a principal preocupação de Cristina) lhe dará melhores condições de governabilidade.


Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

58 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Lib.

13 de agosto de 2019 às 07h19

Os pobres de esquerda da Argentina ganharam, vao acabar com a desigualdade deixando os ricos todos pobres. Teremos a igualdade a la Cuba, presidente com 100% das riquezas, povo com 0
Recomendo o governo Brasileiro a ja ir criando leis para o controle de refugiados na fronteira sul do pais, ninguem suporta a opressao de governos esquerdistas por muito tempo.

Responder

LUPE

12 de agosto de 2019 às 23h56

Caros leitores

Pelo que eu sei o governo de direita do Macri,
eleito pelos nossos superpoderosos inimigos
(os mesmos que deram o Golpe, aqui no Brasil,
os mesmos que botaram Temer Mishell no poder,
os mesmos que botaram o Exterminador do Brasil no poder,

[ sem maiores explicações porque é muito complicado] )

o Macri governo de direita botado no poder pelos nossos superpoderosos inimigos
foi muito de (muito) com força ao pote
para f… com a Argentina

(fazer um povo massacrado como querem nossos superpoderosos inimigos estrangeiros).

O pão subiu 5 vezes de preço.

Aqui , neste país de parca lucidez,
a gasolina é cobrada quase 3 vezes mais do que seria devida.

(lucro extorsivo da Shell , lucro extorsivo da agora de donos americanos BR Distribuidora, lucro extorsivo dos postos Ypiranga, do digníssimo senhor Ministro da Fazenda do Senhor Presidente ).

E o brasileiro,
de olho na Globo,
de olho na Record,
de olho no SBT,
não reage,
não vê que tão botando ……………………….. nne

Enfim, povinho é isso aí………………..

Sorry………………….

Responder

    LUPE

    13 de agosto de 2019 às 00h04

    E se preparem-se
    para eleger o próximo bossalnaro,
    que pode ser o Doria,
    que pode ser o Tiririca,

    ou algum outro quem inimigo do Brasil
    a Globo, a Record, o SBT,
    e a Grande Mídia ,
    manipulada pelos nossos superpoderosos inimigos,
    sutilmente, subliminarmente
    indicar…………..

    Sorry………………….

    Responder

Edibar

12 de agosto de 2019 às 21h13

Coitados dos argentinos, cavando a própria sepultura…

Responder

    Paulo

    12 de agosto de 2019 às 21h51

    Eu não gosto do populismo, porque se situa sempre um passo atrás da necessidade de eficiência máxima do Estado, naquilo que lhe incumbe, primacialmente, fazer, mormente em países em desenvolvimento ou pobres – fora a corrupção, sempre presente nesse tipo de relação entre o poder político e a população, o que acaba por drenar recursos desesperadamente necessários ao investimento público. Mas, com populismo e tudo, fomos o país que mais cresceu no mundo, no século XX (embora, no final do século, já com viés concentracionista de renda). Será que o liberalismo teria a mesma capacidade, de gerar e distribuir renda, num país ainda remediado e desigual?

    Responder

      Edibar

      13 de agosto de 2019 às 14h37

      Sem a menor sombra de dúvida. Lembrando mais uma vez e qtas vezes for necessário, que desigualdade não é um problema. Pobreza é problema. O Estado tem que parar de atrapalhar com burocracias, impostos e intervenções contra quem queira empreender, investir e trabalhar.
      Esse mimimi de sempre contra aqueles que conseguem enriquecer por meios lícitos é na verdade pura inveja.

      Responder

        Paulo

        13 de agosto de 2019 às 16h22

        Eu não tenho inveja, mas não posso também deixar de reconhecer que não existe grande fortuna justa. Pode haver grande fortuna legal, o que é diferente. De outro lado, a desigualdade, é, sim, um problema, pois os benefícios da prosperidade se estendem a poucos…principalmente quando a desigualdade é brutal, como no Brasil.

        Responder

          Edibar

          14 de agosto de 2019 às 16h28

          M E R I T O C R A C I A !!!!
          Toda fortuna legal é justa!! Os benefícios da prosperidade se estenderão a todos os que se esforçarem por ela. Não existe almoço grátis. Se alguém ganha algo sem o devido merecimento é porque há alguém pagando por aquilo. Se ao pretexto da igualdade for se tirar de quem conquistou riqueza com esforço, trabalho e dedicação honestos para dar aos preguiçosos, logo só teremos miséria.

marcos

12 de agosto de 2019 às 20h17

o mesmo filme acontecerá em 3 anos no brasil: pais destruido pelas politicas de bolsossauro e os lobotomizatos que o votaram que estarao arrependidos

Responder

Renato

12 de agosto de 2019 às 18h57

O “rouba mas faz” sempre deu mais votos na AL, Lulla Ladrao e Maluf que o digam….

Responder

Alan C

12 de agosto de 2019 às 17h13

Estive em duas cidades da Argentina semana passada e é evidente que o povo quer tirar o mentiroso Macro, como os próprios argentinos o chamam.

Responder

    Marcio

    12 de agosto de 2019 às 18h55

    Coxinha.

    Responder

Valério Gomes

12 de agosto de 2019 às 16h26

O governo Bolsonaro é um arroto de um cadáver insepulto. Cadáver, porque essa mentalidade de sargento de milícia (prestigiada por gente que tem a cabeça no século XIX) é anacrônica no século XXI. Insepulto porque aqui, ao contrário da Argentina, os criminosos que assaltaram o poder em 1964 não foram punidos. Já passou da hora de enterrarmos esse cadáver!

Responder

Pablooo

12 de agosto de 2019 às 16h20

O cafezinho já está me censurando, tenho que trocar email e mudar nick. Deve ser pq estou falando contra o neo-liberalismo, já os bolsominions tem passe livre aqui.

Responder

    Alan C

    12 de agosto de 2019 às 17h08

    O cafezinho ganha $ em cima dos trouxas dos pobres de direita, rs.

    Responder

      Marcio

      12 de agosto de 2019 às 17h38

      Meritocracia.

      Responder

Rick

12 de agosto de 2019 às 16h14

Uma grande esperança para a Argentina se livrar dessa direita selvagem. Os hermanos de fato acordaram mesmo! Infelizmente pra nós brazucas, temos mais três anos e meio de obscuridade e ao final não restará mais nada a não ser escombros de um país transformado num território colonizado por estrangeiros. O Brasil já entrou tecnicamente na recessão. Entre mortos e feridos, o que restar lá pra 2022, espera-se que tenha aprendido a votar com os argentinos!

Responder

Marcos Videira

12 de agosto de 2019 às 16h05

Com exceção dos fanáticos, todos sabemos que a estratégia eleitoral de Cristina K. foi exatamente o contrário da estratégia de Lula.
O resultado também.

Responder

    Marcio

    12 de agosto de 2019 às 18h59

    Foi a mesma, colocou um poste na frènte dela.

    A diferènça è que nào è uma bandida (atè ser eventualmente condenada, tem um processo por corrupçào nas costas se nào me engano) igual ao Pilantra Maximo.

    Responder

    Luis Campinas

    13 de agosto de 2019 às 00h22

    Nenhuma similaridade entre os dois paises. Lá eles nunca votariam alguém que defende a tortura. Lá, ao contrário daqui onde os milicos que defendem isso e entregam o patrimônio do país e sustentam um lunático, foram presos e pagam por seus crimes. Essa é uma das diferenças, tem outras.

    Responder

Pablo

12 de agosto de 2019 às 15h41

Quem venceu a eleição foi o desastre neoliberal do Macri.Nao foi a política capituladora da Cristina que se tivesse sido ela a candidata teria vencido por margem ainda maior.

Responder

    Pablo

    12 de agosto de 2019 às 15h46

    O candidato a Governador de Buenos Aires Kicillof é um kirchnerista “xiita”, e não precisou ser vice,nem capitular. Foi cabeça de chapa e venceu com diferença ainda maior à Governadora macrista atual, Maria Eugênia Vidal.
    Quer dizer Cristina como candidata a Presidenta teria mais de 50% dos votos

    Responder

    CezarR

    12 de agosto de 2019 às 15h55

    Não se trata da Cristina ganhar ou perder por margem maior ou menor, é estratégia de enxergar o jogo e reagir às tentativas de golpes judiciais que tentam sobre ela. Há quem enxergue o jogo e há quem enxergue o próprio umbigo!

    Responder

      Pablooo

      12 de agosto de 2019 às 16h15

      E as tentativas acabaram? Cristina foi absolvida? O vice do Lenin Moreno no Equador foi preso depois de eleito.
      Quem garante que Alberto vá ser fiel ao programa e a própria Cristina?

      Responder

        CezarR

        12 de agosto de 2019 às 16h38

        Justamente por não terem acabado é que a estratégia foi essa! Quanto ao Alberto seguir o promagrama, não há garantia nehuma, vide Dilma 2015

        Responder

          Pablooo

          12 de agosto de 2019 às 16h43

          Não acabou também com a tentativa da Cristina, nem garante que a Cristina vai governar sem FMI e Bancos.
          Se Dilma fosse tão boa para os mercados e fosse fazer a Reforma da Previdência não teria sido golpeada.
          Já Ciro era certeza de Reforma da Previdência.

          CezarR

          12 de agosto de 2019 às 18h39

          Lula e Dilma reformaram a previdência… remember, remember…

          Pablooo

          12 de agosto de 2019 às 22h49

          Apenas uma Reforminha comparada com essa.
          Vc não tem como explicar pra que golpearam Dilma e Lula foi preso se eles podiam fazer a Reforma.
          Ou vc acredita no Moro e DD?

          Pablooo

          12 de agosto de 2019 às 22h55

          E fizeram quando não tinha a crise brutal do capitalismo de hoje. Quando a conciliação de classes era possível. Agora não tem como conciliar.Nem Lula,nem Fernández.A burguesia não vai aceitar. Se prenderam Lula era pq ele não ia fazer. Na conciliação optaria pelos pobres, até por um compromisso histórico do Lula. Qual o compromisso de Fernandez?Qual compromisso do Ciro?

    Marcio

    12 de agosto de 2019 às 19h04

    E quando esse tal de Macri ganhou qual foi o desastre …?

    Responder

      Pablo

      13 de agosto de 2019 às 08h05

      Qual foi o desastre? Aumento da pobreza em 6% em relação ao governo K,a indigência aumentou para 7%, inflação de 55,8%(índice mais alto em 27 anos), o desemprego aumentou 2,5% em relação ao Governo K, ficando em mais de 10%, o dólar se valorizou mais de 100% em relação ao peso. Quando a Cristina saiu 1 dólar = 9 pesos, com Macri 1 dólar = 55 pesos.
      Aumento da dívida externa, volta do FMI, o PIB caiu 2,6%,etc. Isso só na área econômica.
      Entre outros desastres podemos citar a morte e prisão de lideranças populares, índios,etc pela repressão da Polícia macrista,como o famoso caso Santiago Maldonado,Milagros Sala, etc. Censura da imprensa livre como o Canal Telesur, perseguição ao canal C5N de oposição prendendo seus donos, perseguição e expulsão de diferentes jornalistas de meios de comunicação opositores como Victor Hugo Morales.
      Achou pouco?

      Responder

Lord Joseph Weed III

12 de agosto de 2019 às 15h07

Como sempre o Cafezinho está errado.
Cristina fez o que Lula fez , tentou ser candidata e quando viu que a justiça não ia deixar abriu mão para um companheiro de partido.
Vocês esquecem que quem define eleição é o povo , não estratégia de A ou B.
E evidentemente o fracasso de Macrí contribuiu para a decisão do povo.
O povo Argentino é intelectualmente e moralmente superior ao brasileiro , aliás todos os povos do mundo são , Bolsonaro é claramente o pior governante do mundo.
Aliás Bolsonaro é a pior pessoa do mundo , se deixarem ele tortura milhões até a morte.
Felizmente será isolado , os paraguaios o detestam , a Argentina vai devolver o poder para a esquerda , Trump está dez pontos atrás de Biden ou Sanders.

Responder

    CezarR

    12 de agosto de 2019 às 16h42

    O Lula abdicou da candidatura quando “viu que a justiça ia negar”?

    Responder

    Paulo

    12 de agosto de 2019 às 17h31

    “O povo argentino é intelectualmente e moralmente superior ao brasileiro”. Deve ser por isso que ficam imitando macacos quando jogam com brasileiros, nas arquibancadas…é de uma nobreza sem igual, ou melhor, igual à sua…

    Responder

maria do carmo

12 de agosto de 2019 às 14h03

bolsonaro bronco falador quer mandar nos outros paises, nao consegue governar o Brasil so destruir nao consegue ver sua pequenez, nao existe pensamento unico, comece por resolver os problemas brasileiros ocasionados por sua imbecilidade, incapacidade e ignorancia, resolva o desemprego e a recessao brasileira, nao cause mais vergonha aos brasileiros deixe de ser papudo!!!Deixe o povo entender a deforma da previdencia , vai sentir a forca do povo, fala pelos cotovelos so bobagens, tolices e ofensas!!!

Responder

    ricardo

    12 de agosto de 2019 às 17h11

    Se ele cumprir o que falou agora mesmo…de o Brasil sair do mercosul..acabou se a argentina da cristina!!!

    Responder

chichano goncalvez

12 de agosto de 2019 às 13h28

Menos mal, que ganhou uma frente de centro, eu votaria na esquerda, onde está a solução de TODOS os problemas dos serios e honestos que pagam impostos, por falar em impostos cade a operação Zelotes ? Por onde anda ? ? ? ? ?

Responder

Frederico Krepe

12 de agosto de 2019 às 13h24

A Cristina aprendeu com a estratégia desastrosa do PT em 2018. Parabéns! E que sirva de lição!

Responder

12 de agosto de 2019 às 13h20

Esse Cafezinho não tem jeito mesmo: “a lição de humildade do campo progressista argentino ” não envolveu , por supuesto, golpeachment e condenação e prisão sem provas de Cristina de candidato. Nossa lição de humildade seria negar que Lula é um preso político e que estamos no meio da fase 2.0 do Golpe?

Responder

    CezarR

    12 de agosto de 2019 às 14h08

    Como não? O MP argentino está doido para prender a Cristina! Só não deu tempo, ainda! Justamente por isso ela abriu mão da cabeça de chapa!

    Responder

      Pablo

      13 de agosto de 2019 às 08h28

      Não foi falta de tempo, meu caro, evidentemente vc não conhece a situação da Argentina em profundidade, o que até o momento evitou a prisão da Cristina foi que ela se elegeu Senadora e tem imunidade parlamentar, para não ser presa ela usou essa estratégia, não colocar Alberto Fernandez de candidato.Isso sem falar que a mobilização popular de rua na Argentina é maior que no Brasil,até por motivos históricos e culturais.
      Então se vcs querem apontar algum erro do Lula em relação a estratégias deveriam primeiro criticar seu governo por não ter aumentado a consciência popular e a mobilização, e talvez não ter procurado ser eleito para algum cargo quando começou a perseguição. Isso tira Ciro da reta, como vocês querem forçar a barra aqui, deixando ver nas entrelinhas que o Lula deveria ter escolhido ele para candidato, até pq no finalzinho Lula fez a mesma coisa que a Cristina, escolheu alguém do seu Partido ( Ciro não era do mesmo partido que o Lula), não elegeu sequer Massa ou Lavagna que vinham de outras agrupações se queremos comparar com Ciro.

      Responder

Marcio

12 de agosto de 2019 às 13h14

O poste Argentino.

Essa mulher se não me engano tava sendo processada por corrupção, foi absolvida ?

Responder

    chichano goncalvez

    12 de agosto de 2019 às 13h26

    Quem está sendo processado por ROUBO,veja o Panama Pipers é o ladrão do Macri, igual a Tamer, Serra, Aecio ( este possui dinheiro roubado , até em Liechdenstein), ou tu é muito burro ou muito mal intencionado e não entendes de politica, acefalo.

    Responder

      Marcio

      12 de agosto de 2019 às 13h31

      Chicharolas,

      essa mulher tava sendo processada por corrupção; o que tem a ver o resto do mundo com isso ?

      Responder

        CARPOA

        12 de agosto de 2019 às 14h45

        MEU CARO VC É INFORMADO PELA MÍDIA GOLPISTA,PORTANTO VC É UM IGNORANTE.
        LHE INFORMO,CRISTINA K FOI E É ALVO DE LAWFARE E CONDENAÇÃO MEDIÁTICA (LHE LEMBRA ALGUMA COISA?)
        A SORTE DELA É QUE AINDA RESTA UM POUCO DE DECÊNCIA EM ALGUNS MEMBROS DO STF DE LÁ QUE IMPEDIRAM ,POR FALTA DE PROVAS ,A SUA CONDENAÇÃO.
        NÃO REPITA MAIS ESSAS BOBAGENS,AGORA ESTÁ INFORMADO.

        Responder

          Marcio

          12 de agosto de 2019 às 17h43

          Meu retardado,

          se eu fosse informado sobre o assunto não teria perguntado.

          Foi absolvida ou é mais uma bandida em pleno estilo esquerdalha podre tupiniquim ?

          Pois pra mim desde que não sejam bandidos sentenciados não faz diferença alguma, estou cagando e andando alegramente para quem ganha as eleições na Argentina e no Brasil também.

degas

12 de agosto de 2019 às 12h35

Resposta do petista típico a este artigo:

Lula Livre!

Responder

Francisco

12 de agosto de 2019 às 12h16

O Kfézinho cada vez mais divertido.

Fernández esteve há duas ou três semanas atrás no Brasil, para visitar em plena campanha um perseguido político brasileiro para apoio recíproco. Qual o político visitado?

a) Ciro Gomes
b) Jair Bolsonaro
c) João Doria
d) Sergio Moro
e) Nenhum desses

Responder

    Frederico Krepe

    12 de agosto de 2019 às 13h23

    Claro, foi o Lula que deu essa vitória a ele. Certeza!

    Responder

    Francisco

    12 de agosto de 2019 às 13h29

    Correção: leia-se, há quatro semanas’, e sem o indevido, ‘atrás’.

    Responder

Zé da benga

12 de agosto de 2019 às 11h55

Eu estou torcendo para a esquerda ganhar na Argentina, assim como na Venezuela essa esquerda burra não sabe governar, vai meter a Argentina numa crise igual a Venezuela, e assim a esquerda aqui fica mais desmoralizada do já está e se afunda de vez. Agora adoto o mesmo método da esquerda, quanto pior melhor. Quanto pior na Argentina com a Cristina, melhor para o Brasil, e assim o FDP do Lula continua na cadeia

Responder

    CezarR

    12 de agosto de 2019 às 14h06

    Hahahahahah! Do jeito que fez o direitoso Macri? HAHAHAHAHAHAH!

    Responder

CezarR

12 de agosto de 2019 às 11h28

Já aqui, o maior líder da esquerda não abriu nem para outro candidato do próprio partido, ou melhor, abriu, quando o jogo já era perdido!

Responder

Ricardo

12 de agosto de 2019 às 11h09

Grande licao de humildade….que sirva de exemplo aa arrogancia de lula e do pt!!!

Responder

Guilherme Nagano

12 de agosto de 2019 às 11h05

Vcs leram o plano economico? É basicamente um PSDB! Grandes chances para a centro-direita no Brasil!

Responder

Paulo

12 de agosto de 2019 às 10h59

Num país em que quase 40% da população é pobre/miserável, é natural a vitória da esquerda. Por aqui, com a Reforma da Previdência, privatizações descontroladas (prometidas), Reforma Trabalhista e Capitalização à frente vamos pro mesmo caminho (e a nova proposta é terceirizar benefícios do INSS)…

Responder

    Marcio

    12 de agosto de 2019 às 11h55

    Aqui não tem esse perigo.

    No Brasil 90% são miseráveis, 5% pobres e 5% bilionários.

    Responder

      Paulo

      12 de agosto de 2019 às 21h31

      Onde você se enquadra?

      Responder

Deixe uma resposta para