03.04 Coletiva do Ministro da Saúde

O impeachment e o dilema da oposição

Por Redação

26 de fevereiro de 2020 : 13h39

Por Theófilo Rodrigues


A notícia de que o presidente Jair Bolsonaro enviou mensagens convocando para ato por fechamento do Congresso Nacional e do STF, o que configura crime kde responsabilidade, reacendeu a tese do impeachment. Ex-presidentes como Fernando Henrique Cardoso, Luís Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, o decano do STF, Celso de Mello, e governadores como João Doria e Flávio Dino expressaram em suas redes sociais o repúdio ao ato de Bolsonaro. Mas será que esse repúdio se expressa em apoio da oposição ao processo de impeachment?


Antes de mais nada é preciso compreender que a oposição não consiste em um campo político homogêneo. Há uma oposição de centro-direita, que concorda com a agenda econômica do governo, mas discorda das pautas conservadoras e autoritárias, e uma oposição de esquerda que discorda tanto da agenda econômica quanto da cultural, social e política. As táticas, portanto, também podem ser distintas.

Para a oposição de centro-direita, o impeachment tem a desvantagem momentânea de adiar as privatizações e a reforma administrativa e tributária que estão programadas para 2020. Mas, por outro lado, tem a vantagem de criar um cenário mais tranquilo para a implementação de toda essa agenda neoliberal a partir de 2021.


Para a oposição de esquerda, a abertura do processo de impeachment tem a vantagem de adiar as privatizações e a reforma administrativa e tributária para 2021, impedir o avanço do autoritarismo e proteger a democracia ao impedir o fechamento do Congresso e do STF. Mas tem a desvantagem de criar um novo governo de direita, sob a liderança de Hamilton Mourão, com maior aceitação na sociedade e maior chance de reeleição em 2022. Esse é o cenário que informa o dilema que a oposição progressista enfrenta no momento: escolher entre a “hipótese Itamar” e a “hipótese do sangramento”.


A “Hipótese Itamar” parte da seguinte questão: Bolsonaro é tão perigoso que precisa ser tirado do governo agora, mesmo que isso signifique a eleição da centro-direita em 2022? A hipótese tem esse nome, pois reproduz a lógica do início da década de 90. Após aprovar o impeachment de Collor em 1992, Itamar assumiu o governo e permitiu a eleição e reeleição de Fernando Henrique Cardoso. A esquerda que liderou o impeachment foi escanteada e o Brasil passou pelo longo período neoliberal da década de 90. Mourão seria o novo Itamar?


A “Hipótese do sangramento” é alimentada por outra questão: não seria melhor deixar Bolsonaro levando pancada no governo até o fim para eleger um governo progressista em 2022? Essa foi a tática adotada pelo PSDB em 2005, após o caso do mensalão. Naquela ocasião ficou conhecida a proposta dos dirigentes tucanos de que, em vez do impeachment, era melhor deixar o governo Lula sangrar até 2006, quando o PSDB então venceria a eleição. Como a história nos mostrou, a tática tucana foi equivocada e Lula não só foi reeleito em 2006, como o PT ainda elegeu e reelegeu Dilma nas duas eleições seguintes.


A história não se repete, bem sabemos. Mas antes de avançar por qualquer um dos dois caminhos é bom refletir sobre suas possíveis consequências. Seja como for, no momento nada é mais importante para a democracia brasileira do que interromper o avanço autoritário do governo Bolsonaro.

Theófilo Rodrigues é cientista político.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

52 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Nelson

28 de fevereiro de 2020 às 00h24

Derrubar o Bozo, apenas, é erro brutal estratégico a ser cometido pela esquerda verdadeira e as forças populares. Ainda que seja um disparate indizível, o comportamente dessa lorpa não é o pior que está a acontecer ao país e ao povo.

Derrubar apenas o Bozo, é quererem nos fazer acreditar que a forte inclinação ao fechamento do regime parte apenas dele. Não seria um projeto de um grande grupo.

Direita, centro-direita, centro e até mesmo alguns que se apresentam como de centro-esquerda não têm, na realidade, problema algum com isso, com a ditadura. Esta turma toda está prestes a aprovar, no Congresso Nacional, os projetos de lei que compõem o chamado Patriot Act tupiniquim, muito mais repressivo e autoritário que o seu inspirador, o estadunidense.

A única preocupação desta turma toda é que a demolição completa do Estado e do setor público brasileiros – tarefa inadiável a ser cumprida pelo governo Bolsonaro por imposiçao do Sistema de Poder que domina os EUA – venha a ser interrompida ou retardada pelos arroubos verbais, trapalhadas e, sim, crimes que vêm sendo cometidos pelo presidente que eles ajudaram a eleger.

Afinal, o que a direita, a centro-direta, o centro e a centro-esquerda têm feito desde 2016? O impedimento de Dilma, a reforma trabalhista, a PEC 241, a MP do Trilhão, a reforma da Previdência, para ficar só nesses ataques aos direitos dos trabalhadores e do povo brasileiro como um todo, são o quê além de ataques frontais à democracia?

Tudo isso já foi aprovado pela patota acima. E eles prometem atacar muito mais ainda o povo brasileiro. É claro que, se o povo vem sendo esfolado, espoliado, roubado em seus direitos, em seu patrimônio e em suas riquezas por estes supostos amantes da democracia, alguém ou algum setor levou e vai levar muita vantagem com tudo isso.

Esta patota está a atacar ferozmente 98%, ou mais, do povo brasileiro que é o percentual dos que estão a perder, em benefício da ínfima minoria dos restantes já mi ou bilionários. O que tem a ver com democracia a aprovação de projeto e medidas em benefício de 1% ou, quando muito, 2% da população?

Então, amigo. O povo brasileiro precisa, o mais urgente possível, se dar conta do projeto devastador que está a ser imposto ao país. A partir daí, precisa passar a fazer pressão total para que este governo pare com a destruição e, mais que isto, reverta o que já foi entregue e destruído. Se este governo não voltar atrás, o povo tem é que derrubá-lo por inteiro e exigir novas eleições abertas, democráticas e transparentes.

É claro que, para isso, não mais poderemos aceitar as tais urnas eletrônicas brasileiras que seriam 100% credíveis, ainda que não permitam a recontagem dos votos e nem este modelo eleitoral que aí está e que permite toda sorte de manipulações por parte do grande capital.

Responder

    Paulo

    28 de fevereiro de 2020 às 11h34

    A Reforma Administrativa será a última pá de cal, pois a Tributária só vai trocar 6 por 1/2 dúzia. Mas o povo pensa que será beneficiado com os cortes na carne dos “odiosos servidores públicos”. Esse discurso foi vendido na Reforma da Previdência e viram que deu certo, pois a população tem preconceitos ancestrais contra os “barnabés”. Sintomáticas, a propósito, a pressa no encaminhamento dessa Reforma e uma frase isolada de Bolsonabo, ontem, na sua “live”: “esses servidores de carreira da FUNAI atrapalham as nossas ações na Amazônia”…

    Responder

    Alan C

    28 de fevereiro de 2020 às 12h29

    “Afinal, o que a direita, a centro-direta, o centro e a centro-esquerda têm feito desde 2016?”

    A direitosca e a centro-direita, nada. Tanto pq se beneficiam com este regime tosco, amador, nazista e ignorante.

    A centro esquerda vai fazer o que com 160 deputados e 30 senadores? Nada tb.

    Sou radicalmente contra o impeachment, por mim esse zé ninguém sangra até 31 de dezembro de 2022, tanto pq quem entrar no lugar dele dará continuidade.

    É com o prato vazio que o povo aprende.

    Bozo até 2022!!!

    Responder

      Andressa

      28 de fevereiro de 2020 às 12h51

      Que presunçào heim Biba, que arrogancia…calma, fica titi nào….kkkkkkkkkkkkkk

      E’ o eleitor que tà errado se nào vota como voce gostaria…?

      E’ cada uma…..Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Responder

        Abdel Romenia

        28 de fevereiro de 2020 às 12h54

        E’ claro, os brasileiros devem votar como dizem os esquerdistas, os defensores da democracia nào admitem opinioes diferentes.

        Responder

          Ronei

          28 de fevereiro de 2020 às 13h06

          Essa gente tem muitos anos de sofrimento pela frènte se nào aceitarem a democracia….kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          Alan C

          28 de fevereiro de 2020 às 13h46

          Voltou do bloco wellington?? Lava o biquini e volta! rs

      Arthur Fonzarelli

      28 de fevereiro de 2020 às 13h05

      Kkkkkkkk

      As Bibetes perderam a linha, nào aguentam a democracia de jeito nenhum…kkkkkkkkkk

      Responder

        Alan C

        28 de fevereiro de 2020 às 13h49

        12:51… 12:54… 13:05… 13:06…. Conte-nos como é ser solitário no forum kkkkkk

        Responder

Paulo

27 de fevereiro de 2020 às 17h29

“Uma coisa sintomática é a ausência, no Brasil, de uma ‘quarta posição’: rejeição da pauta neoliberal e apoio à pauta conservadora moral”.

Também acho. Essa posição era ocupada antigamente pelos militares. Mas esses de hoje – no Governo, pelo menos – aceitam vender todo o patrimônio nacional.

Mas, uma pergunta, por curiosidade: Por que 4ª posição? Qual seria a 3ª?

Responder

Eduardo de Paula Barreto

27 de fevereiro de 2020 às 14h12

.

O OVO DA SERPENTE
.
Os ignorantes e as corporações
Pavimentaram os descaminhos
Conclamando as multidões
Para construírem um ninho
E nele botaram um ovo
Que logo ficou choco
Sob os glúteos paranoicos
Que o mantiveram quente
Até surgir a serpente
Com veneno ideológico.
.
A serpente já nasceu adulta
Cuspindo seus letais venenos
Ferindo as pernas da República
E revivendo antigos pesadelos
Protagonizados por ditadores
Homicidas e torturadores
Que saciavam a sua vileza
Com a morte lenta e dolorosa
Como toda serpente venenosa
Que aprecia a morte da presa.
.
Animal que se arrasta
Deixando rastro de destruição
E devora até os democratas
Que não apoiaram sua eclosão
E diante de tanta torpeza
O gigante amassa sua cabeça
Tentando reparar o engano
E o mata sem escrúpulos
Esperando que seu substituto
Seja menos desumano.
.
Eduardo de Paula Barreto
27/02/2020
.

Responder

Renato A. Danilo

27 de fevereiro de 2020 às 13h25

Para os chamados “progressistas”, democracia só existe se eles estiverem no Planalto.

Responder

    Monza 87

    27 de fevereiro de 2020 às 14h44

    Sem STF e sem congresso, né? humm….

    Responder

    Wellington

    27 de fevereiro de 2020 às 15h09

    Não é novidade nenhuma isso.

    Responder

Wellington

27 de fevereiro de 2020 às 12h20

Nào tendo o minimo costume e respeito para a democracia a unica coisa que essa porcalha pode fazer nào sabendo tambèm fazer oposiçào é apontar os outros como fascistas, nazistas, se passar por vitimas de ninguem sabe o que, papagaiar que estào sendo privados de direitos de ninguem sabe o que e outras asnerias dessas…nada mais que isso.

Responder

    Gilmar Tranquilão

    27 de fevereiro de 2020 às 12h25

    “Precisa aceitar a democracia” andressão! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder

      Wellington

      27 de fevereiro de 2020 às 12h45

      Passou da hora.

      Responder

        Alan C

        28 de fevereiro de 2020 às 15h47

        …de deixar de ser um camundongo ridículo e ser menos burro.

        Responder

Wellington

27 de fevereiro de 2020 às 12h14

Nào é novidade mas a unica resistencia que essa gente fàz é a Democracia…o resto é papo.

Responder

Marcio

27 de fevereiro de 2020 às 10h21

O governo quer ser a única quadrilha ativa, quer acabar com a concorrência, só isso.

Responder

Matheus

27 de fevereiro de 2020 às 09h28

Pitacos:

a) Uma coisa sintomática é a ausência, no Brasil, de uma “quarta posição”: rejeição da pauta neoliberal e apoio à pauta conservadora moral. É exatamente essa a que tem sido chamada de “populista” na Europa, e foi inclusive o discurso de campanha de Trump (que depois no poder se mostrou o velho liberal-conservador de estilo autoritário, imitando Reagan e Bush II).
b) Convenhamos que de Itamar (um presidente moderado que chegou a ter Celso Amorim e Ciro Gomes como ministros) para Mourão (um brucutu com tendências autoritárias e neoliberais bem transparentes) é um abismo, mas de fato Mourão parece ter maior capacidade de negociação com o Congresso e (depois do curso intensivo de “relações públicas” pago pelo Exército) de manter o decoro em público.
c) O grande problema é que todo espectro político no Brasil está “puxado” ou “forçado” para a direita. Assim, a nossa centro-esquerda se comporta como centro-direita (o que é facilmente perceptível no comportamento de muitos governadores e parte dos deputados do PDT e PSB), a nossa centro-direita defende um neoliberalismo desumano e cínico com fachada de tecnocracia (que não é, nem nunca foi técnica, mas um mix de dogmatismo ideológico com complôs mafiosos de elite), e a extrema-direita no poder parece um bando de Napoleões de hospício perigosos que que fugiram de um manicômio judiciário, com todo tipo de desordem mental muito óbvias – como a mitomania (mentiras compulsivas), a paranoia, a fixação por fezes, os tiques nervosos, a zoofilia confessa etc.

Responder

    Matheus

    27 de fevereiro de 2020 às 09h39

    Adendo ao último item: governadores do PT também mostram um comportamento de centro-direita em muitas ocasiões (pra vocês não pensarem que sou petista), e a esquerda (que inclui parcelas do PT, PDT, PSB, REDE e o PCdoB e PSOL) tem a conduta bem-comportada da centro-esquerda, pois a esquerda radical sequer entra na política institucional ou consegue fazer deputados, de tão forçado à direita que está todo espectro político brasileiro. É isso, estamos num cenário desolado, caótico, chefiados a nível federal por uma camarilha de psicopatas e psicóticos despudorados e que contam com aplauso de 25% a 30% e indiferença de outros 30% de uma maioria reacionária, ignorante, intolerante e estúpida da população, que é incapaz de perceber até o auto-interesse material mais estrito do seu grupo social (como, p.ex., se aposentar um dia, gozar de férias e 13º, ter atendimento médico gratuito e escola para os filhos, pagar menos impostos no consumo graças ao aumento dos impostos para os super-ricos). Essas pessoas cospem em quem os defende, idolatra quem os explora e humilha, e se sente feliz mesmo empobrecendo, por saber que há negros, índios, gays ou mulheres que estão em situação ainda mais miserável. O gozo da desgraça alheia é mais importante que o bem-estar próprio. E todos, é claro, acreditando piamente que o filho do Lula comprou a NASA e as pirâmides do Egito, que o Ciro é um cangaceiro-coronel raivoso, que a Manuela D’Ávila usa camisas com ataques a Jesus etc. É difícil não ficar totalmente desesperançado com essa porcaria de país.

    Responder

    Paulo

    27 de fevereiro de 2020 às 17h31

    “Uma coisa sintomática é a ausência, no Brasil, de uma ‘quarta posição’: rejeição da pauta neoliberal e apoio à pauta conservadora moral”.

    Também acho. Essa posição era ocupada antigamente pelos militares. Mas esses de hoje – no Governo, pelo menos – aceitam vender todo o patrimônio nacional.

    Mas, uma pergunta, por curiosidade: por que 4ª posição? Qual seria a 3ª?

    Responder

Volin Rabáh

27 de fevereiro de 2020 às 09h12

O congresso e o STF estão é ferrado, sabem que não tem muita coisa para atacar o governo e tentam desesperadamente criar uma cortina de fumaça, se esticar mais a corda ela arrebenta, e ai vai sobrar tiro porrada e bomba para todos, tanto no congresso quanto no STF…. Essa maluquice toda só esta fortalecendo ainda mais essa manifestação, é sabido que tanto o congresso quanto o STF estão em baixa com a população e estão inflando ainda mais esses ânimos nada agradáveis, estão é dando um tiro no pé…. depois que aguentem as consequências….

Responder

    Matheus

    27 de fevereiro de 2020 às 09h58

    Pelo contrário, bobalhão, o que não falta é escândalo do governo Bozo: a) corrupção na hidrelétrica de Itaipu, que quase derrubou o governo paraguaio, mas aqui a imprensa abafou; b) conflitos de interesse e fraudes financeiras perpetradas por Paulo Guedes e sua equipe de super-estelionatários e corruptos do mercado financeiro, tudo escondido pela imprensa mainstream; c) um ministro do meio ambiente condenado por improbidade, racista anti-indígena e que comete uma política antiambiental que quase trouxe sanções internacionais ao Brasil (agradeçam a Angela Merkel e Xi Jiping, porque se dependesse da França e Escandinavos a carne brasileira já seria proibida em boa parte do mundo); d) esquema de “rachadinha” (corrupção e peculato), do qual participavam notórios membros do crime organizado carioca, o que leva à… e) ligação direta e indireta da família Bozo com o crime organizado carioca, incluindo achacadores de comerciantes e moradores pobres, assassinos de aluguel e contrabandistas de armas, que quando não eram funcionários-fantasmas (Queiroz) nomeavam sua parentela para os gabinetes (esposa e filha do arquivo queimado Adriano Nóbrega); f) um ministro da “justiça” que age como capanga de miliciano, usando seu cargo para proteger os chefes e aliados políticos, e tentando perseguir e extorquir os adversários, como fizeram quando se arvorou a inquisidor “anticorrupção” pra inglês ver; g) um chanceler em pleno surto psicótico, que idolatra o porco Trump e sacrifica todos os interesses brasileiros para mostrar submissão ao governo Trump, no que é totalmente alinhado com o presidente-bandido; h) um ministro da educação corrupto, semianalfabeto, incompetente e retardado, que foi enfiado na UNIFESP por um concurso onde só ele era candidato e mesmo assim foi claramente favorecido por um membro da banca, que se tornou depois sócio, e que tem como objetivo da gestão destruir as instituições federais de ensino e semear o fanatismo e a ignorância; i) uma velha decrépita e pervertida, que se diz “pastora” para sequestrar crianças indígenas e cuja gestão tem como objetivo destruir a laicidade do Estado e por conseguinte e liberdade de crença e opinião; j) fracasso total da agenda econômica e social entreguista, privateira, antinacional, antitrabalhador, que talvez seja melhor designada por termos psiquiátricos, como uma espécie de SOCIOPATIA ECONÔMICA guiada por um misto de fanatismo ideológico raso com interesses criminosos ligados ao estelionato de luxo de Guedes, à privataria em troca de propina de Mattar e à lavanderia de dinheiro miliciano da familícia Bozo.
    O que diabos FALTA pra atacar? Na verdade a mídia corporativa é conivente, focalizando nas “merdas faladas” ao invés dos crimes e desmandos sistematicamente cometidos.

    Responder

      Abdel Romenia

      27 de fevereiro de 2020 às 10h28

      Olha o esperneio Biba…kkkkkkkkkkkkkkk

      Responder

        Gilmar Tranquilão

        27 de fevereiro de 2020 às 10h37

        a andressa engoliu a língua!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        Responder

    Fonzie

    27 de fevereiro de 2020 às 10h07

    So coisas ridiculsa de quem nao possui o minimo costume com a democracia e nao sabe fazer oposiçào.
    A manifestaçào é inutil e pouca gente mesmo vai. E’ suficiente ver as imagens do Presidente da Republica andando pelo Guarujà para entender o tamanho de apoio dos brasileiros.

    Responder

    Andressa

    27 de fevereiro de 2020 às 13h02

    Os atrapalhados estào fazendo propaganda para essa manifestaçào que na verdade nem precisaria ser feita, basta ver os videos do presidente da republica andando pelo Guarujà para entender o tamanho de apoio dos brasileiros ao Governo.

    Responder

José Ricardo Romero

27 de fevereiro de 2020 às 08h51

É só fazer o impeachment que o Brasil volta a crescer…

Responder

Xuranha

26 de fevereiro de 2020 às 22h11

Resumindo… agora o Mourão é Presidente e o Botafogo vice, certo ? Kkkkkkkkkkkkkkkkk

Responder

sergio pimentel

26 de fevereiro de 2020 às 19h48

https://www.youtube.com/watch?v=IeFj30jejo8

Responder

sorin

26 de fevereiro de 2020 às 19h38

Histeria coletiva…chegaram nesse ponto sem retorno por nào aceitarem a democracia….Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Responder

Ronei

26 de fevereiro de 2020 às 19h36

O mais engraçado dessa xesima palhaçada toda é que todo mundo sabe muito bem que nào aconteceu absolutamente nada e que nào hà a minima possibilidade de uma empreitada autoritaria por parte de ninguem.

O unico problema é sempre o mesmo…a democracia ainda nào foi aceita, principalmente na imprensa e na “esquerda” (chamar de esquerda essa porcaria tupiniquim é ser muitos bonzinhos, chega a dar dò).

Responder

Ivan

26 de fevereiro de 2020 às 19h14

Pareçe que ninguem do Congresso e da Folha de o furo atràs dos carros como de costume esse ano no Carnaval e voltou pro trabalho mais estressado que sexta feira…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Vendo tudo isso de fora chega a dar dò o Brasil, nada mais.

Responder

Justiceiro

26 de fevereiro de 2020 às 16h16

Parem da lorota de que Lula e Dilma defendem a democracia. Quando presidente, Dilma ouviu, no palácio do Planalto, o presidente da CUT prometer pegar em armas se o congresso votasse o impeachment e nada fez. Aquilo não foi uma ameaça velada ao Congresso? E Dilma ficou caladinha.

Impeachment só com apoio popular e se esticarem a corda ainda mais, ai, sim o povo fecha o Congresso e o STF, pois anda de saco cheio dos dois, defensores de corruptos.

Responder

    Damaris Depressiva

    26 de fevereiro de 2020 às 18h28

    Dilma não chamou ninguém pra pegar em armas, não tem crime de responsabilidade.

    Dizer que vai pegar em armas não é crime, é crime pegar em armas.

    Vc precisa ver mais Jesus na goiabeira.

    Responder

      Andressa

      26 de fevereiro de 2020 às 19h06

      “Dizer que vai pegar em armas não é crime”…isso se chama ameaça e é crime.

      Responder

        Açaí Fantasma

        26 de fevereiro de 2020 às 19h26

        Então “vamos metralhar a petezada daqui do Acre” tb é.

        Responder

        putin

        26 de fevereiro de 2020 às 20h30

        exato! e o clan B fez isso muitas vezes.

        Responder

          Wellington

          26 de fevereiro de 2020 às 20h42

          É só fazer o “gopi” do “impixment”….kkkkkkkkkkkkkkk

          General de Pijama

          27 de fevereiro de 2020 às 21h21

          O Açaí te pegou

    putin

    26 de fevereiro de 2020 às 20h35

    heroico justicero de formigas,
    vc tá muito enganado sobre a consistencia numerica deste “povo” nazistao que fecharia o congresso.
    talvez vc mora na aldeia do doutor mengele, é descendente dele? ou é o resultado das experiencias cientificas dele?

    Responder

    Marcus Vinicius Machado Padilha

    27 de fevereiro de 2020 às 12h57

    Fonte: “vozes na minha cabeça.”

    Responder

Goebbels

26 de fevereiro de 2020 às 15h21

Impeachment só pros outros. É realmente necessário repetir isso?

Responder

    Wellington

    26 de fevereiro de 2020 às 20h51

    Voltou também…? Kkkkkkk

    Responder

Queiroz

26 de fevereiro de 2020 às 14h53

Eu só quero vender meus Monza 87

Responder

Vitor f

26 de fevereiro de 2020 às 14h50

Além você está serto!

Responder

Marcelo

26 de fevereiro de 2020 às 14h43

Pergunto se a esquerda teria força para por gente na rua, o mesmo vale para Bolsonaro. Acho que a população em geral está cansado dos dois.

Responder

    Evandro Garcia

    26 de fevereiro de 2020 às 20h50

    Sem o dinheiro dos assaltos bilionários aos cofres públicos, dos bilhões para sindicatos e Globo não há
    nem como comprar o suco de groselha quente mais, imagina a mortadela, alugar os ônibus para os sem teto, pagar 30 R$ para cada integrante da clack e por aí vai…

    Agora é democracia…quem quiser manifestar vai pra rua de vontade própria.

    A única coisa que ficou clara é que essa esquerdalha falida não possuí meio mentais para fazer a mínima oposição e o que sobra é acusar os outros de serem fascistas, nazistas, autoritários feito trogloditas.

    Nada mais do que isso.

    Responder

Alan C

26 de fevereiro de 2020 às 14h14

Vai ter impeachment coisa nenhuma, essa ameba vai ficar e o povo vai se lembrar da merda que fez pelos próximos 4 anos, pra aprender.

Vai correr não zé ninguém, vai ficar aí mesmo.

Responder

Wellington

26 de fevereiro de 2020 às 13h52

Impeachment…Hauahauahuauhhuhhbhua kkkkkkkkkjjhuahuahahhauuuukkkkjkkkkkkkkk

As bibas desesperadas vendo quem tanto governo fazer manifestação no lugar deles….kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

O Carnaval acabou crianças… kkkkkkkkkkk

Responder

Deixe uma resposta