Análise da reunião ministerial de Bolsonaro

Foto: Tinmoi

Comunidade científica pede desculpas à China:”Associar um vírus e a doença que ele causa a um local específico é irresponsável e precisa parar”

Por Tulio Ribeiro

10 de abril de 2020 : 04h12

Desde que se deu início a crise do Covid-19 , o embate não apenas se limitou a enfrentar a pandemia, mas paralelamente a disputa geopolítica se mostrou centro da apropriação da narrativa . Os EUA com seu governo, mídia e parte de seu cientistas passaram reverberar uma culpabilidade que agora os fatos apontam em outro sentido. O texto de Sarah Zeng é um importante capítulo na descoberta desta verdade:

A revista científica britânica Nature pediu desculpas por associar o Covid-19 com a China em suas reportagens, dizendo que a cobertura precoce da crise global da saúde, por si só e por outras mídias, levou a ataques racistas contra pessoas de descendência asiática em todo o mundo.

Em um artigo publicado na terça-feira, a publicação dizia que o Organização Mundial de Saúde.O anúncio de 11 de fevereiro de que o nome oficial do vírus do tipo pneumonia seria Covid-19 foi um lembrete implícito para “aqueles que associaram o vírus erroneamente a Wuhan e à China em sua cobertura de notícias – incluindo a Nature “.

“O fato de termos feito isso foi um erro de nossa parte, pelo qual assumimos a responsabilidade e pedimos desculpas”, afirmou.

“É claro que desde que o surto foi relatado pela primeira vez, pessoas de ascendência asiática em todo o mundo foram submetidas a ataques racistas, com custos humanos incalculáveis ​​- por exemplo, em sua saúde e meios de subsistência”.

O artigo dizia que, embora fosse comum a associação de doenças virais às áreas em que ocorreram surtos – como a síndrome respiratória do Oriente Médio e o vírus Zika, que recebeu o nome de uma floresta ugandense – a OMS introduziu diretrizes em 2015 para reduzir o impacto negativo dessa rotulagem nas pessoas dessas áreas.

O impacto de um nome de vírus estigmatizado teria “implicações preocupantes” para estudantes da China e de outros países da Ásia, “prejudicando a diversidade nos campos universitários e a diversidade de pontos de vista na academia”, afirmou.

“Seria trágico se o estigma, alimentado pelo coronavírus, levasse os jovens da Ásia a se retirarem dos campos universitários internacionais, restringindo sua própria educação, reduzindo as oportunidades deles e de outras pessoas e deixando a pesquisa pior – exatamente quando o mundo está contando com isso, de encontrar uma saída ”, dizia. “O estigma do coronavírus deve parar – agora.”

Pequim se opôs fortemente a qualquer ligação entre o Covid-19 e a China, dizendo que a origem do coronavírus permanece desconhecida e que o estabelecimento de onde veio deve ser deixado para a comunidade científica e não deve ser usado como futebol político.

O presidente dos EUA, Donald Trump, usou repetidamente o termo “vírus chinês” em relação à crise da saúde antes de abandoná-lo no mês passado, depois de reconhecer que houve um aumento na “linguagem desagradável” dirigida à comunidade asiático-americana.

Desde que o surto de coronavírus começou no final do ano passado, houve um aumento no abuso racista de pessoas de descendência asiática em todo o mundo, incluindo em um caso, três membros de uma família asiática no Texas, incluindo duas crianças, com idades entre seis e seis anos. dois, sendo esfaqueado.

“Enquanto os países lutam para controlar a disseminação do novo coronavírus, uma minoria de políticos segue o roteiro desatualizado”, afirmou o  relatório da Nature .

“Continuar associando um vírus e a doença que ele causa a um local específico é irresponsável e precisa parar.”

Tulio Ribeiro

Túlio Ribeiro é graduado em Ciências econômicas pela UFBA,pós graduado em História Contemporânea pela IUPERJ,Mestre em História Social pela USS-RJ e doutorando em ¨Ciências para Desarrollo Estrategico¨ pela UBV de Caracas -Venezuela

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe uma resposta