Live do Cafezinho: bate papo com o cineasta cearense Wolney Oliveira

Atlas: 58% dos brasileiros querem o impeachment

Por Miguel do Rosário

27 de maio de 2020 : 17h31

O instituto Atlas divulgou hoje um relatório de 56 páginas de uma pesquisa de opinião política, realizada entre os dias 24 e 26 de maio, sobre os principais temas relacionados à conjuntura.

O ponto principal é que Bolsonaro permanece com alta aprovação entre seus próprios eleitores: 68% dos que votaram nele no 2º turno aprovam seu desempenho pessoal; 71% são contra o impeachment; e 48% dão bom ou ótimo para seu governo.

Trata-se, contudo, de uma bolha cada vez menor e mais isolada do restante do país, na medida em que 58% dos entrevistados declararam que são favoráveis ao impeachment.

A imagem do presidente e de seu governo vem se deteriorando com muita rapidez.

Um outro fator curioso na pesquisa é a piora da imagem de Lula após sua saída da prisão. Hoje Lula é visto negativamente por 62%, e há uma maioria de 54% de brasileiros que são favoráveis à sua prisão; este percentual cresce para 63% no Sul e 58% no Sudeste.

Abaixo os pontos principais da pesquisa:

  • Houve aumento expressivo do apoio ao impeachment de Bolsonaro, que saltou para 58% da população.
  • Entre eleitores de Bolsonaro, 71% são contra impeachment e 24%, a favor.
  • Entre eleitores de Haddad, 92% são a favor do impeachment, e 4% a favor.
  • Entre eleitores que votaram nulo ou branco, 79% são a favor do impeachment.
  • Entre eleitores que não compareceram, 74% são a favor do impeachment.
  • Desempenho pessoal de Bolsonaro é aprovado por 33% e rejeitado por 65%.
  • Entre seus eleitores no 2º turno, porém, Bolsonaro é aprovado por 68% e rejeitado por 30%.
  • Entre os que votaram nulo ou branco, Bolsonaro é rejeitado por 87%.
  • Entre os eleitores de Haddad no 2º turno, Bolsonaro é rejeitado por 97%.
  • O governo Bolsonaro é avaliado como ruim ou péssimo por 58% dos eleitores.
  • Entre seus próprios eleitores, todavia, Bolsonaro tem apenas 21% de ruim e péssimo, e 48% de bom ou ótimo.
  • As diatribes de Bolsonaro contra as medidas de isolamento social, por sua vez, surtiram efeito exclusivamente entre seus eleitores; é apenas entre eles que vem caindo o apoio às medidas.
  • Entre eleitores de Bolsonaro no 2º turno, metade (47%) apoia as medidas de isolamento, metade (47%) não apoia.
  • 70% da população não tem partido de preferência; 11,6% preferem o PT.
  • entre eleitores de Haddad, 32% preferem o PT, 5% o PSOL, 1% do PDT, e 52% partido nenhum.
  • 83% dos brasileiros são contra a instalação de uma ditadura militar no Brasil.
  • Entre eleitores de Bolsonaro no 2º turno, porém, há um percentual de 16% que apoiam uma ditadura, contra 69% que são contra.
  • Entre eleitores de Haddad no 2º turno, 98% são contra ditadura militar.
  • Entre eleitores que votaram branco ou nulo, 89% são contra ditadura militar.
  • 54% dos brasileiros são a favor da prisão de Lula.
  • No Sul e no Sudeste, há maioria em favor da prisão de Lula, de 63% e 58%, respectivamente.
  • Entre eleitores de Bolsonaro, 86% são a favor da prisão de Lula.
  • Entre eleitores de Haddad, 13% são a favor da prisão de Lula, e 68%, contra.
  • Entre eleitores que votaram nulo ou branco, 52% são a favor da prisão de Lula.
  • Entre eleitores que se abstiveram de votar, 48% são a favor da prisão do ex-presidente.
  • A imagem de quase todas as lideranças políticas se deteriorou bastante nas últimas semanas, com destaque para Bolsonaro e Lula.
  • Bolsonaro hoje tem 64% de imagem negativa, contra 32% de positiva.
  • Lula tem 62% de imagem negativa, contra 28% de positiva.
  • Haddad tem 57% de negativa, e 27% de positiva.
  • Ciro tem 55% de negativa e 23% de positiva.
  • João Dória melhorou sua imagem, e hoje tem 27% positivo e 54% de negativo.

Clique nas imagens abaixo para ampliar.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

24 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Miramar

28 de maio de 2020 às 17h03

A parte mais difícil de fazer oposição a Bolsonaro é saber que parte dos políticos, cidadãos e imprensa associa a oposição a seu governo a militância nos partidos tradicionais de esquerda. (Que eu carinhosamente chamo de cambada). Nenhum cidadão decente, independente de ser de esquerda ou direita vai querer se associar a isso. Há uma série de opositores radicais de Bolsonaro que mantém um “Impeachment já” preso na garganta com medo de que isso se transforme em um “volta cambada”. Não creiam nisso. Quanto mais rápido nos livrarmos de Bolsonaro, mais distantes estaremos dessa gente. Eles precisam da continuidade do governo para sobreviverem. E a palavra certa é sobreviver. Ninguém acredita na possibilidade real do lulopetismo voltar a gerir o país, ainda que, e todo mundo sabe disso, o bolsonarismo seja mero petismo de sinal trocado. O desprezo a dignidade humana mais básica é similar.
Então, não tenham medo, gritem Fora Bolsonaro sempre. E saibam: quanto antes Bolsonaro cair, mais livres do PT estaremos.

Quanto a Ciro, ninguém que não se identifique precisa gostar dele. Suas ideias e biografias falam por si, transformando-o em alguém muito superior a qualquer líder político brasileiro vivo. É, para a nossa geração, o que foram José Bonifácio e Rui Barbosa para as suas.

Responder

Augusto

28 de maio de 2020 às 13h28

So 43% firmemente contra? Contra um psicopata, de evidente insanidade e que nunca toma o partido do povo da rua?
Muito decepcionante, fraquissima reaçao de um povo debilitado.

Responder

Edgar

28 de maio de 2020 às 10h11

70% não tem nenhum partido de preferência é resultado da demonização da política pelos meios de comunicação corporativos que só pensam em defender seus interesses próprios.

Responder

    J Fernando

    28 de maio de 2020 às 15h06

    É um dos maiores estragos que a mídia fez contra a política em geral.
    Muitos dos jovens acreditam que nenhum político presta, principalmente os mais antigos.
    Por isso tivemos uma ascensão de novos nomes (Zema, administrador, Witzel, juiz, entre outros) que não são políticos tradicionais. Eleitos, só mostram que o reconhecimento como ótimo administrador ou ótimo juiz, não é garantia de ótimo político.

    Responder

Oscar

28 de maio de 2020 às 10h06

FORA BOLSONAROS

Responder

dcruz

28 de maio de 2020 às 08h33

Não estudei profundamente o fato, por isso não sei se essa direitização beirando o fascismo é um fenômeno mundial, na América Latina ou só aqui no Brasil. Por isso que eu acho que esse tipo de pesquisa é bem instável, já que os eleitores do bozo, o assim chamado núcleo duro permanece imutável, a sensação que se tem é que o povo gosta dessas bravatas contra os poderes instituídos, gosta de palavrões ditos por autoridades, principalmente se for um presidente da república, tem aquela sensação “tá vendo, nenhum presidente teve essa coragem” “se fosse eu, falaria a mesma coisa”. O bozo parece que descobriu esse mapa da mina. Por isso acho que se a esquerda quiser realmente retomar sua hegemonia tem que abandonar tudo isso que se apregoou até aqui, essa experiência já foi tentada e esgotou-se, há que se enveredar por outros caminhos realmente nunca penetrados. Há que se descobrir o que está se passando na mente do brasileiro, mergulhar nessa idiossincrasia e depois sim, partir para pratica. Para começar, responder a primeira pergunta: sempre foi assim, ou só de uns tempos para cá?Se o fenômeno é novo, o que o desencadeou? Como diz um velho conselho para escritores: ” lugar comum é memória, nunca sentimento”.

Responder

Alexandre Neres

28 de maio de 2020 às 00h33

Obsessão tem limites.

Para qualquer pessoa com o mínimo conhecimento histórico, é de bom tom se lembrar da trajetória de Getúlio Vargas. De como ele saiu do governo a primeira vez e de tudo o que aconteceu depois. O que é do homem o bicho não come.

Acompanhei todos os presidentes brasileiros desde Figueiredo. Não tenho a menor sombra de dúvidas de que entre eles, a imensa maioria foi de grande mediocridade, só um se destacou. Foi a maior liderança popular de todos os tempos. Um operário, retirante nordestino, a cara do Brasil que sempre foi rejeitado pelas nossas elites. Esqueça todo o resto, Canudos já basta pra destrinchar o enredo.

Abraçar o revisionismo a esse ponto com o intuito de obter uma vitória eleitoral que nunca virá é de uma mesquinhez sem par. É triste ver as pessoas cuspindo no prato que comeram.

Não é difícil perceber por que nos atolamos nesse lamaçal. Nem a Globo que o silencia o tempo inteiro, só aparece quando tem um julgamento ou comete uma escorregadela numa frase, está nesse afã. As caixas de ressonância da vênus platinada superaram o mestre.

Tal pesquisa é um sinal de alerta de que a que ponto chegou o ataque à política no país, tornando-se quase sem volta, com a ultrapolítica ocupando o espaço. A sensatez partiu e parece que não volta.

Bolsonaro foi utilizado de escada nesta matéria pra se falar de Lula. É só apurar o olhar para ver que o leitmotiv foi Lula. Pegue-se os “pontos principais da pesquisa” que foram recortados ao gosto do freguês. Por exemplo, eis o que aconteceu com o marreco de Maringá, cuja imagem reverteu e caminha para ocupar o espaço que é devido a homens da sua estirpe na História. Não foi sequer objeto de comentário. Deixe estar.

Vamos deixar quem tá quieto, curtindo sua nova vida, namorando. Reconstruindo sua vida depois de ter passado pela maior farsa judicial brasileira de todos os tempos, cujo resultado todos nós brasileiros sofremos na pele diariamente.

Por fim, mas não menos relevante, cuidado com a volta do cipó da aroeira!

Responder

Paulo Cesar Cabelo

27 de maio de 2020 às 18h58

O apoio a prisão de Lula já foi maior , vemos que um grande número de pessoas diz não saber se é contra ou a favor.
O PT é disparado o partido com mais apoio , o PSOL vem em quarto com o dobro do PDT.
Moro ainda seria o favorito numa eleição mas Haddad ou Dino são cada vez mais competitivos.
O plano de Miguel e Ciro de destruir o PT e o PSOL e se colocar como a nova “esquerda” falha miseravelmente.
Sua “esquerda” machista e racista , defensora de PMs assassinos e latifudiários , sua esquerda que vota contra os trabalhadores , nunca passará de um sonho na sua mente doentia de macho burguês branco Sr Miguel do Rosário.
Vou repetir o que já lhe disse , você é pior do que Bolsonaro , pelo menos Bolsonaro não é hipócrita.
O sangue das crianças mortas pela PM miliciana do Rio e das pessoas mortas pela irresponsabilidade de Bolsonaro está nas suas mãos e nas do Ciro.
Se assumam como direitistas que são e deixem a verdadeira esquerda em paz.

Responder

    Redação

    27 de maio de 2020 às 19h07

    Calma, Paulo. Não quero “destruir” ninguém. E deixa de ser doente. Estou apresentando os dados de uma pesquisa. Quer viver no mundo da fantasia, então viva longe do Cafezinho. Aqui a gente lida com dados.

    Responder

      Regina

      29 de maio de 2020 às 23h58

      Convivo socialmente e tenho um grande grupo de amigos. Acho interessante que nunca, eu ou eles, participaram destas pesquisas que os formadores de opiniões, espalham, aos quatro ventos. A única certeza é que, somos todos eleitores. Se errarmos temos, democraticamente, liberdade para corrigir. E como brasileiros, somos parte essencial do País, precisamos confiar, incentivar, e participar só assim teremos argumentos para cobrar se algo não está dando certo.
      A sensação horrorosa que se tem, além da Pandemia, é que a torcida para nada dar certo é maior que nosso patriotismo. Sempre tem um atrás da porta (as espreitas) esperando um deslize, a resposta de uma pergunta tendenciosa ou gesto fora dos padrões, com intuito de provocar o caos.
      Aos holofotes e as finanças denominam profissionalismo. Justificam tudo. São tantos os artifícios utilizados, que assusta até o indivíduo mais humilde.
      Li e achei interessante: A ética do jornalista não pode variar conforme a ética da fonte que está lhe dando informações. Entrevistar o papa não nos faz santos.
      Porque quem tem o privilégio de noticiar, informar, colaborar, fica com ideia fixa em opinar, criticar, distorcer, propagar e destilar ódio (até com palavras subtendidas).
      Fantasia? Eram quando abonados podiam disparar em férias ou ir morar no exterior.
      Para o bem ou mal, hoje, todos juntos num único objetivo: lutar contra este maldito vírus. Então! Para que serve tantas polemicas, celeumas, não tem para onde fugir.
      O povo está buscando muitas informações. Então que não menosprezem a sua inteligência.
      O que é verdadeiro (agora chamam fatos): são pessoas idosas e de riscos enclausurados; mães de filhos da equipe médica; profissionais médicos numa guerra de vida ou morte, também preocupados com seus familiares. E aqui fora uma farra de notícias terroristas, capciosas, egocêntricas, sem respeito, consciência. Isto que é morte certa!!!
      Vamos esquecer os vieses, cuidar e apostar tudo no Brasil. Nossa pátria mãe amada.

      Responder

    Geraldo

    27 de maio de 2020 às 19h33

    Mas de onde sairam tantas insanidades??

    Responder

    Bernardo

    27 de maio de 2020 às 23h08

    Paulo, vc é a prova viva de que de fato existe um gabinete do ódio da esquerda. Quanta virulência e ódio escorrendo do seu post, por causa de dados objetivos de pesquisa.
    O PT sempre foi o partido com maior número de simpatizantes desde que Lula foi eleito. Isso não faz de Haddad ou Dino competitivos.
    Pelo amor de Deus, Haddad não quer se candidatar a prefeito de SP pq sabe que perde. Como vai se candidatar a presidente?
    Ciro também obviamente perderia se a eleição fosse hoje. A questão é cada um construir o seu caminho e tentar crescer pra 2022.
    O seu comentário só demonstra desespero.

    Responder

    Rita Galvão

    28 de maio de 2020 às 06h38

    Concordo em gênero, número e grau.

    Responder

    James

    28 de maio de 2020 às 07h21

    É verdade que se somar a preferência do eleitor nacional pelo PDT, PSB, REDE e PV, eles quase alcançam a preferência do PSOL, Miguel?
    Pensei que essa coligação de centro-direita, que você mencionou em outra matéria, fosse maior que a do PT, PSOL, PSTU, PCB, PCDOB, UP E PCO.
    O que aconteceu com aqueles seus dados?

    Responder

      Miramar

      28 de maio de 2020 às 16h58

      Quando você reler a pesquisa você perceberá que a pergunta é restrita aos eleitores do Haddad.

      Responder

    Silvio de Mello

    28 de maio de 2020 às 09h08

    Paulo, no momento uma análise desses fatores fica distorcido tendo em vista a grande máquina de fake News que manipula informações e cria um ambiente de ódio e preconceito contra aquilo que não representa os ideais deste governo. Saindo de evidência este fator, Bolsonaro aumentará a sua imagem negativa e menos ódio e preconceito recairá sobre os partidos de centro-esquerda. Ainda continuaremos a sofrer a a influência das mídias pró-direita, mas como elas já caíram bastante no descrédito, poderemos ter outro quadro de percepção desta realidade. Por isto, é preciso aguardar o desenrolar desta briga entre o STF e o governo, para clarificar um pouco esta tendência.

    Responder

Alan C

27 de maio de 2020 às 18h15

Pelas leis de crime de responsabilidade (1079/50) e de segurança nacional (7170/83), nem cabe interpretação de achar ou não se o bozo deveria se impichado, é fato devido ao cometimento de mais de 12 crimes.

No fator político acho que ele não cai. Não há 2/3 de votos pra tirar um presidente que não é de esquerda.

No fator social aí cabe opinião, e a minha é que ele fique até o final pra ensinar a população, da pior forma, que eleição é coisa séria.

Responder

    gandhi

    27 de maio de 2020 às 19h15

    Cite um crime…mas que seja de verdade nao de palhaçadas…

    “No fator social aí cabe opinião, e a minha é que ele fique até o final pra ensinar a população, da pior forma, que eleição é coisa séria.” …. seu voto è mais serio ou vale mais que o dos outros ?

    Responder

      Alan C

      28 de maio de 2020 às 17h57

      Precisa aceitar a democracia.

      Responder

Paulo

27 de maio de 2020 às 17h45

“Entre eleitores que votaram nulo ou branco, 79% são a favor do impeachment”;

“Entre os que votaram nulo ou branco, Bolsonaro é rejeitado por 87%”;

“Entre eleitores que votaram branco ou nulo, 89% são contra ditadura militar”;

“Entre eleitores que votaram nulo ou branco, 52% são a favor da prisão de Lula”.

São pouco inteligentes os que votam nulo ou em branco?

Responder

    Honda

    27 de maio de 2020 às 18h35

    Sim.

    Responder

    Miramar

    28 de maio de 2020 às 01h17

    Não.

    Responder

    J Fernando

    28 de maio de 2020 às 11h08

    Sim. A inteligência passou longe dessa turma.
    Eles permitiram a eleição de um desafeto declarado tão somente por que são a favor da prisão de Lula?
    Não votaria no 1º Turno em Alckmin, Amoedo, Ciro, Daciolo, Marina… mas, se fosse qualquer um deles no 2º Turno contra Bolsonaro, teria o meu voto sem qualquer sombra de dúvida.

    Responder

    Alan C

    28 de maio de 2020 às 17h58

    Não

    Responder

Deixe uma resposta