Live do Cafezinho: balanço dos partidos de esquerda

A rejeição de Bolsonaro em São Paulo, segundo o Datafolha

Por Redação

25 de setembro de 2020 : 17h57

O Datafolha divulgou hoje uma pesquisa sobre a avaliação dos governos João Dória e Jair Bolsonaro na cidade de São Paulo. O resultado é interessante. 

Bolsonaro é o personagem mais polarizado. Ele tem um maior índice de ótimo/bom, 29%, do que o governador, que tem apenas 21%. Mas o presidente também é bem mais rejeitado, com 46% de ruim/péssimo, do que Doria, que tem 39% neste quesito.

Entre eleitores com ensino médio e superior, Bolsonaro tem aprovação positiva (ótimo/bom) de 27% e 29%, respectivamente, e rejeição (ruim/péssimo) de 45% e 51%. 

Bolsonaro é rejeitado sobretudo entre mais jovens, até 34 anos, entre os quais tem aproximadamente 54% ou 55% de rejeição; e eleitores com ensino superior, entre os quais tem 51% de rejeição. Outros segmentos que apresentam bastante rejeição ao presidente são eleitores com renda entre 5 e 10 salários, entre os quais ele tem 58% de rejeição, e moradores da região central da cidade, onde Bolsonaro tem 53% de ruim/péssimo (contra 38% de rejeição na zona norte).

Já Dória tem pontuação baixa sobretudo entre eleitores mais ricos, com renda familiar acima de 10 salários, entre os quais tem 52% de rejeição, jovens até 34 anos (43% de rejeição) e  moradores do Centro (43% de rejeição).

 

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Pietro

28 de setembro de 2020 às 12h42

o começo da queda desse asno

Responder

Paulo

25 de setembro de 2020 às 18h17

Esse homem só tem duas chances de continuar no Poder, depois de perder os formadores de opinião de maneira irreversível:

1) Estender indefinidamente o auxílio emergencial ou criar um bolsa qualquer coisa (o que, entretanto, será muito difícil, em face das dificuldades de caixa do Tesouro);

2) Enfrentar, no 2º turno, um radical de esquerda (real ou imaginário).

Responder

    Kleiton

    26 de setembro de 2020 às 06h49

    Os formadores de opiniões…kkkkkkkk

    Responder

Deixe uma resposta para Pietro