Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Freixo defende que PSOL entre no bloco de Maia para barrar vitória de Lira

Por Redação

21 de dezembro de 2020 : 20h15

Nesta segunda-feira, 21, o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) defendeu publicamente que o PSOL entre no blocão liderado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para barrar a possibilidade de vitória do líder do Centrão, Arthur Lira (PP-AL), na disputa pela presidência da Câmara.

“Por isso é muito importante que o PSOL, um partido fundamental na defesa da democracia dentro e fora do Parlamento, demonstre maturidade e fortaleça o bloco democrático que está sendo construído para enfrentar e vencer Bolsonaro”, disse no Twitter.

Além disso, Freixo também disse que respeita o debate interno do partido sobre lançar candidatura própria, mas que discorda da ideia.

Fonte: Reprodução / Twitter

Além de DEM, MDB, PSL, PSDB, Cidadania e PV, o blocão de Maia também recebeu apoio de PT, PSB, PDT, PCdoB e Rede.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Netho

23 de dezembro de 2020 às 00h19

A candidatura que Freixo haveria de defender não poderia ser outra senão a formada por um Bloco de Esquerda. Aliás, o Bloco de Esquerda é a única situação possível para os partidos de oposição que se dizem, supostamente, como sendo de esquerda e centro esquerda. O Bloco de Esquerda deve lançar candidatura própria e programática, inclusive pautando o impeachment presidencial e o imposto sobre grandes fortunas, além de fechar questão contra as reformas administrativas e privatizações das estatais. Há total condição de provocar um segundo-turno onde, aí sim, uma chapa majoritária resultaria configurada, porém claramente balizada por um programa mínimo onde as oposições que se dizem de esquerda e centro esquerda fizessem valer pontos fundamentais para a economia, a tributação e a administração pública.

Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?