Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Eduardo Bolsonaro ataca a imprensa e manda brasileiros “enfiarem a máscara no rabo”

Por Redação

11 de março de 2021 : 11h19

O chilique e o banditismo genocida do presidente Jair Bolsonaro respingou no filho ’03’, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) que atacou a imprensa e criticou as medidas de prevenção contra o coronavírus.

Na live que transmitiu na noite desta quarta-feira, 10, o tresloucado disse o seguinte:

“Então onde há tecnologia, o mundo inteiro está proativamente se deslocando. Eu acho uma pena que essa imprensa mequetrefe que a gente tem aqui no Brasil fique dando conta de cobrir apenas a máscara. ‘Ah, a máscara, está sem máscara, está com máscara’. Enfia no rabo gente, porra! A gente está lá trabalhando, ralando. Sabe o que é pegar aqui… ‘Ai voou, foi pra Israel’. Chegamos em Israel cinco horas a mais que no Brasil, voo de três escalas. Chega lá você nem toma banho, às vezes, vai direto para os compromissos”

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

dcruz

11 de março de 2021 às 16h17

Como sempre a família muito educada, quando não tem argumento apela pra ignorância como se dizia antigamente, aliás, tudo no bozo e família cheira a mofo, não há nada de criativo até hoje nesse governo, só coisa requentada, clichês, e tudo de um reacionarismo dos mais primários, bem dignos dos piores ditadores das republiquetas que pululavam aqui nessa América Latina. Agora, o discurso do Lula é uma faca de dois legumes, por um lado o seu realismo simples, com a linguagem que o povo gosta e quer ouvir mesmo inoculado com o veneno do ódio das fake news, o discurso acabou de certa forma educando o bozo, como diria o João Cabral de Melo Neto, a Educação pela pedra, ele, o bozo, agora só usa máscara é fã de carteirinha das vacinas vigentes, etc. O Guedes deve estar se estrebuchando de ódio, pois vê em risco seu plano neoliberalíssimo correr pelo ralo em favor de medidas mais populares que urgentemente o bozo vai inventar. Não admira se ele opor alguma resistência ser a próxima bola da vez.

Responder

EdsonLuiz.

11 de março de 2021 às 12h48

Coitada da imprensa brasileira, sempre ela, vilipendiada por cumprir com competência o seu papel.Eu acho a imprensa brasileira uma das melhores do mundo. E ainda tem o fato mais determinante de que é o leitor quem faz a leitura.

O cafezinho já pedido, o aroma delicioso preenchendo o ar e me estimulando os sentidos, penso se vou pedir junto um pão com queijo bem quentinho da chapa quando o primeiro café acabar e eu for pedir outro. Abro os jornais e leio muito gratificado a quem me informa. Não busco no conteúdo das notícias aquilo que confirme as minhas preferências, que tenha abordagem simpática a meus desejos. Quem sou eu para querer que o jornal feito para uma comunidade de uns 450 milhões de leitores fale o que eu quero, do jeito que eu quero. A mim, me satisfaz que a notícia me venha. E acho até melhor que não venha como eu preferiria, para eu sempre me lembrar que o mundo não é feito para ser meu fetiche.

O “soldado” Eduardo Bolsonaro (eu nunca tinha atinado de como esse termo, “soldado” é tão emblemático) prefere ‘ler’ textos que confirmem seu viés, enquanto eu penso que quando se lê e se estuda, é sempre mais proveitoso e saudável fazer a leitura despido e ler como quem não tem um viés ideológico a ser confirmado. Sou livre e sou eu mesmo que faço a minha leitura e não um dos vários homens que me habitam. Cada um dos que estão dentro de mim me dão um imenso trabalho e me impõem vários limites, mas isto eles não conseguirão me impor. Quem lê sou eu!

Eduardo Bolsonaro prefere ser lido pelo jornal que lê. Prefere que a imprensa leia para ele o que ele quer e como ele quer que seja lido.

Ser lido pela imprensa que lê não é a preferência apenas de Eduardo Bolsonaro, é a preferência de todo totalitário. É por isso que o Orbam persegue a imprensa
na Hungria, que o desarcanjo Rafael perseguiu a imprensa no Equador, que Chaves/Maduro acabaram com a imprensa na Venezuela, que Evo Morales já conseguiu quase acabar com a imprensa na Bolívia, que a direita governante da Polônia segue a mesma trilha, que não existe imprensa livre em Cuba, que Putim ordena o assassinato de jornalistas na Rússia…

…e que aqui no Brasil, se pudessem, fanáticos de direita e de esquerda fechariam os jornais, matariam jornalistas e escolheriam os jornalistas e as notícias a serem lidas para eles. E obrigariam todos os leitores, ex-cidadãos, à leitura que preferem.

Imbecis!

Responder

Luiz Alberto

11 de março de 2021 às 12h39

Será que ele fez isso em Israel?

Responder

Gilmar Tranquilão

11 de março de 2021 às 12h14

Hummmm esse armário tá abrindo heim Dudu bananinha kkkk

Responder

Deixe um comentário para Gilmar Tranquilão

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?