Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Guedes quer gastar R$10 bi para patrocinar programa de redução de salários

Por Redação

02 de abril de 2021 : 15h52

O programa de redução de salários patrocinado pelo Ministério da Economia deve atingir entre 3,8 milhões e 4 milhões de trabalhadores. Ao todo, Paulo Guedes quer desembolsar R$10 bilhões dos cofres públicos para colocar o novo programa na prática.

Na prática, essa medida permite acordos entre empresas e empregados para que o recurso bilionário pague o benefício emergencial (BEm) para os trabalhadores.

De acordo com o Estadão, o setor de serviços será o maior beneficiado com o programa devido as demissões em massa e os prejuízos acumulados nos últimos meses.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

carlos

03 de abril de 2021 às 12h40

Agora que já serviu ao mercado dos banqueiros e lucrou entregando ativos para a iniciativa privada via BTG já cumpriu seu papel.

Responder

Paulo

02 de abril de 2021 às 21h48

O título da matéria é injusto, vamos combinar! O certo seria: “Porco Guedes reserva R$ 10 bi para ajudar a conter as demissões (ou para evitar o desemprego)”. Nessa o Porco tem razão, quem diria…

Responder

Ugo

02 de abril de 2021 às 19h41

O que o Brasil poupou com a reforma da previdência foi tudo pro ralo por causa dessa porcaria de vírus.

Responder

    Luiz Alberto

    03 de abril de 2021 às 09h21

    O que poupou?

    Responder

    Nelson

    05 de abril de 2021 às 17h36

    Meu caro.

    Em primeiro lugar, não houve reforma da Previdência alguma. Quando se pensa em fazer um reforma de alguma coisa é para deixá-la melhor para quem essa coisa deve atender. E o que tivemos, na real, foi mais uma medida destinada a liquidar, a destruir, a enterrar a Previdência Pública. Ou seja, deixá-la pior para o povo brasileiro que é o motivo da existência da Previdência Social.

    Em segundo, não houve poupança alguma. E, se tu procurares enxergar a questão de uma forma mais abrangente verás que o país e a esmagadora maioria do povo brasileiro só perderão com essa “reforma” e, portanto, tamém não haverá poupança no futuro.

    Porém, eu te digo que sei a quem vêm beneficiando as seguidas “reformas” da Previdência que têm sido impostas por város governos. Apenas ao setor financeiro, aos grandes bancos e seus acionistas,um contingente ínfimo de pessoas que não comporta 1% do povo brasileiro.

    Os grandes bancos pretendem se esbaldar na farra dos lucros que serão proporcionados pelo grande aumento da procura pela previdência privada. A previdência privada é uma verdadeira mina de fazer lucros.

    Esta é a verdadeira e única razão para a tal “reforma” da Previdência, meu caro. Nada tem a ver, nunca teve, com poupar recursos do país.

    Responder

Deixe um comentário