Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

A pesquisa Poder 360 e o princípio da incerteza

Por Miguel do Rosário

10 de junho de 2021 : 10h32

Pesquisas eleitorais capturam a realidade de uma maneira que os físicos, há mais de cem anos, entenderam ser uma armadilha. 

Na teoria da incerteza de Heisenberg, pedra angular da física quântica, não é possível saber simultâneamente a localização da partícula e seu momentum (expressão que significa tanto a velocidade como a direção de seu movimento).

Quanto mais certeza temos sobre a posição da partícula, menos teremos sobre para onde ela está indo. 

Gosto de pensar que pesquisas eleitorais seguem a mesma regra.

Por isso mesmo, é preciso sempre olhar para o movimento, ou seja, para várias pesquisas e para momentos sucessivos de cada pesquisa. 

Feita essa “oração” à boa ciência, analisemos a pesquisa Poder 360, divulgada ontem à noite. 

Uma primeira observação é que ela é uma pesquisa que não é boa para ninguém, embora sempre possamos encontrar um ponto positivo para cada um.

Não é boa para Lula porque mostra ele caindo desde abril nas intenções de voto no primeiro turno, embora dentro da margem de erro. Hoje ele tem 31%. Ponto positivo: sua vaga no segundo turno continua garantida, e ganha de todos no segundo turno. 

Não é boa para Bolsonaro porque ele perde no segundo turno para todo mundo. Sua oscilação positiva de 1 ponto, para 33%, também está na margem de erro. Ponto positivo: parou de cair e aparece numericamente à frente de Lula, o que lhe garante a poderosa fotografia de “líder da pesquisa”.

Não é boa para Ciro Gomes, porque ele depende hoje do esvaziamento de Bolsonaro, não de Lula, para ter chances de ir ao segundo turno, e perde feio de Lula nas simulações de segundo turno. Ponto positivo: cresceu 4 pontos e, com 10%, se isolou como principal candidato da terceira via. 

Confira dois infográficos abaixo. Voltamos em seguida. 

Antes de passar a análise dos detalhes, outra pequena oração à ciência: o professor Jairo Nicolau nos ensinou que números estratificados de pesquisa tem margens de erro monstruosas, e que, portanto, possuem baixo valor estatístico. 

Como não quero perder a diversão de analisá-los, tratemo-los como entretenimento. Não creio que irá causar nenhum estrago à democracia fingir que eles estão próximos à realidade, e usá-los para fazer algumas especulações. Apenas tentem não levar as conclusões a ferro e fogo, porque elas são baseadas em números frágeis, instáveis, que podem mudar completamente numa outra pesquisa.  

Continuamos depois do gráfico.

Sexo

Algo que sempre chama atenção nessas pesquisas, e aí temos um dado que, decididamente, podemos enxergar em todas elas, e em todos os movimentos sucessivos, é o brutal sexismo do eleitorado bolsonarista. É um eleitorado hegemonicamente masculino.

Entre homens, Bolsonaro tem 45%, contra 26% de Lula e 12% de Ciro. Ou seja, Bolsonaro tem mais votos entre homens do que a soma de Lula e Ciro. É uma liderança e tanto num setor obviamente muito estratégico!

Mas Lula lidera entre mulheres, com 36%, contra 23% de Bolsonaro. 

Em eleições anteriores, notei que o voto masculino costumava “antecipar” o voto total, porque as mulheres, em geral, são mais indecisas. Mas acho que isso já mudou. O voto feminino hoje está mais consciente e decidido.

Idade

Bolsonaro se tornou o candidato dos mais velhos, que é uma camada da população mais conservadora e mais vulnerável. O presidente se comunica com essa faixa com mais facilidade. Essa história do “voto impresso”, por exemplo, apela diretamente aos preconceitos analógicos do eleitor mais velho. 

Entre eleitores com mais de 60 anos, Bolsonaro tem 37%, uma diferença muito grande em relação aos 22% de Lula.

Região

Bolsonaro tem vantagem muito pronunciada nas regiões agrícolas, como o Centro-Oeste, Norte e o Sul, que possuem áreas importantes que vem se beneficiando do boom das commodities. 

Lula mantém sua vantagem no Nordeste. Tem 41%, contra 36% de Bolsonaro e 5% de Ciro. É impressionante como Lula literalmente evapora o voto cirista no Nordeste. 

Ciro tem uma boa pontuação no centro-oeste, 17%, quase empatando com os 20% de Lula na região. Isso pode significar que o pedetista poderia estar realmente herdando o voto do bolsonarista arrependido.

Escolaridade

Lula tem liderança importante entre eleitores com nível superior. O petista marca 38%, contra 26% de Bolsonaro e 9% de Ciro. Esse eleitor mais “instruído” faz diferença nas redes sociais.

Renda

Esse é o dado que me parece mais preocupante para Lula. Mas, reitero, dados estratificados costumam ser muito imprecisos. Na próxima pesquisa, podem estar completamente diferentes.

O petista ganha apenas entre eleitores “sem renda fixa”. Em todas as demais, Bolsonaro ganha. Se isso for verdade, Bolsonaro ainda tem liderança dos setores mais organizados da sociedade (mas não acho que isso seja verdade, até porque outras pesquisas não mostram isso).

Uma faixa importante, por incorporar um segmento do eleitorado que é ao mesmo tempo numeroso e influente nas redes sociais, é que aufere renda familiar entre 2 e 5 salários. Nessa faixa, Bolsonaro tem 34%, Lula 29%, e Ciro 16%.

Entre o eleitorado com renda familiar entre 5 e 10 salários, Lula tem 23% nessa faixa e Bolsonaro tem 31% nessa faixa. Ciro tem sua melhor pontuação, 21%.

Conclusão: Não vou concluir nada em cima dos dados estratificados, porque eles não merecem tanta atenção. O que podemos dizer é que o cenário permanece muito polarizado entre Lula e Bolsonaro.

A terceira via, aparentemente, não tem outro nome além de Ciro, que, no entanto, se vê diante de duas enormes obstáculos, Lula e Bolsonaro.

Os cenários de segundo turno confirmam que Lula é mais forte que Bolsonaro, e portanto a única chance da terceira via seria tirar o atual presidente do páreo, mas essa pesquisa mostra Bolsonaro parando de cair e até oscilando um ponto para cima, o que não é, portanto, bom sinal para Ciro.

Ademais, o cenário de segundo turno dessa pesquisa traz Lula com vantagem de 20 pontos sobre Ciro, com 33% de brancos e nulos que, provavelmente, são eleitores bolsonaristas que rejeitam ambos os candidados.

Lula, por sua vez, tem o grande desafio de conquistar o voto masculino, penetrar nas regiões agrícolas, e reduzir a sua rejeição na classe média.

Num cenário hipotético com Luciano Huck, o petista também venceria com larga vantagem. Huck não deve participar, mas o cenário ajuda a entender para onde vai o eleitorado.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

26 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Jorge Fernandes

11 de junho de 2021 às 13h17

Mais de 110 milhões de brasileiros estão em insegurança alimentar, ou seja não comem satisfatoriamente

acreditar que essas pessoas possuem ainda um celular e respondem a pesquisa eleitoral …..

A pesquisa, pesquisa um universo irreal.

Responder

Sergio Furtado Cabreira

11 de junho de 2021 às 07h55

ORA… ORA… O ARTICULISTA VACILA EM UMA PESQUISA FEITA POR TELEFONE. O ARTICULISTA NÃO AVISA OU VERIFICA SE AS PESQUISAS ANTERIORES FORAM TAMBÉM PRESENCIAIS. O ARTICULISTA ACHA NORMAL A PRESENÇA DE NOMES QUE SABIAMENTE NÃO SERÃO CANDIDATOS… ENFIM, QUANDO FOR A HORA DO ‘PEGA-PRÁ-CAPÁ” SÓ DÁ LULA!

Responder

Fanta

10 de junho de 2021 às 21h30

Entrevista live a Lula pela Rede Meio Norte no YouTube ontem:

Like 3,7 mil
Deslike 18 mil

Acordem militontos !! Kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Responder

    Galinzé

    11 de junho de 2021 às 08h41

    Boa tentativa, mas será candidato! uhauhauhauhauhauh

    Responder

    Daniel

    11 de junho de 2021 às 15h31

    O STF anulou as condenações mas os brasileiros não são idiotas pra não saber o que esse animal e os comparsas dele aprontaram.

    Responder

Paulo

10 de junho de 2021 às 20h17

A pesquisa não é boa para nenhum candidato, e, muito menos, para os brasileiros Os evangélicos estão fechados com Bolsonaro e vão acabar elegendo Lula, no 2º turno. Acordem, por favor! O Brasil não merece esses corruptos. A decisão será no 1º turno, talvez pela 1ª vez em nossa história de 2 turnos…

Responder

Manoel

10 de junho de 2021 às 19h52

Pesquisa por telefone…hum…

Responder

Netho

10 de junho de 2021 às 18h25

Recomendo a leitura do livro CELSO FURTADO – CORRESPONDÊNCIA INTELECTUAL (1949-2004) editado e publicado este ano, 2021, no mês passado.
Leitura obrigatória e incontornável para quem deseje, sinceramente, compreender o ponto ao qual chegamos; de não retorno e com as mais deletérias perspectivas, em todos os cenários: político, econômico, social, ambiental e institucional.
Ao fim da leitura, e da releitura, que se impôs, dada a abrangência e profundidade das questões, sempre embricadas pelo entendimento do subdesenvolvimento e do desenvolvimento do Brasil na América Latina, vê-se o esforço gigantesco de “pensar o Brasil” no contexto do processo de mundialização capitalista e os limites estruturais das economias periféricas.
Cartas trocadas por Furtado com Florestan Fernandes, Chico de Oliveira, Conceição Tavares, Plínio de Arruda Sampaio, Roberto Campos, Raul Prebisch, Caio Prado, Darcy Ribeiro, FHC, Antonio Callado, Sartre, Bertrand Russel, Henry Kissinger e por aí vai.
Se Furtado, o mais impressionante intelectual brasileiro digno do nome, ao final da existência começou a ver as luzes do túnel se apagarem, que dirá hoje, quando o país foi de cambulhada, ladeira abaixo, encalacrando-se com a propinaria estruturada e a militarização institucionalizada?
Nenhum dado de pesquisa atual faz qualquer sentido para uma eleição distanciada em 16 meses.
Independente do resultado eleitoral em 2022, só uma mente exageradamente panglossiana seria capaz de esperar algum desdobramento futuro que não seja uma catástrofe previamente anunciada e delineada, em tudo e por tudo, que já vimos, e estamos vendo acontecer, desde que se abriu a caixa de Pandora e as gárgulas infernais foram soltas.
Em toda a América Latina, quando os militares deixaram os quartéis, não retornaram mais e transformaram os governos supostamente civis em títeres que os fios pretorianos manobram.
Até agora, Lula, Dilma e o PT não desmentiram as afirmações de Eduardo Cunha, no seu libelo “Tchau, Querida”, onde a (sua) narrativa indica o passo a passo do PT e dos interlocutores responsáveis, por ação ou omissão, dentro do PT e do PMDB, pelo desencadeamento do impeachment da inepta, inapta e desastrosa presidenta, cuja ação ou inação deu no que deu.

Responder

    Alexandre Neres

    11 de junho de 2021 às 01h33

    Nethinho, às vezes eu penso que você não se olha no espelho. Creio que deveria fazer psicanálise pra descobrir quem és. Sua retórica é udenista e lavajatista. Com todo o respeito, você não está situado no mesmo espectro político que Celso Furtado, Florestan Fernandes, Chico de Oliveira, Conceição Tavares, Plínio de Arruda Sampaio, Raul Prebisch, Caio Prado, Darcy Ribeiro, Antonio Callado, Sartre e Bertrand Russel. Na boa. Quanta mágoa! Se liberta disso, cara.

    Responder

Victor

10 de junho de 2021 às 17h52

Miguel, poderia indicar onde encontrar essa explicação do Jairo Nicolau sobre números estratificados?

Responder

Ugo

10 de junho de 2021 às 17h31

Então Bolsonaro perde para o Huck e o Doria no segundo turno….??? Kkkkkk

As pesquisas Voz Populi são mais reais que essa…kkkkk

Mas como já foi dito aqui tempo atrás serão todas nesse sentido… até um dia quem acredita nessas palhaçadas acorde, um dia vai acontecer…

Responder

Gilmar Tontolão

10 de junho de 2021 às 17h25

As pesquisas de verdade são com pessoas na rua…. sábado terá a passeada de moto com o Presidente da República em SP onde serão presente pelo menos tantos motoqueiros quantas pessoas tinha na manifestação de esquerda na Paulista dias atrás…. só de motoqueiros.

Não sei de quem foi a ideia desses passeios de moto mas a meu ver é uma ideia “genial” e ótima para o Bolsonaro mostrar sua popularidade a custo zero.

Bem melhor que contratar marqueteiros pagos milhões de reais inutilmente para fazer marketing e propagandas que não despertam interesse de quase ninguém.

Responder

    Saint

    11 de junho de 2021 às 09h47

    A ideia foi do Benito Mussolini,.que foi visto, pela última vez, pendurado em um poste de cabeça para baixo.
    Saudações democráticas

    Responder

Tiago Silva

10 de junho de 2021 às 14h50

Interessante no cenário de um hipotético segundo turno entre Lula e Ciro que há algo em torno de 30% de eleitores da “Direita Raiz” que não votariam nem no Lula, nem no Ciro e arrisco a falar que nem no PSOL, nem no PC do B, etc…

Ou seja, haveria espaço para um candidato de direita do PSDB/DEM/MDB/Novo, porém os nomes postos da Direita nessa pesquisa ainda não convenceu esse eleitorado do vertente Neoliberal.

Responder

Lincoln

10 de junho de 2021 às 14h20

Sabemos:

O campo democrático exclui Bolsonaro

Bolsonaro pode
Não terminar o mandato
Chegar ao segundo turno

Lula pode
Vencer no primeiro turno
Vencer no segundo turno

Ciro pode
Apoiar Lula já no primeiro
Ou perde novamente

Na hipótese improvável de impeachment de Bolsonaro todo o quadro político se configura novamente

Responder

Alexandre Neres

10 de junho de 2021 às 13h30

Tô gostando de ver a nova fase do Cafezinho. Hoje, com satisfação, me deparei com um artigo daqui até na Carta Maior. Parabéns!

Responder

ermes

10 de junho de 2021 às 13h14

Eu acho que Lula DESPERDE no primeiro turno….kkkkkkkkkkkkkk

Responder

Francisco*

10 de junho de 2021 às 12h16

Depois que o Datafolha realizou a primeira pesquisa PRESENCIAL após o advento da Pandemia, mostrando abissal diferença em relação as demais pesquisas realizadas não presencialmente, pesquisa por telefone e ainda mais, como no caso dessa hoje divulgada, realizada através de URA (Unidade de Resposta Audível), é tão preciso quanto disparo de míssil com a mira feita pelo olho do piloto, tanto que para achar-se a informação de como foi realizada a pesquisa, tem que rebolar-se como no caso dessa, que encontrada informa:

“ENTENDA COMO É REALIZADA A PESQUISA PoderData

O Poder360 realiza levantamentos nacionais em municípios das 27 unidades da Federação. Em alguns casos, faz parcerias editoriais para realizar pesquisas sobre temas locais que interessam a veículos de comunicação jornalística estaduais.

As pesquisas são realizadas por meio da metodologia IVR, Interactive Voice Response, ou URA (Unidade de Resposta Audível), em português.

Todas as respostas são coletadas via ligações para telefones fixos e celulares. Os números discados são selecionados de maneira aleatória a partir de uma base de dados própria. Apenas as entrevistas em que as pessoas responderam todas as perguntas são consideradas.”

Responder

    Francisco*

    10 de junho de 2021 às 12h40

    Complementando:

    Antes que diga-se que “todo mundo tem celular”, conforme a última pesquisa PNAD continua do IBGE, 21% dos brasileiros entre 10 e mais anos não possuem telefone, na zona urbana são 17% e na rural 57%, considerando-se que a população rural brasileira é estimada em torno de 15% da população do país.

    Também há diferenças significativas por faixa etária. A de maior penetração é a entre 30 e 34 anos (90,3%) e a menor é a de 10 a 13 anos (43,5%), ou seja, na faixa de maior penetração, brasileiros entre 30 e 34 anos, a priori foram ignorados pela pesquisa 10% dos eleitores dessa faixa etária.

    Responder

Alan C

10 de junho de 2021 às 11h49

1) Boa matéria e ótima análise, mas só confio no DataFolha e Ibope. Pq? Pq são os únicos que erram muito pouco, basta ver as pesquisas das eleições dos últimos 10 anos.

2) O resto tem margem de erro muito grande e oscilações entre as próprias pesquisas anteriores. Exemplo: Ciro oscilar 40% de maio pra junho sem nenhum fato novo é algo muito pouco provável.
Se uma pesquisa com essa desvio é submetida a uma banca de mestrado/doutorado, não passa.

3) Entrevista por telefone não substitui a presencial, tanto é que fizeram mais de 100 mil ligações para conseguirem 2500, isso mostra como a metodologia é questionável com possíveis reflexos nos resultados.

4) No site do Poder360 consta que é o único instituto a fazer pesquisa a cada 15 dias, o que só reforça o que eu disse acima, 40% em 30 dias é muita coisa e essa diferença não é explicada.

5) Aguardando o DataFolha.

Responder

    Alexandre Neres

    11 de junho de 2021 às 01h24

    Concordo, meu caro. É até mais do que isso. Ciro oscilou 66,66% e não houve nada que justificasse isso, mesmo para quem como nós que vê com bons olhos ele se desgarrar da escumalha lá de baixo. Os números são muito loucos.

    Responder

Agno Meira

10 de junho de 2021 às 11h39

Gosto muito de suas análises de conjuntura, Miguel , mas estou percebendo uma mudança editorial a passos lentos para não confundir nós eleitores do cafezinho. Sobre o texto, é notório a polarização, mas acredito que está pesquisa foi ótima para Ciro, considerando as anteriores. Ciro se consolidou como o único candidato fora da polarização atual. Será que vc queria Ciro próximo de Bolsonaro e LULA neste momento.

Responder

canastra

10 de junho de 2021 às 11h26

“desçam”

Responder

canastra

10 de junho de 2021 às 11h25

Os brasileirios querem ver esse tal de Lula na rua no meio do povo…kkkkkkkkkkkkkkkk

Como alguem com as minimas faculdades mentais em dia pode pensar que Lula tenha chances de ganhar uma eleiçao nessa altura do campeonato e depois de tudo que aconteçeu nos ultimos anos…?

Deçam do pé de manga e acordem para a realidade e para o futuro ao invés de olhar pro passado.

Responder

Valeriana

10 de junho de 2021 às 11h21

Acreditar em pesauisa onde Bolsonaro empata com Doria no segundo turno e perde para Lula, Huck e Cirolipa é apresentar certificado de “imbécilidade”.

Responder

Ricardo JC

10 de junho de 2021 às 11h10

Os dados levantados por essa pesquisa são significativamente diferentes daqueles levantados pela pesquisa do Datafolha, o que pode ser atribuído às diferentes metodologias utilizadas. Essa pesquisa foi feita por telefone…a outra é realizada em campo. É muito difícil fazer análise mais complexas com essas diferenças.

Responder

Deixe um comentário para Francisco*