Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Segundo Carta Capital, Bolsonaro cogita desistir de eleições

Por Redação

21 de julho de 2021 : 13h41

O declínio constante nas pesquisas eleitorais, as centenas de milhares de mortes pela Covid-19 e o desgaste profundo causado pelas denúncias de corrupção feitas à CPI da Pandemia tem feito com que Jair Bolsonaro coloque cada vez mais na mesa a hipótese de não ser reeleito em 2022.

Para evitar esse vexame, Bolsonaro já tem começado a dizer publicamente que “não tem certeza” se será candidato a reeleição. Na manhã de hoje, 21, ele voltou a falar do assunto na Jovem Pan de Itapetininga.

“Do outro lado tem um candidato aí que já se lançou, eu não me lancei ainda e não sei nem se eu vou ser candidato”.

De acordo com a Carta Capital, Bolsonaro tem discutido internamente com seus auxiliares sobre essa possibilidade. Outro ponto que pode eliminar a sua postulação é a dificuldade em encontrar um partido para bancar sua campanha de reeleição.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

EdsonLuiz.

21 de julho de 2021 às 18h27

Para bolsonaro, depois de vários mandatos de deputado limitado ao baixo clero, reunido ao fundo do plenário com seus pares baixos e de baixo calão para piadinhas homofóbicas, tiradas misóginas e prática de bullings merecedores de cusparadas (que eu confesso que se sofresse uma afronta dessas que ele fazia com colegas dentro do plenário também eu cuspiria no seu corpo sujo para não tocar-lhe e sujar eu as minhas mãos), ser articulado secretamente para candidato à presidência da república veio bem a calhar.

Para mim, e aqui eu especulo, a candidatura de bolsonaro à presidência não foi expontânea. A candidatura de bolsonaro foi articulada por vários interesses, setores e atores, inclusive e principalmente contando com núcleo de inteligência e tecnologia eleitoral de fora daqui, apoio do trumpismo, mas também de outros blocos de força da atrasada e truculenta matriz de ideias tradicionalistas mundial.

Para mim, a candidatura de bolsonaro foi articulada como um ensaio das forças tradicionalistas no Brasil e com apoio de fora para avaliar as suas possibilidades eleitorais. Como o sucesso foi maior que o esperado, resultando na eleição do candidato, essa direita mais conservadora, associada à ultra-direita, irá avançar sua articulação com nova candidatura, agora com algum nome menos desastrado que bolsonaro e não mais como simples ensaio para avaliação de potencial, mas como projeto estratégico.

A ultra-esquerda não é internacionalista? Pois então! A estrema-direita é internacionalista também!

A candidatura à presidência era para bolsonaro uma aventura. Mas sendo ele um antigo deputado do baixo clero, passando seus dias lá no fundo do plenário praticando bulling e fazendo a defesa das pautas corporativas e de vantagens para categorias de funcionários públicos já bastante favorecidos em relação a outros funcionários e demais trabalhadores, defesas corporativas essas que eram as mesmas feitas pelo PT, assim como também defendiam e votavam, o PT e bolsonaro juntos, as mesmas pautas econômicas atrasadas e desatrosas ao país para proteger seus interesses eleitorais (e várias dessas pautas econômicas e corporativismos, fico triste mas tenho que admitir , tinham e têm o apoio do PSOL e do PCdoB também), ele, contando com assessoria de análise e inteligência eleitoral de fora, e sustentado pelo tradicionalismo local, teria alguma chance de vitória e serviria para conseguir alguma progressão no submundo que habitava.

Para bolsonaro – e para os articuladores locais e estrageiros de sua candidatura – como o país tinha sido jogado na maior recessão de sua história e em uma enorme confusão política, que estbeleceu uma dinâmica de desemprego crescente, com baixo investimento e restrição orçamentária gravíssima – para termos ideia, o pagamento do bolsa-família do mês de setembro de 2014 tinha sido pago pela Caixa Econômica a descoberto, sem que os recursos para o pagamento tivessem sido repassados à Caixa pelo Tesouro, o que é proibido pela lei de responsabilidade fiscal por caracterizar empréstimo de banco ao próprio controlador – , a aventura de uma candidatura à presidência podia favorecer vários de seus interesses pessoais, além de avançar pautas dos tradicionalistas ligadas a costumes, cultura, questões tribais e armas.

A cultura bélica dos tradicionalistas favorecia aos milicianos e a grande parte dos interesses corporativos que bolsonaro defendia, que eram interesses principalmente ligados às forças armadas e à policiais em geral, e também a outros funcionários do setor de segurança, todos estes segmentos apoiadores do mandato de deputado de bolsonaro.

A presidência da república seria a graduação de bolsonaro na corrente subterrânea de interesses autoritários, atrasados e truculentos que existem em todas as sociedades e que aqui no Brasil ele sempre representou.

Muitos desses interesses, quando se associam a valores nacionalistas, são os mesmos e recebem defesa também de forças que declaram ser de esquerda, mas o viés de bolsonaro, obviamente, é de ultra-direita, e esses valores, no caso dele, são defendidos de modo bem tosco, por ele assimilar esses valores por intuição, culturalmente ignorante como ele é, não cutivando o conhecimento dos valores que acredita e defende.

Fortalecida, a direita mais tradicional e a ultra-direita irão avançar suas peças na próxima eleição, e nós que cultivamos os valores progressistas e temos a democracia como um valor perene, universal e sem relativizações precisamos nos acautelar contra surpresas desagrafáveis no franco mais à direita.

Quanto aos setores saudáveis do franco mais à esquerda, eles precisam atentar para defesas que fazem de corporativismos e pautas atrasadas na economia, sob o risco de favorecer os piores segmentos políticos dos dois lados, nos seus extremos, se não atentarem para o engano de certas propostas económicas que vistas superficialmente parecem tão justas, mas que só alimentam o atraso econômico, social, político e cultural no nosso país.

Responder

enganado

21 de julho de 2021 às 15h38

Já imaginaram se esse analfabeto=boçalNARCO for a qq debate???? Cada responda por si próprio o tamanho do desastre.

Responder

Kleiton

21 de julho de 2021 às 14h36

Bolosnaro e tem centenas ou milhares de pessoas o esperando não será candidato e pos outros candidatos que ninguém vê em lugar nenhum e ninguém dá bola serão candidatos…

Eu acho que é preciso ser muito retardados ou ser leitor da Carta Igienica Capital para escrever uma besteira dessa.

Responder

    Kleiton

    21 de julho de 2021 às 14h37

    Bolosnaro onde vai…

    Responder

    Rodrigo

    22 de julho de 2021 às 22h45

    Vaza daqui, Tonho da Lua!

    Responder

William

21 de julho de 2021 às 14h33

Eu acho que vai ser o pseudo candidato da Carta Capital que não quer ir para rua e levar umas palmadas nas orelhas dos brasileiros quem não vai concorrer a nada…vamos apostar ?

Responder

Fanta

21 de julho de 2021 às 14h31

Segundo quem….? Kkkkk

A que ponto chega o transtorno mental esquerdoide é de arrepiar….

Responder

Tony

21 de julho de 2021 às 14h30

Como alguém consegue compartilhar uma asneira dessa ?

O que tá acontecendo com esse site ?

Responder

Deixe um comentário para Rodrigo