Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Foto: Filipe Araujo

Bolsonaro está próximo do Tribunal de Haia

Por Redação

29 de julho de 2021 : 08h05

Por Altamiro Borges

Impeachment é pouco para o genocida brasileiro. Um dia o “capetão” ainda vai parar no Tribunal de Haia por crimes contra a humanidade. O jornalista Jamil Chade informa na Folha que “nova estratégia quer elevar a pressão contra Jair Bolsonaro em Corte Internacional”.

Segundo a reportagem, o fascista nativo está na mira. “Nas próximas semanas, novas informações sobre suas políticas serão submetidas aos escritórios da corte em Haia na esperança de reforçar a tese de atos deliberados contra grupos específicos da população, em especial contra os indígenas”.

Jamil Chade lembra que “quatro queixas diferentes já foram entregues à promotoria em Haia em dois anos, praticamente todas insistindo sobre a possibilidade de um crime de genocídio ou crimes contra a humanidade. Para agosto, Haia receberá nova queixa, desta vez da APIB (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil)”.

Ainda segunda a reportagem, “a APIB pode não ser a única a levar mais um caso para Haia. Na Comissão Arns, autora de uma queixa de 2020, advogados consideram a possibilidade de preparar uma atualização das denúncias contra Bolsonaro, já com informações sobre as políticas adotadas nos últimos seis meses”.

Enxurrada de queixas contra o genocida

A promotoria da Corte ainda avalia a possibilidade da abertura de processo oficial contra o fascista brasileiro, mas há sinais de que isso poderá ocorrer em breve. Em junho, o britânico Karim Khan assumiu o cargo de promotor, tendo o canadense James Stewart como seu vice. “Fontes na Holanda confirmaram à coluna que, ao assumir o cargo, os dois procuradores teriam ficado surpreendidos com a enxurrada de queixas contra Bolsonaro, entre elas os documentos submetidos com o apoio do cacique Raoní e advogados estrangeiros de peso”, afirma o jornalista.

“Nas últimas semanas, o escritório em Haia decidiu contratar uma pessoa que fala português, gesto que foi interpretado como um sinal de que Khan quer tomar decisões sobre o que fazer com os casos envolvendo Bolsonaro, mesmo que isso signifique encerrá-los… Tanto diplomatas brasileiros como estrangeiros admitem que o impacto da abertura de um processo iria muito além do Tribunal”. 

“Uma investigação contra o brasileiro o consolidaria como pária, afastando qualquer tipo de possibilidade de que chefes de Estado se sentissem confortáveis em receber Bolsonaro em visitas oficiais. Em termos diplomáticos e mesmo de imagem, o constrangimento também seria inédito”.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Paulo

29 de julho de 2021 às 10h17

Bobagem! Bolsonaro não é genocida, é um criminoso comum…

Responder

Querlon

29 de julho de 2021 às 09h33

E’ prar rir né ?

De onde saiu esse outro destrambelhado ?

Responder

Valeriana

29 de julho de 2021 às 08h32

2023 tá chegando, e com ele a cadeia desse verme miliciano.

Responder

Deixe um comentário para Valeriana