Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Exame/Ideia: Empate quádruplo para o governo de São Paulo

Por Redação

27 de agosto de 2021 : 10h09

Uma pesquisa elaborada pela Exame/Ideia divulgada nesta sexta, 27, mostra que o cenário eleitoral no estado de São Paulo se encontro embolado. Os quatro principais nomes na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes estão tecnicamente empatados.

O ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) aparece a frente com seus 19% nas intenções de voto, o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) com 16%, ex-governador Márcio França (PSB) com 15%, e Guilherme Boulos (PSOL) tem 14%.

O presidente da FIESP, Paulo Skaf (MDB), tem 7% e o atual vice-governador, Rodrigo Garcia (PSDB), o candidato de João Doria, aparece com 5%. Branco e Nulo com 8% e Não sabe, 8%.

Fonte: Exame/Ideia

Senado

O ex-governador Márcio França (PSB) seria eleito para o Senado Federal se a eleição fosse hoje com 19%. Já Boulos também conquistaria a vaga para seu primeiro mandato com seus 17%. O vereador Eduardo Suplicy (PT) registra 15% e Paulo Skaf (MDB) 11%.

Fonte: Exame/Ideia

A pesquisa ouviu 2.000 eleitores de São Paulo entre os dias 23 e 26 de agosto. As entrevistas foram feitas por telefone, com ligações tanto para fixos residenciais quanto para celulares. A margem de erro é de 1,75 ponto porcentual para mais ou para menos.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Sebastião

28 de agosto de 2021 às 11h53

Em SP terá muitos candidatos, e ainda tem o candidato de Bolsonaro. Se Alckmin se mostrar isento, poderá pegar eleitores bolsonaristas. Mas como Márcio como vice, dific isso irá acontecer. Embora contra o PT, os bolsonaristas votem até no diabo

Responder

Deixe um comentário