Bahia: Refinaria privatizada provoca desabastecimento de Gás de Cozinha

Foto: Cláudio Kbene

Eunício sinaliza candidatura ao governo do Ceará e diz que Lula é ‘100 vezes maior que o PT’

Por Gabriel Barbosa

24 de outubro de 2021 : 10h04

O ex-presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), sinalizou que pode ser candidato ao governo do Ceará em 2022. O emedebista, que já iniciou sua agenda pelo interior do estado, espera que a cúpula local do Partido dos Trabalhadores faça parte do seu grupo político para ter o ex-presidente Lula no seu palanque.

Durante sua entrevista a Jovem Pan de Fortaleza, Eunício não deixou de criticar os irmãos Cid e Ciro Gomes e declarou que Lula é “100 vezes maior que o PT”.

“Se tiver uma aliança daqueles que pensam o melhor para o Brasil, na minha visão, que é representada não pelo Partido dos Trabalhadores, mas pelo presidente Lula – que é 100 vezes maior do que o partido que ele pertence –, não tenho nenhum tipo de dificuldade de fazer essa aliança e colocar meu nome à disposição dos cearenses para disputar o cargo de majoritário de governador”, afirmou.

O ex-presidente do Congresso também voltou a falar que não teve total responsabilidade no processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) em 2016 e disse que foi “voto vencido” junto a Executiva Nacional do MDB.

“Me chamaram nas ruas daqui de golpista. Para a justiça ser feita, Renan Calheiros era presidente do Congresso Nacional. Eu ainda não era o presidente do Congresso Nacional naquela época, como disseram há poucos dias. eu me tornei presidente depois. Veio o impeachment da Câmara, o MDB caiu nessa cilada, o que foi terrível para o partido, eu fui voto vencido dentro da executiva do meu partido. Está na ata registrada com o meu voto contra na executiva, está lá na ata registrada”.

Gabriel Barbosa

É jornalista com passagens pelo Grupo de Comunicação O POVO (Ceará), RedeTV! e Band News FM. Atualmente é Chefe de Redação do Cafezinho e pós-graduado em Comunicação e Marketing Político.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

EdsonLuiz.

24 de outubro de 2021 às 15h18

O que este pústula Eunício está falando procede, só que com menos exagero. Lula ė umas quatro vezes maior que o PT.

Foi a Igreja católica, em um tempo não tão distante em que o catolicismo era 90% do Brasil, que viabilizou o PT e projetou Lula. A força e capilaridade da Igreja Católica no Brasil daquela época era avassaladora. Pouco sobrou para outras forças políticas se estabelecerem!

Havia uma determinação do Vaticano de articular os católicos no Brasil e na Polônia. Esse esforço do Vaticano era feito em conjunto com o Departamento de Estado dos EEUU, ao qual, aqui no Brasil, se juntava o general Golbery do Couto e Silva, o teórico do poder dos militares um pouco menos truculentos daquele período e em obediência à ordem dos Estados Unidos de promoverem a abertura política aqui, no quadro final de distensão da guerra fria dos EEUU com a Uniåo Soviėtica.

Aqui no Brasil o interesse em viabilizar um PT lulista era impedir que aquele partido surgisse com hegemonia de forças mais progressistas e seculares e tinha também, como extensão desse mesmo interesse, inviabilizar outras forças modernas de esquerda que fizessem avançar o progressismo e a laicidade do Estado se organizando em outros partidos políticos.

Incrível que se tenha que esclarecer, mas não se afirma que houve um conluio
de progressistas que estavam ajudando a fundar o PT com o Departamento de Estado Americano e com a Igreja Católica em uma trama contra as outras forças progressistas no Brasil. O que houve foram injunções políticas que associaram interesses da Igreja Católica e dos Estados Unidos aqui, na Polônia e em alguns outros países com predominância católica, no rastro do desmonte da guerra ideológica entre a principal potēncia capitalista e a potência comunista. Nesse percurso de distensão, ao articular Lula como mito carismático e heroico, a Igreja Católica não articulou Lula apenas contra as forças progressistas modernas externas ao PT. Lula e o lulismo hegemônico em um partido político hegegemonista constituiu um empecilho a forças progressistas fora do PT, mas constituiu empecilho a forças progressista que estavam construindo o PT também. Lula ainda constitui esse empecilho a todos os progressistas brasileiros da esquerda até a direita.

Na Polônia o nome de apoio dessa articulação Igreja Católica – Departamento de Estado Americano contra as forças progressistas que pudessem surgir com o desmantelamento iminente do sistema comunista polonês era o nome do sindicalista de direita ultraconservador Lech Walesa e seu “Sindicato Solidariedade”, o ‘Solidarnosk’. Nas incessantes manifestações de rua que fazia para se tornar conhecido e ganhar densidade o PT carregava, junto com suas faixas e bandeiras, outras faixas com os símbolos do sindicalismo ultraconservador polonês. Eu não sei localizar, mas vocês encontrarão numerosas fotos com esse apoio do PT à ultra-direita católica polonesa.

Hoje, o que temos na Polônia pós ditadura sanguinária comunista – como toda ditadura – é um regime eleito, mas profundamente autoritária e de ranho fascista; no Brasil, temos a mesma coisa na forma do bolsonarismo.

Mas antes tivemos Lula e o PT populista que engendrou essa realidade.

O PT destruiu – e ainda destrói com leviandades e mentiras todas as forças progressistas e outras vertentes menos progressistas, mas mesmo assim mais democráticas que o PT e o resto da fedentina política brasileira. O PT, com ataques de ódio e com mentiras, destrói reputações de quem se coloca como pedra em seu desaconselhävel caminho, que soma fisiologismo, populismo e neoliberalismo salafrärio e corrupção. Se forem forças que combatem corrupção então, por qualquer sopro que possa servir de desculpa para seus argumentos o PT quer presas, senão mortas.

Eu lamento por todo o progressismo no Brasil, progressismo de esquerda, de centro-esquerda e atė de direita. E a falsificação que estä sendo feita de que é ser progressista.

Se vocē é petista e se identifica ideologicamente com a esquerda, mude-se para o PSOL e ajude aquele partido a se constituir como o partido progressista e coerentemente de esquerda. O PT é o PT de Lula, que também é o PT populista, o PT de Temer, o PT de Renan Calheiros, o PT de Quá-quá, o PT de Eunício, o PT da corrupção, o PT de muita coisa, tudo coisa que você não quer. Continuar no PT é servir ao atraso, à fragmentação das forças polįticas e suas capturas por polįticos desonestos, que depois våo se aliar a Lula…ou a bolsonaro e coisas assim. Não é isso que temos visto principalmente desde o mensalão? Você está confortável sendo cúmplice disto?

Responder

Marco Vitis

24 de outubro de 2021 às 14h57

Será que o enorme apreço de Eunício Oliveira por Lula tem alguma relação com o fato de sua empresa Manchester ter recebido da Petrobras um contrato milionário SEM LICITAÇÃO ? Com a clandestina determinação de Lula ? Provavelmente, não. É tudo gente boa, incapazes de meter a mão no dinheiro público.
Só para reportar a verdade que o “jornalista” Gabriel omitiu, provavelmente por “esquecimento”: Eunício votou a favor do impeachment de Dilma. Mas houve senadores do PMDB que votaram CONTRA. Portanto, é FALSA essa justificativa de que o partido decidiu e o coitadinho do Eunício, contrariado, teve que votar pelo impeachment de Dilma.

Responder

Deixe um comentário