Fundador do Instituto Ideia vê chance de Lula vencer no 1° turno

Artigo – Isolamento da Rússia se reduz

Por Redação

10 de abril de 2022 : 09h06

Por Gilberto Maringoni

O cenário internacional do balanço de forças entre a Rússia e o chamado Ocidente mudou significativamente no intervalo de um mês, com pouco mais de 40 dias de combates na Ucrânia. O isolamento do país se reduziu, apesar do intenso cerco político-financeiro-midiático patrocinado por Washington. Não se trata de opinião aleatória, mas de aferição numérica no âmbito da Organização das Nações Unidas. Vamos aos fa

Em 2 de março, a Assembleia Geral da ONU aprovou resolução condenando a invasão russa. O resultado da votação por países foi o seguinte:

141 votos contra a Rússia
35 abstenções
5 a favor

Em 7 de abril, a mesma Assembleia Geral, composta pelos mesmos países, colocou em pauta a proposta de suspensão do país do Conselho de Direitos Humanos. O resultado vai abaixo:

93 votos contra a Rússia
58 abstenções
24 a favor

Em termos percentuais, o total de contrários caiu 35%, as abstenções aumentaram em 135% e os votos favoráveis a Moscou cresceram 480%!

Na primeira volta, o Kremlin teve o suporte apenas de Belarus, Eritreia, Coreia do Norte, Rússia e Síria. Na segunda, o apoio envolveu, além desses, Argélia, Bolívia, Burundi, República Centro Africana, China, Congo, Cuba, Etiópia, Gabão, Irã, Casaquistão, Quirguistão, Laos, Mali, Nicarágua, Tadjiquistão, Uzbesquistão, Vietnã e Zimbábue. Esses haviam se abstido há 30 dias.

O Brasil passou de uma posição contrária à abstenção, de uma oportunidade à outra. Nesse pelotão, entre outros, estão Cabo Verde, Camboja, Egito, El Salvador, Guiné Bissau, Índia, Indonésia, Iraque, Kwait, Malásia, Namíbia, Nigéria, Paquistão, Catar, Senegal, África do Sul, Tailândia, Uganda, Emirados Árabes e Iêmen.

Ressalte-se que todos os contrários ou os que se abstiveram – à exceção da Rússia, China, Índia, Paquistão, Coreia do Norte, Casaquistão, Uzbequistão e outros asiáticos – são países do Sul global. Ou seja, o movimento de mudança no ambiente global se dá na periferia.

Boa parte desses países recebem fortes investimentos e têm boas relações econômicas e comerciais com a China, o que evidencia, de outra parte, um jogo de forças intenso entre as superpotências.

HÁ QUE SE RESSALTAR OUTROS FATORES. No espaço de um mês, o torniquete financeiro contra a Rússia se intensificou, o cerco midiático atingiu parâmetros inéditos e a responsabilidade por um massacre de enormes proporções na cidade de Bucha, nos arredores de Kiev, foi imputada aos desígnios supostamente sádicos de Vladimir Putin. Até agora, a responsabilidade sobre a matança segue controversa.

Em síntese, se o objetivo da OTAN, nas palavras de Joe Biden é “espremer” Putin e colocar “o mundo contra a Rússia”, a realidade mostra um movimento em direção contrária.

É claro que o sentido do jogo de forças pode se inverter. Mas até aqui o isolamento de Moscou se mostra menor do que o previsto, apesar da suspensão.

POR FIM, VALE RESSALTAR que há diferenças qualitativas entre as duas deliberações. A condenação à invasão tem características políticas fortes e poucos efeitos práticos.

A suspensão do CDH de um dos membros do Conselho de Segurança implica abrir um gravíssimo processo de questionamento da própria ideia de ONU. Cria-se um obstáculo ao diálogo. O Conselho é formado por 47 países, com mandatos de 3 anos.

O organismo foi criado em 2006 pela Assembleia Geral. Votaram contra Estados Unidos, Israel, Ilhas Marshall e Palau. Não votaram Belarus, Irã e Venezuela. Após anunciar sua saída em 2018, os EUA voltaram três anos depois.

Se a mais bem sucedida experiência de criação de uma sociedade internacional da História pode colocar para fora, de forma sumária, um de seus membros mais importantes, então essa sociedade entra em uma crise de consequências imprevisíveis. Diante de uma proposta irresponsável, vários países votam não apenas pensando na Rússia, mas no tipo de relações internacionais que teremos daqui por diante.

(Nas imagens, o placar da Assembleia Geral da Onu em 2 de março e 7 de abril).

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Nelson

11 de abril de 2022 às 23h15

Dá até para imaginar a choradeira dos adoradores do império – uma grande e violentíssima ditadura, na verdade – que o Sistema de Poder que domina os Estados Unidos impôs ao planeta há várias décadas, ao verem seu mundinho se esboroando, inapelavelmente, como escreve o Cesar Fonseca no artigo abaixo.
Não é senhor Pianca?
Rá, rá, rá, rá, rá

Fato inusitado: Rússia aprofunda isolamento americano na cena internacional a partir da Ucrânia
https://www.brasil247.com/blog/fato-inusitado-russia-aprofunda-isolamento-americano-na-cena-internacional-a-partir-da-ucrania

Responder

Alexandre Neres

11 de abril de 2022 às 12h34

Maringoni é filiado ao PSOL, ô analfabeto político. Vai tomar na tarraqueta!

Responder

Bandoleiro

10 de abril de 2022 às 19h38

A ONU e nada sao a mesma coisa, o que a ONU faz o nao faz é zero absoluto.

Responder

EdsonLuíz.

10 de abril de 2022 às 10h29

Ainda esse Marurembo , Malcurado, Macarone, Marangoni, sei lá! Esse apoiador de esfolamento de quem quer ser livre, de povos que querem ter direito à autodeterminação.

Povos que querem a democracia têm que renunciar ao seu sonho de serem livres, se submeterem a Vladimir Putin, ao venezuelano Maduro, a Lula, a jair bolsonaro ou a qualquer outro Fidel Castro ou Órbam da Hungria ou Pinochet?

Pare de apoiar a submissão de povos, Maringones, principalmente submissão à força de mísseis e fósforo branco!

Passe à defesa da democracia, Marigon, e se esforce para converter o PT à democracia e a não apoiar o esfolamento de povos que querem ser livres.

EdsonLuiz.

Responder

Deixe um comentário para Bandoleiro

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina