Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Imagem: Márcia Travessoni

Ceará: Alexandre Pereira e a campanha do Roberto Cláudio

Por Gabriel Barbosa

23 de julho de 2022 : 09h37

Por Luiz Cláudio Ferreira Barbosa

A escolha do ex-prefeito fortalezense, o médico Roberto Cláudio, como o candidato pedetista-cirista ao cargo de chefe do Executivo do Governo do Ceará, é sem dúvida o tema do momento na imprensa tradicional e nas redes sociais. Alguns detalhes, porém, são muito pouco analisados pelos comentaristas políticos cearenses.

Na minha opinião, um fato importante é sem dúvida o papel do presidente estadual do Cidadania, o empresário Alexandre Pereira, em relação à defesa dessa agremiação partidária à candidatura de Roberto Cláudio, como a primeira defesa midiática contra os ataques do lulopetismo.

Alexandre Pereira antecedeu o que eu iria chamar do novo condomínio político-administrativo cirista-pedetista sem o Partido dos Trabalhadores. É preciso frisar que o Cidadania não atacou o ex-governador Camilo Santana (PT) e nem a governadora Izolda Cela (PDT), mas apenas defendeu a capacidade técnica e administrativa do ex-chefe do executivo do maior município do Ceará.

Luiz Cláudio Ferreira Barbosa é sociólogo e gerente-executivo da Consultoria LCFB. Imagem: Divulgação

No pleito eleitoral de 2012, para prefeito de Fortaleza, no segundo turno, o governador Cid Gomes foi responsável pela vinda de três agremiações partidárias com histórico de anti-petista: PPS (Cidadania), Democratas (DEM) e o PDT. A administração pública do então recente prefeito eleito de Fortaleza, o socialista Roberto Cláudio, já nasceu com viés de agregador de várias forças políticas, porém, segue refém do instinto dominador do lulopetismo, na política local.

O PPS-Cidadania sempre foi a agremiação partidária da base governista robertista-cirista, com a característica de defender a administração municipal da capital. Com bastante ênfase, nesse aspecto o PPS-Cidadania sempre foi embrionário do robertismo sem o lulopetismo, pois o PDT a nível estadual não podia fazer essa tarefa, em função da sua aliança regional e da aliança nacional, com o Partido dos Trabalhadores. Em síntese, o robertismo sem o lulopetismo não vai nascer durante esse pleito eleitoral, no primeiro turno, para o Governo Estadual. O próprio já existe via o PPS-Cidadania.

O presidente estadual do Cidadania fez uma aliança com o então deputado federal Moroni Torgan (DEM) para a sua indicação ao cargo de vice-prefeito, na chapa majoritária de reeleição do prefeito Roberto Cláudio (PDT), no pleito eleitoral de 2016. O papel do Cidadania sempre foi muito relevante para o projeto administrativo de Roberto Cláudio, quando o mesmo era chefe do Executivo da capital cearense; e agora como candidato pedetista-cirista ao cargo de governador do Ceará.

Roberto Cláudio sabe da disponibilidade da direção estadual do Cidadania de lhe fazer uma defesa convincente, com outrora fogo amigo do lulopetismo. O novo papel do Cidadania é, sem dúvida, demonstrar que não há isolamento partidário por parte do Partido Democrático Trabalhista, para o pleito eleitoral de 2022. É necessário frisar o também importante papel do PSB sob o comando do deputado federal Denis Bezerra a favor da candidatura própria do trabalhismo cearense.

A direção estadual do Cidadania, na figura de sua liderança regional Alexandre Pereira, e assim como também do seu mais ilustre filiado, o ex-deputado federal Moroni Torgan, com certeza vai manter o discurso de defesa das qualidades administrativas do ex-prefeito Roberto Cláudio, como candidato pedetista-cirista ao cargo de governador do Ceará.

Cidadania não vai em momento algum atacar o ex-governador Camilo Santana (PT) e a atual governadora Izolda Cela (PDT), contudo, o discurso contra a tentativa de controle do lulopetismo ao campo progressista local, sem dúvida será sempre uma bandeira do Cidadania, seção cearense. Roberto Cláudio tem noção do papel do Cidadania como o seu aliado primordial ao lado do Partido Socialista Brasileiro, para o pleito eleitoral de 2022.

Luiz Cláudio Ferreira Barbosa é gerente-executivo da Consultoria LCFB

Gabriel Barbosa

Jornalista com passagens pelo Grupo de Comunicação O POVO (Ceará), RedeTV! e Band News FM. Pós-graduando em Comunicação e Marketing Político.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina