Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Imagem: Divulgação/ALCE

Acrísio denuncia perda de mais de 2 mil postos de trabalho por pessoas com deficiência na pandemia

Por Redação

16 de agosto de 2022 : 19h05

De acordo com o Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), o Ceará perdeu 2.131 postos de trabalho voltados para as pessoas com deficiência (PCD) de março de 2020, primeiro mês após a chegada da Covid-19 ao Estado, a junho de 2022.

“Esta realidade é lamentável, mas o problema é anterior e bem mais grave. Conforme dados do próprio IDT, das 35 mil vagas previstas pela legislação para o Ceará para PCD, apenas 18 mil estão preenchidas. Além de questões estruturais, como a falta de acessibilidade e o preconceito, há também a baixa remuneração média nas vagas e a falta de projetos que incentivem as contratações”, criticou o deputado estadual Acrísio Sena, autor da Lei que criou o Estatuto da Pessoa com Deficiência em Fortaleza.

Em 2021, auge da crise sanitária, a Lei de Cotas (Lei n° 8.213/91), que definiu percentuais de contratação de PCD em empresas com mais de 100 funcionários completou 30 anos.

Atualmente, empresas que tenham entre 100 e 200 colaboradores devem destinar, pelo menos, 2% das vagas a PCD. Esse percentual chega a 5% em empresas com mais de mil colaboradores.

“Não podemos aceitar o descumprimento de uma legislação que foi fruto de muitas lutas. Precisamos dialogar com as associações e movimentos PCD para mapear as principais demandas e envolver a sociedade no processo de inclusão desta população no mercado de trabalho”, finalizou Acrísio.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe um comentário