Bahia: Refinaria privatizada provoca desabastecimento de Gás de Cozinha

Foto: Joao Marcos Rosa/Nitro/Daniel Maia/Divulgação

DataFolha: Zema chega a 30 pontos de vantagem sobre Kalil em MG

Por Gabriel Barbosa

02 de setembro de 2022 : 08h50

O DataFolha divulgou a nova rodada de pesquisa de intenção de voto para o governo de Minas Gerais que revela o crescimento ainda maior do governador e candidato a reeleição, Romeu Zema (Novo).

De acordo com o levantamento, o governador mineiro já chegou a 52% das intenções de voto contra 22% do ex-prefeito de BH, Alexandre Kalil (PSD). Na comparação com a pesquisa divulgada em 18 de agosto, Zema cresceu cinco pontos e Kalil oscilou um ponto para baixo.

O candidato de Jair Bolsonaro, Carlos Viana (PL), registra o índice pífio de 4%, e Vanessa Portugal (PSTU) com 2%. Brancos/Nulo tem 8% e Indecisos, 7%.

Na espontânea, Zema registra 29% das intenções de voto contra 15% de Kalil. Carlos Viana tem apenas 1% das menções. Branco/Nulo 4% e Indecisos, 48% dos entrevistados. Vale lembrar que nestes cenários, Zema vence em 1° turno.

Apesar disso, o DataFolha também levantou cenário de segundo turno entre Zema e Kalil. Neste caso, o governador também sairia vitorioso com 59% dos votos totais contra 31% de Kalil. Na pesquisa anterior, o placar era 56% a 33%.

O DataFolha ouviu 1212 eleitores entre os dias 30 de agosto e 1º de setembro, em 62 municípios de Minas Gerais. A margem de erro é de três pontos percentuais e o nível de confiança de 95%. A pesquisa foi contratada pela Folha e a TV Globo e foi registrada na Justiça Eleitoral sob o número MG-03654/2022 e BR-00433/2022.

Análise

Até o momento, a aliança formal com o ex-presidente Lula (PT) não tem ampliado o capital político e eleitoral de Alexandre Kalil (PSD) no pleito mineiro.

A pesquisa mostra que a candidatura de Zema, além de ser naturalmente competitiva por ser o governador em exercício, segue em trajetória de crescimento.

Como foi mostrado no início dessa publicação, a candidatura do governador subiu cinco pontos em apenas 12 dias, chegando a 52% e com chances reais de vencer em 1° turno.

Outro ponto importante para compreender a situação confortável de Zema é a sua boa avaliação entre os eleitores do estado. Segundo o DataFolha, seu governo é considerado ótimo/bom para 54% dos mineiros contra 32% de regular e apenas 11% de ruim/péssimo.

No que diz respeito a rejeição, a distância de Zema para Kalil é de dez pontos percentuais. Enquanto o ex-prefeito de BH é o mais rejeitado com 30% dos entrevistados afirmando que não votaria nele de jeito nenhum, Zema aparece na quarta colocação com 20%.

Vale lembrar que na própria pesquisa do DataFolha, o recall do governador Zema chega a 93% dos eleitores que dizem conhecê-lo contra 68% de Kalil. Talvez esse seja o maior desafio da candidatura de Kalil, tornar-se mais conhecido.

De qualquer forma, o espaço e tempo para Kalil quebrar a barreira de aceitação de Zema está se encurtando, pois faltam exatamente 30 dias para o pleito. Junta-se a isso o fato de que o sentimento de mudança por parte da maioria do eleitorado mineiro é praticamente inexistente. Será uma tarefa hercúlea!

Gabriel Barbosa

É jornalista com passagens pelo Grupo de Comunicação O POVO (Ceará), RedeTV! e Band News FM. Atualmente é Chefe de Redação do Cafezinho e pós-graduando em Marketing Político.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

marco

04 de setembro de 2022 às 23h29

O que pode explicar o pífio desempenho das candidaturas de Kalil e Requião a não ser a proximidade de ambos com as pautas do Pt, que são tóxicas para os candidatos, identitárismo exacerbado empurrado goela à baixo da sociedade.

Responder

Deixe um comentário para marco