Bahia: Refinaria privatizada provoca desabastecimento de Gás de Cozinha

Imagem: Reprodução

O apoio de Meirelles a Lula e o aceno para o mercado internacional

Por Gabriel Barbosa

19 de setembro de 2022 : 16h13

Nesta segunda-feira, 19, o ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (União Brasil), declarou apoio a candidatura do ex-presidente Lula (PT). Durante seu discurso, Meirelles lembrou de sua parceria com Lula durante os governos do petista.

“Sempre me baseei em fatos. Quando trabalhamos juntos no governo, nesse período mais de 10 milhões de empregos foram criados no Brasil. É um fato. Cerca de 40 milhões de brasileiros saíram da pobreza. Tivemos um crescimento médio de 4% durante esse período; vamos comparar com o crescimento agora”, disse o banqueiro.

Vale lembrar que Meirelles presidiu o Banco Central durantes os governos de Lula e fez um prognóstico sobre a situação econômica do Brasil em 2023, caso o líder progressista assuma o próximo governo.

“Está havendo uma injeção eleitoreira de dinheiro da Economia, que vai criar um problema grande para ser resolvido. Será resolvido, mas é uma coisa que vai dar trabalho. E tudo isso faz com que a previsão de crescimento do Brasil seja 2% este ano e 0,5% no ano que vem”, afirma.

“Durante aquele período, além de um crescimento forte, inflação na meta. No período em que a meta de inflação foi de 4,5%, de 2005 até 2010, a inflação média foi de 4,5%. Isso é impressionante”, prossegue.

“Portanto, esse é um resumo dos fatos. Isso é, na minha opinião, o que interessa: emprego, renda, padrão de vida da população e mostrar quem faz, quem realiza. Eu acredito em fatos, presidente. Eu olho e vejo o resultado do seu governo, e isso nos faz estar aqui. Portanto, vamos em frente”, finaliza.

Aceno ao mercado internacional

O apoio do ex-ministro Henrique Meirelles (UB) não pode ser visto apenas como adesão de um ex-candidato a presidência. Seu papel na campanha do petista vai muito além disso.

O ex-presidente Lula (PT) compreendeu, há muito tempo, que o Governo Federal terá que voltar a sentar na mesa com as principais potências mundiais. Não a toa que o líder progressista fez sua viagem pela Europa, se reuniu com as lideranças de países estratégicos, e logo em seguida, sinalizou pela não ruptura das reformas no Brasil.

Sendo assim, o apoio de Henrique Meireles – pai das reformas previdenciária, trabalhista e do Teto de Gastos durante o governo de Michel Temer (MDB) – é a sinalização mais clara de que o ex-presidente Lula é o candidato do sistema financeiro internacional.

Gabriel Barbosa

É jornalista com passagens pelo Grupo de Comunicação O POVO (Ceará), RedeTV! e Band News FM. Atualmente é Chefe de Redação do Cafezinho e pós-graduando em Marketing Político.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

William

19 de setembro de 2022 às 22h34

Toda a merda boiando ultimamente…ums atrás da outra.

Responder

Paulo

19 de setembro de 2022 às 22h12

“Não à toa que o líder progressista fez sua viagem pela Europa, se reuniu com as lideranças de países estratégicos, e logo em seguida, sinalizou pela não ruptura das reformas no Brasil.”
]
Já estão falando em Reforma Administrativa, sob Lula, e, pasmem, nova Reforma da Previdência. É um acinte, mas nada que surpreenda…

Responder

Kleiton

19 de setembro de 2022 às 20h02

Toda a imundícia reunida.

Responder

Deixe um comentário para Kleiton