Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Imagem: Divulgação / PDT

Ciro Gomes e o PDT Nacional: Encontro e desencontro


Por Luiz Cláudio Ferreira Barbosa e Gabriel Barbosa

O ex-ministro Ciro Gomes mantém uma certa distância das articulações políticas das bancadas pedetistas no Congresso: Câmara e Senado. Ciro Gomes é alheio às movimentações dos deputados federais, nas votações da PEC dos Precatórios, pois o seu principal deputado federal, Leônidas Cristino (CE), da sua base aliada regional, com o domicílio eleitoral, em Sobral (CE), já havia votado favorável ao Governo Federal sob a orientação do presidente da Câmara, o deputado federal , Arthur Lira (PP), na primeira votação.


O presidente nacional do Partido Democrático Trabalhista (PDT), o ex-ministro Carlos Lupi, já tem muita dificuldade de manter a maioria na bancada pedetista da Câmara, após a abertura da janela de mudança partidária. Carlos Lupi teme a saída de até metade dos parlamentares pedetistas, para outras agremiações partidárias: 12 deputados federais e 1 senador.

Os diretórios estaduais do Rio de Janeiro e do Maranhão vão votar no ex-presidente, Lula (PT), como principal opção a presidente da República. Os diretórios estaduais do PDT, na região Sul (Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná), já poderão nos próximos meses apoiar informalmente a pré-candidatura do ex-ministro Sérgio Moro (PODE), pois o lavajatismo é muito forte nos grandes centros urbanos sulistas. 


A militância cirista nas redes sociais não tem quase nenhuma identificação ideológica com o pedetismo-trabalhista, todavia, os mesmos são simpatizantes da pré-candidatura presidencial de Ciro Gomes, no próximo ano. Ciro Gomes pretende manter a sua base de seguidores digitais, em detrimento aos parlamentares pedetistas, pois isso ligou o sinal amarelo, na direção nacional do PDT. A provável federação partidária entre o PT e o PSB-PC do B é muito atrativo aos parlamentares pedetistas, nas eleições de 2022.   


O ex-ministro Ciro Gomes mantém um posicionamento anti-lulista e anti-petista na imprensa nacional, com o uso das redes sociais, porém, o mesmo faz uma série de elogios ao diretório do Partido dos Trabalhadores da seção do Ceará, pois o condomínio político-administrativo do senador, Cid Gomes, e do governador Camilo Santana vão manter o bloco partidário PT e PDT, com o direito a palanque local ao ex-presidente Lula. O diretório nacional do PDT e os seus diretórios estaduais não compreendem a mudança no posicionamento político do ex-ministro Ciro Gomes, em vários momentos, num pequeno espaço de tempo.


Luiz Cláudio Ferreira Barbosa é sociólogo e consultor político; Gabriel Barbosa é jornalista e analista político

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?