Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

A batalha final

Por Miguel do Rosário

08 de dezembro de 2011 : 10h06

Hoje a imprensa amanheceu um pouco mais emocionante, mais bélica. As circunstâncias agora pedem uma música mais agitada. Com vocês, o inesquecível Sabotage:

O Correio Braziliense trouxe a capa mais interessante do dia.

O ex-pm João Dias armou um barraco digno de um personagem de Dostoiévski. Entrou berrando na sede do governo do DF e jogou R$ 159 mil numa mesa. Um episódio bem “cabuloso”, como diriam os manos do Capão Redondo. Seria mais um jogo de cena de João Dias? Deixemos esse mistério para ser desvendado, no entanto, pela isenta e competente imprensa calanga.

Passemos à crise ministerial. O Globo se esforçou e conseguiu encaixar um belo jab no Pimentel. A notícia é capa do site do Globo e ocupa página inteira do caderno principal da edição impressa.

O título sarcástico da matéria impressa não deixa margem de dúvida sobre a disposição da mídia em derrubar mais um ministro.

Pimentel se tornou a bola da vez.

A narrativa da “faxina”, sobre a qual Dilma havia conseguido exercer um relativo controle, voltou às mãos da imprensa.

Ontem, o governo anunciou um pacote de R$ 4 bilhões para combater o crack, e a capa do Globo é sobre o subsídio às barcas que ligam Rio a Niterói.

Agora vemos que o PIB zero pode ser atribuído em parte às crises ministeriais, já que foi causado principalmente pela queda brutal nos gastos do governo. Queda esta provocada, por sua vez, pela paralisação das grandes obras do PAC, em função da queda do ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, e pela ordem vinda de cima de passar um pente fino em todos os contratos. Naturalmente, há o lado positivo, que é ter evitado algum desvio. De qualquer forma, não podemos culpar o rigor ético pelos atrasos. Não adianta desenvolver os músculos com anabolizantes nocivos à saúde.

A luta midiática constitui, por fim, a maior prova política dos atuais homens públicos, notadamente do campo popular. E não se trata de uma luta contra a mídia, mas para sobreviver a seus ataques. Uma luta exclusivamente defensiva, de resistência.

Lula tornou-se uma lenda porque experimentou, nem sempre ganhando,  uma sequência interminável de batalhas midiáticas. Atacaram seu casamento, seus filhos, sua honra, seus amigos, tudo que o envolvia, foi devassado pela mídia. Até hoje é assim.

A mesma coisa aconteceu ao PT. Atacado por todos os lados, impiedosamente, o partido emerge das urnas cada vez mais poderoso, e tem grande chance de avançar, em 2012, sobre tradicionais feudos da oposição.

A oposição conservadora, agindo à reboque da imprensa, atrofiou-se politicamente, infantilizou-se; mimados, perderam a criatividade e a disposição para o combate. O que é uma grande ironia. Se minha tese estiver correta, a imprensa (não me refiro a toda imprensa, claro, mas a seu núcleo proprietário), em seu afã para debilitar a esquerda, atua como uma catalizadora de sua força, pois obriga-a se exercitar diariamente na rua, na opinião pública. E que exercício político praticam os próceres do conservadorismo, se apenas ecoam, qual papagaios, manchetes de jornal e sua atuação se limita a requerer, quase sempre sem sucesso, que ministros venham dar explicações ao Parlamento acerca de denúncias publicadas em jornais?

O outro lado dessa dialética é o empoderamento da mídia. Isso não era para ser totalmente negativo, desde que houvesse um mínimo de respeito a uma determinada ética jornalística, o que não é o nosso caso, forçando a sociedade a exigir uma regulamentação mais rígida do jornalismo brasileiro. O fato também aumenta a importância do papel da blogosfera como contrapeso crítico ao poder da mídia corporativa.  Todo o poder deve ter, contendo-lhe, um contra-poder. Esse é o pilar do pensamento democrático.

Em suma, Pimentel será tragado ou emergirá mais forte da crise? Por parte de Dilma Rousseff, está evidente (pois o contrário lhe traria imenso dano político) que ela fará de tudo para lhe apoiar. Caberá a ele, Pimentel, demonstrar a sua inocência e, sobretudo, o seu talento político. Com os holofotes apontados para si, o ministro vive agora o maior desafio de sua vida.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

_spin

09 de dezembro de 2011 às 10h47

Comentei isso no blog do Edu, sobre o silêncio do pig diante do livro do Amaury:
A imprensa "independente" mais uma vez fecha os olhos para a roubalheira de bilhões no reino tucano demo e se ocupa com a merreca de prolabore do Pimentel, ganho honestamente
Edu, entendo que chegamos a situação em que o problema deixa de ser de Dilma para ser de todos nós, dos brasileiros, sob pena de vermos este pais naufragar
Vi num post do Miguel onde ele nos dá conta de que esta campanha da imprensa que impede Dilma trabalhar e gastar já provocou queda no PIB, isso é muito grave http://josecarloslima80.blogspot.com/2011/12/priv

Responder

spin

09 de dezembro de 2011 às 06h30

O Amaury Ribeiro Jr é um jornalista premiado, conceituado. Acabou de lançar um livro. Se fosse contra o PT estaríamos assistindo ao maior estardalhaço no JN, Tvs, CBN, portais de internet, blogs….

Como o livro é sobre a privataria tucana, uma rede de espionagem e corrupção, estou boquiaberto diante da ausência de qualquer referência ao livro em qualquer meio de comunicação que não seja da área dos “blogs sujos”

Dou um doce para quem achar qualquer nota sobre o livro, nem mesmo no Ig e Terra, mais ou menos isentos, não consta qualquer referência, quem sabe mais tarde né….rsss

http://www.advivo.com.br/blog/jose-carlos-lima/a-

Responder

_spin

09 de dezembro de 2011 às 05h52

Dilma deveria era parar de ler estas porcarias e trabalhar prá valer, retomar o PAC, sair às ruas e conversar com povo
A midia pela qual Dilma parece pautar-se está afundando o Brasil
Qual o papel da SECOM de Helena Chagas nesta história
Oh que saudades do Franklin Martins, nunca vi a cara da Helena Chagas, até parece que ela fica o tempo todo pondo panos quentes no pig, posso estar enganado, mas nem rola tentar a política da boa vizinhança com inimigos tão vorazes

Responder

    Elson

    09 de dezembro de 2011 às 07h12

    Falou e disse , a Presidenta tem é que chamar o Frankilin Martins de volta , aí o PIG vai tremer .

    Responder

Elson

09 de dezembro de 2011 às 00h25

Caro Miguel , parece que no caso de Pimentel a mídia partidarizada tenta trasnsformar o ganha-pão de um político sem cargo em um crime .
Porém neste caso a Presidenta não vai dar o braço a torcer , e quem estiver apostando contra o ministro vai perder .
As oposições estão fragilizadas , pois seu discurso é o mesmo que levou os EUA e a Europa a bancarrota , e , eles sabem que o PT tem um cabo eleitoral de peso e vão fazer de tudo para desacreditá-lo , inclusive usando o discursso udesnista e golpista de sempre .

Responder

Miguel do Rosário

08 de dezembro de 2011 às 12h48

O Tijolaço traz alguns elementos para este post.
http://www.tijolaco.com/nova-fase-dos-ataques-da-

Responder

Deixe um comentário