Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Principais produtos brasileiros exportados em 2011

Por Miguel do Rosário

06 de janeiro de 2012 : 14h22

[s2If !current_user_can(access_s2member_level1) OR current_user_can(access_s2member_level1)]

Abaixo, os principais produtos brasileiros exportados em 2011. Fiz a comparação com 2001 para termos uma visão mais abrangente. Depois faço uma outra comparando com 2010.

Observem que a exportação de máquinas, autopeças, aço e aparelhos elétricos cresceram, respectivamente, 174%, 344%, 249% e 32%, em valores já devidamente deflacionados.

O aumento da participação dos produtos básicos se dá porque a exportação de minério de ferro, no mesmo intervalo, disparou 1.068%, em grande parte em função dos preços.  E aí vemos a crueldade da privatização. A Vale foi vendida justamente pouco antes de uma grande explosão das cotações internacionais do ferro. Em 2001, o ferro era vendido a menos de 24 dólares a tonelada. Em 2011, a 130 dólares.

Confira tabela e gráficos (só para assinantes).

[/s2If]
[s2If !current_user_can(access_s2member_level1)]
Para continuar a ler, você precisa fazer seu login como assinante (no alto à direita). Confira aqui como assinar o blog O Cafezinho.[/s2If]
[s2If current_user_can(access_s2member_level1)]

[/s2If]

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe um comentário