Fundador do Instituto Ideia vê chance de Lula vencer no 1° turno

BC aponta alta no PIB, Estadão diz que é baixa

Por Miguel do Rosário

15 de junho de 2012 : 18h15

[s2If !current_user_can(access_s2member_level1) OR current_user_can(access_s2member_level1)]

O sujeito entra no site do Estadão e vê a seguinte nota:

[/s2If]
[s2If !current_user_can(access_s2member_level1)]
Para continuar a ler, você precisa fazer seu login como assinante (no alto à direita). Confira aqui como assinar o blog O Cafezinho.[/s2If]

[s2If current_user_can(access_s2member_level1)]

Tudo bem, acontece que a notícia é tendenciosa, e diz o contrário da informação principal. Segundo o Banco Central, o índice de atividade econômica em abril cresceu no mês, no ano e no acumulado 12 meses.

A nota do Estadão se refere ao índice sem ajuste sazonal, e não vale fazer isso. É preciso usar o ajuste sazonal, porque o PIB será computado segundo um valor devidamente ajustado.

Segundo os números ajustados, portanto, o índice de atividade econômica cresceu 0,22% em abril (sobre o mês anterior), (0,06% sobre igual mês de 2011), 0,35% no acumulado do ano e 1,55% nos últimos 12 meses.  Os números indicam crescimento modesto em abril, mas ainda sim crescimento, e devem ser analisados no contexto de todos os outros índices econômicos disponíveis: inflação, juros, emprego, produção industrial e agrícola, vendas no varejo.

O Cafezinho tem abordado todos esses números, tentando fazer uma cobertura diferenciada da economia brasileira. Esta semana, por exemplo, o IBGE divulgou os números para o varejo:

Confira na tabela: a receita nominal das vendas cresceu 11,4% no varejo e 8,4% no varejo ampliado. São números que mostram uma economia sólida e em expansão. Há problemas em alguns setores industriais, mas são problemas pontuais que refletem a revolução industrial que vivemos, com a entrada de países asiáticos fabricando todo tipo de produto a uma escala inimaginável e a custos imbatíveis, e que tem sido vividos em todo o Ocidente, cujas legislações trabalhistas são bem mais desenvolvidas e, por isso, mais custosas. No médio e longo prazo, todavia, a tendência é o equilíbrio.

De qualquer forma, é importante observar os números econômicos com imparcialidade e objetividade. A economia brasileira sofre os abalos da crise européia, mas resiste de maneira muito firme, apresentando um crescimento modesto mas constante. Possivelmente no segundo semestre, teremos números bem melhores, como resultado das políticas de incentivo baixadas pelo governo nos últimos meses.

[/s2If]

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina