Fundador do Instituto Ideia vê chance de Lula vencer no 1° turno

O maquiavelismo de Lula

Por Miguel do Rosário

22 de junho de 2012 : 15h00

(Ilustração na capa de Basquiat e Andy Warhol).

Ontem eu disse que faria as últimas considerações sobre o caso Erundina, mas foi uma promessa tola, então me dêem licença para voltar ao assunto. De qualquer forma, não abordarei o assunto segundo perspectivas ideológicas ou subjetivas. Já que a decisão do PT foi eminentemente pragmática e mesmo maquiavélica (na acepção mais brutal do termo), então façamos também uma análise friamente objetiva.

Abaixo, vocês vêem a relação dos vereadores da cidade de São Paulo, extraída do site da Câmara. Observe que o PT é o partido mais forte, com 11 vereadores. O PSDB perdeu um bocado para o PSD, que agora tem 10 vereadores.  Voltamos após o gráfico.

 

Esse quadro nos sugere algumas observações:

  1. A aliança do PSDB com o PSD foi fundamental para a candidatura Serra. Lula tinha razão (do ponto-de-vista do cálculo maquiavélico-eleitoral) para tentar acordo com Kassab e PSD.
  2. Serra está conseguindo fechar acordo com quase todos os partidos com boa presença na câmara: PSD, PR, PV, PPS, DEM.
  3. Se os tucanos conseguissem fechar com PP e PTB, formariam um bloco com muita força eleitoral. O PTB ainda está em disputa.
  4. Deve-se sempre ressaltar a grande vitória de Serra ao fechar acordo com o PR, legenda que tem cinco vereadores em São Paulo e conta com o campeão brasileiro de votos Tiririca.
Vamos ver outros números. Abaixo a votação para prefeito em 2008:

A tabela acima merece ser examinada com atenção. De fato, não dá para desprezar Maluf. Ele ficou em quarto lugar no ranking dos mais votados. Para o PT, o quadro oferece uma série de problemas:

  • Dos seis candidatos mais votados em 2008, cinco eram nomes de oposição ao PT, sendo quatro de direita e um de esquerda (PSOL).
  • Trazendo Maluf para junto de Haddad, o PT diminui a pontuação inimiga nas eleições deste ano.
Agora vamos analisar dados mais recentes da força eleitoral de Maluf, refletida na sua votação para deputado federal em 2010.  Para efeito de comparação, trazemos abaixo também os números de Erundina. Comentamos em seguida.

 

Maluf obteve 275 mil votos válidos para deputado federal na cidade de São Paulo, e 497 mil votos em todo o estado. São falsas, portanto, as afirmações de que Maluf estaria “morto” politicamente. Ele ainda tem voto pra cacilda, e provavelmente a maioria vem de pessoas simples, porque eu não quero acreditar que pessoas bem informadas (ou uma grande quantidade de pessoas bem informadas) votem nesse crápula.

Erundina teve 178 mil votos na cidade e 214 mil votos no estado.

Os eleitores de Erundina tendem a votar no Haddad, porque o seu partido PSB vai apoiar Haddad. Este vai usar imagens de Erundina em sua campanha, e ela deverá pedir votos para o petista na TV. Então estes são votos já garantidos.

Os eleitores de Maluf devem se dividir. Os mais ideológicos tendem a votar em Serra. O eleitor mais humilde, que vota no Maluf por algum tipo de misteriosa afinidade, tenderá a votar em Haddad, porque o PP apoiará o petista; além disso, temos Lula, uma lenda viva entre os mais pobres.

Analisando friamente as estratégias eleitorais dos dois principais adversários, Serra e Haddad, vemos que ambos não estão medindo esforços para ampliar seus respectivos exércitos. Serra continua favorito, pois é muito conhecido, conseguiu apoio de um bom leque de partidos e tem a grande mídia como sua grande aliada.

Do ponto-de-vista eleitoral, portanto, Lula e o PT agiram de maneira rigorosamente correta ao se esforçarem para obter apoio do PP de Maluf.

O timing da foto foi desastrado, embora se possa alegar que a confusão gerou um factóide político de enorme impacto midiático, ajudando a romper o anonimato de Haddad. Vários colunistas estão começando a engolir essa ficha. Eliane Cantanhede admitiu hoje que este é um argumento a favor de Lula:

A novidade no “affair” Lula-Maluf é a versão de que tudo foi ótimo para a candidatura de Fernando Haddad, que ganha visibilidade inédita e gratuita, aparecendo em todas as TVs, rádios, páginas de jornais e bombando na internet. Mais ou menos na linha do “falem mal, mas falem de mim”.

Trata-se da velha tática de Lula de transformar o negativo em positivo, a desvantagem em vantagem.

A eleição em São Paulo oferece a Serra a oportunidade de disputar um terceiro turno contra o PT. E Lula parece entender o pleito paulistano como uma chance de preparar o terreno para ganhar o governo do estado em 2014.

Uma defesa que se poderia fazer acerca do frio e até meio sujo pragmatismo da campanha petista em São Paulo, é que a realpolitik, a bem da verdade, nunca foi um jogo para inocentes. O idealismo juvenil, que é a maior vítima da foto idílica de Lula, Haddad e Maluf, só costuma fazer diferença em eleições quando tem apoio da mídia, e quando isto acontece temos frequentemente a manipulação da ingenuidade. Ou seja, o idealismo juvenil perde novamente.

Entretanto, uma das características mais marcantes do lulismo foi justamente aniquilar o idealismo onírico juvenil, substituindo-o pelo idealismo de resultados. Os lulistas não fizeram campanha pela reeleição de Lula e depois por Dilma brandindo símbolos de uma revolução socialista. Ao contrário, tiveram que lutar contra acusações pesadíssimas de seus adversários e lidar com as imagens de Lula abraçando Collor e defendendo Sarney e Renan Calheiros. Fizeram a luta política com galhardia, e suas armas mais eficazes foram estatísticas que mostravam o notável desenvolvimento econômico e social do país. Um idealismo de resultados, repito. Esta é explicação para a foto de Lula, Maluf e Haddad. Lula quer ganhar as eleições, quer que o PT faça um bom governo, que agregue mais estatísticas e mais resultados positivos para dar substância às futuras campanhas de seu partido. Os militantes “decepcionados” não deixarão de votar no PT, e os resultados sociais concretos de uma administração popular despertarão as massas adormecidas de São Paulo, que enfim poderão se libertar do jugo conservador-midiático que as fazem votar contra seus próprios interesses.

Além do mais, quem bancou Lula nunca foi a “militância”, que, ao contrário, mostrou-se sempre instável e reticente em seu apoio – tanto ao ex-presidente como à Dilma. Quem jamais traiu Lula, mesmo em seus momentos mais difíceis, e nas circunstâncias mais polêmicas e complexas, foi o povão. O povão não tem frescura ideológica. Ele quer resultados, ponto final. No que tange à ética, o povo quer ver rico indo em cana, e foi Lula, e só ele, quem botou Maluf na cadeia, dentre centenas de ricaços e poderosos que, pela primeira vez na história do Brasil, tiveram a experiência inesquecível de contemplar o nascer quadrado do sol.

Não podemos esquecer que o principal partido conservador no Brasil é a mídia paulista, que é bancada financeiramente pelo governo de São Paulo. Se Lula conseguir apear o PSDB de São Paulo, com Maluf ou sem Maluf, será um golpe brutal contra o poder da mídia corporativa, que ataca candidatos populares e movimentos sociais em todo país. O julgamento da história, e só ele, sabe exatamente por quem os sinos tocam na política brasileira.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

63 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

@laurofab

31 de agosto de 2012 às 20h18

Excelente análise…RT @ricocordeiro: O maquiavelismo de Lula – http://t.co/EfPADP2a

Responder

@ricocordeiro

31 de agosto de 2012 às 20h03

O maquiavelismo de Lula – http://t.co/odQhemWe

Responder

Felipe

30 de junho de 2012 às 12h33

Amigo quanta explicação para justificar um aperto de mão! Tem algo errado… Seria muito melhor ter o Maluf apoiando o Serra em qquer conta q se faça. Quem muito abaixa mostra a bunda, diria minha avó. Seu texto é bom, mas sua lógica é uma merda… desculpe. O aperto de mão é mais q uma aliança é um ato simbólico que consolida só uma coisa: o Malufismo do PT. Sds.

Responder

    admin

    30 de junho de 2012 às 15h15

    Serra teria mais de 9 minutos, Haddad menos de 6 minutos. Essa frase da sua avó é um clichê. Ninguém se abaixou. É preciso ter tempo de tv para fazer a luta política e ideológica junto ao eleitorado. O resto é papinho pra boi dormir.

    Responder

      Felipe Silva

      08 de julho de 2012 às 19h43

      Esse papinho pra boi dormir de “luta política e ideológica” é um cliche q o PT repete e só minha avó ainda acredita. O negócio é governar! Se o PT estivesse preocupado com luta política e ideológica, não mostraria a bunda branca e suja!

      Responder

Helena Vargas

25 de junho de 2012 às 23h32

DOMINGO, 17 DE JUNHO DE 2012

Sun Tzu e a adesão de Maluf

Por Luiz Cezar, no Brasil que vai

Houve um dia em que a milenar sabedoria chinesa foi aplicada à arte da guerra e o resultado foi um conjunto de recomendações para a vitória sobre o inimigo no campo de batalhas inspirada na interação das energias opostas e complementares que permeiam todos os acontecimentos sobre a terra.

Quem compilou esses ensinamentos foi Sun Tzu, ainda no tempo dos “reinos combatentes” que dividiam em guerras fratricidas os reinos da China durante o século quinto antes de cristo e ainda antes que fosse conquistada a unificação no século segundo a.c. durante a dinastia Hu.

Transformada em obra de referência de doutrina militar no século segundo anterior ao primeiro milênio, os escritos de Sun Tzu inspiraram Maquiável na redação de texto homônimo que abordava as premissas assentadas no taoísmo do texto chinês do ponto de vista do pensamento renascentista de contestação à moral cristã do fim da idade média.

Vem daí talvez a associação dos meios propugnados por Maquiável com o que se convencionou chamar de “falta de moral” e de suas recomendações para a condução da guerra com algo não afeito ao requisito de pureza que deve guardar os fins ultimados pelas batalhas.

Pois com Sun Tzu não era assim. Sua visão da guerra não distinguia entre os meios e os fins porque sua visão da existência humana não se apoiava na visão dualística de Sócrates que distinguia entre o representacional e o real – o que quer que isso pudesse significar – na vida do homem.

Para Sun Tzu a condução da guerra era governada por 5 princípios e o primeiro deles era o caminho, ou o Tao. Exatamente o campo das representações morais e dos valores que guiavam a aceitação pelos povos dos atos de guerra. Nada que estivesse em desacordo com a sensibilidade do homem comum teria chances de vingar enquanto movimento bélico nos campos de batalha.

Guardavam relação com o Tao – a que estavam submetidos povos, guerreiros e generais – outros 4 princípios exteriores à sensibilidade humana a que deveria dar observância o chefe em armas. Eram eles o clima, o terreno, o comando e a disciplina. O clima dizia respeito ao quando guerrear, o terreno a que em condições guerrear e o comando e a disciplina às habilidades que deveria deter o general para manter seus homens preparados e dispostos para o combate.

Num salto propositado na história seria interessante, como se tem feito desde o século 18, aplicar as ponderações de Sun Tzu à batalha política para a qual se prepara o PT para conquistar a prefeitura de São Paulo em outubro próximo.

Por polêmico que foi, é o caso de avaliar-se, dentre todos os requisitos exigidos para a vitória final, se está em desacordo com o caminho ou o Tao a adesão de Paulo Maluf aos exércitos combatentes de Hadad. A questão corresponde a indagar se há algo de intrinsicamente contraditório com a predisposição e o juizo do eleitorado a incorparação às próprias fileiras de um líder egresso das hostes inimigas para a busca da vitória.

Desde que o anseio de justiça é capaz de suscitar sentimentos bons nos corações mais perversos, como pregam as doutrinas de diferentes matizes filosóficos sobre o arrependimento, o eleitorado tenderia a ver com naturalidade o eventual apoio de um antigo antagonista às teses adversárias, desde que estas servissem ao propósito do bem comum visado pela guerra.

Era por essa razão que Sun Tzu considerava como prática necessária à vitória a incorporação permanente de inimigos às forças de combate, os quais deveriam ser tratados com respeito por representarem o reconhecimento das alternâncias de estado, ainda que não de natureza, de tudo que tem existência no universo.

Disse Sun Tzu: “se utilizas o inimigo para derrotar ao próprio inimigo, serás poderoso em qualquer lugar aonde fores. A isto se chama vencer o adversário e incrementar, por acréscimo, as forças em ti”.

Criar as condições para a vitória ainda antes que se trave o primeiro embate, nisso reside a arte da guerra.

http://brasilquevai.blogspot.com.br/2012/06/sun-tzu-e-adesao-de-maluf.html

Responder

Marcelo de Matos

25 de junho de 2012 às 11h49

Maquiavelismo, segundo o Aulete Digital, é o sistema de governo proposto por Maquiavel que se baseava na ideia de que a eficácia era mais importante que a moral. Nietzsche ia além: o ser humano luta pelo poder não em razão de alguma moralidade ou imoralidade, mas porque vive, e porque a vida é precisamente vontade de poder. Maquiavel é hoje considerado um filósofo, mas, Lula não é maquiavélico, nem nietzschiano: apenas um ex-sindicalista com muita experiência política. Ele não aprendeu política nos livros e só isso explica o seu pragmatismo. Eu vou além: nosso sistema eleitoral é um mercadão com 30 partidos, todos homologados pelo TSE. Quer maior formalismo jurídico? Fazer alianças é como ir à feira: você pode escolher o que quiser desde que o faça com presteza, senão vai ficar com legumes murchos. Todos os partidos estão habilitados, todos os políticos estão “em condições de jogo”, só a Justiça é competente para fazer defecções ou expurgos. Se o político não foi cassado por seus pares, ou condenado definitivamente pela Justiça, está em plenas condições de participar de qualquer aliança.

Responder

alderijo bonache

24 de junho de 2012 às 22h00

Somente aqueles esquerdistas festivos malham a aliança do PT com o PP de Maluf, pois quem se manter sectário, vai quebrar a cara já no primeiro turno, portanto, a aliança só não satisfaz os imbecis de toda espécie, mesmo porque o PP partido que Maluf faz parte já faz parte da base de sustentação do governo Dilma a nível federal!

Responder

Lula Portugal Jr.

24 de junho de 2012 às 14h19

Me perdoe Miguel, mas essa análise é a mais tosca que li nos últimos dias… reacionária, facista. Analisar o aliança Maluf-Lula apenas do ponto de vista eleitoral é enxergar a política (e sua ética, ..ah, tá isso não existe mais!) a menos de um palmo do nariz. Na verdade, vc não nos diz nenhuma novidade. Sabemos que o que determina a escolha de um ponto de vista num jogo eleitoral numa democracia burguesa são os objetivos pragmáticos visados e não a posse de uma teoria fundada em exigências lógicas ou achados empíricos incontestáveis. Lula-Maluf nada mais fizeram que “redescobrir” o pragmatismo filosófico da cultura norte-americana. Fizeram suas as máximas de William James e Wendell Holmes: onde encontrar uma contradição, faça dela uma oportunidade retirada do seu adversário, faça uma redescrição, a vida, antes de ser lógica, é experimento. No tempo do experimento, vemos a negação da importância da história da modelagem ideológica do que pode ou não ser experimentado. Quer saber: nesse vale tudo para ganhar uma eleição, ainda haverá de valer: compra de voto, troca de voto (por qualquer coisa, não importa) e atentados terroristas (assassinatos pragmáticos, rsrs). E o povão que pragmaticamente você trata aqui como “gado” não terá frescura ideológica. Afinal, ele quer (precisa) de resultados e ponto final, não é mesmo. Farinha pouca, meu pirão primeiro. Foda-se TODO o resto. Foda-se a ética. Eu quero é ganhar!! Eu PRECISO ganhar!!!

Responder

    admin

    24 de junho de 2012 às 14h38

    Lula, não exagera. Não fiz uma análise reacionária ou fascista. Isso seria atribuir ao PT, a Lula e a Haddad a pecha de reacionários e fascistas. Culpe eles, antes de me culpar. Erundina aceitou a aliança com o PP, só saiu depois por causa da foto. Erundina então seria fascista e reacionária do seu ponto-de-vista. Todo o governo Lula, que conta com o apoio do PP de Maluf, há 10 anos, também seria reacionário e fascista.

    Também não exagere falando em compra de votos e atentados terroristas. O que separa as coisas na vida é o equilíbrio. Se eu der um pito em meu filho, estarei educando-o, se eu exagero no pito e o humilho, estarei sendo um crápula, e estarei violentando a psique de uma criança.

    A conquista do poder numa eleição como a de São Paulo é, evidentemente, um guerra duríssima, visto que está em jogo um orçamento maior do que de muitos países. E este orçamento permite a realização de políticas públicas de grande impacto para a vida de milhões de pessoas.

    Suas últimas frases, então, revelam uma visão pobre do que representa a vitória na política. Ela não representa a vitória apenas de um candidato ou de uma pessoa, mas das forças ali representadas, através de um processo de construção política acumulada às vezes por centenas de anos.

    Nesta eleição em São Paulo, há forças antagônicas em disputa. De um lado, as forças populares, representadas por Haddad, que terá apoio – com Maluf e tudo – dos movimentos sociais, dos sindicatos, dos partidos de esquerda; de outro, o candidato conservador, Serra, com seu discurso cada vez mais reacionário, tentando explorar preconceitos religiosos e carregando nas costas a ultra-direita.

    Lula sabe de que lado está, e sabia que Maluf representa uma enorme quantidade de votos, tempo de tv e uma rede de vereadores e cabos eleitorais importantes para vencer a eleiçaõ na cidade.

    Serra, por seu lado, conseguiu já fechar acordo com muitos partidos. Se conseguisse o PP, como quase conseguiu, teria ganho mais pontos, mais tempo de tv, mais vereadores, mais votos.

    Por trás do pragmatismo, estão em luta princípios e ideais, extremamente nobres, os mais nobres do mundo. Numa sociedade onde ainda perdura condições extremamente duras de pobreza, onde a maioria sequer tem acesso à condições culturais para formar uma opinião embasada, e onde inclusive a mídia é inteiramente dominada pelas forças conservadoras, esses princípios precisam, para eles mesmos ganharem um sentido, atingirem o poder.

    Esnobar o significado do poder para a vida dos mais pobres é típico de quem não tem imaginação. De pessoas cuja vida não mudará muito seja um seja outro a ganhar uma eleição. Ganhar é preciso, sim. Em nome do povo mais humilde. Lula sabe disso, já provou isso. Não só Lula, mas todo grande líder político conviveu com os mesmos complexos dilemas, característicos de toda democracia de massa.

    Miguel do Rosário

    Responder

      Lula Portugal Jr.

      24 de junho de 2012 às 15h08

      Miguel me perdoe, tenho profundo respeito pelo seu texto (de coração, digo isso!), mas não vou responder. Diante desse “artefato político” estamos em lados exageradamente opostos. Prefiro passar a tarde deste domingo ouvindo, Never Mind the Bollcks – álbum do Sex Pistols. Seguimos a vida! Melhor assim. Confiamos nos nossos sentimentos! Sem dúvida. Mas não podemos esquecer a razão, tantas vezes inconfessável, de nossas sensibilidades. Abs. Bom Domingo:)

      Responder

        admin

        24 de junho de 2012 às 19h11

        Valeu, Lula. Não creio que estejamos em lados opostos. E evidentemente respeito sua opinião sobre a aliança com Maluf, que é polêmica mesmo. Seria estranho se não houvesse ruído e insatisfação. Os melhores caráteres são contra. Mas eu a procuro entender dentro do contexto de uma luta política de vida e morte do povo brasileira contra seus opressores seculares.

        O que Lula ganhou com isso? Nada. Ao contrário, o homem está com saúde ainda abalada, então o esforço o prejudica. Ele já é rico, e não ganhará um centavo patrocinando uma aliança do PT com Maluf. Também não ganha nada em termos de imagem pública: ao contrário, foi massacrado pela mídia.

        Ao contrário de Erundina, preocupada com sua imagem, Lula se preocupa antes em evitar que o povo humilde de São Paulo seja entregue novamente à sanha reacionária de José Serra.

        A vida de Lula não mudará se Serra ganhar. Ao contrário, ele apostou alto a sua própria imagem, visto que será duramente criticado caso sua aposta malogre.

        Mas se ganhar, e São Paulo ganhar um governante de esquerda, como Haddad, preocupado em fechar parcerias com o governo federal e transformar a cidade num modelo de gestão, como eu espero que aconteça, então haverá mudanças, sim, profundas na vida dos mais pobres paulistanos.

        Além disso, Lula está cuidado do jogo maior, nacional, preparando o terreno para ampliar o espaço políticos das forças populares, o que é evidentemente uma luta eterna, e que continuará sendo extremamente urgente enquanto não superarmos o subdesenvolvimento.

        Maluf foi usado, simplesmente, pelo tempo de TV que possui, e pela força eleitoral de que ainda goza, mas para mim está evidente que não terá influência relevante na administração de São Paulo, ou do Brasil.

        Abraço,
        Miguel

        Responder

          FranciscoD.A.

          25 de junho de 2012 às 12h22

          Problemas para tentas esconder o sol com duas peneiras podres chamadas Lula e Maluf, Miguel?

          Como é mesmo o teu “embasadíssimo” cálculo de que só 0,1% dos PTistas estao pulando do barco?

          Conte-me mais sobre como tentar cobrir os pés e a cabeça com com o curtíssimo cobertor sujo do PT.

Vila Vudu

24 de junho de 2012 às 10h13

Grande Limpinho! Muito bom. E a gente aqui se pergunta: por que o PT-SP não consegue dizer isso à militância em SP?

E o eco responde: porque a militância petista paulista ainda é udenista, porque ainda é ‘informada’ pelos jornais e revistas do Grupo GAFE (Globo-Abril-FSP-Estadão).

Lula, que é Lula, só não foi apeado do poder no dia seguinte à primeira posse porque assinou a Carta aos Brasileiros.

Os petistas paulistas ainda pensam que a revolução é um pic-nic de ‘éticos’. É puro udenismo. Em SP, a UDN golpista continua viva e forte. O povão pode muito, claro. Mas pode sempre menos do que poderia poder, se tivesse partido melhor. Essa luta é longa.

Parabéns, Limpinho, mais uma vez. Venceremos! Não passarão!

Responder

spin

24 de junho de 2012 às 09h06

sem aliança com a direita Lula teria sido apeado do poder em 2005, através de um golpe branco, com pecha de legalidade(com armas por trás para serem usadas se necessáiro), como ocorreu no Paraguai que, deixará de experimentar anos de progresso por causa do golpe. Se Lula tivesse sido derrubado em 2005 não teriamos avançado, pelo contrário, o atraso seria inevitável, que o diga o Paraguai

Responder

admin

24 de junho de 2012 às 01h01

[kaltura-widget entryid=”1_h6whj7y7″ size=”comments” /]

Responder

admin

24 de junho de 2012 às 00h51

Testando a publicação de imagens.

[img]http://www.redebrasilatual.com.br/temas/internacional/2012/06/paraguai-movimentos-sociais-ocupam-capital-em-defesa-de-lugo/image_preview[/img]

Responder

Cláudio Freire

23 de junho de 2012 às 15h45

Miguel, seu blog está ficando cada vez mais importante. Até já ganhou um troll de estimação, esse FranciscoD.A., heim.

Responder

Paulo Athaydes

23 de junho de 2012 às 15h14

Perfeito !
Obrigado Miguel por expressar magnificamente tudo que penso a respeito.
Não dá pra aguentar tamanha “sensibilidade” com alianças e tamanha insensibilidade com os reais problemas da população.
Lula já provou o acerto da sua política tantas vezes e está totalmente correto novamente.
Lula disse uma vez que não é inteligente ser rico e viver cercado de miséria.
Já passou da hora de mudar.
São Paulo é a última fortaleza do atraso.

Responder

oliveira

23 de junho de 2012 às 14h41

Análise impecável, Migué.
É claro que a militancia votará no Haddad. Quando a campanha começar a esquentar e os debates ficarem acalourados( que é o que a militancia se liga) ningeúm vai ligar mais pra esse Maluf, vai se ligar mesmo em vencer o Serra. E como é bom vencer o Serra!

Responder

    admin

    23 de junho de 2012 às 14h47

    Com certeza, duvido que alguém anule o voto nesta eleição. Quando a chapa esquentar, o circo vai pegar fogo e aí o minuto e meio a mais de Haddad vai fazer uma grande diferença. Um minuto e meio pra mostrar as falcatruas do Serra. Haddad pode até usar esse minuto pra fazer um programa intitulado: “Privataria tucana para leigos”.

    Responder

      Elson

      24 de junho de 2012 às 07h38

      O maior adversário do Serra não é Hadad e a Privataria Tucana, é o Alkimim, ele não irá perder a chance de vingar-se pelo vexame de 2007 e ainda enfraquecer politicamente um possível concorrente.

      Responder

Pedro Cruz

23 de junho de 2012 às 12h01

Miguel, muito triste. O contraponto se reduzir a “isso”. É ao que se reduziu a oposição, ressusitar monarquistas, a tfp. Sem idéias, sem propostas,só lhes resta mentir, desconstruir, xingar, deturpar, inventar, a inveja, o ódio e pensar no golpe. Depois, as bestas, não sabem por que estão em extinção.
A analise é muito boa, excelente. Poucos, muito poucos, enxergaram a grande sacada do “CARA”. Longe de querer fazer o “culto à personalidade”, precisamos cuidar do “CARA”,o “NUCA DANTES” é um gênio. Daqueles que aparecem um em cada século. Na defesa do Sarney, descobrir a Dilma, no caso “Gilmar, neste caso do Maluf, dentre muitos. Está muito, muito, à frente de todos. É um gênio, sabe tudo e pensa em tudo, muito rápido. Que bom Tê-lo de volta.Pôrra meu, como será bom derrotarmos a IMPRENSONA em outubro/novembro. Sim, é ela o inimigo a ser batido em outubro/novembro. Principalmente, em São Paulo, temos que derrotar a imprensona.

Responder

Antonio

23 de junho de 2012 às 08h41

Parabéns Miguel por esta e outras análises suas. Contribuem para a lucidez e a busca por caminhos saudáveis.

Infelizmente o seu contraponto é apenas uma mostra das monstruosidades que a tucanagem gestou em São Paulo. Democraticamente vamos, mais cedo ou mais tarde, extirpá-los daqui e abrir a caixa-preta dos crimes que cometem e neles querem perserverar. O tal FranciscoD.A apenas defende sua subsistência, porisso aparenta-se anencéfalo.

Responder

ruy marcondes garcia

23 de junho de 2012 às 07h57

Prezado Miguel,
Deixo o link para um artigo do escritor Marcelo Carneiro da Cunha, publicado no site Sul21, que merece ser lido ou relido:
http://sul21.com.br/jornal/2012/06/maluf-petista-desde-criancinha/
Eu só queria deixar um pitaco, tão ao gosto do ex-presidente Lula:
Estamos desperdiçando a oportunidade de disputar uma eleição jogando de forma tão bonita e contagiante quanto a Seleção de 82, com um trio de craques no ataque: Lula, Dilma e o “idealismo juvenil”.
Decidiu-se jogar na retranca, de forma tão feia e brochante quanto a Seleção de 94, e com um cabeça de bagre no time que não deveria ser escalado em posição alguma e, pior, que pode entregar o jogo.
Um abraço.

Responder

Paulo

23 de junho de 2012 às 00h39

Poucas vezes vi comentário tão lúcido. Parabéns. Mesmo
É o que venho repetindo mas sem ter a mesma eloquência e canal para disseminar.
Apenas agrego que quando começar o horário eleitoral (que é o que vale mesmo, pelo menos em seu início), Haddad terá 1,30 min. a mais ( ou quase 3 se descontados o 1,30 que Serra teria), e Haddad já não será mais um mero desconhecido, pelas mãos de Lula “Sun Tzu” da Silva.
Lugar de virgem é no mosteiro e não no prostíbulo. Preciso dizer mais?

Responder

Pedro Cruz

23 de junho de 2012 às 00h35

Miguel, não deixe esse troll encher o saco. Elimine o cara, é muito chato. Êle deve ter cinco anos de idade, não é possível. A analise é muito boa. Valeu.

Responder

    admin

    23 de junho de 2012 às 00h38

    Deixo não, na verdade eu me divirto. Uma pena que “isso” seja o único contraponto que tenho por aqui…

    Responder

Adriano Matos

22 de junho de 2012 às 23h48

Serra dançou. Ninguém vai esquecer o compromisso furado de permanecer na prefeitura que ele rasgou. As evidencias da “privataria tucana” vão aparecer e, principalmente, o povo percebe que vota contra seus interesses por obra da mídia corrupta que e ré junto com cachoeira.

Vão tarde, lesa pátrias.

Responder

    FranciscoD.A.

    23 de junho de 2012 às 00h01

    Lula deu Aeroportos de presente para seus amigutchos empreiteiros da DELTA/Cachoeira, Odebrecht e Andrade Gutierrez, obriga a Telecom a comprar uma empresa de seu filho ex-catador de fezes de elefantes do Zoo de SP, em pleno Leilao do 3G, Enterrou bilhoes de reais na Delta com o PACI e PAC II abandonados, entregou a PETROBRAS (hoje piada mundial nas Bolsas Internacionais) aos tubaroes da Bolsa de Valores, e é o Serra o Lesa-Pátria?

    Conte-me mais sobre os desvios Milionarios do BNDES para o PT….

    Responder

admin

22 de junho de 2012 às 23h33

Eu fiz um post com dados atualizados do TSE sobre o resultado das eleições em São Paulo nos últimos anos, com estatísticas sobre o desempenho dos principais partidos.

https://www.ocafezinho.com/2012/06/22/performance-dos-principais-partidos-em-sp/

Miguel

Responder

    FranciscoD.A.

    23 de junho de 2012 às 00h07

    Cara, nao passe vergonha à toa.

    Em qualquer malabarismo que vc faça com números, os percentuais do PT em SP sempre foram 35%, que nao elegem nem Monitor de Classe de Ginásio.

    Lula e o MerdaAnd…, digo, Mercadante, foram massacrados em 2010, com esses eternos 35%.

    O PT só teve cacife eleitoral para eleger uma Senadora com os 35%, e olhe la….

    Vc pode replicar cada pagina do PHA, Nassif, Mino Carta e outros vendidos aqui, mas os numeros nao mudam….

    P.S. – Eu iria chamar de “eternos” 35% mas, depois das lambanças do Luizinho Ináçu, esse numero nao se mantém nem a pau. QUER APOSTAR????

    Responder

      admin

      23 de junho de 2012 às 00h23

      Tá bom, Francisco. Você tá certo. São Paulo será sempre dos tucanos. Toma seus remedinhos e vai dormir tranquilo.

      Responder

Elson

22 de junho de 2012 às 22h51

No final oque contará para o eleitor paulista é um candidato que cumpra suas promessas, as do Serra o povo tá cansado de saber que ele não cumpre, e o Serra tem que atravessar o Tietê carregando o peso morto chamado Kassab, sua cria política. Será que os Tucanos de São Paulo vão esconder o Kassab a exemplo do que fizeram com FHC?
Pelo visto, por mais que a mídia amiga tente dourar a pílula será muito difícil esconder do eleitor o desastre que foi o Serra na prefeitura e o que poderá vir a ser seu retorno ao poder.

Responder

FranciscoD.A.

22 de junho de 2012 às 21h24

Miguelito:

Quer dizer entao, que seguir a Constituiçao e as Leis, se for contra os Cumpanhêrus, é Golpe?

Esse Zé Dirceu é patético… ( Ele podia me pagar , ja que eu sou o unico que comento naquele cemitério que é o Blog dele)

http://www.zedirceu.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=15624&Itemid=2

Responder

rildoferreiradossantos@gmail.com

22 de junho de 2012 às 18h56

Eu não teria nenhum problema em “conviver virtualmente” com um fã do Reinaldo Azevedo, mas eles sempre jogam o discurso pra baixo; ou seja, se você se nivela, ele ganha sempre pela experiência que tem em jogar baixo.
Eu vivo no RJ e tenho uma leitura circunstanciais próximas desta que faz Miguel e pelo desespero e gritos que surgiram com tal aliança, isso depois que o próprio Serra tentou concretiza-la em favor de si, me leva a concluir que a estratégia, se foi estratégia, foi acertada.

Responder

    FranciscoD.A.

    22 de junho de 2012 às 21h15

    Percebe-se que vc nao é paulista, por nao conseguir quantificar o TAMANHO do tiro no pé do Luizinho Ináçu, que, na obsessão de por a mão nos ricos cofres de SP para dividir com seua afilhados mensaleiros, se aliaria a HITLER , e negaria o Holocausto.

    Parece que nao aprende. A vida toda foi surrado aqui, mas adora apanhar.

    Se nem em sua época áurea conseguiu por o MerdaAnd…, quero dizer, o Mercadante, o que dirá agora, enterrado em Escândalos de Mensalão, Aloprados do Genoíno, coação sobre o STF..

    Só espero que ele, assim como Zé Dirceu anda planejando, nao fuja para a Venezuela e encare como Homem (acho difícil)…

    39 dias para 1o de agosto. E contando…

    Responder

Márccio Campos

22 de junho de 2012 às 18h28

Prezados,

lamento informá-los, mas o PHA já matou a charada!!

lembrou de Churchill, que vaticinou assim:

“Se Hitler invadisse o Inferno, eu cogitaria de uma aliança com o Demônio”

vocês podem deliberar à vontade sobre “quem-é-quem” na diáspora; mas uma coisa está claramente certa e firme:

o “inferno” da vez é Sampa!!!

pano rápido!!!

sds,
Márccio Campos
rio de janeiro

Responder

Ivonete

22 de junho de 2012 às 17h05

Lula parece um exorcista, sempre sabe onde o diabo está escondido.

Responder

    FranciscoD.A.

    22 de junho de 2012 às 21h57

    Inclusive esteve nos Jardins de um , esta semana, para beija-lo e abraça-lo….

    Responder

      Ivonete

      22 de junho de 2012 às 23h37

      Lula não baixou a cabeça nem para o poderoso Bush. Portanto aparecer numa foto com Maluf só se explica, com argumentos que o autor do texto desenvolveu. De resto o que se vê é passionalidade de uns que terão que carregar um fardo feito Maluf, e outros, com certeza eleitores do ex-governador, e que gostariam de vê-lo ao lado do Serra. Não é mesmo?

      Responder

        Anônimo

        22 de junho de 2012 às 23h43

        Vai ser lindo ver Maluf sendo a estrela dos 90 segundos, com sua musiquinha em off, falando asneiras e destruindo o ja morto BanaHanad associado à estrelinha do PT…

        Responder

FranciscoD.A.

22 de junho de 2012 às 15h38

Concluindo:

Os truques de circo nao resistem à Matematica básica:

Pegando os numeros do gráfico das eleiçoes de 2008.

Total de votos (em milhares)= 6270
Total de votos no PT = 2088

% total = 32,7%.

É isso, sempre foi isso, sempre será isso o % de eleitores do PT em SP, a taxa de rejeiçao do Serra.

O PT, digo sempre, nao elege ninguem em SP. Desistam.

Responder

    FranciscoD.A.

    22 de junho de 2012 às 15h43

    Luizinho Ináçu, no seu auge, em 2010, nao conseguiu dar mais de 35% dos votos ao MerdaAnd, quero dizer, Mercadante, em SP (exatos 35,23%, sem considerar os ausentes que nao quiseram votar, o que jogaria este numero bem para baixo).

    Imagine agora, abraçado ao Maluf…

    Responder

    admin

    22 de junho de 2012 às 15h47

    Pode ser, Francisco. Aguardemos.

    Responder

    Jacques Chaban

    22 de junho de 2012 às 17h34

    Enquanto for assim: O PT, digo sempre, nao elege ninguem em SP. Desistam. Oa paulistanos é quem pagam o pato, por ser eternamente governadas por vagabundos. No âmbito Minicipal e Estadual. Sinceramente, não vejo glória nisso. Como disse o Miguel sobre o Maluf “O eleitor mais humilde, que vota no Maluf por algum tipo de misteriosa afinidade”, o mesmo eu digo do PSDB. Mas esse povão desperta um dia, apesar dessa imprenssa vagabunda, que acabará derrotada.

    Responder

      FranciscoD.A.

      22 de junho de 2012 às 21h08

      A Inveja de quem gostaria de viver em SP , e, principalmente, na Suécia Tropical Brasileira, a.k.a., Interior de Sao Paulo, nao tem fim.

      Mas desistam, os Paulistas e Paulistanos JAMAIS darão a chave de seus cofres aos Mensaleiros do PT.

      39 dias para 1o de agosto. E contando…

      Responder

        Gabriel Braga

        22 de junho de 2012 às 21h33

        Inveja de quem mora em São Paulo??
        Rapaz,sua cegueira ideológica é pior do que eu imaginava.
        A gente vê todo dia,pelas lentes da própria imprensa amiga do PSDB,o “paraíso” que é São Paulo.
        Engarrafamentos intermináveis,enchentes diárias no verão,transportes públicos que não funcionam,insegurança crescente..Sua noção de paraíso é muito peculiar.
        Mas os tucanos,no poder desde 1994,não tem nenhuma responsabilidade sobre esses problemas não é mesmo?

        Responder

        Elson

        24 de junho de 2012 às 07h26

        Inveja de quem mora em São Paulo tem os criminosos do Rio de Janeiro que foram expulsos do morros e os seus líderes presos em outros estados. Aqui no Estado de São Paulo a bandidagem faz o Governador se borrar todo a ponto de pedir arrego. Os criminosos estão empreendendo uma caçada aos PMs e o Governador do Estado que é tucano finge que o problema não é seu.

        Responder

        André Guitar

        25 de junho de 2012 às 15h01

        KKKKKKK, inveja de quem mora em São Paulo, só pode ser brincadeira se acham o umbigo do mundo, parece que não acompanha notícias, ah é verdade aí em São Paulo vcs não vêem, pois a mídia encobre, P.C.C agindo novamente mais de 10 policiais executados no último mês, custo de vida disparou nos últimos 10 anos( escolas, plano de saúde, segurança privada,aluguel,etc) ôôô miopia danada, Maluf perto do Serra é coroinha da igreja, rrss, média de 1 km de mêtro por ano dessa administração PSDB, rrss que invetimento hein, trânsito mais do que caótico, povo refém do crime organizado, educação muito mal avaliada no âmbito geral, sendo que é o estado mais rico,é muita inveja mesmo amigão caolho.

        Responder

Saru

22 de junho de 2012 às 15h17

Desculpe Rubens, mas os paulistas criticam a aliança, mas votam no Maluf.

Responder

    FranciscoD.A.

    22 de junho de 2012 às 15h27

    Saru:
    Alguns nao sabem, mas bairros de SP tem 300 mil, 400 mil, ate 700 mil pessoas, como o Butantã…

    200 mil votos é coisa de reduto, e que, a cada eleiçao, diminui vertiginosamente, em relacao ao MALUF.

    Nao se iluda com a absorçao desses votos, principalmente porque, no reduto libanês de Maluf, eles nao sao nada receptivos com Comunistas. Principalmente Pseudo Comunistas.

    Espere outubro para ver o que eu falo…

    Responder

FranciscoD.A.

22 de junho de 2012 às 15h15

Como se falava no meu antigo tempo de Auditor:

Que continha “de chegada” hein Miguelito?

Nenhuma subtração aos milhares de PTistas desiludidos que pululam pela REDE, abandonando o barco?

Nenhuma subtração considerando a vergonha na cara dos Eleitores do PT e Erundina?

Como diz o Reynaldo Azevedo, vc pode dar o Duplo Salto Mortal Carpado de Costas que quiser. No fim das contas, Luizinhu Ináçu é hoje o principal Goleador da Oposição.
E ainda faltam 39 dias para o Julgamento dos Mensaleiros começar…

Esqueça, o PT em SP é como o cara do Aerotrem: Concorrerá sempre, nao ganhará nunca.

Responder

    admin

    22 de junho de 2012 às 15h23

    Esses desiludidos representam 0,1%.

    Responder

      FranciscoD.A.

      22 de junho de 2012 às 15h28

      Vide minha resposta abaixo, Miguelito….

      Responder

    J Fernando

    22 de junho de 2012 às 17h13

    Atenção com os tais milhares de petistas que abandonam o barco, porque muitos deles são petistas da blogosfera, e como eu, NÃO VOTAM em São Paulo (eu sou mineiro).

    EU não gostei da foto, nem da aliança, embora compreenda ser necessária, mas se eu morasse em SP não votaria em outro candidato por causa disso. Votaria no Haddad. Infelizmente, aqui em BH não temos candidato próprio do PT, o PT é vice do PSB, o mesmo partido da Erundina.

    Eu não concordo que o Miguel dê tanto espaço a um porta voz do Reinaldo Azevedo. Você vai lá no blog do carlinhos cachoeira, quero dizer, R.A. e vem aqui ditar as afirmações dele. No final, o Miguel está debatendo com o R.A. e não com você, pois suas opiniões são todas embasadas pela leitura do R.A. antes de comentar aqui.

    Responder

      FranciscoD.A.

      22 de junho de 2012 às 21h27

      Vindo de quem repete Mantras Repetitivos de vendidos profissionais como PHA e Mino “Amante de Generais “Carta, obrigado por me ombrar aos bons…

      Responder

        oliveira

        23 de junho de 2012 às 14h37

        ‘obrigado por me ombrar aos bons…’
        Cara, foi muito bom isso.. Saíste do site do professor Ariovaldo?

        Responder

          Elson

          24 de junho de 2012 às 07h16

          Esse saiu do site do Reinaldo Azevedo ou do Serra mesmo.


Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina