Analista da Ideia fala sobre “voto útil” dos eleitores de Ciro a Lula no 1° turno

Rejeição a Serra entre jovens perto de 50%

Por Miguel do Rosário

21 de agosto de 2012 : 14h28

[s2If !current_user_can(access_s2member_level1) OR current_user_can(access_s2member_level1)]

O Datafolha acaba de divulgar a íntegra de seu relatório sobre as eleições em São Paulo. Neste post, fazemos uma análise detalhada e editamos e simplificamos alguns gráficos.

Essa é a última pesquisa antes da propaganda eleitoral, depois do que, segundo a totalidade dos analistas, a correlação de forças deve mudar completamente em São Paulo.

Ao cabo, Serra e Haddad ficaram com o mesmo tempo de TV: 7 minutos e 39 segundos, com 15 inserções diárias cada um.

Mauro Paulino, diretor do Datafolha, elenca alguns fatores que explicam o baixo desempenho de Fernando Haddad, candidato do PT, e que, ao mesmo tempo, sinalizam potencial de crescimento de sua candidatura:

  1. Boa parte dos eleitores ainda não conhece Haddad.
  2. Entre os que conhecem Haddad, sua intenção de voto cresce para 20%, mesma de Russomano; tucano aparece aí com 27%.
  3. Entre os que não conhecem Haddad, estão os com menos renda e escolaridade, mas que afirmam  que pretendem acompanhar o horário eleitoral. A força de Lula deve fazer diferença nesse segmento, tanto por Lula como pela rejeição à Serra.

Vamos às tabelas e gráficos da pesquisa. Para os não assinantes, adianto apenas que a rejeição à Serra entre os jovens, beira os 50%. Para ser preciso, ficou em 47% entre jovens até 24 anos.

[/s2If]
[s2If !current_user_can(access_s2member_level1)]
Para continuar a ler, você precisa fazer seu login como assinante (no alto à direita). Confira aqui como assinar o blog O Cafezinho.[/s2If]

[s2If current_user_can(access_s2member_level1)]

 

Uma das “leis” de pesquisa eleitoral que eu descobri, na prática, é que o voto masculino antecipa a votação geral. A mulher demora um pouco mais a escolher seu candidato, mas a tendência é seguir o voto de sua categoria sócio-econômica, de maneira que o seu voto acaba se ajustando ao que o voto masculino já sinalizava.

Claro que tudo vai mudar a partir da propaganda na TV, e a mudança irá beneficiar, naturalmente, que possui mais tempo disponível, ou seja, Serra e Haddad. Como Serra já é amplamente conhecido, imagina-se que sua candidatura tenha atingido um teto eleitoral.

A novidade é Fernando Haddad, que será apresentado, pela primeira vez, a um grande contingente populacional, sobretudo as faixas mais pobres da sociedade paulistana.

Entre os homens, Serra amarga um segundo lugar com 24%, contra 32% de Russomano. Haddad tem 11%.

 

 

Na tabela acima, vemos um corte classista muito forte. O eixo do eleitorado serrista gira em torno dos mais ricos, onde ele dispõe de 42% das intenções de voto.

A tabela abaixo, de rejeição, traz números impressionantes.

 

 

A rejeição de Serra está se tornando o fator mais importante na eleição de São Paulo. Entre homens (que antecipam, como já expliquei, a votação geral), sua rejeição atingiu 41%. Entre jovens até 24 anos, ela bate em incríveis 47%. Já entre aqueles com entre 25 a 34 anos, a rejeição ao tucano ficou em 44%.

Quem salva Serra são os eleitores com mais de 60 anos, onde sua rejeição cai para 26%.

[/s2If]

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Mauricio

23 de agosto de 2012 às 09h42

E olha que o Paulo Preto ainda nem falou na CPMI… O Serra largou o companheiro ferido na estrada em 2010 e agora vai levar o troco. Serra tá mesmo é lascado.

Responder

Elson

22 de agosto de 2012 às 06h14

Caro Miguelito, as eleições são uma caixinha de surpresas, agora é que o bicho vai pegar. Quem não se lembra do “poste”, que foi candidata em 2010 e, os gurus da ciência política diziam que não atingiria os 10 °/° de votos? Pois é, foi eleita presidenta.

É impressionante como a juventude se antipatiza com o Serra, isso é efeito da novas mídias, os jovens tem acesso as informações que seus pais desconhecem, como as pilantragens da direita demotucana e sua mídia. Eu ainda me lembro bem daquele tempo, quando o FMI vinha ao Brasil nos dizer oque deveríamos fazer, como nos sentíamos uma nação fadada ao fracasso, como éramos estimulados a aceitar uma vida medíocre. O Brasil mudou e a senzala percebeu isso, e quando os jovens olham para o Serra, eles vêem o retrocesso.

Responder

Deixe um comentário

Novo Presidente da PETROBRAS defende preços altos Cadê o churrasco do povo, Bolsonaro? Preço explodiu! Conservadores? A atual juventude brasileira O Indulto sem Graça de Bolsonaro Os Principais Eleitores de Lula Os Principais Eleitores de Ciro Gomes Os Principais Eleitores de Bolsonaro Janela Partidária 2022: Quem ganhou, quem perdeu? Caro? Gasolina, Gás e Diesel: A atual política de preços da Petrobrás As Maiores Enchentes do Brasil