Analista da Ideia fala sobre “voto útil” dos eleitores de Ciro a Lula no 1° turno

São Paulo, cidade partida

Por Miguel do Rosário

29 de agosto de 2012 : 15h16

[s2If !current_user_can(access_s2member_level1) OR current_user_can(access_s2member_level1)]

(Link da foto: G1)

O Datafolha disponibilizou há pouco a íntegra da pesquisa de intenção de voto para a prefeitura de São Paulo por região da cidade. Fiz uma análise dos números e tive uma ideia: fazer uma comparação das tendências políticas da área mais pobre e mais rica de São Paulo, a saber, regiões sul 2  (extremo sul) e região oeste.

[/s2If]
[s2If !current_user_can(access_s2member_level1)]
Para continuar a ler, você precisa fazer seu login como assinante (no alto à direita). Confira aqui como assinar o blog O Cafezinho.[/s2If]

[s2If current_user_can(access_s2member_level1)]

Confira o mapa para se situar (clique nele se quiser ampliar):

 

 

Nesta outra tabela, temos um perfil da mostra que traz algumas características de cada região que valem a pena salientar.

Há algumas diferenças marcantes:

  1. A zona sul 2 tem um eleitorado mais jovem.
  2. O PT é o partido preferido de 26% na zona sul 2, contra 19% na zona oeste. PSDB tem 8% de preferência no extremo sul, contra 14% na região oeste.
  3. 58% dos eleitores da zona oeste são católicos, e 10% evangélicos. Na zona sul 2, temos 53% de católicos e 21% evangélicos.
Agora vejamos a intenção de voto propriamente dita. Sempre comparando as regiões sul 2 e oeste.

Observe como a votação de Serra é extremamente concentrada na região oeste, onde ficam os bairros ricos (Jardins, Morumbi, Pinheiros):

 

Serra tem 44% das intenções de voto na região oeste, contra somente 18% na Sul 2. Russomano mantém uma liderança isolada nessa área, com 35%. Na oeste, Russomano tem apenas 16%.

Agora vejamos a rejeição de cada candidato. O quadro é bem coerente com os números anteriores.

 

Repare que Serra tem rejeição de 48% na região sul 2. Como se trata da região mais pobre de São Paulo, o quadro revela o qual perigoso, para a harmonia social de uma cidade profundamente desigual, que o tucano ganhasse as eleições.

[/s2If]

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Elson

29 de agosto de 2012 às 15h31

A grande rejeição de serra nas regiões mais pobres da cidade só mostra o quanto sofre os mais pobres da cidade. Afinal que mora nos bairros mais pobres dependem mais dos serviços públicos e que estes 8 anos de Serra/Kassab tornaram-se mais precários.

Responder

@migueldorosario

29 de agosto de 2012 às 15h16

São Paulo, cidade partida http://t.co/p4JGyNVN

Responder

Deixe um comentário

Novo Presidente da PETROBRAS defende preços altos Cadê o churrasco do povo, Bolsonaro? Preço explodiu! Conservadores? A atual juventude brasileira O Indulto sem Graça de Bolsonaro Os Principais Eleitores de Lula Os Principais Eleitores de Ciro Gomes Os Principais Eleitores de Bolsonaro Janela Partidária 2022: Quem ganhou, quem perdeu? Caro? Gasolina, Gás e Diesel: A atual política de preços da Petrobrás As Maiores Enchentes do Brasil