Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Haddad se distancia de Serra entre jovens

Por Miguel do Rosário

11 de setembro de 2012 : 15h28

[s2If !current_user_can(access_s2member_level1) OR current_user_can(access_s2member_level1)]

 

A pesquisa já é um pouco antiga, foi feita entre os dias 28 a 30 de agosto. Mas o relatório completo só foi divulgado agora. Selecionei e editei algumas tabelas, depois das quais faço alguns comentários.

[/s2If]
[s2If !current_user_can(access_s2member_level1)]
Para continuar a ler, você precisa fazer seu login como assinante (no alto à direita). Confira aqui como assinar o blog O Cafezinho.[/s2If]

[s2If current_user_can(access_s2member_level1)]

Comecemos pela espontânea:

32% das mulheres não sabiam em que votar, contra apenas 19% dos homens.

 

Observações:

  1. Serra ganha de Haddad apenas entre mais velhos. Entre jovens até 24 anos, Haddad empata com Russomano (19% X 20%) e fica 8 pontos à frente de Serra (11%).
  2. Entre jovens entre 25 a 29 anos, Haddad toma dianteira igualmente de oito pontos sobre Serra (22% X 14%). É o principal eleitorado do petista.
  3. O eleitorado com mais de 50 anos é o mais importante (em termos quantitativos). É aí que Serra tem mais força e onde Haddad ainda patina, com apenas 7%.
  4. Na pesquisa por nível de escolaridade, Serra só ganha entre quem possui diploma de ensino superior completo. O melhor posicionamento de Haddad está entre eleitores até 8ª séria do ensino fundamental, onde ele marca 17%.
Agora vamos comparar as avaliações dos governantes: Dilma, Alckmin e Kassab:

Somando Ótimo e Bom, Dilma tem 53% no geral. Entre a faixa de renda mais numerosa, que ganha entre 2 a 5 salários, Ótimo/Bom de Dilma totalizou 50%. Dilma é muito forte entre os pobres.

Alckmin tem um total de 40% de Ótimo e Bom. Entre os que ganham entre 2 a 5 salários, Alckmin tem 38%. Alckmin é mais fraco entre os pobres.

A avaliação de Kassab é desastrosa, em todas as faixas de renda.

Interessante ver o perfil classista de cada legenda. Entre quem ganha até 1 salário, por exemplo, PT tem 39% de preferência, PSDB 2%. Entre os mais ricos (mais de 5 salários), PT marcou 18% de preferência, PSDB 17%.

Entre os partidos menores de esquerda, PCdoB é o único que pontua entre os mais pobres: tem 1% entre quem ganha de 1 a 2 salários; e 2% entre quem ganha até 1 salário.

[/s2If]

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

alex

12 de setembro de 2012 às 18h27

ESSE LULA É PHODA!
“ô Dilma, aperta! ela apertou. E gostou” ….

(trechos do discurso)

Devolvido ao convívio com o microfone, seu melhor afrodisíaco, Lula exibiu a intenção de produzir no gogó a polarização que o pedaço do eleitorado pró-Russomanno lhe sonegou. Em discurso transmitido ao vivo pela internet, dirigiu-se a cerca de 3 mil militantes sindicais nesta terça (11).

Foi sua estréia em atos públicos da campanha paulistana. Lula concentrou-se em Serra. Foi mimetizado por Haddad, que falou depois dele.

Em certos momentos, Lula carregou no veneno. “A palavra gestor é muito usada pelos tucanos”, disse a alturas tantas. “Eu nem bem entedida o que diabo era isso. Aí eu fiquei sabendo que era o cara que sabia administrar. Apareceu o choque de gestão. Eu disse: puxa vida, vai voltar a tortura no Brasil? Choque?!?”

Lula disse ter descoberto que o “choque” do PSDB também envolve suplícios: demissão, redução de salários, descaso com os mais pobres. Pôs-se, então, a realçar as “diferenças” entre a Era FHC e seus dois reinados. Apostou, segundo disse, noutro tipo de “eficiência”: a “competência administrativa” a serviço do ser humano.

Foi com “esse espírito”, segundo disse, que optou por convencer o PT a aceitar Haddad como candidato. “Não pensem que foi uma tarefa fácil”, realçou. “Muita gente dizia pra mim: ‘ô, Lula, o Fernando Haddad nem cumprimenta a gente’.

E eu respondia: é porque ele tem vergonha, ele é tímido, não está habituado. A Dilma também era assim. Ela abraçava as pessoas de um jeito que eu dizia: ô, Dilma, aperta! Ela apertou. E gostou.” Haddad fará o mesmo, prometeu.

fonte: http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/

Responder

Elson ( o original )

12 de setembro de 2012 às 05h52

A juventude se identifica com Hadad graças as suas realizações a frente do Mec, que fez um grande esforço para universalizar o ensino superior, criando o Enem e O Prouni. Bem diferente dos governos tucanos em São Paulo, que além de nada fazerem, ainda se negam a adotar cotas em suas universidades.

Responder

Elson (Troll otário que rouba nomes de comentaristas)

11 de setembro de 2012 às 19h47

Ei , Miguel:

(censurado – papo de trol otário)

Responder

Elson (Troll otário que rouba nomes de comentaristas)

11 de setembro de 2012 às 19h44

HADDAD e sua pornografia Infantil, algunhada de Kit Gay…

Eis alguns trechos de “Mamãe, como eu nasci?”, que está na lista de livros do MEC, aprovado pelos aloprados que estavam sob o comando deste impressionante Fernando Haddad. Segundo o Ministério da Educação, é recomendado para alunos na faixa dos 10 anos:

[censurado, papo de troll otário]

Responder

@migueldorosario

11 de setembro de 2012 às 15h28

Haddad se distancia de Serra entre jovens http://t.co/3TzjWvxs

Responder

Deixe um comentário