O depoimento de Lula à juíza Gabriela Hardt

Paranoia? CIA financiou black blocs na Líbia, Síria e agora Ucrânia

Por Miguel do Rosário

28 de janeiro de 2014 : 01h32

Amigos, eu odeio teorias de conspiração. Assim como odeio fantasmas e bruxas. Mas é como diz o velho ditado espanhol, no creo en brujas, mas que los hay, los hay. Não posso deixar de publicar o texto abaixo, do persistente e valoroso blog do Castor Filho. Paranoia ou não, temos de ficar de olhos abertos. Os EUA deram tantos golpes no passado, incluindo o Brasil, e o fizeram de tantas maneiras diferentes, que não temos mais o direito de ser bobos.

Líbia, Síria e agora Ucrânia – Revolução Colorida à força

No blog  Moon of Alabama, 27/1/2014

“Libya, Syria And Now Ukraine – Color Revolution By Force”

No blog Castorphoto. Traduzido pelo pessoal da Vila Vudu

arabspring-ukraine

Roupas usadas pelos “Black bloc” e recomendadas por organização financiada pela CIA. (Clique na imagem para aumentar)

As mesmas forças que instigaram manifestações em 2011 na Síria agora instigam as mesmas manifestações na Ucrânia. Isso, pelo menos, o que se conclui do fato de que os mesmos impressos e desenhos são usados para treinar manifestantes “decididos”, dispostos a enfrentar tudo e todos.

Que outra explicação haveria para os dois panfletos que se veem na imagem aqui incluída, um escrito em árabe, o outro em letras cirílicas?

As manifestações e a ocupação de prédios do governo, ações nos dois casos ilegais, são igualmente brutais; como são ilegais e brutais os ataques criminosos contra policiais e outras forças do estado. Na Síria, a parte “muscular” da violência ficou a cargo de jihadistas pagos por interessados estrangeiros; na Ucrânia, foram usadas gangues de neonazistas.

As manifestações e os ataques contra o estado ucraniano são planejados e andam juntos. Nada há de “pacífico” nas manifestações de rua em Kiev.

As manifestações de rua são só fachada, espécie de ação de Relações Públicas, para encobrir o ataque contra o estado ucraniano. E políticos e agentes da empresa-imprensa imediatamente se puseram a manifestar “preocupações” e a ver “grave ameaça” nas respostas absolutamente legais e normais que o estado ucraniano deu àquelas manifestações nada pacíficas. Lixo e mais lixo: tudo está sendo feito para mascarar o apoio ocidental aos manifestantes nacionalistas neonazistas e para gerar cada vez mais violência.

Neonazistas ucranianos paramentados conforme recomendado pela CIA aos "Black bloc"

Neonazistas ucranianos paramentados conforme recomendado pela CIA aos “Black bloc”

O objetivo é “mudança de regime”: mudar regimes de governos legítimos, por regimes de governos de alguns pequenos grupos. No caso de o regime legítimo resistir, o “plano B” é destruir o estado e toda a sociedade. Sobre isso, ninguém manifesta “preocupação” alguma, nem ninguém vê aí qualquer “grave ameaça”.

Vários veículos da imprensa-empresa alemã repetiram hoje essa mesma conversa sobre “manifestações pacíficas”, e nem uma palavra sobre os policiais que, em Kiev, estão sendo agredidos com coquetéis Molotov.

O que está acontecendo é absolutamente claro, e a imprensa-empresa faz o mesmo jogo dos políticos, dos militares e dos serviços secretos que estão agindo por trás dessas “revoluções”.

As velhas “revoluções coloridas” já se tornaram óbvias demais, e o modelo perdeu a serventia. O conceito então foi expandido: passou a usar amplamente a força, com mercenários armados e apoio externo para esses mercenários, com armas, munição, treinamento e outros meios.

Depois da Líbia, onde forças gadaffistas ainda resistem, a Síria foi destruída e, agora, o alvo é a Ucrânia. Provavelmente há listas de outros países a serem atacados por esses mesmos meios e planos. O que está realmente por trás das manifestações do parque-Gezi na Turquia? E por trás dos protestos em Bangkok? Há potências estrangeiras também por trás desses protestos? Ou não passam de macaqueação, por grupos locais, do que aprendem pela televisão e jornais? E onde entra o Egito, nisso tudo?

E qual a melhor defesa legítima que um governo pode construir para resistir?

E como devem os governos reagir contra esse tipo de ataque-intervenção?

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

30 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

José Braz

01 de maio de 2017 às 19h24

#28/04 RJ eu estava lá
A polícia deu início à todo o tipo de agressão possível contra pessoas que apenas estavam se agregando para protestar contra as reformas dá previdência e trabalhista, principalmente.
Contra a agressão houve a reação.
Então, discordo em concordar absolutamente com todo o texto acima exposto.
Temos de ficar atentos.
Pensar e planejar nossos atos.
Mas nunca aceitar totalmente o que nos é imposto.

Responder

davi

31 de dezembro de 2014 às 20h50

Tudo mentira. Conversa de comunista pra cercear a liberdade dr expressão. Aqui e o seguinte comunista implantados pra semear onvrrdades e asdim arranjar um jeito de dar o golpe comunista no brasil. Este artigo se ptesta aos vermelhos os msiores assassinos da história.

Responder

    Miguel do Rosário

    31 de dezembro de 2014 às 22h43

    Hã? Golpe comunista onde?

    Responder

Miguel do Rosário

07 de fevereiro de 2014 às 18h02

Comentário da Sandra Helena:

Sobre seu Post Paranoia?CIA financiou black blocs na Líbia, Síria e agora Ucrânia, comento o seguinte:

Acho que eles usam o Facebook para dar os golpes de estado e derrubar governos, tanto em democracias quanto em ditaduras.
Eles mobilizam as populações por meio do Face e do Twitter e a senha é um movimento apartidário que ninguém sabe quem e de onde começa.
A tramoia é usar ou provocar inicialmente qualquer movimento social e subverter a coisa politicamente contra os governos no decorrer do processo.
Por exemplo:nas democracias, o processo golpista começa com uma pauta de esquerda e no final ela acaba sendo de direita, e o que é pior, no final, resulta na pauta da extrema direita. Compreende?
Por razões óbvias, nas ditaduras o processo é mais fácil ainda..É mamão com mel.
Tudo é anônimo.Ninguém tem nome no babado. Aliás, curiosamente o nome de hackers que fomentam e ditam agendas no You Tube a uma certa altura dos golpes, é Anonymous.
Me parece que o Face é uma arma cibernética e integra o esquema de espionagem americana ao cidadão comum em todo mundo.
O criador e dono do Face já foi acusado de ser ex-agente da CIA e por acaso é judeu.
O troço todo começou com a Primavera Árabe.
Acho que não só a CIA, mas tb o Mossad de Israel está por atrás do lance porque ambos tinham interesse na derrubada de todos os governos derrotados. Israel e EUA são unha e carne.Parecem estados irmãos.
A Ucrânia, a CIA parece querer tirá-la da órbita da Rússia usando a União Europeia.
Mas me acredite: Se for golpe, – e eu acho que é – cedo ou tarde ele virá a tona mundialmente.
Nada é para sempre.
Algo me diz que sociólogos do mundo inteiro vão ficar muito decepcionados com suas teses sobre o Fenômeno Primavera Árabe.
Ledo engano.

Abs,

Sandra

Responder

Mauro Silva

01 de fevereiro de 2014 às 10h09

Caro Miguel
Como previsível, depois da Rússia declarar, com todas as letras, que uma guerra contra a Síria se alastraria por todo Oriente Médio, o ‘ataque’ ianque, “já decidido”, segundo a mídia golpista, se desfez como a relva em manhã ensolarada. Afinal, uma guerra que se estenda a todo o Oriente Médio, inclui, necessariamente, Israel e, por óbvio, a própria Rússia, e aí a conversa muda radicalmente: o “exército mais poderoso do mundo” passou a buscar “soluções diplomáticas para o impasse”, segundo aquela mesma mídia golpista.
Acontecerá o mesmo na Ucrânia/Rússia, mas o governo ucraniano, neste caso, nem participará de qualquer “mesa de negociação” com esses “pseudo-manifestantes”. Talvez sente-se com a União Europeia/Alemanha para “negociar” as novas tarifas pelo uso dos gasodutos que atravessam seu território.
O urso, acordado, levantou-se!

Responder

Rique

29 de janeiro de 2014 às 20h23

Este assunto já é tão antigo mas vemos que muitos ainda tem dúvidas sobre o financiamento, treinamento e incentivo dos protestos violentos que usam, tanto nazistas quanto envolvem desinformados em geral. O Viomundo já mostrou vídeo sobre a atuação deles em julho/2013.
http://www.viomundo.com.br/denuncias/otpor-exportando-a-revolucao-desde-belgrado.html

Responder

Marina Kumon

29 de janeiro de 2014 às 15h07

Teoria da conspiração ou não há muitos fatos que corroboram para essa possível infiltração da CIA nas manifestações contra a Copa.Para começar os encabeçadores desses protestos estão vinculados a ONG Justiça Global que, por sua vez, foi criado por um norte americano e mais de 90% dos recursos que recebe são internacionais.Qual é o interesse que uma Ong que se diz defensora dos direitos humanos, criada por um norte americano,em convocar manifestações contra a COPA? Será que eles acreditam que ao promover baderna durante a Copa e detonar a imagem do Brasil no exterior é defender os direitos humanos? Por que só agora, as vésperas da Copa , resolveram convocar protestos contra os gastos da Copa? Por que não o fizeram quando o Brasil ainda pleiteava abrigar a Copa?

Responder

29 de janeiro de 2014 às 13h20

CIA financiou black blocs na Líbia, Síria e agora Ucrânia.

Quem é o próximo?

Lista de países que uncle sam e seus soldados invadiram desde a segunda guerra:

China 1945-46

Korea 1950-53

China 1950-53;

Guatemala 1954;

Indonesia 1958;

Cuba 1959-60;

Guatemala 1960;

Belgian Congo 1964;

Guatemala 1964;

Dominican Republic 1965-66;

Peru 1965;

Laos 1964-73;

Vietnam 1961-73;

Cambodia 1969-70;

Guatemala 1967-69;

Lebanon 1982-84;

Grenada 1983-84;

Libya 1986;

El Salvador 1981-92;

Nicaragua 1981-90;

Iran 1987-88;

Libya 1989;

Panama 1989-90;

Iraq 1991;

Kuwait 1991;

Somalia 1992-94;

Bosnia 1995;

Iran 1998;

Sudan 1998;

Afghanistan 1998;

Yugoslavia – Serbia 1999;

Afghanistan 2001;

Libya 2011;

Liliane ayalde é a nova chefe da cia no Brasil.

Responder

Se sonega imposto, não me peça dinheiro

29 de janeiro de 2014 às 13h16

Tanto não é paranoia que no Brasil estamos vendo o povão atacar os Black Blocs e isso foi até filmado, porém, não é divulgado na grande mídia, pois com certeza são financiados por ela.

Responder

Otrebor Roberto

28 de janeiro de 2014 às 22h42

Saiu matéria no Le Monde sobre os Black Blocs na França numa marcha de extrema-direita (neonazis), os BBs na Europa estão ligados à extrema-direita, só no Brasil que os coxinhas de esquerda divinizaram esses caras pra atacar por sectarismo o governo. Não tem diálogo com Black Bloc (fascistas).

Responder

Maria Meneses

28 de janeiro de 2014 às 21h25

Paranoia uma pinoia e desculpem a rima. Está tudo desenhado só não vê quem é cego e não acredita quem não quer. Abraços.

Responder

Maria De Fatima Cabral

28 de janeiro de 2014 às 19h42

Tomar os devidos cuidados com esses black blocs na Copa de 2014! Cadeia neles!

Responder

Vixe

28 de janeiro de 2014 às 17h20

Alguma dúvida se não financiam e fomentam os “BlackTukanosBloks” do Brasil?
Modus operandi iguais…

Responder

28 de janeiro de 2014 às 16h29

E quem é a embaixadora dos eua no Brazil (com z)?

Liliana Ayalde é a embaixadora dos Estados Unidos no Brasil e já foi a embaixadora dos eua no Paraguai, de 2008 a 2011, onde participou ativamente da preparação do golpe parlamentar que derrubou Fernando Lugo da presidência.

Liliana Ayalde é “cria” da USAID e tem extensa experiência dentro dessa agência, na qual trabalhou durante 24 anos e pela qual foi diretora de missão em Nicarágua (1997-1999), Bolívia (1999-2005) e Colômbia (2005-2008). A USAID é utilizada pelo governo norte-americano como fachada para espionagem e corrupção de políticos e governantes.

Responder

Fábio Alexandre

28 de janeiro de 2014 às 16h27

“Outras áreas nas quais financiamento para ONGs ajudaria a concretizar a estratégia americana incluíam tentativas de neutralizar o “mecanismo de controle Chavista”, que utiliza “vocabulário democrático” para apoiar a ideologia revolucionária bolivariana, nas palavras do diplomata. “A OTI tem lutado contra isso através de um programa de educação cívica chamado ‘Democracia entre nós’, cujo princípio era ensinar ao povo venezuelano o que, de fato, significava democracia. Programas educacionais dirigidos, como tolerância política, participação e direitos humanos já atingiram mais de 600 mil pessoas”, diz o documento.

DIVIDINDO O CHAVISMO
Em seguida, o documento detalha as estratégias para “dividir o chavismo”, baseadas na concepção de que Chávez tentava “polarizar a sociedade venezuelana usando uma retórica de ódio e violência”. O remédio, na cabeça de Brownfield, seria dar auxílio a ONGs locais que trabalham em “fortalezas Chavistas” e com os “líderes Chavistas” para “contra-atacar a retórica” e “promover alianças”. Os esforços da Usaid neste sentido custaram US$ 1,1 milhão para atingir 238 mil pessoas em mais de 3 mil fóruns, workshops e sessões de treinamento, “transmitindo valores alternativos e dando oportunidade a ativistas de oposição de interagirem com Chavistas, obtendo o desejado efeito de tirá-los lentamente do Chavismo”.

Exemplos são o grupo “Visor Participativo” composto por 34 ONGs formadas e supervisionadas pela OTI, para trabalhar no fortalecimento das municipalidades. “Enquanto Chávez tenta recentralizar o país, a OTI, através do Visor, está apoiando a descentralização”, escreve Brownfield.
http://www.apublica.org/2013/03/passo-passo-plano-da-usaid-para-acabar-governo-de-chavez/

http://revistaforum.com.br/blog/2013/03/wikileaks-o-plano-da-usaid-para-acabar-com-o-governo-de-chavez/

Responder

Lorenzzo

28 de janeiro de 2014 às 12h14

O povo brasileiro muito burro. Mesmo na internet.
Primeiro vejo pessoas elogiando exercitos ,norte coreano, russo, e chines.
Segundo nao sabem de nada da revolucao ucraniana,libia ou siria.
O que ocorre la é por causa da corrupcao, pelo autoritarismo presidencial, que domina agora poder de veto em todas emendas de lei. É por causa da tortura e assasinatos sistematicos pela policia especial ucraniana, e por causa de ter aprovado leis contra a liberdade de expressao, é por causa entre outros motivos, como julgamentos sem presenca do réu de defesa, que ocorre em ditaduras.
Brasileiro tem medo de revolucao, tem medo do governo, se ve sempre iludido ppr politicos, a ainda sim da seu apoio cego. Tem medo de policia, acredita que republica é democratica, tem medo do governo. Pessoas nascidas na Ditadura pode ter certeza. Me enoja. Acreditam em autoridade…
Os black bloc ainda que fracos, se revoltam por prisoes arbitrarias. E excesso de forca militar. Pelas prisoes sem julgamento no Brasil, se revoltam pelas leis estagnadas dos Direitos Humanos. Liberdade de expressao. Nao é mudar o regime, mas apressar o governo a mudar algumas leis. Nao é apoiar traficante, assasino ou estuprador. Mudar Leis de cunho de direito individuais. Liberdade de cuidar da propria vida. É que o governo auxilie o resgate economico social, nao somente perdoar divodas dos bancos, emprestar grandes quantias para empresas mas nada par ao povo. Repito no é mudar o direito penal, e sim ps direitos humanos.
É acabar com o genocidio de pobres e negros com concendimento ds populacao pelo moto ” bandido bom bandido …” que nao cabe a mensaleiro e Corrupto.
Gente vao estudar mais.estao vendo muita TV.

Responder

Mariana Silveira

28 de janeiro de 2014 às 10h52

Uns merdinhas.

Responder

Mariana Silveira

28 de janeiro de 2014 às 10h50

Uns merdinhas que para serem o que são destroem outros povos. Façam isso na Rússia e na China, ou melhor, nos países de exército forte, que não se curva a vcs e que tem bomba atômica!

Responder

Daniel Ayer Quintela

28 de janeiro de 2014 às 10h49

So falta falar que estão financiando os BB do Brasil!!!!!
kkkkkkkkkkkkkkkk

Responder

    Seu Zé

    28 de janeiro de 2014 às 14h28

    Esse vazio, desse teu discurso, é que nos deixa precupados. Manobrar alguém assim é muito fácil. Propaganda simples já o transformam em ‘sábio’. Um abraço do Zé.

    Responder

Mariana Silveira

28 de janeiro de 2014 às 10h48

Vai Cia, faz isso na China e na Russia, vcs não são os gostosões? Então mandem seus mascarados fazerem isto em países que tem Exército forte e bomba atômica. Americanos e europeus merdinhas que para serem o que são escravizam e fazem guerras internas com os outros povos. Para mim não passam de um bando de hipócritas. Não duvido nada dos bandidinhos daqui tb serem financiados, são ongs que apoiam eles e por onde o dinheiro entra, sem falar no apoio do Itau a Rede, aos tucanos e a Campos.

Responder

Claudete Carneiro Ribeiro

28 de janeiro de 2014 às 10h39

A CIA está sempre por trás de revoltas !

Responder

Carlos Nascimento

28 de janeiro de 2014 às 09h54

não tenho duvida. massa de manobra da CIA

Responder

Scan

28 de janeiro de 2014 às 02h24

Tudo isso sai de um lugar só: EUA.
Mais especificamente da Freedom House, IRI, NED e Open Society.
Seu nome? Canvas, ex-OTPOR!.
Todos sabemos disso.
Pra resolver? Balas. Muitas. E de chumbo.

Responder

José Glenio Bonilha

28 de janeiro de 2014 às 04h01

Muito possível…é só aprofundar as pesquisas!!

Responder

Sonia Lula da Silva

28 de janeiro de 2014 às 03h50

quero ver lá…nos “isteites”

Responder

    Scan

    28 de janeiro de 2014 às 02h14

    Nos isteites não tem disso: lá não existe embaixada americana.

    Responder

Vinícius Pontes

28 de janeiro de 2014 às 03h43

Quero ver lá, na China e na Coreia do Norte

Responder

Rubem Gonzalez

28 de janeiro de 2014 às 03h37

bem feito pra o governo da ucrania que não agiu energicamente pois estava preocupada com a “opinião pública” ocidental na ânsia de ser “aceita” na fracassada área do euro…….
tô a fim de ver é black blocs na rússia.né Vinícius Pontes? Lá o buraco é bem mais embaixo e lá tem que ser na base do terrorismo e de bombas porque a policia e o exercito vermelho não tolera essa raça não. seria uma carnificina

Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com