Bahia: Refinaria privatizada provoca desabastecimento de Gás de Cozinha

Dilma nomeia o seu ministério político

Por Miguel do Rosário

23 de dezembro de 2014 : 15h51

aldoujsujs


 

Dilma já começou, finalmente, a nomear uma série de novos ministros da área política do governo.

Vários são remanejamentos internos, mas as mudanças não deixam de ser significativas.

As boas notícias são Berzoini na Comunicação, Jacques Wagner na Defesa e Miguel Rosseto na Secretaria Geral da Presidência.

O núcleo político da presidenta está praticamente formado.

Isso é muito bom. Agora vamos ver se este núcleo vai fazer o que se espera dele: política.

E fazer política, para um governo completamente acuado pela mídia, é enfrentá-la.

O artigo abaixo fala sobre a pasta de Ciência e Tecnologia, que será ocupada por Aldo Rebelo, o que também é excelente sinal, na minha opinião.

Rebelo, além de sério e íntegro, tem compromisso com o desenvolvimento tecnológico de ponta, e certamente irá lutar para elevar o nível da pesquisa nacional.

*

O que esperar do novo Ministério de Ciência e Tecnologia?

Por Theófilo Rodrigues, colunista ocasional do Cafezinho.

Entre as muitas mudanças anunciadas pela imprensa nesta terça-feira (23/12) sobre a nova composição do ministério da presidenta Dilma Rousseff, destaca-se a indicação do ministro Aldo Rebelo (PCdoB) para o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação a partir de janeiro de 2015.

Rebelo ocupa atualmente o Ministério dos Esportes, mas a nova conformação das bancadas no Congresso Nacional exige da coordenação política do governo federal um realinhamento das forças políticas dentro da Esplanada dos Ministérios.

Aldo Rebelo é considerado nos bastidores da política um grande curinga para a presidenta Dilma. Gestor sério e político habilidoso, Aldo poderia assumir o Ministério da Defesa por conta de suas boas relações com a intelligentsia militar e a Escola Superior de Guerra, a Secretaria de Assuntos Estratégicos por sua relação com o mundo acadêmico, ou mesmo a Secretaria de Relações Institucionais, cargo que já havia ocupado durante o governo Lula. Basta lembrar que o comunista já foi inclusive presidente da Câmara dos Deputados entre 2005 e 2007.

No fim das contas parece que caberá ao alagoano adotado por São Paulo a tarefa de buscar maior protagonismo para o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação a partir de 2015, da mesma forma como já havia feito com o hoje ambicionadíssimo Ministério dos Esportes.

De fato, o novo ministro não terá muitas dificuldades para desenvolver seu trabalho no MCTI. Afinal de contas o seu braço direito nos Esportes, o Secretário Executivo Luis Manuel Rebelo Fernandes, conhece muito bem os meandros da ciência e tecnologia. Luis Fernandes já foi diretor da FAPERJ, Secretário Executivo do MCTI no primeiro governo Lula e presidente da FINEP no segundo governo Lula, principal autarquia do ministério.

O principal desafio de Aldo estará no financiamento das políticas do MCTI. Aldo terá que exercer toda a sua habilidade política para garantir a manutenção e ampliação do orçamento da ciência e tecnologia, contra a tesoura do novo ministro da Fazenda Joaquim Levy.

Importante lembrar que os recursos dos royalties do petróleo e do Fundo Social do Pré-sal que serão voltados para a educação não passarão necessariamente pela ciência e tecnologia. Além disso, desde 2014 o Fundo Setorial do Petróleo e Gás Natural (CT-Petro) não faz mais parte do montante destinado ao Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT). Isso significa que a dificuldade financeira do MCTI será grande a partir de 2015.

Outro desafio será o de contribuir para a aprovação do Estatuto de Direitos dos Pós-Graduandos formulado pela Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG). O Estatuto trata de temas como licença maternidade e paternidade para bolsistas, universalização e reajuste anual de bolsas, taxas de bancada etc.

Ainda no que diz respeito à pesquisa universitária, será necessário que o novo ministro articule junto ao MEC a expansão dos programas de pós-graduação para as periferias dos estados do sul e sudeste, e para as regiões norte, nordeste e centro-oeste, desconcentrando os investimentos que ainda são voltados majoritariamente para Rio de Janeiro e São Paulo.

Também será responsabilidade do novo ministério incentivar através da FINEP o desenvolvimento da inovação tecnológica nas empresas brasileiras com a ampliação do registro de patentes aqui no Brasil, calcanhar de Aquiles do desenvolvimento tecnológico brasileiro.

Enfim, caso seja confirmada sua nomeação, serão muitos os desafios de Aldo em sua nova empreitada. Se repetir no MCTI a boa gestão que fez nos Esportes, certamente a ciência brasileira sairá sendo a maior ganhadora.

Theófilo Rodrigues é cientista político.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

59 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Antonio Carvalho

26 de dezembro de 2014 às 01h48

Em toda pintura em um quadro, existe algo que não compreendo, porém, amo o quadro!

Responder

Antonio Carvalho

26 de dezembro de 2014 às 01h48

Em toda pintura em um quadro, existe algo que não compreendo, porém, amo o quadro!

Responder

Anônimo

24 de dezembro de 2014 às 21h13

O problema do pt eh que ele forma uma aliança gigante já na campanha e depois reclama que tem mt deputado de outros partidos. Então nao colocasse um monte de foto de lula e dilma do lado dos caras. Uma coisa e compor com outras forças após as eleiçoes. Outra bem diferente eh ja concorrer ao lado deles. Não dá pra dps reclamar que eles foram eleitos e usar como desculpa pra colocar eles ni ministerio.

Responder

Fabio

24 de dezembro de 2014 às 17h59

Simplesmente decepcionante esse ministério e tem tudo, absolutamente tudo para fazer o governo Dilma um dos piores.

Responder

Euler

24 de dezembro de 2014 às 17h57

Não foi surpresa nenhuma para mim, que fiz campanha aberta para a nossa presidenta Dilma, a escolha destes ministros. Explico-me: Dilma foi eleita com amplo leque de forças políticas e sociais. Ela não representa somente a esquerda, e precisará de grande apoio no congresso se não quiser ser derrubada em pouco tempo. Escolha de ministros, para mim, não é a coisa mais importante. O principal é ver as diretrizes que serão dadas ao governo e pelo governo como um todo. Em relação à Petrobras, ao pré-sal, às políticas sociais, aos investimentos na Educação e na Saúde públicas, ao pleno emprego, aos aumentos reais no salário mínimo, à política externa não-alinhada aos EUA, além, é claro, de alguma política voltada para se criar um mídia independente, popular e progressista. Se fizer isso, já está de bom tamanho. Mais do que isso, não depende da presidenta, mas de nós, os de baixo, de nos organizarmos, nos mobilizarmos e conquistarmos, nas lutas, nossos direitos.

Responder

    Fabio Prates

    25 de dezembro de 2014 às 13h15

    Perfeito.

    Responder

engracado

24 de dezembro de 2014 às 13h05

Eu sou da area de TI, e ter Aldo Ribeiro com ministro da Ciência e tecnologia seria cômico se não fosse trágico. Mas antagônico que os ideas do PT e ter Katia Abreu como ministra(fa declarada de FHC e de ideologia liberais), é esse senhor na pasta de Ciência e Tecnologia. Esse senhor foi responsável pelo projeto de lei contra as inovações tecnológicas, se aprovado, teria mudado o mercado de Tecnologia e inovação do Brasil para muito pior, simplesmente, seu autor é nomeado para liderar as ações do país em ciência, tecnologia e inovação.

Resta sentar e chorar.

Responder

Vitor

24 de dezembro de 2014 às 08h57

Desculpem a ignorância e pergunto isso sem maldade ou ironia, mas quais foram as grandes conquistas do Aldo no Esporte? Um abraço e feliz natal a todos!

Responder

    Jurandi

    28 de dezembro de 2014 às 18h43

    Suas grandes conquistas: 7X1 para Alemanha e um Título de 1951 reconhecido pela FIFA ao Palmeiras,o ministro é palmeirense.

    Responder

Marco Aurelio Oliveira Costa

24 de dezembro de 2014 às 09h51

CARAMBA! O ALDO REBELO É POLIVALENTE MESMO…rs rs rs

Responder

Gerson

24 de dezembro de 2014 às 07h39

Odeio essa palavra “governabilidade”. Em nome dela, a CPI da Privataria Tucana foi engavetada pelo deputado Marco Maia (PT-RS) e a consulta popular sobre a “doação” da Vale foi jogada no lixo (e a privatização defendida pelo deputado cearense petista irmão de Genoíno em parecer da câmara que enterrou a consulta). Agora em nome da tal governabilidade temos como ministros de um governo do Partido dos Trabalhadores nomes como Katia Abreu (ruralista), Eliseu Padilha (tropa de choque e linha de frente de FHC), Helder Barbalho (filho de Jader Barbalho), Gilberto Kassab (o PT fazia oposição diária a ele em SP e que vai ter nas mãos o Ministério das Cidades), um ministro da fazenda ligado ao Bradesco e outros. E, ainda, provavelmente, vamos ter que aguentar mais 4 anos de Zé da Justiça. É para tirar os tubos. Como o um leitor escreveu no Tijolaço: só faltou acomodar nesse ministério o Aécio.

Responder

Hilson Mergulhão Breckenfeld Filho

24 de dezembro de 2014 às 09h08

não consigo enxergar nada de bom neste ministério lembra o de collor

Responder

Cely Bertolucci

24 de dezembro de 2014 às 08h03

Não deve ser fácil agradar a gregos e troianos

Responder

Rogério S da Cunha

24 de dezembro de 2014 às 03h22

Tinha esquecido do George Hilton pra o ministério do esporte. Trambiqueiro oriundo do PFL, indicado pelo Marcelo Crivela da Igreja Universal. Tudo gente fina . Vai Dirrrma.

Responder

Rogério S da Cunha

24 de dezembro de 2014 às 02h48

Com Cid Gomes e Kassab, é o PT abraçando e defendendo os CORRUPTOS. Até aí nenhuma novidade.

Responder

Angelina Lessa

24 de dezembro de 2014 às 02h41

Tá dificil de engolir!

Responder

Rogério S da Cunha

24 de dezembro de 2014 às 02h39

E o ministro da educação, citado na lista do Petrolão . Cid Gomes, Esse ministro corrupto uma vez citou que os professores devem lecionar por amor e não pelo salário. Santa Hipocrisia petistas. Isso o Cafezinho não comenta.

Responder

Geraldo Maciel

24 de dezembro de 2014 às 02h27

Ministério dos medonhos, que desânimo. Nas próximas eleições, nós ,os bobos militantes, daremos nossas caras a tapas, pedindo votos, brigando, apanhando, batendo, criando poucos amigos e muitos inimigos.

Responder

Rodrigo Ranzatti

24 de dezembro de 2014 às 02h18

O Aldo Rebelo, o ministro da ciência e tecnologia que criou a lei que impede a inovação tecnológica no serviço público?
Bem indicado!

Responder

Regina Fialho

24 de dezembro de 2014 às 02h04

Cid Gomes na Educação é sacanagem!

Responder

Luís CPPrudente

23 de dezembro de 2014 às 23h49

Se tivéssemos eleitos mais deputados do PCdoB, mais deputados do PDT, mais deputados ligados ao mundo dos trabalhadores, ao mundo dos pequenos proprietários, mais deputados do PT, mais pessoas nacionalistas e progressistas, a nomeação dos ministérios teria menos Kátia Breu, menos Levy, menos Kassab.

Responder

Gilda Azevedo

24 de dezembro de 2014 às 01h28

E depois de um óto trabalho à frente da cidade de São Paulo, Kassab ganha um ministério. E o das Cidades.

Responder

Gilda Azevedo

24 de dezembro de 2014 às 01h28

E depois de um óto trabalho à frente da cidade de São Paulo, Kassab ganha um ministério. E o das Cidades.

Responder

Airton Faé

24 de dezembro de 2014 às 01h06

Responder

Messias Franca de Macedo

23 de dezembro de 2014 às 22h54

… Isso é um ‘miniSTÉRIO’!

(Um acinte à militância histórica!
Ideologia para quê?!)

###########################

FIM DE LINHA! E boa sorte!

Um esforço hercúleo – capcioso e desleal – poderia produzir a postura de manutenção de defesa em relação ao segundo mandato do governo Dilma Rousseff, assim como está sendo delineado, Joaquim Levy etc. & tal…

No entanto, não há atitude rocambolesca que justifique tal insistência e devoção ao tomarmos conhecimento de que Kátia ‘aBREU’, um filho do Jader Barbalho, *Eliseu Padilha et caterva serão indicados ‘miniSTROS’ de Estado sob os auspícios do Partido dos Trabalhadores!

[*(uma das falcatruas) Eliseu Padilha (PMDB-RS) –
Ex-Ministro de FHC, Eliseu Padilha volta a ser réu no escândalo dos precatórios
(…)
FONTE: http://jornalggn.com.br/notici…]

Os nossos votos vilipendiados!

As nossas esperanças ludibriadas!

Uma bússola sem os símbolos de navegação!

Um termômetro sem os indicadores numéricos!

Um relógio sem ponteiros!

Fim de linha!

Chega de comer poeira!

Meus ouvidos não serão mais agredidos pelo furor oral da DIREITONA!

Mesmo porque a vida é curta!

Fim de linha!

E boa sorte ao governo da presidente Dilma Rousseff do ‘[tíbio] PT da Governança’!

Tíbio e ingrato!

Adeus!

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Edson Marcos H

24 de dezembro de 2014 às 00h35

Jackes Vagner não está na Defesa ?

Responder

Rita Felipe

24 de dezembro de 2014 às 00h26

Agora lascou, até a composição conservadora do Congresso é culpa do PT. Aff, esse povo não elege seus senadores, nem deputados para fazer o enfrentamento no Congresso e fica reclamando do ministério. Se tivessem feito papel direito teriamos outro Congresso. Sabe nada, inocente!

Responder

Carlos Henrique Bastos

24 de dezembro de 2014 às 00h08

Independente de nomes o comando e o caminho já estão ‘trilhados'( claro com ajuste e ‘jogo de cintura’ ) desde o início com Lula, afinal retomando no futuro p/ melhorar esse nosso Brasil.

Responder

nilo walter

23 de dezembro de 2014 às 21h41

Dilma, prepara um ministério com olho no Congresso. Se a situação fosse diferente muitos desses não seriam escolhidos . É a política que exige referidos nomes .

Responder

Hernani Lotufo Júnior

23 de dezembro de 2014 às 23h35

Ministério à direita: Kátia Abreu, Kassab, Barbalho, Joaquim Levy, Armando Monteiro … Junte esses nomes do executivo a um Congresso avaliado como o mais conservador desde 1964. Feliz ano novo, companheiros?

Responder

    Rita Felipe

    24 de dezembro de 2014 às 00h19

    Fio, obrigada! Mas se a pseudo esquerda pura, o suprasumo da história, tivesse feito seu papel nas eleições teríamos um Congresso menos conservador. Sabe nada, inocente!

    Responder

Maurilio Costa

23 de dezembro de 2014 às 23h16

O PIG vai vasculhar a vidas deles, e quanquer deslize será manchete por meses,,

Responder

Vinicius Gosciola

23 de dezembro de 2014 às 22h59

Sinceramente, não consigo entender a empolgação de alguns. Kassab como Min Cidades. É triste, lamentável.

Responder

    Miguel do Rosário

    23 de dezembro de 2014 às 21h43

    Kassab não empolga, mas é igual ao anterior.

    Responder

Namaste

23 de dezembro de 2014 às 20h29

Finep não é autarquia. É empresa pública e secretaria executiva do FNDCT.

Responder

Rita Felipe

23 de dezembro de 2014 às 22h19

Agora, repare, Wagner na Defesa. Essa foi Dilmais!

Responder

Rita Felipe

23 de dezembro de 2014 às 22h15

Mas confesso minha alegria com o Aldo. Porreta esse cara e seu partido! Honra, lealdade, compromisdo. É o que eu penso.

Responder

Rita Felipe

23 de dezembro de 2014 às 22h09

Gostei da nomeação de Cid Gomes. Estamos falando de uma guerra. Na hora do enfrentamento terá que ir no caminho da política! Pelotão de frente, presente! Agora que cada um faça o que deve ser feito. Estou com Dilma!

Responder

ALDO MADUREIRA

23 de dezembro de 2014 às 19h49

Acho que os Blogs estão valorizando demais a mídia piguenta. Gostaria de ver uma estatística de audiência e de leitura.

Responder

Catiane R. Leonardis

23 de dezembro de 2014 às 21h36

Me decepcionei com a nomeação do Cid Gomes pra educação. Me fez ficar envergonhada de ter levantado tanta bandeira e arrumado tanta briga em prol de um ideal.

Responder

Antônio Ivo Lemos

23 de dezembro de 2014 às 21h29

Excelente notícia!

Responder

José Soares

23 de dezembro de 2014 às 21h28

Estou com a Dilma incondicionalmente, assim como uma mãe está com um filho incondicionalmente.

Responder

Maria Gorett de Almeida

23 de dezembro de 2014 às 21h20

Eita governo democrático! Muito bom. Amei.

Responder

Gustavo Gormaz

23 de dezembro de 2014 às 21h18

Serão 4 anos para fazer esse país avançar de forma significativa. Desde a primeira eleição que o Lula ganhou, a diferença de votos com relação ao adversário (PSDB) vem caindo. Na última eleição foi praticamente um empate. Não há mais espaço para erros. Não há mais espaço para inércia. Se não quiserem tucanos no poder, só tem um jeito: números. PIB alto, inflação baixa, juros baixos, desemprego baixo, saúde e educação. Só tem essa saída. O resto é balela. Se a Dilma repetir o governo atual (que foi bem aquém diga – se de passagem), o PSDB volta e vai ser difícil tirarem eles de lá.

Responder

    Mohamad Taha

    23 de dezembro de 2014 às 23h08

    Boa Gustavo, não tem espaço para vacilos mais, os arranjos já foram feitos, agora é hora de fazer a lição de casa !!!

    Responder

    Rogério S da Cunha

    24 de dezembro de 2014 às 02h55

    Avançar com Cid Gomes e Kassab…kkkkkkk

    Responder

Cida Medeiros

23 de dezembro de 2014 às 21h17

Exato André Ramos. Voto no Congresso

Responder

Cely Bertolucci

23 de dezembro de 2014 às 21h16

E a cultura?

Responder

Victor Amon Reis Schmidt

23 de dezembro de 2014 às 21h15

Wagner é defesa ou casa civil?

Responder

Cleide Portella

23 de dezembro de 2014 às 21h14

Puxa pensei que era Miguel Do Rosario na Secretaria Geral da Presidência! kkkkkkkk

Responder

Mauro Girardi

23 de dezembro de 2014 às 21h14

*Jacques Wagner no Ministério da Defesa.

Responder

Vagner Santos Guarani Kaiowá

23 de dezembro de 2014 às 21h12

Wagner dizem que é certo no Ministério da Defesa. Afinal é Defesa ou Casa Civil? E Mercadante fica como nesse xadrez Miguel Do Rosario?

Responder

André Ramos

23 de dezembro de 2014 às 21h12

Tem que nomear quem tem votos no congresso.

Responder

Carlos Augusto

23 de dezembro de 2014 às 21h06

Só vejo direita.

Responder

Cida Medeiros

23 de dezembro de 2014 às 21h05

E o da Educação? Vamos que vamos. O Congresso é que vai ser o desafio

Responder

Guto Colaneri

23 de dezembro de 2014 às 21h03

O novo ministro do esportes é de doer o restinho do fígado.

Responder

Ricardo NegoRick

23 de dezembro de 2014 às 21h00

Começou bem.

Responder

Deixe um comentário