Fundador do Instituto Ideia vê chance de Lula vencer no 1° turno

O que será? Começo de “conversa” com Chico Buarque

Por Rogerio Dultra

11 de maio de 2016 : 02h52

Por Rogerio Dultra dos Santos

As alcovas de Brasília suspiraram de medo na noite da última segunda-feira. O Maranhão trouxe a revolta do baixo clero, que desafiou – na fantasia dos infelizes – aquilo que não tem concerto nem tamanho.

O fim do golpe, delírio dos desvalidos, não durou 24 horas.

O Jaburu suspirou aliviado. Teve a certeza do sucesso quando a romaria dos mutilados invadiu o seu palácio avisando do fracasso da democracia.

Quando veio a notícia do desfeito, revogando o que seria anulado, cantaram todos, embriagados dos seus cargos, chafurdados em seus ministérios, amantes fieis da indecência e do excesso.

E, apesar dos avisos, dos pedidos, das rogatórias e petições, no caminho do Alvorada, o direito sucumbiu ao plano dos tiranos.

Nesta noite dos delirantes, nada a se esperar da cidadã falecida aos 27. A fantasia se foi, a Constituição morreu.

Viva o Rei! Ou, melhor: viva o pretenso e bastardo herdeiro, que sem nenhuma censura ou voto, conspirou a céu aberto com bandidos, como um rato, sabendo que o navio não irá afundar.

Num frêmito de arrogância, às vésperas da consumação do golpe, estão todos certos da vitória, todos do alto de suas prepotências torpes, todos ciosos dos nacos de poder que acreditam enriquecedores e divididos pela justiça dos abutres.

Está na natureza dos abutres esta certeza.

Mas o que os abutres não sabem é que a certeza do butim não tem governo.

Que a violação do governo não tem vergonha. E não tem juízo. Nem nunca terá.

Rogerio Dultra

Professor do Departamento de Direito Público da Universidade Federal Fluminense (UFF), do Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Justiça Administrativa (PPGJA-UFF), pesquisador Vinculado ao INCT/INEAC da UFF e Avaliador ad hoc da CAPES na Área do Direito.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Raymundo Ferreira Teixeira Jun

12 de maio de 2016 às 15h22

Parabéns as instituições brasileiras, com este processo constitucional, democrático e extremamente bem conduzido, mostramos ao mundo que nossa jovem democracia está cada vez mais forte. Nossas instituições não se curvaram a interesses partidários e a grupos que dominam o poder. Parabéns ao Congresso Nacional, STF, Tribunal de Contas e a instituição da presidência da república.

Responder

gilberto

11 de maio de 2016 às 09h45

E pensar que o STF é coautor do assassinato da jovem de 27 anos. Celso de Mello que faz citações intermináveis a figuras proeminentes é exemplo vivo de que somente os dignos são lembrados positivamente. Os covardes quando muito são lembrados como tais.

Responder

Reinaldo Mechica Miguel

11 de maio de 2016 às 06h30

Um texto BRILHANTE… Um retrato em branco e preto!

Responder

Antonio Passos

11 de maio de 2016 às 05h36

Muito interessante essa observação de que nossa democracia morre aos 27. Ela se juntará aos ídolos da juventude que também morreram aos 27. Parece ser esta a idade em que morrem os sonhos, as ilusões, massacrados pela realidade à qual não podem suportar. Talvez por serem ingênuos demais para ela.

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina