Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Um golpe na sociedade brasileira

Por Miguel do Rosário

02 de junho de 2016 : 18h43

Foto: Mídia NINJA

Por Clovis Nascimento*, via email

Estamos vivendo um dos momentos mais difíceis da nossa História. Acabamos de assistir a um triste e lamentável golpe na nossa ainda tênue democracia. Ao afastar uma presidenta eleita com 54 milhões de votos, a direita brasileira, juntamente com a oligarquia midiática, mostrou ao mundo o quão frágeis são a nossa democracia e as nossas instituições públicas.

O povo brasileiro ainda não se deu conta do que realmente está em jogo nesse golpe. No campo internacional, certamente, perderemos o pré-sal e os BRICs [bloco econômico composto por Brasil, Rússia, Índia e China], além de toda a articulação para os projetos de desenvolvimento da América Latina. Um informe público do FMI (Fundo Monetário Internacional) aponta a perda de hegemonia dos EUA na economia global e o avanço dos BRICs. De acordo com os dados, pela primeira vez, a China ultrapassa os EUA e aparece em primeiro lugar, acumulando pouco mais de 20 trilhões. O fortalecimento dos BRICs é fundamental para a ampliação dos investimentos em infraestrutura no país. Percebemos que outras potências começam a surgir no ranking econômico mundial.

As conquistas dos trabalhadores no campo social sofrerão retrocesso. Os programas sociais como o “Minha Casa, Minha Vida” e o “Bolsa Família” serão reduzidos ao mínimo. Na área de saúde, o “Mais Médicos” será extinto. O fim de programas de distribuição de renda poderá produzir um efeito cascata na economia. Isso porque irá reduzir mercado, diminuir o consumo e desestimular o comércio local.

A economia precisa de mudanças profundas como a diminuição urgente da taxa de juros, uma auditoria cidadã da dívida pública, investimento em infraestrutura e o fortalecimento da política de alianças na América Latina. Por outro lado, para a garantia da soberania nacional é essencial o estímulo à produção tecnológica e à engenharia brasileira.

Cerraremos fileiras com aqueles que lutarão para derrubar esse governo golpista e ilegítimo. A força de um povo é medida pela sua capacidade de resistência e luta e seguiremos nas ruas fortalecendo o grito uníssono de: Fora Temer!

* Clovis Nascimento é engenheiro civil e sanitarista e presidente da Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge)

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Antonio Paulo Costa Carvalho

02 de junho de 2016 às 22h22

Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:

I – construir uma sociedade livre, justa e solidária;

II – garantir o desenvolvimento nacional;

III – erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais;

IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

Responder

Jst

02 de junho de 2016 às 21h45

Eles afastaram a Dilma para ter o caminho livre para roubar o Brasil.
Vejam os aumentos concedidos pelo governo golpista. Isto é um roubo legalizado contra a sociedade. Abriram um rombo de R$ 170 bilhões para pagar o custo do impeachment.
Fizeram isto porque tinham a certeza de que não haveria reação da população. Somos um povo de MERDA, COVARDE e IGNORANTE.
Os golpista sabem disto e por isto fizeram o que fizeram.

Responder

johony

02 de junho de 2016 às 21h36

Vamos unir forças com os movimentos sociais galera, com o povo sem medo, sem medo de lutar!!

Responder

Deixe um comentário