Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Vamos pensar a direita?

Por Miguel do Rosário

05 de junho de 2016 : 17h32

Charge: Cartunistas contra o golpe

Por Julia Spatuzzi Felmanas, tradutora, filósofa e mestre em políticas públicas, exclusivo para O Cafezinho

Muito se fala sobre os erros da esquerda: que não se renovou, se corrompeu no poder, esqueceu de suas bases, e que não trouxe uma nova narrativa, mas só um consumismo desempoderador. A esquerda, talvez em sua ânsia de ser mais verdadeira, sempre se autocritica, ou pelo menos, cada facção de esquerda critica e se afasta das outras facções
para se manter imaculada.

Mas que tal falarmos só um pouquinho sobre os erros da direita? Porque a direita normalmente não tem senso de autocrítica, e seguramente não vão se perguntar sobre seus próprios equívocos. Se nós nos encontramos
nesta situação, seguramente é porque os dois lados têm sua porção de culpa. Como todos sabemos, a direita perdeu quatro eleições e foram incapazes de estabelecer a confiança do eleitorado, mesmo com toda a máquina midiática em suas mãos e com todos os erros da esquerda bradados aos quatro ventos. Tanto, que se desesperaram e resolveram tomar o governo na marra, num momento de loucura nacional, em que eles próprios não têm líderes com credibilidade suficiente para levar o Brasil rumo a um novo caminho.

Em 13 anos a oposição não se renovou, nem em termos de políticas, nem de protagonistas.  Quem são os futuros líderes da direita? Fora alguns personagens esquipáticos como Bolsonaro, Malafaia e Kataguiri, seriam o Serra, o Alckmin e o mais jovem deles, o Aécio Neves? Quais as políticas inovadoras? O neoliberalismo fiscal que se provou equivocado nos anos 90, com suas duvidosas privatizações? A submissão à ordem conservadora internacional? A “Ordem e o Progresso” (PMDB) ou a “Seriedade e Competência” (PSDB)? Ou seria o Conservadorismo Religioso da onda evangélica que vem tomando conta do país? O mundo avançou e a oposição não trouxe inovações.  Nem mesmo para disfarçar, como fez o Partido Conservador inglês que se utilizou do discurso ecológico e prontamente o descartou, uma vez chegando ao poder.

Em 13 anos, ao invés de novas políticas, a oposição talvez por comodidade ou preguiça (ou até mesmo, como nos demonstra o desastroso desdobrar desse golpe, burrice) se empenhou em reproduzir dois mantras repercutidos à exaustão: A esquerda é incompetente e a esquerda é corrupta.

A esquerda é incompetente: o mantra da incompetência demorou a surtir efeito, apesar das incansáveis tentativas.

Só mesmo funcionou no estado de SP, onde os Tucanos eram vistos (será que ainda são?) como os guardiões da ‘seriedade’.  Tamanha ‘seriedade e competência’ que nos levou aos incríveis, e agora aparentemente esquecidos, eventos que envolveram o PCC em SP em 2006, quando a cidade ficou paralisada por vários dias com ataques, queimas de ônibus, aparentemente comandados pela facção das cárceres; e a também inconcebível crise hídrica: numa das regiões mais úmidas do planeta, a cidade de SP – nascida das várzeas do cruzamento de vários rios, no topo da Serra do Mar, no meio da Mata Atlântica – secou (e os ecológicos se alinham com eles!?). Sem falar, é claro, de crises de merenda, educação, polícia truculenta, metrôs e rodoanéis que nunca ficam prontos, em mais de 20 anos de governo do Partido da Seriedade Do Brasil.

Agora com a economia em seu ciclo de crise e a descoberta da “corrupção esquerdopata”, a direita conseguiu finalmente tachar a esquerda de economicamente incompetente e irresponsável. Eufóricos, a oposição, com os seus velhos personagens e receituários, já aparelhara o Estado (ué, não é só a esquerda faz isso?). Se o Golpe, me desculpem o impeachment, vingar o Brasil vai ter – e já estamos tendo – a magnífica oportunidade de universalizar a ‘competência’ tucano-paulista pelo Brasil.

A esquerda é corrupta:  em 2005 a oposição resolveu mudar de rumo e voltar a uma velha tática sua: tachar a esquerda de corrupção. A oportunidade apareceu com o esquema do mensalão, ‘inventado’ pelo PT. A economia estava em seus melhores momentos e a velha ladainha da incompetência fiscal não pegava. Desesperados com os elogios internos e externos da capacidade de Lula como líder carismático e das novas políticas públicas trazidas pelo Partido dos Trabalhadores (aliás, políticas essas que emergiram depois de anos de detalhamento, debates populares, discussões acadêmicas e experiências de implementação a nível municipal e estadual), resolveram buscar os antigos conceitos de seus antepassados para encontrar a solução ideal ao problema da esquerda e sua popularidade.

Infelizmente, esqueceram de se precaver. Deveriam ter se lembrado do velho ditado: “quem tem telhado de vidro…”. Pensaram que o paredão da Globo, adornado com os cacos de vidros, arames farpados e cães de guarda de Vejas, Folhas, Estadões e outros seriam suficientes para que as pequenas pedrinhas, mesmo em quantidade, não atingissem a mansão de cristal da oposição.

Pois, não é que foram atingidos?

A Direita teria se saído melhor, se nos últimos 13 anos tivessem se juntado, feito uma grande mea culpa e começado a desenvolver novas políticas públicas, se renovar, trazer novas maneiras de governar. Poderiam ter vindo com críticas contundentes para recuperar o espaço político de maneira civilizada, através da democracia e do legítimo convencimento político.

Fosse assim, poderíamos até acreditar em e aceitar um ‘Governo de Salvação Nacional’, onde ambos os lados se sentariam juntos para sincera e genuinamente lidar com a corrupção na política do país. Poderíamos pensar a reforma política e a reforma do judiciário – que nos ajudariam não só a lidar com a corrupção de maneira estrutural e
institucional (porque corrupção não tem lado e não é um problema pessoal) mas também lidar com a morosidade dos tribunais que impossibilitam o equilíbrio entre a Presunção da Inocência e um Legislativo idôneo, necessário para a construção de um Executivo ético.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

31 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Ricardo

07 de junho de 2017 às 00h27

Desde o regime militar o Brasil não tem uma real oposição de direita. Se nunca ouviu falar da “Estratégia das tesouras” talvez seja interessante dar uma olhada… Mas já adianto que a tal direita a que se refere: PMDB, PSDB dentre outros, trata-se de uma esquerda com discurso mais suave apenas. A luta, no Brasil, trata-se de esquerda moderada vs esquerda radical (vide PT). Acho engraçado ver essa discussão na internet hoje em dia pois mostra pura falta de entendimento político real. Fiquem a vontade para me criticar (mas estudem um pouco mais, por favor!)

Responder

Neo

01 de dezembro de 2016 às 21h56

O problema não é a direita nem a esquerda. O PROBLEMA É A GLOBO! Vocês tem que entender que a Rede Globo não é apenas um canal de TV. É uma arma de guerra de desinformação criada por organizações estrangeiras durante a ditadura militar para controlar e sabotar o Brasil por décadas. É uma organização de fora do país que interferiu e manipulou TODAS as eleições presidenciais sempre contra os verdadeiros líderes populares. Roberto Marinho era só um figurante laranja que em 1965 viu seu pequeno jornal ser transformado em uma máquina de poder com pesados investimentos do grupo norte-americano Timelife. Depois, a Globo passou a ser sustentada por recursos do povo brasileiro para manipular a opinião pública do povo brasileiro contra si mesmo de forma a sabotar nossos interesses. A Rede Globo, com seu jornalismo manipulador, cria um constante clima de pessimismo, mostrando só o que tem de ruim no país e escondendo tudo o que tem de bom para baixar a nossa moral e nos manter numa eterna síndrome de vira-latas. A Globo consegue fazer com que o brasileiro torça pelos inimigos do país, pois a dominação através da mídia é mais barata do que a militar e tem a vantagem de deixar a população satisfeita, dentro do mundo irreal criado por ela, o que não acontece com a dominação através da força bruta. Com cinco novelas por dia, ela prostitui nossos valores culturais transformando nossos jovens em criaturas fúteis, consumistas, narcisistas e alienados enchendo suas cabeças com um vácuo cultural com programas como o Big Brother. A Globo é um atentado CONSTANTE a nossa soberania nacional com o objetivo de nos manter colonizados. As gerações futuras, nossos filhos e netos, irão nos questionar porque aturamos esse câncer por tanto tempo. A simples existência dessa organização é um completo absurdo!

Responder

rita de cassia c.colacique

20 de junho de 2016 às 02h01

Quem começou a reforma da previdência foi FHC, lembro bem porque as reformas me atingiram. Perdemos direitos adquiridos porque “deram um jeitinho” e “adquirido” perdeu o sentido real da palavra. A reforma continuou com Lula mas não podemos nos esquecer que foi aprovada pelo Congresso primeiramente. Então, nas próximas eleições, é muito importante escolher certo deputados e senadores. Para não sermos jogados nas mãos de Cunhas, Serras, Renans e outros cretinos.

Responder

nadja

06 de junho de 2016 às 10h07

Eu só queria saber qual seria a sugestão para que o PT tivesse sucesso com a mídia contra desde 2003, o supremo contra, o MPF contra, a PF contra e a maioria do congresso traidora? qual seria a saída? O que o PT deveria fazer para ter agido corretamente?

Responder

    Luiz Gonzaga

    06 de junho de 2016 às 10h15

    O PT e seus satélites comunistas deveriam assumir a culpa!

    Responder

      nadja

      06 de junho de 2016 às 10h51

      Eu fiz uma pergunta para quem tem capacidade de cognição

      Responder

        Luiz Gonzaga

        06 de junho de 2016 às 11h36

        Você parece ser uma pessoa ingênua!

        Responder

          nadja

          06 de junho de 2016 às 11h54

          Eu não sei quando você perdeu a sua ingenuidade mas a minha se foi quando eu tinha 9 anos e o Fleury com vários militares arrombou nossa casa e destruiu tudo, deixando minha mãe, eu e mais 4 irmãos, uma delas com 6 meses de idade em estado incomunicável, para ir ao banheiro era de porta aberta com um militar com fuzil na frente. Soube o que era tortura porque nos falaram o que estavam fazendo com meu pai. Por gentileza tenta ler um livro até o final,de preferência a nossa constituição de 1988 e procura no google a diferença entre comunismo e partido de massas que é o estatuto do PT

      Fabio Ferrara

      17 de junho de 2016 às 20h40

      Os petistas falam do PSDB mas o PT é tão direita quanto (só que menos competente para gerir a economia), senão vejamos: o primeiro ato de Lula no governo foi encaminhar e aprovar a reforma da Previdência na Câmara, contra os trabalhadores, assumindo o discurso neoliberal de que “A previdência está quebrada”; governou desde 2003 mantendo a política de juros altos e câmbio flutuante, não desfez nenhuma das privatizações realizadas sob FHC, propagandeou que “tirou 50 milhões da pobreza” ao passo que quando se anda pelas ruas das nossas grandes cidades se vê o dobro de miseráveis, pedintes, mendigos e trombadinhas que se via há 13 ou 15 anos; ampliou os esquemas de corrupção a níveis “nunca antes na história desse país” alcançados, ou seja, o discurso e a cara do PT sempre foi um – o humilde, o trabalhador, a mulher – mas a prática é a da velha política. Com menos competência.

      Responder

Tolentino

06 de junho de 2016 às 09h49

Cuspir e deletar posts de quem tem a opinião contrária. kkkk Esse é o perfil da “nova” esquerda. Parabéns chavistas

Responder

Luiz Gonzaga

06 de junho de 2016 às 08h35

Voltando ao antonio:

Seguindo a linha lógica COMPORTAMENTO > ATO > FATO

Comportamentos destrutivos levam a atos destrutivos que geram fatos destrutivos (seguidores de Hitler-II guerra mundial)
ou
Comportamentos construtivos levam a atos construtivos que geram fatos construtivos (equipe de Sabin-vacina anti-pólio)

Quando lideres sociopatas de qualquer ideologia, assumem o poder, atos destrutivos ocorrerão. Logo, a ideologia (de qualquer natureza) não se sustenta conceitualmente por suas retóricas.

Qual sua opinião, caro antonio?

Responder

    Jefferson Lopes

    06 de junho de 2016 às 14h43

    Os socialistas são o quê? Hahahahahaha Ah o velho apelo à autoridade. Beleza sr. doutor, agora me diga no que se baseia essa sua afirmação de que os socialistas são mitômanos? Você analisou todos os socialistas? Poxa, você é o magnânimo da psicanálise e da psiquiatria. Percorreu o mundo todo, falou com todos os socialistas, analisou um por um e chegou nessa conclusão que representa o maior achado da história da psicanálise e da psiquiatria. Para quê Freud, Jung, Lacan, Piaget depois dessa descoberta? Eu nunca vi um trabalho seu publicado, será que estou frequentando os botecos errados, será que eu perdi alguma coisa? Está escrevendo onde, em algum papel higiênico? Sociopatas de qualquer ideologia kkkkkkkkkk. O que é uma ideologia sr. doutor? Me responda essa por favor!

    Responder

Luiz Gonzaga

06 de junho de 2016 às 08h04

É deletando os posts de quem debate que se consegue um diálogo coerente?

Responder

Carlos

06 de junho de 2016 às 07h00

O texto é muito bom. O problema é que esquece de dizer que tanto os partidos de direita como o pt são quadrilhas de ladrões que não ligam a minima para o país. Trate-se de briga pelo poder sem nenhum objetivo maior. O texto faria sentido se algum dos partidos funcionasse como tal. Mas infelizmente são quadrilhas brigando pelo poder.

Responder

    antonio

    06 de junho de 2016 às 07h15

    Massa. Bem, como alguém de sua família pode ter alguma ligação com a esquerda ou com a direita, só sobrou você de honesto no mundo. Ou no universo. Espero que você consiga salvá-lo.

    Responder

      Luiz Gonzaga

      06 de junho de 2016 às 07h25

      Essa foi fraquinha, Antonio!

      Responder

        antonio

        06 de junho de 2016 às 07h28

        Talvez a sua megalomania não seja um transtorno grave de caráter.

        Responder

        antonio

        06 de junho de 2016 às 07h29

        Pior, precisa do discurso de autoridade para qualificar o que diz. Entendo de quem é a fraqueza.

        Responder

    Luiz Gonzaga

    06 de junho de 2016 às 07h20

    Colaborando com o Carlos: Os termos “socialista” e “capitalista”, assim como outros rótulos, são apenas biombos que escondem por detrás de si os portadores de transtornos graves de caráter. Há muitos ingênuos que ainda perdem tempo acreditando nesses mitos.
    Trabalho com as ciências do comportamento há a décadas. Sou psiquiatra e psicanalista. Os “socialistas” são obsessivos mitômanos.

    Responder

antonio

06 de junho de 2016 às 06h38

Sinceramente, apesar de bem escrito, o artigo não passa de algo inócuo e, na verdade, muito pouco verdadeiro. Aliás, é verdadeiro como um frankenstein, pedaços de verdade costurados para compor um monstro. Eis uma delas. As facções de esquerda realmente fazem autocrítica? Não. Quando fazem uma autocrítica é sempre numa crítica ao outro, nunca a si mesma. Nesse sentido, as facções de esquerda em uníssono criticara um único espectro da esquerda, isto é, todos os outros espectros se uniram para criticar uma fração. Esse mesmo conjunto de facções fizeram o serviço para a oposição, unidos, um conjunto espectral da esquerda, a todo o espectro de direita, concentraram carga total contra tudo o que fazia uma facção de esquerda. Não vejo isso como algo saudável, isso depõe não contra uma ala contraditória do campo progressista, mas contra a própria condição de existência da própria esquerda, justamente esse campo progressista. Isto é, ao fazerem isso, atuaram contra a própria democracia. Pronto, ganharam, a facção de esquerda contra a qual todos, à esquerda e à direita lado a lado e em vergonhoso conúbio lutaram, está agora em estado de derrota. E, acima de tudo, toda a regra democrática pela qual o campo progressista ainda consegue sobreviver, está absolutamente destruída. Só não foi ainda pública e completamente abolida porque é preciso manter as aparências. Porém, caso continuem na sanha suicida… Ah, amig@s, logo teremos uma longa e pavorosa noite pela frente…

Responder

Mairton Barros

06 de junho de 2016 às 01h43

Puxa aí sim… Vejo companheiros até que bem intencionados descendo a lenha no PT depois no PT e só pra arrematar no PT novamente…
Ai me deparei com esse texto análise simplesmente sensacional.
Todos os que se sentem de esquerda independente da ideologia “Técnica” e sim no sentido de ir contra um sistema patrocinador de uma elite de 1% deveria agir exatamente assim… MOSTRAR A FALÁCIA DA DIREITA em toda oportunidade e para o maior número de pessoas… E quando fosse fazer críticas a esquerda que faça SOMENTE em momentos que ainda estamos de pé no ringue, mesmo que estivermos sendo ineficazes no ringue… Por que num ringue quando se leva um Golpe nas partes baixas não podemos culpar quem levou o Golpe baixo de não ter protegido a parte baixa do Corpo… GOLPE BAIXO não deveria fazer parte do “jogo”
Meu pai sempre disse que o “problema” da esquerda e Extrema esquerda era não se unir mesmo que por um momento para conseguir o Bem Comum Social de esmagar o Fascismo quando ele ainda está no ventre da Extrema Direita… Por exemplo, não que eu considere a marina silva como Esquerda, mas nunca ouvi 1 só comentário em todo esse processo defendendo não necessariamente a Presidenta Dilma, mas ao menos a Mulher Dilma… Nunca ouvi marina dizer uma sílaba de Repúdio ao Fascista BOSAL-naro…mas contra Dilma já ouvi ela se expressar dezenas de vezes…
O único que tem honrado a esquerda é o Jean e o Valente e o pessoal do PCdoB… Verdade que outros da bancada do PSOL tem tb feito defesas porém em minha opinião mt tímidas…
Por isso o negócio é MALHAR de “PANCADA” a Extrema Direita… em todas as oportunidades…
Ótimo artigo. Obrigado!

Responder

JOHN J.

06 de junho de 2016 às 00h23

A DIREITA NÃO ERRA. A DIREITA É O PRÓPRIO ERRO. A DIREITA É UM ERRO HISTÓRICO NO MUNDO TODO. ATÉ NA BÍBLIA A DIREITA É O CAOS, É O PRÓPRIO INFERNO, REPRESENTADA PELO PILATOS LAVANDO AS MÃOS OU POR SATANÁS ASSEDIANDO JESUS NO DESERTO, JESUS O CARA DA ESQUERDA NA BÍBLIA, PREGANDO O SOCIALISMO E A MELHOR DISTRIBUIÇÃO DA RENDA E DOS BENS A TODOS SERES HUMANOS.

Parafraseando o chargista Bessinha: .
“AÉCIO E “OS ELEMENTOS DA QUADRILHA TUCANALHA ESTÃO LIVRES, LEVES E SOLTOS E CONTINUAM CORROMPENDO E SENDO CORROMPIDOS, PORQUE SÃO OS ÚNICOS QUE TÊM “MORO PRIVILEGIADO””. http://www.conversaafiada.com.br/politica/a-fraude-da-odebrecht-e-a-turma-do-temer/Moro%20Privilegiado.jpg/@@images/980b4100-27f5-44e6-bf37-5e17922dd8af.jpeg
https://www.youtube.com/watch?v=5IegjgAjoqg

Responder

Helena

05 de junho de 2016 às 23h13

Gostei do artigo, faz pensar… Mas uma coisa é certa para mim: caso essa direita não fosse tão corrupta não seria a direita brasileira. Parece até que no mundo todo a direita está cada vez mais envolvida na corrupção mas no Brasil ele sempre foi envolvida. Nunca houve uma direita republicana, austera. Foi sempre aquela mistura de patrimonialismo, de fomiagem, uma vontade de se apropriar e botar a família para se apropriar também, os filhos, sobrinhos, a parentela toda. Os ministros escolhidos por Temer são o melhor exemplo. Serra, Aécio e quase o PSDB todo também.

Responder

Gui Mj

05 de junho de 2016 às 20h58

Bolsonaro não representa e nem deveria representar a direita.

Responder

Daniel

05 de junho de 2016 às 20h35

Em tempo. Temos problemas serios, pouca gente seria para resolve-los.

Temer vai às compras. Por Fernando Canzian. No Jornal Folha de São Paulo.

Fernando Canzian

É repórter especial da Folha. Foi secretário de Redação, editor de política, do “Painel” e correspondente da Folha em NY e Washington. Vencedor de quatro prêmios Esso.

Escreve às quintas.

A base do novo plano econômico ainda genérico do governo Michel Temer é um sistema de perdas e ganhos.

Ao querer eliminar aumentos reais nos gastos, prevê que as despesas só cresçam, de um ano para o outro, seguindo a correção inflacionária.

Na última década, o gasto não financeiro subiu 93% além da inflação. Como havia distorções e expectativas de aumentos sempre reais, a nova regra pode levar uns a perder mais do que outros.

Em um país pobre e tão desigual como o Brasil não deveria existir muita dúvida sobre ganhadores e perdedores, sobretudo na grave recessão atual. O quadro abaixo dá uma boa dimensão do panorama geral.

Na quinta (2), Temer pediu “um aplauso” à Câmara dos Deputados após terem sido aprovados reajustes a servidores com impacto de R$ 52,9 bilhões no Orçamento até 2018.

Renda Mensal Familiar no Brasil

1% ganham acima de R$ 17.601

4% ganham entre R$8.801 a R$17.600

9% ganham entre R$4.401 a R$8.800

14% ganham entre R$ 2.641 a R$ 4.400

23% ganham entre R$1.761 a R$2.640

46% ganham até R$1.760

(23%+46% = 69% das famílias ganham até R$2.640 (R$ 880 por pessoa*)

Fonte: Datafolha. A soma não é 100% pois alguns não informam a renda. *Media de 3 pessoas por familia)

O valor pagaria dois anos de Bolsa Família, ação que beneficia 14 milhões de famílias (a maioria na base do quadro ao lado) e que custa menos de 0,5% como proporção do PIB.

Os reajustes beneficiarão servidores dos três Poderes e do Ministério Público. No ano passado, entre salários e pensões, eles custaram R$ 238,5 bilhões (4% do PIB).

Do total de 2,2 milhões de servidores, só 55% ainda trabalham. Os demais são aposentados e pensionistas de um sistema previdenciário exclusivo deles que fechou 2015 com um rombo de R$ 73 bilhões (1,2% do PIB). Isso para atender apenas 1 milhão de aposentados civis e militares.

Na Previdência do setor privado, o rombo foi um pouco maior, de R$ 86 bilhões (1,5% do PIB), mas para o benefício de 28 milhões de pessoas.

Com o reajuste em curso, o novo teto dos servidores criará efeito cascata e subirá a R$ 39.293. O valor é mais que o dobro do ponto no qual começa o rendimento das famílias mais ricas no quadro acima.

Temer diz que o reajuste foi “discreto”, que quase não cobre a inflação e que “pacifica” seu governo interino, ainda muito dependente do silêncio.

Já o novo teto estabelece o parâmetro da compra de apoio e do grito. É mau começo para um governo que deve tanto em meio a tantas distorções.

Responder

Alexandre Moreira

05 de junho de 2016 às 19h22

Quando se fala do envolvimento da esquerda com a corrupção, é importante ressaltar que quando a esquerda chegou ao poder todos os esquemas de corrupção já existiam e já se encontravam em funcionamento com suas estruturas e operadores definidos. Alguns elementos da esquerda foram estrategicamente cooptados para que os esquemas pudessem continuar a funcionar sem levantar suspeitas. A prova disso é que a participação da esquerda nos esquemas de corrupção é insignificante diante dos elementos remanescentes que já operavam a décadas estes esquemas.

A afirmação de que a esquerda é corrupta é uma mentira criada pelos partidos de oposição (estes sim envolvidos a muito mais tempo e parte integrante da máquina da corrupção) e repercutida pela mídia, com objetivo de esconder o seu próprio envolvimento.

Responder

João Luiz Brandão Costa

05 de junho de 2016 às 18h43

Engano. Marina foi gestada à esquerda, com os movimentos dos camponeses. Depois de Ministra, onde não soube se adequar à equação da preservação do meio ambiente, com a necessidade de desenvolvimento do país, e por tal demitida – por causa dos bagres – tal como Buarque, encontrou na direita a sustentação para seu projeto pessoal.

Responder

Laura

05 de junho de 2016 às 18h19

Perai, a direita fabricou Marina Silva a cortina de fumaça VERDE.

Responder

    Daniel

    05 de junho de 2016 às 19h30

    E ela vai ser usada mais uma vez para ajudar eleger o Aecio, o favorito da Globo, sendo preparado por Gilmar Mendes como o homem mais investigado do Brasil e o mais impoluto. Todas estas premissas sao validas, mas o cancer maior e’ a Globo, como diz o Ciro que parece mais um magoado que perambula por diversos partidos e atira pra todos os lados, vide o que ele fala de Lula, cada semana e’ diferente, Ciro disse para usar o controle remoto. Nao funciona, o que funciona e’ a reforma economica da midia que esta na constituicao. Quero uma midia plural como no Canada, Inglaterra e Escandinavia. Chega de monopolio. Este e’ o problema central.

    Responder

      Odara

      06 de junho de 2016 às 02h37

      Até o golpe, eu via conhecidos (gente despolitizada mas com boas intenções de justiça social) caindo no papo da Marina…. mas agora, quem ficou ao lado da democracia não será mais enganado pela fadinha da floresta de araque não!

      Responder

      Ita Marques

      06 de junho de 2016 às 17h39

      Isso de usar o controle remoto, é fugir do tema central que é democratização dos meios de comunicação. Nosso povo não tem elementos, filtros, para saber mudar de canal quando for tratado como massa de manobra, midiota. Pra isso é preciso entender o que está por trás do discurso.

      Responder

Deixe um comentário