Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Escola sem partido & Ferraduras mentais – lembrança de Oswald de Andrade

Por Bajonas Teixeira

19 de julho de 2016 : 22h23

Charge: Vitor Teixeira

Por Bajonas Teixeira de Brito Junior, colunista de política do Cafezinho.

As “ferraduras mentais”, todo mundo sabe, era uma expressão que Oswald de Andrade empregava vez ou outra contra seus desafetos. Nelson Rodrigues foi uma das vítimas desses coices e quando inventou seu ditado mais popular no Rio – “A pior forma de solidão é a companhia de um paulista” –, é provável que estivesse com a ferradura de Oswaldo em mente.

Mais o que importa é: ao ler sobre a escola sem partido, lembrei das ferraduras mentais. E como uma coisa puxa outra, além de Oswald, não pude esquecer de um fato ocorrido com o recém-empossado Mendoncinha, atual ministro da educação. No dia seguinte a posse, ele recebeu a visita de ninguém menos que Alexandre Frota, que falava em nome da intelligentsia golpista.

Frota encontrou o ministro e justificou esse encontro dizendo que havia ido entregar em mãos o projeto escola sem partido. Naquela época, escrevi um artigo com o título Um desenho para entender o governo Temer – Alexandre Frota.

Outro dia, para minha felicidade, alguém me mandou a entrevista de Alexandre Frota dada a coluna de Mônica Bergamo (26 de maio). Entre as muitas passagens involuntariamente cômicas, está essa em que o ex-ator pornô justifica a opção pelo nu artístico:

“Como se isso [ser ator pornô] fosse um crime, né? Não é crime nenhum. Isso foi uma escolha minha, e as pessoas se pegam nisso achando que vão me incomodar ou que vão me tirar do meu caminho. (…) Se eu tivesse do lado deles, eles jamais estariam falando sobre isso. Tem 11 anos que eu fiz isso e se eu quisesse esconder eu não teria feito.”

Frota além de bom ator, é um criador de paradoxos inusitados. De fato, ele diz que se quisesse esconder não teria feito. Esquece apenas um detalhe: que se não tivesse feito, não precisaria esconder.

A escola sem partido se parece com Frota, também não quer esconder nada. É escola como set de gravação de filme pornô. Uma escola sem pensamento, sem liberdade de opinião, sem discussão sobre normas e política (no sentido de Habermas), ou seja, sobre aquilo que decide a luta contra as coerções em favor da emancipação humana, é sem dúvida uma escola obscena. Na base da falsa preservação de valores tradicionais, os defensores querem criar a pornografia educativa. Nada menos.

O projeto de lei da escola sem partido, como tal, é proposta abaixo da linha do decoro intelectual, e não creio que mereça maior discussão. Seu nível desprezível não espanta, vindo das fileiras dos apoiadores do golpe. Por isso, discuti-la seria como entrar em luta corporal com umas das manchetes hediondas do Yahoo Notícias ou da Veja, ou seja, se bater contra o fim de feira da degradação.

No entanto, no caso desse projeto de lei da escola sem partido, do ponto de vista do mero bom senso, é preciso respeitar, quase reverenciar, a nitidez das cores com que se apresenta. Ele expressa muito bem o abismo que divide hoje, mas que vem de muito tempo, o país em dois mundos, enfim, nos “dois Brasis” sobre os quais já se gastou tanta tinta, seja para afirmar ou negar.

Dessa vez, contudo, a coisa parece ser mais grave e mais trágica: os políticos que propõe um projeto tão aberrante como esse da escola sem partido, não estão preparados para dirigir a prefeitura de uma cidade com mil habitantes. Mas eles hoje controlam o executivo e o legislativo do país. Onde as ferraduras mentais podem nos levar?

Bajonas Teixeira de Brito Júnior – doutor em filosofia, UFRJ, autor dos livros Lógica do disparate, Método e delírio e Lógica dos fantasmas, e professor do departamento de comunicação social da UFES.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

9 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Augusto Soares

26 de julho de 2016 às 16h55

#BolsomitoPresidente2018

Responder

Antonio Marc All

20 de julho de 2016 às 08h58

Escola tem que ensinar a ler escrever ,no Brasil tem 35 partidos todos corruptos e mal intencionados, quem quiser ser comunista que vá pra cuba que pariu!

Responder

    maralucyneto

    20 de julho de 2016 às 10h05

    Um cidadão que usa a linguagem que você usa tem nível educacional suficiente para ser capanga de bicheiro, mas para emitir opiniões políticas teria que ser reeducado. Você está só adaptando uma frase de Hitler contra os 34 partidos que havia na época que chegou a Chancelaria do Reich.

    Responder

    Adilton Jorge Ferreira Cruz

    20 de julho de 2016 às 11h20

    Você tem razão: realmente, a escola precisa mudar.
    Quem sabe essa escola proposta pelo Frota lhe ajude a aprender a ler e escrever.

    Responder

Antonio Passos

20 de julho de 2016 às 01h08

Incrível como se comprova no Brasil, a teoria de que as recaídas são sempre piores do que as própria doenças. Essa recaída do Brasil nas mãos da direita, nos atirou num período que só tem uma qualificação: TREVAS.

Responder

    Antonio Marc All

    20 de julho de 2016 às 09h00

    Cair nas mãos da esquerda bandida é a mesma coisa que cair nas mãos de uma quadrilha!

    Responder

Maria Thereza G. de Freitas

19 de julho de 2016 às 22h57

além da escola sem partido (oca, no meu entender) o usurpador teve 2 falas que dizem bem qual o projeto dessa gangue: numa, ele pretende acabar com a gratuidade (que nem é tão gratuita assim) do ensino dos níveis médio e superior; noutra pede à CNI que oriente seus filiados a darem empregos (não trabalho) a jovens que tenham se formado no exterior, por trazerem tecnologia e inovação dos “seres superiores” que não moram aqui. Pra trabalho braçal (e não emprego) basta saber o abc e a tabuada. Os que terão empregos, oferecerão trabalhos mal remunerados a quem não teve o “mérito” de ser bem nascido (além da óbvia manifestação de subserviência ou complexo de vira latas mesmo). Obsceno, pra dizer o mínimo e digno do “consultor” do MEC.#foratemer #foraentregistas

Responder

    Antonio Marc All

    20 de julho de 2016 às 09h03

    No Brasil tem 35 partidos todos corruptos, o pt é o mais desqualificado e mais corrupto, é por essas e outras que escola não é lugar de torcedor de partido!

    Responder

      Maria Thereza G. de Freitas

      20 de julho de 2016 às 09h52

      bom dia. dá uma lida no texto “escola sem partido. Parlamento sem moral. Governo sem vergonha”, aqui mesmo no cafezinho. E jura que vc ainda está brincando de combate à corrupção?

      Responder

Deixe um comentário