Jornal da Forum: Lula quer reindustrializar o Brasil!

Rubens Francisco: EUA esperam confirmação de sentença de Moro para devorar a Petrobras

Por Miguel do Rosário

15 de janeiro de 2018 : 08h44

A irresponsabilidade dos neomandarins do sistema de repressão não tem limites. As ações judiciais em curso no país, além de ilegais, estão deflagrando uma onda de processos internacionais contra o país, vindo de setores oportunistas que, de olho na profunda insegurança jurídica vigente por aqui, querem ganhar dinheiro fácil às nossas custas.

Um punhado de especuladores de Nova York acaba de levar R$ 10 bilhões da Petrobras, no mais escandaloso e corrupto processo de evasão de divisas da história brasileira, e ainda sob aplausos da nossa imprensa.

Se o TRF4 confirmar a sentença de Sergio Moro, abrirá espaço para que órgãos de justiça do mundo inteiro condenem a Petrobrás, avisa o advogado Rubens Francisco, diretor-jurídico de uma ong especializada.

***

TRF4 pode reduzir Brasil a “massa falida”

Por Cida de Oliveira, na Rede Brasil Atual

O diretor jurídico da Associação para Defesa e Amparo das Vítimas de Abuso e Poder (Pró-Vítimas), advogado Rubens Rodrigues Francisco, ingressou nesta quarta-feira (10), no papel de amicus curiae, com pedido de liminar, no recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à sentença condenatória do juiz Sérgio Moro, que será julgado no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), no próximo dia 24.

O amicus curiae (literalmente, amigo da corte) é um instrumento processual que permite o acesso de pessoas que não fazem parte de um processo judicial, mas que entendem que os efeitos do seu resultado ultrapassam as partes. Nesse caso, como a condenação de Lula, sem provas, vai repercutir – direta ou indiretamente – na vida de todos os brasileiros, na economia do país e na ordem social e política, diversos setores, como sindicatos e outras organizações podem ingressar ações do tipo.

A peça jurídica elaborada pelo advogado pede aos desembargadores que anulem o processo que levou à condenação de Lula por enxergar flagrantes ilegalidades, como a condução coercitiva do ex-presidente, em maio de 2016, inconstitucional, que serviu para “produção de prova” e a adoção da jurisprudência dos Estados Unidos, que traz prejuízos financeiros e instabilidades econômica, política e social ao Brasil. Aponta ainda a insegurança jurídica, que possibilita inúmeras demandas judiciais contra empresas e o erário brasileiro, em razão de uma alegada corrupção endêmica que o juiz Moro alega ter havido entre empresas e o governo brasileiro.

Clique aqui para acessar o texto da peça jurídica na íntegra.

E com base no próprio regimento do TRF4, o autor do amicus curiae pede ainda que os desembargadores intimem a presença do advogado Rodrigo Tacla Durán, cujo depoimento foi evitado por Moro.

“Tacla Durán tem todas as provas contra o modus operandi da Lava Jato. São provas de alta relevância Por isso é criminalizado, desqualificado e deslegitimado por Moro e é temido pelo Ministério Público”, disse Rubens Rodrigues Francisco à RBA. “Como ele entrou e reside legalmente na Espanha, pode ser chamado pela Justiça do país a se apresentar aos desembargadores. Não existe motivo para que o TRF4 se abstenha de seu dever legal.”

Além da condenação

Francisco também representa o senador Roberto Requião (PMDB-PR) no TRF1, em Manaus, que pede a suspensão do leilão do pré-sal realizado pelo governo de Michel Temer, em outubro. Segundo afirmou, a condenação de Lula, sem provas, nos moldes da Lava Jato, baseada em jurisprudência dos Estados Unidos, gera efeitos econômicos porque envolve a maior empresa brasileira, a Petrobras, que opera em diversas partes do mundo.

De acordo com ele, as consequências são nefastas porque há processos contra a empresa em diversos países, como Estados Unidos e Holanda, enquanto que outros aguardam a confirmação da sentença de Moro para entrar com ações.

Uma delas levou a Petrobras a assinar um acordo com investidores, para suspender uma ação coletiva por meio da Justiça dos Estados Unidos, na qual concordou em pagar uma multa de US$ 2,95 bilhões, correspondente a R$ 9,5 bilhões, em três parcelas iguais, duas em 2018 e uma em 2019.

A ação coletiva surgiu após a revelação, pela Operação Lava Jato, em 2014, de “um esquema de corrupção e superfaturamento em contratações da empresa”. Acionistas e donos de títulos de dívida da companhia foram à Justiça norte-americana, reclamando que sofreram prejuízos financeiros por causa do esquema e pedindo indenização.

“O juiz Jed Rakoff, de um tribunal de Nova York, está só esperando a definição do caso Lula para homologar o acordo que trará tanto prejuízo ao Brasil. Fora outros processos contra outras empresas brasileiras, como a Odebrecht, que estão sendo vítimas desse processo sui generis”, diz Francisco.

Para ele, a Petrobras, que é umas das autoras da ação contra Lula, é a rigor uma das vítimas. “É uma situação estranha, se formos levar em conta que Rodrigo Janot foi diversas vezes aos Estados Unidos levar informações da Lava Jato. Quando se analisa tudo isso, o triplex do Guarujá é apenas um pretexto. Tanto que na sentença, Moro coloca os verbos no modo subjuntivo, que expressa uma ação que poderia ter ocorrido, e não no pretérito perfeito. Ou seja, tudo teria acontecido. E se condena pelo fato consumado, provado.

“Então, quando se vê os efeitos que orbitam ao redor de uma sentença proferida sem provas, começamos a entender.”

Ou seja, “se os desembargadores do TRF-4 confirmarem a sentença de Moro, estarão atestando que a Petrobras é um lixo e que o governo brasileiro só tem bandido, embasando assim processos. É um cheque em branco porque a Petrobras se tornará alvo de ações indenizatórias e roubo de ativos em toda parte do mundo em que opera. Seremos então uma massa falida gigante. Por isso a condenação de Lula é um cheque em branco na mão dos estrangeiros, é a destruição da Petrobras e a entrega do pré-sal”.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

13 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Professor Mauro

16 de janeiro de 2018 às 19h39

A FEBRE AMARELA É UMA HERANÇA MALDITA DESASTRE DA SAMARCO COMO REVELAM OS SANITARISTAS DOS ESTADOS DE MINAS GERAIS E DO ESPÍRITO SANTO

A mídia não revela mas a febre amarela que já havia sido erradicada do Brasil no início do século XX pelo sanitarista Osvaldo Cruz.

Fato similar ocorreu na Ásia e no México também causadas por desastres ambientais na mineração em Puebla e Huatulco no México a BHP SAMARCO E BILLITON causaram rupturas de represa de rejeitos e lançamento de lama tóxica contendo metais pesados mercúrio arsênio matando peixes e aves e gerando transmissão pelo mosquito Aedes aegypti.

O desastre da BHP SAMARCO E BILLITON no Brasil ocorreu em novembro de 2016 matando dezenas de pessoas destruição da cidades de Bento Rodrigues e MARIANA, lançou 63 milhões de toneladas de lama tóxica no Rio Doce matou o rio e toda a fauna e afetou o abastecimento de água em 132 cidades nas margens do Rio Doce nos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo.
Os prejuízos causados pela ruptura da represa de Fundão em danos materiais foram de 370 bilhões de reais (100 bilhões de dólares) e afetou uma população de seis milhões de pessoas em 132 cidades

Esse desastre teria sido evitado se a CPI DA MINERAÇÃO instaurada no estado de Minas Gerais assembleia legislativa de Minas Gerais pelo deputado Rogério Lessa. A BHP e a CBMM REMUNERARAM Aécio cheira Neves e ANASTÁSIA em contas secretas na Alemanha LIECHTENSTEIN para arquivar e ABAFAR o contrabando de niobio que rendeu 200 milhões de dólares em propinas para Aécio cheira Neves e ANASTÁSIA em contas secretas na Alemanha
Esses crimes ocorreram após a PRIVATARIA TUCANA da CIA VALE DO RIO DOCE em 1997

Responder

Professor Mauro

16 de janeiro de 2018 às 10h03

Em alguns países juízes procuradores se conspiraram contra o país podem ser presos em prisão perpétua ou serem fuzilados por crime de traição a pátria. Na Malásia e na Turquia os golpes parlamentares e judiciários planejados pela CIA e pelas petrolíferas americanas todos pegaram prisão perpétua

Responder

Professor Mauro

16 de janeiro de 2018 às 09h33

As duas viagens em “missão secreta” do sinistro PGR Rodrigo Janot Medeiros de Barros aos EUA em reuniões secretas na SUPREMA CORTE AMERICANA foram feitas à revelia da então presidente do Brasil Dilma Rousseff. Sem prestar satisfações a Dilma Janot foi aos EUA conspirar contra o Brasil planejar os detalhes do golpe logo no início da lava jato uma operação cuidadosamente planejada usando os mesmos atores (doleiros, juízes, políticos aproveitadores) do ESCÂNDALO BANESTADO DO PARANÁ o propinoduto da PRIVATARIA TUCANA captou MEIO TRILHÃO DE REAIS das multinacionais para contas secretas de 300 políticos demo tucanos e dos partidos coligados no entreguismo lesa pátria em
troca das privatizações fraudulentas feitas na Bacia das almas
UM GOLPE SIMILAR AO GOLPE DO BRASIL FOI TENTADO PELA CIA E PETROLÍFERAS NA TURQUIA E NA MALÁSIA
Pasmem um golpe muito parecido com o golpe fa CIA no “BRAZIL” foi tentado na Turquia em 2015 contra o PREMIER ERDOGAN mas lá o golpe de estado fracassou Erdogan prendeu 2.750 juízes e políticos remunerados pela CIA e as petrolíferas estrangeiras
Também na Malásia um golpe similar ao da CIA no Brasil foi tentado em 2014 contra o primeiro ministro MAHATIR. O CORRUPTO George Soros aquele mega agiota e mega especulador da bolsa de NEW YORK
patrão de Armínio Fraga e amigo pessoal de FHC PLANEJOU atacar MAHATIR acusando Mahatir de corrupto e também atacando quarta maior petrolífera do mundo a PETRONAS OF MALASYA . Essa petrolífera tem também uma longa história de sucesso descobertas de campos gigantes na Ásia como as descobertas feitas pela Petrobras a PETRONAS é também proprietária dos dois maiores prédios do mundo as PETRONAS TOWERS em Kuala Lumpur.
Também na Malásia o GOLPE DA CIA E DAS PETROLÍFERAS AMERICANAS foi fracassado. TODOS os políticos corruptos e golpistas e os juízes envolvidos com a CIA FORAM presos e por pouco não foram fuzilados
Pobre Brasil o país caiu num golpe planejado como operação de guerra para tomar o Presal, criar o trabalho escravo, paralisar milhares de obras, frear o desenvolvimento do Brasil (em 2013 era a 9a economia do mundo) e obter a renúncia fiscal e ISENTAR AS PETROLÍFERAS ESTRANGEIRAS DOS IMPOSTOS SOBRE O PETRÓLEO destruir a previdência social.

Responder

Professor Mauro

16 de janeiro de 2018 às 08h48

Na realidade, como revelou desde 2011 o ex agente da CIA Edward Snowden o Brasil estava sendo espionado e esse golpe foi cuidadosamente planejada COMO OPERAÇÃO DE GUERRA para tomar as ações da ex estatal Petrobras e como maior alvo o gigantesco e super produtivo campo do PRÉ-SAL do Brasil
descoberto em 2006. Edward Snowden também revelou o caso do pré-sal da África descoberto com
base no roubo de notebooks da ex estatal Petrobras
num navio sonda da Hallibourton em 2007. Ambos o Presal brasileiro e o pré-sal africano (dez vezes menor que o brasileiro) foram formados há 65 milhões de anos na SEPARAÇÃO dos continentes Sul Americano da África (GOWNDWANA) após o impacto do meteoro gigante na península de Yucatan provocou muitas transformações no planeta, soterramento de uma gigantesca selva formando o Presal nas plataformas continentais da África e do Brasil, formando o Presal.

De nada adiantaram os alertas de Snowden a CIA e as e as petrolíferas anglo americanas continuaram agindo pois lucratividade produtividade dos campos do presal é gigantesca. A mídia golpista brasileira nada publicou em março de 2015 a ex estatal Petrobras recebeu a terceira premiação da OTC o Oscar do petróleo em 11/03/2015 pela elevada produtividade dos campos do presal é pelo imenso volume de petróleo. O campo descoberto pela Petrobras em Julho de 2006 extende se da Costa de Santa Catarina até o sul da Bahia numa largura média de 200 km. Isto dá uma dimensão maior que os campos da Arábia Saudita, Iraque e kwait juntos e com o diferencial de 176 bilhões de barris de óleo leve de alto valor comercial.
O CONSENSO DE WASHINGTON ASSINADO EM MARÇO DE 1993 PELO MINISTRO DAS RELAÇÕES EXTERIORES DE ITAMAR SR FHC PREVIA AS PRIVATARIAS TUCANAS REMUNERADAS PELAS MULTINACIONAIS E A VENDA DAS AÇÕES DA EX ESTATAL PETROBRAS A MAIOR EMPRESA BRASILEIRA E A ENTREGÁ DE 137 EMPRESAS NACIONAIS DE ENERGIA, TELECOMUNICAÇÕES, ÓLEO E GÁS E AS SUPER LUCRATIVAS PETROQUÍMICAS DO GRUPO PETROBRAS
FHC assinou esse NEFASTO CONSENSO DE WASHINGTON que gerou um documento secreto vazou na mídia em 1993: ” PRELIMINARY IDEAS STEP MT STEP FOR A PRIVATIZATION MASTER PLAN IN BRAZIL OF ELETROBRAS GROUP, TELEBRAS GROUP, VALE DO RIO DOCE GROUP, PETROCHEMICAL GROUP, PETROBRAS GROUP NAS INFRAERO GROUP – CONFIDENCIAL MEMORANDUM, CREDIT SUISSE BANK OF BOSTON – IMF INTERNATIONAL MONETARY FUND SIGNED BY CARDOSO BRAZILIAN MINISTER, HENRIQUE MEIRELLES FIRST BANK OF BOSTON, PEDRO PARENTE IMF.
Esse documento altamente lesivo ao Brasil foi publicado na íntegra no jornal empresarial Relatório Reservado e foi denunciado como o PLANO LESA PATRIA na época assinado no CONSENSO DE WASHINGTON pelo então ministro das relações exteriores sr FHC. O documento também foi detalhado nos EUA pelo economista London LAROUCHE no seu livro publicado em Washington em 1993; “EL COMPLOT PARA LAS NACIONES DE IBERO AMÉRICA” o livro cita FHC, MIGUEL DELLA MADRID, SALINAS, CARLOS MENEM e outros lesa PÁTRIAS da América Latina em conluio com o governo de Washington. Esse documento menciona os APAGÕES no Brasil e não foi coincidência o signatário sr PEDRO LALAU PARENTE que era funcionário do FMI em 199 ter sido nomeado pelo chefão das privatarias FHC.
O SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO ERA UMA REFERÊNCIA MUNDIAL E FHC COLOCOU EM PRÁTICA SABOTAGEM DESSE SISTEMA ELÉTRICO PLANEJANDO OS APAGÕES PARA JUSTIFICAR AS PRIVATARIAS TUCANAS EXIGIDAS PELO GOVERNO AMERICANO NO TAL CONSENSO DE WASHINGTON ASSINADO POR FHC EM 1993. PEDRO PARENTE FOI NOMEADO POR FHC EM 1999 PARA CORTAR VERBAS DE MANUTENÇÃO DAS LINHAS DE TRANSMISSÃO, SUBESTAÇÕES E GERAR OS APAGÕES E FAZER ENTREGA DAS LUCRATIVAS PETROQUÍMICAS DA EX ESTATAL PETROBRAS, E VENDER NA BACIA DAS ALMAS LOTES BILIONÁRIOS DE AÇÕES PREFERENCIAIS DA PETROBRAS ENTREGUES NA BOLSA DE NEW YORK EM 10 DE JANEIRO DE 1999.
DESSA FORMA OCORREU EM 1999 A “PRIVATIZAÇÃO BRANCA DA PETROBRAS NA BOLSA DE NEW YORK”;FHC DOOU UM LOTE BILIONÁRIO DE SEIS BILHÕES DE AÇÕES PREFERENCIAIS QUE VALIAM 500 BILHÕES DE DÓLARES DOADAS POR 5 BILHÕES DE DÓLARES E AS GIGANTESCAS PETROQUÍMICAS EX ESTATAL PETROBRAS (COPENE, COPESUL, BRASKEM, FAFEN, PAI, ETC) FORAM ENTREGUES EM 1995 PARA O AMIGO PESSOAL DE FHC SR EMÍLIO ODEBRECHT E O GRUPO
TURCO QATOR.
FHC SEGUIU PASSO A PASSO O RELATÓRIO SECRETO DO BANCO DE BOSTON: LOGO NA POSSE;

1- FHC criou a CONTA TUCANO (CH J&T) e empresas de fachada nas ilhas Cayman, ilhas britânicas e no Panamá em nome fo filho PHC e do genro David Zylberszyajn (DZ ENERGIA) O ESQUEMA BANESTADO no banco do estado do Paraná e uma sinistra REDE
TUCANA DE PROTEÇÃO JUDICIÁRIA no estado do Paraná (Sérgio Moro e Carlos Fernandes Santos Lima MORO É parente de dois tucanos fundadores do PSDB no estado sr OSVALDO MALUCELLI MORO e JOEL MALUCELLI e uma feroz blindagem no STF com Gilmar
Mendes e na PGR com GERALDO BRINDEIRO. Nessa época FHC transformou em VITALÍCIOS os cargos sinistros ministros do STF e criou enormes benefícios com o auxílio moradia e MUITOS outras vantagens
2- FHC RASGOU TODOS OS ACORDOS COLETIVOS DE TRABALHO DAS ESTATAIS CITADAS NO RELATÓRIO
3- FHC PLANEJOU E COLOCOU EM PRÁTICA SABOTAGEM DOS APAGÕES COM AJUDA DE PEDRO PARENTE
3- FHC RASGOU OS ESTATUTISESTATUTOS DAS ESTATAIS PARA NOMEAR FEROZES ALIADOS E TAMBEM ESTRANGEIROS NA EX ESTATAL EX ESTATAL PETROBRAS. EM 1996 FHC NOMEOU PAULO ROBERTO COSTA, O ESPANHOL NESTOR CERVERO, O BANQUEIRO FRANCÊS HENRY PHILLIPE REUSCHTULL QUE FORAM FEROZES ALIADOS PARA ENTREGA DAS AÇÕES PREFERENCIAIS NA BOLSA DE NEW YORK EM 1999
DESDE 2000 A UNIÃO QUE HOJE SÓ TEM 28% DAS AÇÕES DA PETROBRAS É OBRIGADA REMETER AO NYSE 60% DOS LUCROS DA EX ESTATAL PETROBRAS

Responder

LUCY

15 de janeiro de 2018 às 23h16

Aquelas duas missões secretas do sinistro sr RODRIGO JANOT em 2014, logo no início do GOLPE LAVAJATEIRO planejado pela CIA, o sr RODRIGO JANOT e Sergio Moro negociaram a entrega do pre-sal aos EUA e a isenção dos impostos em troca do golpe de 2016 o serviço sujo da CIA no caso da sabotagem do avião de Eduardo Campos como revelou o jornalista Wayne Madsen e o ex-agente Edward Snowden. Também o corruptíssimo sr José Chirico Serra conspirou no golpe de 2016 como vazou no Wikileaks com a Chevron em março de 2015: “SERRA PARA A CHEVRON: “CALMA, VAMOS DERRUBAR O GOVERNO, ENTREGAR O PRE-SAL, REVOGAR OS IMPOSTOS SOBRE O PETRÓLEO PARA AS PETROLÍFERAS ESTRAGEIRAS! ESSE SR CANALHA CORRUPTO VAMPIRO SERRALGIO (APELIDO DE SERA QUANDO FOI PRESO PELA DEOPS EM 1970) ELE É O SEGUNDO MAIOR GANGSTER DOS TUCANOS APÓS AÉCIO CHEIRA NEVES TAMBÉM MEGA DELATADO QUE VIVE AOS COCHICHOS COM O PAVÃO DE CURITIBA AGENTE DA CIA E TRAIDOR ENTREGUISTA. SERRA É O VICE- REI DO “TUCANISTÃO” E REIA DAS PROPINAS COMANDOU O QUADRILHAO DO GOLPE E DAS PRIVATARIS ESSE VAGABUNDO RECEBEU 30 MILHÕES DE REAIS DA OAS COMO DELATOU LEO PINHEIRO E DA ODEBRECHT NAS OBRAS SUPERFATURADAS DO “ROUBOANEL” DE SÃO PAULO E FOI MEGA BLINDADO PELO JUIZ TUCANO SERGIO MORO )

REPRODUZO UM TEXTO DO BRASIL 247 SOBRE O MAIOR CRIME DE CORRUPÇÃO DA HISTÓRIA DO BRASIL: A ROUBALHEIRA DAS PRIVATARIAS TUCANAS, COMO ALETOU REQUIÃO NO SEU DISCURSO NO SENADO EM 30/09/2015 (VIDE NO YOUTUBE) O ESCÂNDALO BANESTADO, O PROPINODUTO DAS PRIVATARIAS TUCANAS NO BANCO DO ESTADO DO PARANÁ ENVOLVE O MESMO JUIZ TUCANO, OS MESMOS DOLEIROS, OS MESMOS PROCURADORES E OS MESMOS 300 POLÍTICOS BLINDADOS NA OPERACÇÃO LAVA A JATO, UMA OPERAÇÃO CUIDADOSAMENTE PLANEJADA PELA CIA (QUE TREINOU SERGIO MORO EM 2009 PARA GOLPEAR O BRASIL,M CRIAR O RABALHO ESCRAVO, DESTRUIR A PREVIDÊNCIA E ENTREGAR AS RQIUEZAS NATURAIS DO BRASIL PARA OS MEGA ESPECULADORES E MULTINACIONAIS ANGLO-AMERICANAS
AS PRIVATARIAS TUCANAS – O DESMONTE DE UMA NAÇÃO E A ENTREGA DA SOBERANIA NACIONAL AO CAPITAL ESTRANGEIRO PELO QUADRILHÃO DE 300 POLÍTICOS CORRUPTOS LESA PÁTRIAS NEO OTÁRIOS TERCEIROMUNDISTAS BLINDADOS NO BANESTADO (PROPINODUTO DAS PRIVATARIAS TUCANAS NO BANESTADO BLINDADO NO PARANÁ PELO QUADRILHÃO DA LAVA A JATO QUE É O MESMO DO BANESTADO.
https://www.brasil247.com/pt/247/poder/94851/A-privataria-tucana-e-Lula—O-resto-%C3%A9-o-sil%C3%AAncio-ensurdecedor.htm
Há quinze anos, no mínimo, milhões de brasileiros sabiam e sabem que a venda do patrimônio público brasileiro no governo do presidente neoliberal Fernando Henrique Cardoso, conhecido também como FHC, foi e continua a ser a maior roubalheira contra os interesses do Brasil e do seu povo trabalhador. Mesmo se as transações fossem legais e éticas, os homens e mulheres do PSDB, do DEM e do PPS não tinham o direito de alienar empresas gigantescas, rentáveis e principalmente estratégicas para a segurança e o desenvolvimento do povo brasileiro.
https://gustavohorta.wordpress.com/2016/10/20/prejuizo-com-privataria-de-fhc-chegaria-a-15-trilhoes-de-dolares-cafe-na-politica/

Sempre afirmei ainda que os tucanos emplumados e seus comparsas aliados de crimes de lesa pátria, o DEM e o PPS, que também participaram da privatização de estatais preciosas para a nossa independência e autonomia, como a Vale do Rio Doce e o sistema Telebrás, deveriam estar presos, na cadeia, e dessa forma expurgados da vida da política nacional, a bem do serviço público, além de a punição ser também uma satisfação ao povo brasileiro e às gerações passadas, que construíram o Brasil e depois ter de aturar pessoas completamente divorciadas dos interesses da Nação.
O ESCÂNDALO BANESTADO: 124 BILHÕES DE DÓLARES EM PROPINAS A 300 POLÍTICOS DEMO TUCANOS E UMA CONTA CHAMADA TUCANO (CH J&T)
http://verdadesoccultas.blogspot.com.br/2016/05/124-bilhoes-de-dolares-e-uma-conta.html

A alienação do bem público brasileiro, construído com dedicação, estudo, pesquisa, trabalho, suor e investimentos orçamentários no decorrer do século XX, principalmente a partir da ascensão, em 1930, do presidente nacionalista, o estadista Getúlio Vargas, foi uma rapinagem e pirataria, com o apoio, indelével, da imprensa privada brasileira, aquela mesma que até hoje considera os princípios do neoliberalismo a única solução para atender as demandas das sociedades, apesar do derretimento dos mercados de capital e imobiliário e da insolvência de estados nacionais como a Grécia, a Irlanda, Portugal, a Espanha, a Itália, com reflexos terríveis para países poderosos como a Alemanha, a França e a Inglaterra, que foi superada pelo Brasil no que concerne ao tamanho do PIB.
https://jornalggn.com.br/noticia/bilhoes-de-dolares-e-uma-conta-chamada-tucano-por-armando-rodrigues-coelho-neto

A doação de estatais estratégicas do Brasil foi um processo estudado e depois colocado em prática por aqueles que foram eleitos em meados da década de 1990 e nomeados para administrar e zelar pelos nossos interesses, o que, terminantemente, não ocorreu. A verdade é que esse processo dantesco de entrega das riquezas nacionais e da submissão do Brasil teve seu início no governo do presidente que renunciou para não ser cassado, Fernando Collor de Mello, que começou a abrir com maior vigor o nosso mercado interno, bem como colocar em prática o que foi estabelecido pelo Consenso de Washington de 1989, que começou a impor ao mundo o pensamento neoliberal, que é alicerçado em princípios que diminuem o estado, bem como prega a não intervenção estatal na economia.
Esses “dogmas” foram levados à cabo pelo ex-príncipe dos sociólogos, FHC, que se transformou no sapo do entreguismo e da aplicação nua e crua do neoliberalismo no Brasil, com a assessoria constante e influente do homem da bolinha de papel, o senhor José Serra, que realizou, em 2010, juntamente com a velha imprensa comercial e privada, a campanha presidencial de maior baixaria de todos os tempos.
https://www.revistaforum.com.br/2016/09/29/lobista-do-pmdb-denuncia-envolvimento-do-filho-do-fhc-no-esquema-da-petrobras/

Mesmo assim não conseguiu convencer o povo brasileiro, que nunca foi trouxa e muito menos alienado ao ponto de não perceber que o Brasil de Lula foi infinitamente melhor do que o Brasil do vendilhão e traidor da Pátria conhecido por FHC — um verdadeiro Joaquim Silvério dos Reis, o Judas do Brasil, o pai do neoliberalismo, sistema que, inclusive, extinguiu empregos em vez de criá-los.
Os governantes tucanos diminuíram as tarifas alfandegárias e retiraram quase todas as restrições comerciais para facilitar a entrada de produtos estrangeiros. A intenção era favorecer os grandes exportadores, o que, sobremaneira, não interessava ao nosso mercado
interno, porque quando um País privilegia demais um setor da economia, como foi o caso do comércio exterior, os empregos são criados lá fora e não no mercado interno. As exportações têm de ser fortalecidas e consideradas, pois importantes, mas o mercado do Brasil é essencial para que possamos nos desenvolver. Não é à toa que o aquecimento do nosso comércio e indústria contribuiu, indubitavelmente, para que o Brasil não sentisse muito a crise internacional iniciada em 2008.
Não satisfeito em vender estatais poderosas e rentáveis como a Vale do Rio Doce, as siderúrgicas, a Telebras e as companhias de eletricidade, dentre muitas outras, os tucanos reduziram os gastos (na verdade, investimentos) em setores essenciais como a saúde, a educação, a moradia e a previdência. O propósito de não investir tinha a finalidade de desviar o dinheiro para o pagamento das dívidas externa e com os fornecedores do Governo, ou seja, os empresários e banqueiros. A falta de comprometimento e responsabilidade desses tucanos com o País fez com que esses setores entrassem em colapso, além de o País ainda ter de enfrentar o famoso “apagão” durante dez meses, bem como ter grande prejuízo com o afundamento de uma das maiores plataformas de petróleo do mundo, a P-36. Os trabalhadores sofreram também com o congelamento do salário mínimo e não recebiam reposições salariais, de acordo com o índice da inflação.
“O trabalhista Lula fortaleceu o mercado interno, criou empregos e pagou a dívida. FHC, o Neoliberal, vendeu o Brasil”.
O Governo tucano e neoliberal de FHC foi o governo “cavalaria de Átila”, ou seja, por onde passava nem a grama nascia. Nunca vi tanta insensatez e ganância no que tange a vender o patrimônio público e à falta de respeito e de consideração com o povo trabalhador brasileiro. A privatização do PSDB e do DEM foi a maior entre os países da América Latina. E eles estão soltos, como se nada tivesse acontecido. Esse pessoal tucano sempre considerou investimentos como gastos e por isso somente atendeu as exigências do FMI e o que foi estabelecido pelo Consenso de Washington. O neoliberalismo do Governo FHC foi tão radical que fez com que a “criadora” que colocou em prática o neoliberalismo em termos mundiais, a ex-primeira ministra britânica, Margaret Tatcher, sentir-se uma iniciante — aprendiz de fórmulas econômicas que permitissem a brutal concentração de renda e de riqueza.
Os tucanos foram generosos, evidentemente, ao conceder empréstimos a juros baixos via bancos de fomento, como o Banco do Brasil, o BNDES e a CEF. Empresários como Carlos Jereissati e Daniel Dantas agradeceram penhoradamente. Realmente, aconteceu no Brasil o que já tinha acontecido no México e no Chile, país este que foi cobaia ainda na década de 1970 do neoliberalismo, à frente desse vampiresco processo os chicago boys do ditador sanguinário Augusto Pinochet. O governo tucano entreguista e lacaio dos interesses dos europeus e dos EUA, não satisfeito com tanta desfaçatez, propôs ainda a redução de direitos trabalhistas e da força de negociação dos sindicatos. Eram metas a serem alcançadas pelo governo neoliberal, que, porém, não conseguiu alterar ou tirar direitos essenciais conquistados pelos trabalhadores desde os tempos do estadista gaúcho Getúlio Vargas.
O Programa Nacional de Desestatização, o Plano Collor e a abertura do mercado nacional às importações foram as senhas para a desestruturação do estado, por meio da venda de estatais à iniciativa privada. À frente da lavagem cerebral estavam a imprensa e o sistema midiático. A finalidade era fazer com que o povo brasileiro aceitasse a rapinagem, a pirataria, a roubalheira do patrimônio nacional. A propaganda era constante e os jornais televisivos e impressos repercutiam a alienação dos bens brasileiros como se fosse uma coisa necessária, normal, natural, primordial para o Brasil integrar um mundo “moderno”, regulado por si mesmo, ou seja, auto-regulado e regulamentado, praticamente sem a intervenção do estado. A resumir: os banqueiros, os grandes empresários dos diversos setores da economia passariam como passaram a estabelecer as regras, as normas, inclusive no que concerne à fiscalização, à concorrência, ao combate ao dumping e à estabilidade dos preços. Seria cômico se não fosse trágico.
Os estados nacionais não podem e não devem deixar a raposa cuidar do galinheiro. Salutar se torna também não deixar o lobo cuidar das ovelhas. Do contrário, a vaca vai para o brejo. E foi. O foi em 2008. A crise internacional “lambeu” os princípios do deus mercado e os economistas, políticos, jornalistas, empresários e a classe média papagaio de pirata e de direita acabaram com os burros na água, e perceberam que o neoliberalismo não tinha e nunca teve princípios, porque não os tem, não os possui. Sua natureza é a exploração de poucos sobre muitos. Quem considera o mercado e os números mais importantes que o ser humano não pode vencer, porque a riqueza é intrínseca à condição humana, maior e única responsável pela riqueza ou pobreza da humanidade.
O Brasil teve a infelicidade de ser por quase quarenta anos comandado pelos monetaristas, a começar por Eugênio Gudin e Roberto Campos. Terminou mal, nas mãos de Pedro Malan, cujo chefe era o presidente neoliberal Fernando Henrique Cardoso, que, além de estar solto, tem a cara-de-pau de dar palpites que ninguém quer ouvir, porque as pessoas não são bobas ou trouxas para sempre. Quem o ouve é a Folha de S. Paulo, a Veja, o O Globo e seus congêneres. Eles ainda estão nas décadas de 1970/80 e principalmente na de 1990, quando os tucanos venderam o País e eles apoiaram tal roubalheira sem pestanejar, afinal são golpistas desde os tempos de Getúlio Vargas.
O golpismo, o entreguismo, a subserviência, o complexo de vira-lata são o DNA deles, suas impressões digitais. Essa gente tem orgulho de ser colonizada e por isso não tem resquício de vergonha. O caso da Chevron que derramou óleo na Bacia de Campos e o golpe de estado em Honduras são episódios emblemáticos do servilismo e da mente imperialista dos donos dos meios de comunicação brasileiros e de seus jornalistas de confiança, que chegam ao cúmulo de não reconhecer os avanços do Brasil nos últimos anos apesar dos números gigantescos nos aspectos social e econômico.
Muitos afirmam que as ideologias acabaram e eles são extremamente ideológicos e de direita. A censura da imprensa velha, comercial, corporativa e privada (privada nos dois sentidos, tá?) ao livro “A Privataria Tucana” de autoria do jornalista Amaury Ribeiro Júnior, que vendeu em apenas quatro dias mais de 30 mil exemplares, demonstra que a imprensa, a mídia, não está interessada em combater a corrupção como ela apregoa no Governo Dilma e apregoou no Governo Lula. A imprensa, definitivamente, mostrou quem ela é e a quem ela serve. O poder midiático privado serve aos ricos, aos interesses do grande capital internacional e nacional e combate, ferrenhamente, todo e qualquer governo trabalhista do Brasil e do exterior. A imprensa censura a si mesma quando percebe que os interesses de grupos empresariais, inclusive os dela, estão em xeque, como ocorre no momento por causa do livro do Amaury.
O silêncio da imprensa é ensurdecedor e rompe os tímpanos do bom senso, da verdade, do jornalismo e do interesse público. Contudo, a imprensa de negócios privados censura a si mesma e silencia para que a corrupção tucana e dela mesma não se dissemine por todos os segmentos sociais. Essa realidade acontece porque a imprensa entreguista tem lado, é partidarizada, além de ser useira e vezeira em manipular, distorcer, dissimular e até mesmo mentir para ter seus interesses e dos grupos os quais representa sejam concretizados.
Os barões midiáticos não se fazem de rogados e impõem o silêncio ao povo brasileiro sem se preocuparem, entretanto, com sua credibilidade futura, porque apesar de a blogosfera sistematicamente desmenti-los, a velha imprensa alienígena continua a demonstrar sua falta de compromisso com o Brasil e o seu povo, e por isso vai continuar a exercer seu papel de ponta-de-lança dos interesses do capitalismo internacional, bem como ser indutora de conspirações, principalmente contra os nacionalistas e trabalhistas, que ocupam, no decorrer da história, a cadeira da Presidência da República. É isso aí.

Responder

Reginaldo Gomes

15 de janeiro de 2018 às 19h02

Trocando em miúdo:
Quem são os especuladores abutres que roubaram os 10 bilhões da Petrobras?
—- Essa turma de criminosos é mais velha que as múmia do Egito. Eles são os únicos criminosos que tirou o bom humor do Cristo. São aqueles vagabundos preguiçosos que o Cristo chutou-lhes o traseiro e chicoteou-lhes o lombo dentro do templo. É o sistema financeiro, que na época se chamavam cambistas e, como nos tempos de hoje, mandavam na política, nas religiões, no povo, etc.
Praga milenar.
Essa praga tem vários nomes : rentistas, banqueiros, doleiro, agiota, preguiçoso, agente financeiro, especulador, usurário, sovina, mão de figa, pão duro, vampiro, avarento, etc. Tudo a mesma sopa.

Responder

Professor Mauro

15 de janeiro de 2018 às 14h28

Esse GOLPE JUDICIÁRIO baseado em convicção falsificação de PROVAS foi aplicado na Índia contra Gandhy e na África do Sul contra Nelson Mandela para criar um regime nazi fascista do APARTHEID

Responder

Professor Mauro

15 de janeiro de 2018 às 12h56

Na realidade o golpe planejado pela CIA que treinou em 2009 o juizeco boca mucha principal ator da blindagem dos 300 políticos corruptos envolvidos nas privatarias tucanas caso BANESTADO é um golpe não somente contra a petrolífera que descobriu a maior reserva petrolífera e a mais lucrativa do mundo (presal) é um GOLPE contra a soberania nacional, entrega das usinas hidrelétricas, da criação do trabalho escravo e autodestruição de uma nação usando a farsante OPERAÇÃO LAVA JATO cuidadosamente planejada COMO OPERAÇÃO DE GUERRA falsificando provas e blindando o quadrilhao do golpe para garantir o desmonte neo liberal iniciado pelo corrupto sr FHC e outros vendilhões da pátria que ganharam MEIO TRILHÃO DE REAIS EM PROPINAS PAGAS PELAS MULTINACIONAIS em troca das privatarias remuneradas no BANCO DO ESTADO DO PARANÁ que captou essa fortuna no desgoverno TUCANO FHC para remunerar corruptos vira latas lesa pátria neo otários terceiro mundistas para transformar o país em colônia dos EUA. Esse etanol antigo sonho do corrupto crocodilo caimao FHC que desde 1970 vem sendo remunerado pela CIA e Fundação Ford como revela o livro QUEM PAGOU A CONTA de Sebastião Nery. FHC recebeu num milhão de DÓLARES em 1970 logo após obter uma gorda aposentadoria precoce aos 37 anos de idade e ir ao falso no exílio no Chile para ajudar no GOLPE contra Allende e depois fugiu para os EUA a lá PERMANECEU até 1978be voltou para se infiltrar como falsa oposição e planejar aquele golpe eleitoreira no governo Itamar atuando como ministro das relações exteriores ele assinou o nefasto consenso de Washington em março de 1993 prometendo fazer as privatarias e o desmonte nacional.
Em 1994 a REDE GLOBO TIME derrubou o AUTOR do PLANO REAL Rubens Ricupero e Roberto Marinho ligou para Itamar Franco exigindo a nomeação de FHC na pasta da Fazenda e FHC ASSUMIU a falsa autoria do plano real e seu golpe eleitoreira que enganou os eleitores em novembro de 1994.
Desde 1995 a TEIA TUCANA DE PROTEÇÃO JUDICIÁRIA foi montada por FHC e o quadrilhao lesa pátria para blindar o ESCÂNDALO BANESTADO o propinoduto das privatarias tucanas captou MEIO TRILHÃO DE REAIS das multinacionais em troca das privatarias na Bacia das almas tudo foi abafado no Paraná DESDE 1997 pelos MESMOS PROCURADORES e o juiz tucano Sérgio Moro agente da CIA

Responder

Professor Mauro

15 de janeiro de 2018 às 11h32

O processo contra Lula foi desmascarado pelo próprio judiciário na última sexta feira pela juíza Luciana Oliveira de Brasília numa ação de credores da OAS encontrou apenas 10 mil reais na conta da OAS e pasmem a juíza encontrou no cartório de imóveis em Guarujá no edifício Solaris o tal triplex factoide que mentiroso e agente da CIA lesa pátria o pavão de Curitiba sr Sérgio Moro e o paranóico Delagnol
atribuíram a Lula.
ESSE CASO DO TRIPLEX DE GUARUJÁ VIROU UM FILME DE COMÉDIA JUDICIÁRIA UM CIRCO MIDIÁTICO PATROCINADO PELA CORRUPTA REDE GLOBO E OS NAZISTAS FACISTAS DA FARSA DA LAVA JATO A BASE DO GOLPE QUE MENTE DESCARADAMENTE PARA AJUDAR A CIA E AS MULTINACIONAIS A SAQUEAR AS RIQUEZAS NATURAIS DA AMÉRICA LATINA
A foto do JUIZ TUCANO SÉRGIO MORO aos cochichos com o senador traficante e drogado e mega delatado rei extorsão bandido Aécio cheira Neves mostra a face da TEIA TUCANA DE PROTEÇÃO JUDICIÁRIA criada em 1995 para blindar o ESCÂNDALO BANESTADO o propinoduto das privatarias tucanas remuneradas na era FHC a 300 políticos corruptos vira latas lesa PÁTRIAS do quadrilhao do golpe e do entreguismo tucano
Como lembrou Requião o escândalo Banestado foi o maior crime de corrupção da história do Brasil ocorreu no Paraná entre 1995 e 2002 e teve a blindagem de fascistas a serviço dos banqueiros da CIA e das MULTINACIONAIS, O sinistro Carlos Fernandes Santos Lima z (A esposa era funcionária do banestado na lavanderia de propinas das multinacionais para remunerar as privatarias tucanas) e o mentiroso e corrupto tucano sr Sérgio Moro parente dos fundadores do PSDB e donatários do poder no estado Paraná e donos do Paraná Banco, construtora J MALUCELLI, Grupo MALUCELLI e REDE GLOBO TIME LIFE no Paraná e também sócios da BAND NEWS com João Saad.
SÉRGIO MORO FOI ESCOLHIDO PARA NA ERA FHC para comandar a TEIA TUCANA DE PROTEÇÃO JUDICIÁRIA e blindar corruptos e soltar os 70 doleiros presos na operação MACUCO no escândalo Banestado

Responder

Mariana de Medeiros

15 de janeiro de 2018 às 11h24

Lula que a principio ficara preso em Curitiba, poderá pedir transferência para Tremembé em função da idade e lações familiares em SP. Isso foi o que eu me informei.
Tremembé fica entre SP e RJ portanto fácil acesso para juntar uma multidão de pessoas e fazermos constantes manifestações em frente ao presidio. Quero ver umas 10 mil pessoas em frente se manifestando, se eles terão coragem de tentar algo

Responder

Benoit

15 de janeiro de 2018 às 10h59

Não há dúvida que o processo contra o Lula apresenta uma série de irregularidades incompatíveis com um Estado de direito.

Mas ainda de mais peso do que isso é o fato de que o processo em si contraria os interesses do Estado de um modo grave. Na Alemanha processos podem ser cancelados por falta de interesse público na realização do processo. Há muitas razões para cancelar um processo, o que pode acontecer em qualquer altura desde o início quando o procurador analisa o caso, até à sentença do juiz. Muitas vezes o processo é cancelado em troca do pagamento de uma multa. Isso acontece com bastante frequência. O artigo na wikipedia (“Einstellung des Strafverfahrens (Deutschland”)) menciona alguns casos famosos, entre os quais contra o Helmut Kohl por causa de financiamento ilegal do partido dele. O processo foi cancelado em troca do pagamento dele de uma multa de 300 mil marcos. Um caso recente também mencionado pela wikipedia foi o do Bernie Ecclestone (o dono da Fórmula 1) por causa de corrupção e outras razões num caso especialmente grave (segundo a acusação). Ele pagou uma quantia de 100 milhões de dolares à Caixa Estatal Bávara (bayerische Staatskasse) em troca do cancelamento do processo. Mas processos também podem ser cancelados sem o pagamento de multa conforme o caso. A noção de “interesse público” desmpenha um papel nessas considerações. Há ainda a razão de Estado, que não sei bem de que modo ela pode influenciar a realização de processos. Mas nos Estados Unidos há processos cancelados quando o Estado alega que eles possam influenciar a segurança nacional de qualquer modo, mesmo quando isso não parece ser o caso.

É realmente só no Brasil que se realizam processos contra o interesse do Estado, contra o interesse público e da sociedade e ainda por cima contra normas jurídicas básicas chegando a uma sentença injusta e monstruosa. Lula foi o político que mais se esforçou por uma conciliação histórica no país, que mais se esforçou por modernizar o Brasil. Agora é ele que é perseguido pelos setores mais atrasados, ignorantes e perversos da sociedade brasileira. Espero que os juízes fazendo a revisão do processo possam corrigir o que foi feito, mesmo que muitas das consequências negativas desses processos políticos para o país sejam difíceis de reverter.

Responder

Maria Thereza

15 de janeiro de 2018 às 08h59

ainda bem que alguma coisa está sendo feita, embora não saiba quais resultados práticos virão dessa intervenção. Mas se a sentença for confirmada, adeus Brasil. Seremos apenas um imenso território a ser rapinado.

Responder

Deixe um comentário

O 2021 de Bolsonaro O 2021 de Ciro Gomes O 2021 de Lula Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade