Ao vivo! Lideranças políticas e intelectuais europeus defendem liberdade de Lula

As impressionantes semelhanças entre Lula e o filósofo Sócrates

Por Pedro Breier

10 de Abril de 2018 : 18h08

(Não é só a barba)

Por Pedro Breier

O filósofo grego Sócrates foi condenado à morte por envenenamento, acusado de corromper os jovens e pregar a descrença nos deuses.

Sócrates explicou, na sua defesa diante dos cidadãos atenienses que o julgariam, os motivos reais da perseguição que sofria.

(Como se vê, a direita brasileira está longe de ser pioneira na estratégia de inventar acusações fuleiras para esconder os verdadeiros motivos de uma perseguição injusta).

A história é mais ou menos a seguinte.

Um amigo de Sócrates chamado Querofonte perguntou ao célebre Oráculo de Delfos se havia alguém mais sábio do que Sócrates. O oráculo respondeu negativamente.

Sócrates, que não se considerava de modo algum um sábio, resolveu lançar-se, depois de muito matutar, à empreitada de entender o que quis dizer o Oráculo, procurando pessoas que seriam mais sábias do que ele.

O primeiro foi um político que parecia sábio aos olhos do filósofo. Conversando com o cidadão, Sócrates percebeu que o homem parecia sábio a muitos outros e principalmente a si mesmo, mas não o era, de fato.

Sócrates concluiu então que era mais sábio que o político por saber que não sabe nada, enquanto o político acreditava saber alguma coisa sem sabê-la.

O homem não parou mais.

Procurou todos aqueles que diziam saber qualquer coisa e acabou concluindo que a verdadeira sabedoria estava na consciência da própria ignorância. Era como se o Oráculo quisesse dizer algo como:

Aquele dentre vós, ó homens, são sapientíssimos os que, como Sócrates, tenham reconhecido que em realidade não tem nenhum mérito quanto à sabedoria.

Jovens passaram a seguir Sócrates e a imitá-lo na análise da sabedoria dos homens.

Aqueles que eram desmascarados, muitos deles poderosos e influentes, não ficavam nada contentes e passavam a caluniar e acusar Sócrates, processo que desaguou na sua condenação à morte.

Segundo o filósofo, direcionaram-lhe acusações comuns, que eram movidas a todos os filósofos, “porque não querem, a meu ver, dizer a verdade, isto é, que descobriram a presunção de seu saber, quando não sabem de nada”.

Passemos a Lula.

O ex-presidente conta reiteradamente em seus discursos a história de que Fernando Henrique Cardoso estava feliz de passar a faixa presidencial a Lula, apesar do candidato do seu partido ter sido José Serra.

Lula diz que FHC – e, de resto, toda a elite – apostava no seu fracasso como presidente da República. Um reles retirante nordestino, metalúrgico, sem diploma universitário e que fala como alguém da ralé faria um governo desastroso e abriria caminho para a volta triunfal de FHC à presidência.

Como se sabe, deu ruim.

Lula fez, com todas as suas contradições, erros e moderação, provavelmente os melhores governos da história do nosso país – o que é confirmado por todas as pesquisas que indagam sobre o melhor presidente da história.

Pois o fundo psicológico dessa perseguição violentíssima a Lula e ao seu partido parece ser o mesmo da perseguição a Sócrates: a não admissão, por parte dos poderosos metidos a sábios, de que um qualquer havia desmascarado a sua empáfia vazia.

Lula, ao transformar o Brasil em um dos países mais respeitados do planeta, fez desmoronar a arrogância classista da nossa elite, que só produz miséria e sofrimento quando está no poder.

Assim como Sócrates, Lula não poderia ficar impune diante de tal ousadia.

As semelhanças não param por aí.

Durante o seu julgamento, Sócrates argumentou que quem perderia com a condenação não seria o próprio filósofo, mas a cidade de Atenas. “Ficai certos de uma coisa: se me condenardes por ser eu como digo, causareis a vós próprios maior dano que a mim”.

Lula, milhares de anos depois, no discurso após a confirmação da sua condenação pelo TRF 4, seguiu a mesma linha de Sócrates: “Quem está no banco dos réus é o Lula mas quem foi condenado é o povo brasileiro”.

Há afinidade entre Sócrates e Lula até mesmo na hora de cumprir a pena.

Sócrates teve a chance de sugerir aos julgadores uma pena alternativa à morte, como a prisão ou o exílio.

Convicto de que não havia feito injustiça a ninguém, preferiu a morte – que era, segundo ele, uma incógnita – a escolher alguma outra injustiça para si próprio. Ainda sugeriu, irônico, que fosse sustentado pelo Estado no Pritaneu, sede dos membros dos governos das cidades-estado da Grécia Antiga.

Lula, igualmente convicto da sua inocência, também decidiu submeter-se à pena imposta pelos carrascos da democracia brasileira, como que para completar o desígnio histórico de ser o protagonista de mais um capítulo da luta milenar da humanidade por liberdade.

Não bastasse o sucesso de seus governos, a elite tacanha que parasita o nosso país ainda tem que engolir mais essa: Lula, o presidente operário que brotou da miséria, entrou no panteão dos grandes personagens da história da humanidade ao repetir, milhares de anos depois da morte de Sócrates, a saga épica de um dos fundadores da filosofia ocidental.

Durma-se com um barulho desses.

* Inspiração, consulta e citações: Apologia de Sócrates, de Platão.

Pedro Breier

Pedro Breier, colunista d'O Cafezinho, é formado em direito mas gosta mesmo é de jornalismo. Nasceu no Rio Grande do Sul e hoje vive em São Paulo.

30 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Emilia M. de Morais

13 de Abril de 2018 às 09h39

Um diálogo de Platão que aproximaria mais ainda Lula de Sócrates é o “Criton”, onde o personagem filósofo discute com o seu discípulo a sua recusa à oferta de fuga que este lhe trouxera.
Valeu muito a lembrança mas é uma pena que o jovem articulista tenha conhecimento insuficiente sobre Platão.

Responder

Eurípedes Pereira

12 de Abril de 2018 às 04h53

Ok. Estão harmonizando lula, sim. Concordo com as semelhanças, mas não podemos ignorar, que lula, não consegui provar sua inocência. É desproporcional essa perseguição com relação aos crimes a ele imputado, mas não podem ser ignorados. Pois ai comete se o erro de achar que só por que ele foi um bom presidente, ele tenha imunidade eterna.

Responder

    Miguel do Rosário

    12 de Abril de 2018 às 13h59

    Conseguiu sim provar sua inocência. Mas que eu saiba, um sistema democrático exige que se prove a culpa. Provar a inocência é uma coisa surreal, que entra no campo da metafísica e do delírio. A inocência aqui é inocência jurídica em relação a um processo específico.

    Responder

    Batista Neto

    15 de Abril de 2018 às 00h58

    Pesquisa do Datafolha realizada entre 26 e 30 de janeiro, cinco dias após o fatídico julgamento do TRF-4.

    O presidente mantém a liderança da pesquisa para o pleito com 34% a 37%

    Bolsa com 16% e 17%.

    Marina Silva em terceira colocação com no máximo 10%

    Alckmin Não passa dos 8%

    A GLOBO tem 8% com o seu candidato.

    Do total de preferências, temos 37% para Lula contra 33% de escolha dos demais candidatos produzidos pela BANCA, mesmo considerando pelo menos 15 anos mais recentes de campanha difamatória implacável em desfavor do LULA.

    Considerando tudo isso, ainda assim, essa conta aponta que o Lula desfruta de 53% da preferência do eleitorado brasileiro e, portanto, se a eleição fosse hoje, venceria no PRIMEIRO TURNO.

    Por isso as quadrilhas compostas por agentes do judiciário associados com os empresários corruptos da mídia, controlados todos pela BANCA, inventam qualquer coisa para acusar e condenar o Lula. Mas os números mostram que o verdadeiro juiz, O POVO, o absolve. Então está comprovada a sua inocência, mesmo que ele fosse culpado de alguma coisa. O que não é verdade.

    Responder

Luiz Carlos

12 de Abril de 2018 às 01h09

Olhar pela política abrir uma mera discussão saudável e sempre válido é ainda com Sócrates e Platão tudo de bom. Mais abrir a ignorância e homofobia pra discussão homofóbica é complicado..

Responder

Mauricio

11 de Abril de 2018 às 09h35

Sócrates e Lula ja entraram para a História, em compensação, seus detratores terão no máximo um cantinho no rodapé dos livros de História.

Responder

Carlos

11 de Abril de 2018 às 00h01

Sócrates também gostava de uma pinga?

Responder

    Miguel do Rosário

    11 de Abril de 2018 às 01h46

    Sim, bebia muito. Leia O Banquete.

    Responder

      ramon

      11 de Abril de 2018 às 15h24

      Além de promíscuo e gostar de um “rapazote”, ou alguém acha que na Grécia antiga a homossexualidade não era exclusividade total – com o perdão da redundância – de filósofos e políticos. Qualquer semelhança com o momento filosófico-político-lulopetista do Brasil não é mera coincidência.

      Miguel do Rosário

      11 de Abril de 2018 às 18h17

      o cara é tão fascista que estende sua homofobia e intolerância a um filosofo que viveu há mais de dois mil anos.

    Denis Ferreira

    11 de Abril de 2018 às 09h18

    Na verdade, pinga é o nome popular que damos à cachaça, bebida genuinamente brasileira. O que se tomava na Roma antiga era principalmente o vinho e o run. Então, Sócrates se embebedava com vinho e run. Se ele tivesse conhecido a pinga, iria adorar.

    Responder

      Paulo

      11 de Abril de 2018 às 20h52

      Roma antiga? Jura? Caramba…

Reginaldo Gomes

10 de Abril de 2018 às 22h20

Perfeito. Que o golpe fuleiro durma com esse barulho por mais 2mil anos.

Responder

Gilberto Tadeu Vicente

10 de Abril de 2018 às 21h50

Eu que sou fã de Platão e li tanto a Apologia à Sócrates de Platão como de Xenofontes, concordo com a comparação e digo mais.

Vejam como os Juízes e Políticos brasileiros estão atrasados, pois estão repetindo os mesmos erros que cometeram com Sócrates há 2.400 anos atrás.

O resultado é que Sócrates vive ainda hoje nos corações de TODOS os homens que buscam a sabedoria, mas conquistaram o saber de que nada sabem.

Com o Lula, acontecerá o mesmo porque ficará na História como o melhor e mais injustiçado Presidente do Brasil e os seus algozes cairão no esquecimento precoce e não fugirão à JUSTIÇA DIVINA, a qual não é um castigo de Deus, mas colheita de suas próprias e odiosas plantações.

Responder

Edimar

10 de Abril de 2018 às 21h37

Sou um admirador de ambos, Lula e Sócrates. Nunca havia percebido a semelhança de personagens de épocas tão distantes. Concordo plenamente com o lado positivo da comparação. Lula, um dos brasileiros mais sábios de que já tive notícia.

Responder

Walter rodrigues

10 de Abril de 2018 às 21h33

Moro = Critias, Dalagnol = Licon, Fernando boca de ovo Lima = Meleto.

Responder

    Ronaldo

    11 de Abril de 2018 às 02h21

    O falafino é perfeiro, o cara de boneca de louça, ótimo, mas o boca de ovo, me permita, ha ha ha ha.

    Responder

Neemias

10 de Abril de 2018 às 20h39

Ótimo artigo!

Responder

Steiger

10 de Abril de 2018 às 19h52

A principal diferença: um sabia escrever e o outro mal sabe ler….

Responder

    Miguel do Rosário

    11 de Abril de 2018 às 01h48

    preconceito idiota. lula com certeza lê muito melhor que você.

    Responder

    Vagno Nascimento

    11 de Abril de 2018 às 09h03

    Engano seu. Pra seu governo, Sócrates também não era escolarizado. Daí a certeza de sua sabedoria e razão de ser incômodo para os letrados da época. Foi capaz de influenciar grandes nomes, sendo um deles, Platão, seu maior discípulo. Mais uma semelhança. Parabéns ao colunista.

    Responder

    Denis Ferreira

    11 de Abril de 2018 às 09h24

    Lula conseguiu influenciar uma massa de milhões de pessoas, provavelmente, Sócrates iria admirilá-lo também, principalmente por essa sua capacidade gigantesca de pensar, de ser inteligente, mesmo tendo passado fome e ter sido posto em um mundo que os pobres não tinham chances de estudar ou alimentar-se.

    Responder

    Mauricio

    11 de Abril de 2018 às 19h25

    Lula lê e entende o que lê, já você deve ser mais um analfabeto funcional dos governos do PSDB.

    Responder

    , wanderley kusma de faria

    12 de Abril de 2018 às 11h54

    Você tem toda RAZÃO, steiger ou sei lá o que, o Lula foi PRESIDENTE DO BRASIL 2 VEZES, e será NOVAMENTE, e você é o que? NADA se es tão CULTO candidate-se a presidente é debata com o LULA sobre qualquer assunto, e você vai ver quem é o ANALFABETO.

    Responder

Luciana

10 de Abril de 2018 às 18h50

Então já são duas sabidas: Sócrates e Mirabeau #LulaLivre

Responder

y sem soma

10 de Abril de 2018 às 18h34

Cuidado com a comparação. Os discípulos de Sócrates deram dois GOLPES de Estado na Grécia, Alcebíades que o diga! Enquanto os “democratas” se retiraram para se organizar e reconquistar o poder, Sócrates ficou lá. Eu teria mais cuidado com essa comparação. Lula foi um legislador que tirou mais de 20 milhões de brasileiros da miséria, trabalhou para avançar com a CIDADANIA. E Sócrates? O que ele fez pela Democracia? Para o referido “filósofo”, a coisa não tinha a ver com DEMOCRACIA, o poder deveria ser de um tipo de déspota (aquele que sabe). Não dá. Não tem nada a ver com o LULA.

Responder

    Miguel do Rosário

    10 de Abril de 2018 às 19h19

    Sim, é claro que há diferenças. Mas o autor apontou aqui algumas semelhanças.

    Responder

      y sem soma

      10 de Abril de 2018 às 22h52

      Valeu, Miguel do Rosário.

    gusfonseca

    10 de Abril de 2018 às 20h37

    Talvez os tais discípulos não tenham conseguido financiamento pra campanha.
    De qualquer modo, comparar um filósofo com um político (o sofista típico), sim, é a parte complicada da questão… ter posto o personagem do político como consultor de Sócrates foi ato deliberado de Platão, sem dúvida!

    Responder

Deixe uma resposta