Ato em defesa da imprensa

Lula na cova dos leões

Por Miguel do Rosário

13 de julho de 2018 : 15h58

Olhando os diferentes cenários da pesquisa XP, divulgada há pouco no Infomoney, e comparando-os às últimas pesquisas de intenção de voto lançadas por outros institutos, conclui-se que, a poucos mais de 80 dias do primeiro turno das eleições presidenciais, o quadro está congelado. As oscilações nas últimas semanas não são relevantes.

Produziu-se mais ou menos um consenso entre todos os institutos. No cenário com Lula, ele tem em torno de 30%. Sem sua presença, Bolsonaro lidera com cerca de 20%. Embaralhados em segundo lugar, Marina Silva, Ciro Gomes e Geraldo Alckmin, com alguma vantagem para os dois primeiros.

É como se o eleitorado estivesse aguardando o desdobrar dos acontecimentos, em especial a resolução do caso Lula, antes de se posicionar. A postura do eleitor coincide com a dos partidos, que também demonstram grande indecisão, até mesmo insegurança, em relação ao caminho que deverão adotar.

A pesquisa XP identificou ainda que a maior parte do eleitorado ainda não despertou: 36% das pessoas responderam que ainda não tem “nenhum interesse” nas eleições. Esse percentual deverá sofrer forte mudança nas próximas semanas. Neste sentido, a previsão de Geraldo Alckmin, em entrevista dada hoje, de que o cenário eleitoral irá virar de ponta-cabeça, pode estar certa.

Lula, mesmo preso na cova dos leões em que foi jogado, através de sórdida trama, maquiavelicamente urdida (assim como foi o impeachment) pela mídia e pelo judiciário, continua líder nas sondagens de intenção de voto.

O petista avançou dois pontos na segunda semana de julho, num sinal de que o imbróglio do último domingo dia 8 pode lhe ter sido favorável. Bolsonaro tem 20%, Marina 10%, Alckmin e Ciro, 7%.

Num eventual segundo turno, Lula venceria Bolsonaro por 40% a 33%, segundo o XP.

Outros candidatos aparecem empatados com Bolsonaro no segundo turno, com um viés declinante para o capitão da reserva, em relação às últimas semanas. Bolsonaro e Ciro, por exemplo, pontuam 33% X 31% num eventual segundo turno entre os dois.

Clique aqui para ver os dados estratificados da pesquisa, que também não trazem nenhuma novidade. Em cenários sem Lula, Ciro e Marina crescem muito fortemente no Nordeste.

A XP tem trazido ainda um quarto cenário, em que Fernando Haddad é apresentado ao entrevistado como “o candidato apoiado por Lula”. Neste caso, o petista pontua 12%, empatado com Marina, com 11%, e à frente de Ciro, com 8%. Mas este cenário não tem muito sentido, na medida em que não está confirmado qual será o plano do PT, caso o registro de Lula seja cassado.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

79 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Jochann Daniel

22 de julho de 2018 às 17h29

“Sergio Sete”,
figura nojenta, t
“comentarista”
traidor da pátria
a serviço
de nossos inimigos,
pago em dólares,
eu te dei uma resposta
ao seu comentário
nojento,
lá em baixo.
Role até lá para ver.

Responder

    Jochann Daniel

    22 de julho de 2018 às 23h45

    Por algum motivo
    minha resposta ao seu “comentário”
    (nojento como sempre)
    não foi publicado.
    Da minha resposta
    quero ressaltar
    apenas
    que eu o incluo
    entre outros
    “comentaristas” a serviço,
    pagos em dólares:
    – “Brasileiro da Silva”
    – gN
    – Dario
    – Ferreti
    Entre outros.
    Ou seriam todos
    uma mesma pessoa??????????

    Responder

Sergio Sete

17 de julho de 2018 às 09h17

“Lula tem votos para ir para o segundo turno”.

AHAHAHAHHAAHAHHAAHHAAH
AHAHAHAHAHHAHAH
AHAHAHH
AHAAHAHHAAHAHHAAHHAHAAHHAAHHAAHHAAHHAHA
HAHAAHHAHAHAAHHAHAHA
AHHAHA
AHHAAH
HA
HA
HA
AH
AHAHAHHAAHHAAH

Responder

Jueli Cardoso Jordão

15 de julho de 2018 às 15h22

Miguel, está ficando claro que o PT vai lançar um candidato se a “justiça” eleitoral confirmar o impedimento de Lula. Infelizmente não temos povo organizado e determinado a lutar pela sua liberdade apesar de mais da metade da população entender que ele é inocente e de possivelmente votar nele.
Assim, devido também às vacilações contraditórias do Ciro, com declarações de intenção de se aliar com o DEM e outros, podendo até mesmo minimizar o seu programa já propagandeado para facilitar essa equação, além é claro da sua falta de compromisso (lavou as mãos) em relação à injusta prisão do Lula, sabendo-se que ele é inocente, os filiados e militantes do PT estão criando uma barreira de rejeição a ele que se tornará intransponível em pouco tempo.
Não dá para entender o que deu no Ciro!…. sua vacilação e suas últimas tendências estão nos decepcionando muito!……

Responder

Álvaroc

15 de julho de 2018 às 11h59

Lula é sequestrado político do capital neoliberal fascista. Quem corroborar com isso é igualmente fascista. Preso ou soloi, Lula decide quem governará o Brasil. O resto é blá blá blá

Responder

    Sergio Sete

    17 de julho de 2018 às 08h59

    Errado.
    Quem decide é o eleitor, não um presidiário.

    Responder

Ricardo

15 de julho de 2018 às 07h40

Bolsonaro será o Presidente. LULA é um preso que foi limitado pela ficha suja. Por egoismo politico e para tentar salvar o Lulismo o PT vai matar o projeto progressista de poder. Trista fim e em 2022 havera a necessidade de um recomeço.

Responder

Mané

14 de julho de 2018 às 16h15

TEREZA CRUVINEL – pesquisa feita por um grande banco ,com acesso restrito- Lula 36% – o Jumento 13% – Ciro e Marina 5% – Xuxú 4% – !!! Primeiro TURNO !!!

Responder

    Brasileiro da Silva

    14 de julho de 2018 às 22h11

    Pena que o corrupto condenado seja inelegível.

    Responder

      Quero-quero

      16 de julho de 2018 às 08h04

      Lula ou nada chatildo !!!

      Responder

        Sergio Sete

        17 de julho de 2018 às 09h00

        Bota “nada” lá na urna então, querido.
        Porque seu presidiário de estimação não será candidato.

        Responder

stalingrado Lula da Silva

14 de julho de 2018 às 13h54

Os números estão aí, Haddad no segundo turno . Lula elegerá quem ele quiser. Para ganhar no primeiro turno,
Ciro precisa deixar o ego de lado e apoiar o candidato do PT.
#HaddadNoGovernoLulaNoPoder

Responder

    NeoTupi

    14 de julho de 2018 às 15h57

    Também acho. Ciro deveria aderir a frente de esquerda e ser vice de Haddad.

    Responder

    Ferreti

    14 de julho de 2018 às 16h13

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Lula elege quem ele quiser. Pena que não conseguiu eleger o filho a vereador em plena S.B.Campo.

    No mês passado, teve eleição para mandato tampão no Tocantins. Kátia Abreu liderava as pesquisas mas mesmo assim, resolveu pedir apoio ao pajé do PT para consolidar a vitória. Lula mandou um vídeo pedindo votos para a nova companheira.
    Resultado: Kátia tomou uma sova e ficou em quarto lugar.

    Miguel sabe que esse papo de Lula elege quem quer é kaô. Por isso ele defende o PT apoiando Ciro.

    Responder

    Alan Cepile

    14 de julho de 2018 às 16h44

    2º turno com 12%????????????

    E os 15% que não se decidiram?? Vão ficar de fora??? Lembrando que 15% é nessa pesquisa, e é a mais baixa, nas outras falam em mais de 30%.

    Não tem nada definido, todo mundo é pré-candidato ainda, ninguém tem aliança ainda, a propaganda política ainda vai começar… Calma!

    Responder

    Sergio Sete

    17 de julho de 2018 às 09h01

    Mano, é muita “dorga” ruim que você usa….

    Responder

Olavo

14 de julho de 2018 às 07h23

VALE TUDO

https://www.brasil247.com/pt/247/poder/361757/Ciro-entra-em-cena-para-ter-apoio-do-centr%C3%A3o.htm

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) deverá participar de reunião com os partidos do chamado “centrão”, bloco liderado pelo DEM e PP, para tentar conseguir demover as lideranças partidárias de apoiarem o ex-governador Geral Alckmin (PSDB) e ampliar o seu próprio leque de alianças; maiores obstáculos em relação uma aliança estão junto ao PR e PRB, que tendem a se coligar com Alckmin e Jair Bolsonaro (PSL), respectivamente

Responder

    Alan Cepile

    14 de julho de 2018 às 11h18

    “VALE TUDO” não, CONTINUA VALENDO seria o correto já que o PT fez a mesmíssima coisa.

    Responder

Fernandes

14 de julho de 2018 às 07h06

Para tirar o Presidente Lula da prisão completamente injusta tem que ser na base da porrada , acorda PT e parte para essa guerra , eu saio na porrada junto com vocês , não existe outra saída !

Responder

    Sergio Sete

    17 de julho de 2018 às 09h04

    Sai nada.
    É mais um valentão do teclado.
    Todas as ameaças feitas desde o indiciamento do agora presidiário Luis Inácio não passaram de gritaria na mídia.
    Ninguém no fundo quer colocar a vida em risco por um bandido corrupto condenado, preso e podre de rico que não está dando a mínima para o povo do qual ele arrancou dinheiro de forma escusa.

    Responder

Olavo

14 de julho de 2018 às 06h58

FORA DE PAUTA?

OS VIGARISTAS DA REDE GLOBO JÁ ESTÃO MOBILIZADOS

GLOBO AMEAÇA TOFFOLI, QUE ASSUME PRESIDÊNCIA DO STF EM SETEMBRO

A mídia conservadora, em especial os veículos da família Marinho, está ameaçando abertamente o ministro Dias Toffoli, que assume a presidência do STF em setembro; o objetivo é impedir que o sucessor de Cármen Lúcia assuma com independência; o tom foi dado por Miriam Leitão, em O Globo, na última terça (10): “Dias Toffoli é leal ao PT ou às leis?”; o artigo é um verdadeiro editorial de uma das porta-vozes informais dos Marinho

https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/361638/Globo-amea%C3%A7a-Toffoli-que-assume-presid%C3%AAncia-do-STF-em-setembro.htm

Responder

    Jochann Daniel

    14 de julho de 2018 às 10h31

    Caro Olavo,
    A Mídia
    não tem
    nenhum compromisso
    com o Brasil
    ou com os brasileiros,
    como tem sobejamente demonstrado
    não só quanto ao Golpe,
    mas,
    por seus posicionamentos
    sempre contra
    o progresso
    do Brasil
    e protetora
    de lesa pátria
    através dos tempos.
    Sempre ao lado
    e a serviço
    dos inimigos do Brasil
    e dos brasileiros
    Então,
    ao invés
    de Mídia conservadora,
    chamemo-la logo
    de Mídia inimiga
    (do Brasil e dos brasileiros).

    Responder

      Sergio Sete

      17 de julho de 2018 às 09h09

      Você acha que o presidiário Luis Inácio tem algum compromisso com o Brasil ou com o brasileiro?
      Então explica, por favor, como uma pessoa que passou a maior parte da vida “não trabalhando”, mas com renda (??) e depois virou presidente da república por 8 anos ganhando cerca de 30 mil por mês pelo cargo (o que dá no total bruto cerca de R$ 2.900.000,00 – veja bem: BRUTO) tem um patrimônio DECLARADO de R$ 12.000.000,00.

      Responder

        Almir Bispo

        19 de julho de 2018 às 13h27

        Você é só mais um coxa tentando condenar um inocente com bravatas.Lula fez mais de 70 palestras no valor de 500 mil em média.12 milhoes é pouco para um cara do quilate do Lula.Ele merece ter mais.

        Responder

        Jochann Daniel

        22 de julho de 2018 às 17h25

        “Sergio Sete” vulgo SS,
        embora tardiamente,
        devo lhe dizer
        mais uma vez:
        Você não conta,
        você é “comentarista”
        a serviço,
        pago em dólares.
        Você fala o que quer,
        sempre contra o Brasil
        e os brasileiros,
        pois trabalha
        para os nossos inimigos.
        E como mal caráter
        que você é,
        você mente,
        e mente,
        e mente.
        Cara ,
        eu tenho nojo
        de pessoas
        como você,
        o “Ferreti”,
        o “nG”,
        o “Brasileiro da Silva”,
        e outros nojentos traidores da pátria
        (ou seriam todos uma mesma pessoa?).

        Responder

Tarso Araújo

14 de julho de 2018 às 06h18

Desculpe mas o texto tem um probleminha no final. A hipótese Haddad para mim é concreta. Depois do domingo passado ficou claro que Lula será inviabilizado. Fernando Haddad pode ser o escolhido por Lula e PY para fechar a campanha. O resultado apontado pela pesquisa e claro, Haddad está na frente de Ciro. Ele pode dar liga. Ciro tem que sair do meio e apoiar haddad para a esquerda ir para o segundo turno.

Responder

    Alan Cepile

    14 de julho de 2018 às 11h23

    Fica muito claro, pelo seu comentário, que para o PT o inimigo é Ciro e não Bolsonaro.

    Para a esquerda petista o inimigo é a própria esquerda… Surreal

    Por mais escalafobético que isso possa parecer, o maior cabo eleitoral do capitão da reserva hoje chama-se PT!

    Oremos…

    Responder

      Miguel MATOS

      14 de julho de 2018 às 20h46

      Ciro ainda é de esquerda?

      Responder

      Zé dos Bagos

      16 de julho de 2018 às 17h40

      O capitão não vai fazer bonito na foto não… vocês irão se surpreender com o povo brasileiro! Não vai ao segundo turno.

      Responder

Jandui Tupinambás

13 de julho de 2018 às 23h43

O candidato é Lula. Se por um golpe qualquer sua candidatura não sair, o PT apresentará um outro candidato que terá, como Lula o número 13. Este candidato vai carregar 90% dos votos do Lula.

O nome já está definido Adianto para vocês que não é o Hadad.

Os votos do Ciro serão muito bem-vindos no segundo turno a favor da esquerda. Se houver segundo turno, é claro.

Responder

    Brasileiro da Silva

    14 de julho de 2018 às 00h03

    Desculpe, mas a realidade é que Lula não sera candidato. Lei da ficha limpa, assinada por ele. Quanto aos 90% de “carregamento”, vc poderia, por gentileza, compartilhar a origem desse dado?

    Responder

      Alan Cepile

      14 de julho de 2018 às 11h25

      Ah, agora Ciro é legal?!

      Hummmm….

      Responder

    antipaneleiro

    14 de julho de 2018 às 21h25

    Também não sei o motivo de insistir em Haddad, pra deixar Bolsonazi vencer? Acho que a probabilidade de um paulista se eleger em eleições limpas, após o fiasco do paulista Temer, é praticamente nula! Só quem não conhece o Brasil e a sua história apostaria em Haddad. Duvido que Lula pense em Haddad. Isto é coisa do FHC, da Veja e similares.

    Responder

Dario

13 de julho de 2018 às 21h10

Ora não é na cova dos leões que o condenado em segunda instância que ainda responde mais seis processos por corrupção está, mais sim ma carceragem da PF em Curitiba cumprindo a pena de 12 anos e um mes

Responder

Brasileiro da Silva

13 de julho de 2018 às 20h41

Miguel, levando em conta o cenário mais realista hoje, que é Lula inelegível, vc acha que algum candidato da esquerda terá chance?

Responder

    Zé dos Bagos

    16 de julho de 2018 às 17h43

    A boba do da punhe. ta. Inelegível!

    Responder

Pedro Cândido Aguarrara

13 de julho de 2018 às 20h32

Vai se divertindo Dodge…

Logo, logo, a canoa vai virar….

E você vai ver quem vai se aposentar…

Vai ver quem será investigada…

O Fascismo está, a nível global, nos estertores finais. A Aliança Estratégica Rússia China e Iran vai varrer o fascismo angloamericano da face da Terra. Esse fascismo que Dodges e Moros e Dallagnois e Desembagrinhos e Redes Globos representam. Esse fascismo, esse totalitarismo fascista, chamado de liberalismo, criado na Inglaterra por grupos fascistas de judeus ashkenhazis, e depois exportado para os Estados Unidos durante a Secessão, está chegando ao seu fim. E com ele esse lixo fascista que está aí, disfarçado de democráticos e republicanos, mas que são apenas os conservadores ultra reacionários da ignorância popular, da imbecilidade crônica dos telespectadores de novelas, futebois e bbbs, que os sustentam e aos seus projetos de vulgarização do viver.

Agora falta pouco….

E, mesmo agora, gente como Dodges e Moros não saem nas ruas sem seguranças, não vão aos shoppings e frequentam as salas especiais blindadas contra incovenientes nos aeroportos.

Responder

    Brasileiro da Silva

    13 de julho de 2018 às 20h39

    A canoa já virou. Virou para os ptminions tipo o desembargador que fez aquele H.C. tabajara.

    Responder

      gN

      13 de julho de 2018 às 21h31

      Russia acabou de sair de uma grave recessão, cresce pouco e está cortando nada menos Q 20% do orçamento militar! O Irã está na beira da depressão econômica e sofrendo grandes protestos! A China está com uma Mega bolha imobiliária (vai ler sobre mega cidades fantasmas chinesas), mas ainda está crescendo muito! Essa sua aliança me parece um tanto bamba

      Responder

        Sergio Sete

        17 de julho de 2018 às 09h11

        Aliança do tipo “maconha+LSD+crack”, isso sim.

        Responder

NeoTupi

13 de julho de 2018 às 20h21

Sem Lula mas com apoio dele, Haddad larga com 12% x 8% Ciro.
Isso com Haddad “escondido”, fora da mídia, sem ser pré-candidato, enquanto Ciro está em campanha ostensiva há meses.
Detalhe: Haddad ainda pode pegar mais 12% dos que não votam em ninguém se Lula não for candidato (Com Lula candidato o voto em ninguém é 13%, sem Lula e com Haddad apoiado sobe para 25%, portanto tem 12% do eleitorado de Lula para ser recuperado por Haddad). Haddad chega relativamente fácil em 24%, na frente de Bolsonaro. Isso no cenário da pesquisa de hoje. Na campanha pode até se sair melhor, pois ele seria um candidato com cara de renovação política para quem não é paulistano.
Haddad, lembrando que nem pré-candidato lançado é, larga na frente dos candidatos lavajateiros: Marina, Alvaro Dias e o bipolar Ciro Gomes. Sem Lula é o candidato que dá a vitória ao povo sofrido sobre o golpe e sobre o fascismo togado.
Quem defendeu voto útil da esquerda em Ciro para não eleger Bolsonaro e vencer o fascismo, agora até por coerência, precisa defender que o PDT apoie Lula, mesmo que através de Haddad.
Para piorar a situação de Ciro, hoje ele se embrenhou em um caminho onde disputa o mesmo espaço político de Alckmin, como candidato do centrão e, portanto, das forças do golpe. Não adianta vir com programas de governos na teoria, porque a massa do eleitorado comum já não diferencia Ciro de um Alckmin, o vê junto e misturado com tudo isso que está aí governando o Brasil pós-golpe.
Para quem não é neófito em política sabe que no fundo governa quem elege (as tais correlações de forças). Ciro só tem direita na base de apoio (partidos ex-esquerda como o PDT, parte do PSB, partes do centrão e empresários), não tem movimentos sociais nem trabalhadores, nem bases populares. Não tem forças de esquerda a quem ele deverá o voto para disputar espaços de poder dentro de um hipotético governo Ciro. Ciro quis fazer populismo lavajateiro, buscou apoios na direita paneleira e acabou caindo no colo da direita. É candidato a governo de direita. Quem quer continuar a ser governado pela direita, vote consciente me Ciro. Quem quer virar à esquerda, vote em Lula, mesmo que o nome na urna seja Haddad ou outro lulista.

Responder

Alberto Jorge

13 de julho de 2018 às 19h05

O texto de hoje do Miguel do Rosário foi bastante equilibrado e sem ter o viés pro Ciro Gomes.

Melhor assim.

O candidato indicado por Lula irá ao segundo turno das eleições presidenciais.

Caberá ao Ciro Gomes se posicionar diante dessas arbitrariedades jurídicas advindas do Golpe de Estado que desprezou os votos de milhões de brasileiros e brasileiras!

Vamos continuar denunciando tudo isso.

Responder

Alberto Jorge

13 de julho de 2018 às 19h02

E Ciro Gomes titubeou quando o momento político exigia firmes posicionamento. Inclusive devido sua própria característica.

Lamentável!

Responder

asd

13 de julho de 2018 às 18h16

periga ganhar Solborano ou algum outro de direita

Responder

gN

13 de julho de 2018 às 18h08

Só uma pergunta: não ia ter um “mega” protesto do PT hoje? Cade?

Responder

    NeoTupi

    13 de julho de 2018 às 20h36

    Se você ficar procurando na Globonews, não vai ver nada mesmo. Aliás em vez de assistir, se é que você é de esquerda, deveria é ir, participar em vez de criticar quem se mobiliza contra o o fascismo. Agora que eu saiba não haveria “mega” protesto nenhum. Há uma agenda de vários protestos neste mês, alguns hoje, por #LulaLivre e outros das centrais sindicais contra o desemprego e a política econômica do golpe. O PDT e Ciro, por princípios, deveriam apoiar as manifestações por #LulaLivre , independentemente de manter a candidatura pŕopria.

    Responder

      Brasileiro da Silva

      13 de julho de 2018 às 22h19

      Vc poderia indicar aonde procurar? 247, DCXM, Cafezinho e outros não tocaram no assunto.

      Responder

        degas

        14 de julho de 2018 às 08h40

        O DCM foi o único que deu a relação de cidades (sete ou oito) em que ocorreria o mega-protesto do Dia do Lula Livre, que foi tão anunciado nos blogs petistas. Mas em pouco tempo eles esconderam o post para tentar disfarçar como os outros. Vi as fotos de Porto Alegre, em frente ao TRF4, onde devia ter uns 40 coitados e o chefe da CUT prometia que em agosto, sim, vai ter um mega-protesto. Depois em agosto eles vão dizer que é em setembro …

        Responder

    Sergio Sete

    17 de julho de 2018 às 09h15

    Estou até agora procurando também, mas não acho nada!
    Eu disse que ia comentar algo sobre o protesto caso desse mais de 500 pessoas, mas o pessoal aqui sugeriu baixar a meta para 150… sabe como é, eu não ia colocar uma meta. Eu ia deixar a meta aberta, para quando atingir a meta, dobrar a meta…

    Responder

Jessé Oliveira Guimarães

13 de julho de 2018 às 18h03

Eu vou fazer minha parte. Voto desde 1960 e votarei nesta em Ciro, pois sinto que neste quadro, sem o Lula é o melhor candidato. Tem falhas? Tem, todos temos, mas eu o acompanho há muito e sinto que ele está preparado. Vejo uma enorme responsabilidade nos ombros de Lula. No meu entender, de sua sua decisão depende termos o Bolsonaro como presidente.Ele tem sido aconselhado e está manso, no momento. Depois, depois seja o que Deus quiser !!!

Responder

Alan Cepile

13 de julho de 2018 às 17h52

Direita 45%
Esquerda 39%

Olha o perigo aí…

Responder

    Jessé Oliveira Guimarães

    13 de julho de 2018 às 18h11

    É isto aí Alan. Este é o terrível quadro.

    Responder

    Marcus Padilha

    16 de julho de 2018 às 15h17

    Esquecestes do “Foda-se” = 90%

    Responder

Nilson Moura Messias

13 de julho de 2018 às 17h27

Lula, candidato ganha, o seu indicado vai ao segundo turno e ganha do Bostanaro. O resto é intrigas.

Responder

    Marcelo

    13 de julho de 2018 às 18h02

    ” O resto é intrigas” é ótimo. Você é o retrato do fracasso da pátria educadora !

    Responder

    Jessé Oliveira Guimarães

    13 de julho de 2018 às 18h16

    Nilson, não sejamos ingênuos. Pelo banzé que o “judiciário” fez com a liminar do Favreto, é bem capaz dele ser impedido antes pelo TSE, para acabar com a confusão. Pelo artigo da Carmem, hoje no Globo, a gente sente que eles estão desconfortáveis !!!

    Responder

Benoit

13 de julho de 2018 às 17h26

Os resultados ainda parecem muito inseguros, difíceis de entender, pelo menos para mim depois de uma olhada rápida. O Haddad como candidato do PT tem somente 2% dos votos, como se fosse um candidato quase desconhecido. No entanto, apoiado pelo Lula ele ultrapassa o Ciro, embora por uma margem pequena. Mesmo assim ele ficaria praticamente empatado com a Marina. Isso quer dizer que mesmo o apoio do Lula poderia não impedir um segundo turno entre o Bolsonaro e a Marina. Não sei se quando as eleições estiverem mais próximas e o assunto for mais discutido, se alguns eleitores não poderiam desistir do Bolsonaro e passar os seus votos para a Marina, o que tornaria ainda mais provável que ela fosse para o segundo turno e não o Haddad. O Haddad parece ser o candidato da esquerda com mais possibilidades de passar ao segundo turno, mas mesmo assim isso não seria certo. Já o Ciro no momento parece ter menos chances de passar ao segundo turno sem o apoio do PT.

Num segundo turno, no entanto, talvez as coisas se invertessem e o Ciro tivesse mais chances contra o Bolsonaro do que o Haddad. É que os eleitores do PT não teriam outra opção a não ser votar no Ciro. Já os eleitores burgueses do Ciro que podem ser menos ligados a um partido, talvez se recusassem a votar num candidato do PT como o Haddad e neste caso o Haddad perderia o segundo turno. No primeiro turno a questão é saber se o Haddad ganha da Marina e vai ao segundo turno. No segundo turno a questão é de saber se ele teria condições de ganhar do Bolsonaro. O Ciro talvez tivesse melhores chances no segundo turno. No entanto, no momento parece que ele não passaria do primeiro turno.

De uma maneira ou de outra a posição da esquerda sem o Lula parece frágil. O Ciro parece ter dificuldades no primeiro turno sem o apoio do PT enquanto o Haddad poderia ter dificuldades com o eleitorado burguês no segundo turno.

Responder

Nilmar Meurer

13 de julho de 2018 às 17h21

Significa que a narrativa do golpe nao convenceu a opiniao publica. Significa que a lava jato nao provou a culpa do Lula – ainda mais porque nao apresentou nenhuma prova da culpabilidade do petista.
Acho que o cenario so vira de ponta cabeça a beneficiar o Alckimin se algum candidato bem pontuado nas pesquisas ( Marina, Ciro e Alvaro Dias ou ate mesmo Bosolnaro) desistir de ser candidato para apoiar o Alckimin caso contrario dificilmente Geraldo estara no 2 turno. O PSDB está metido no golpe até a raiz dos cabelos.
Todo mundo sabe que o Moro é um juiz do PSDB, tucano. Só cego nao vê isso.
Se o PSDB comprar algum desses outros candidatos é capaz de chegar ao 2 turno. Deve ser essa a ideia do Alckimin.

Responder

Alan Cepile

13 de julho de 2018 às 17h07

Duas coisas:

1) Os resultados da XP são diferentes dos outros institutos de pesquisa, então é preciso cautela pra interpretar esses dados.

2) A situação está estagnada e é preciso saber como vão se comportar os 36% que ainda não se interessaram pelo pleito, sem contar os indecisos. É preciso ter em mente que Lula tem 30% dos votos VÁLIDOS, ou seja, de quem disse que vai votar em alguém, lembrem-se que a rejeição do Lula é altíssima.

Responder

    Faraj

    13 de julho de 2018 às 20h44

    A rejeição de Lula foi alta, agora é a menor entre todos os candidatos, segundo todos os institutos de pesquisa, tem hoje menos rejeição que Moro hiper-blindado.

    Responder

    NeoTupi

    13 de julho de 2018 às 22h01

    Você leu errado a pesquisa. Lula tem 30% dos votos totais. Nulos/Brancos/Nenhum são 13% e não responderam 2%. Portanto Lula tem 30% dos votos totais sobre os 85% de votos úteis, que dá 35% dos votos úteis em primeiro turno. E vence em segundo. Nada mal para quem vem sendo desconstruído pela mídia e pelo judiciário nos últimos 3 anos dioturnamente. Com voz na campanha (mesmo que seja do candidato apoiado por ele) só tende a subir.

    Responder

      Alan Cepile

      14 de julho de 2018 às 11h42

      Não tem erro nenhum… Votos válidos eu me referi aos votos de quem disse que vota em alguém, quem NÃO vota (votos não válidos) é maioria, e considerando que a rejeição do Lula é das mais altas, a probabilidade de boa parte dessa maioria não votar no Lula é bem considerável, ou seja, Lula tem votos para ir pro segundo turno, mas concorrendo contra apenas um candidato de direita, ele seria derrotado.
      Isso vale pro Lula e pra qualquer outro candidato que carregue o estigma do PT, tanto pq o “poste” não herdará todos os votos.

      Trocando em miúdos, se o PT for pro segundo turno a direita já pode estourar o champagne.

      Responder

        NeoTupi

        14 de julho de 2018 às 15h54

        Se não quiser acreditar na pesquisa e preferir seguir sua intuição tudo bem, mas se usar a pesquisa para analisar não adianta querer brigar com os números. Lula tem 30% dos votos totais e 35% dos votos válidos no primeiro turno (já está explicado o cálculo no comentário anterior).
        Segundo turno: Lula 40% x 33% Bolsonaro (votos totais)
        De onde você tirou a ideia de que Lula não vence no segundo turno?
        Rejeição está praticamente igual e nivelada alta entre todos os candidatos bem conhecidos: Lula 61% (estável desde o início da série de pesquisas em maio), Ciro Gomes 60% (aumentando), Geraldo Alckmin 59% (aumentando), Marina Silva 58% (aumentando), Haddad 57% (estável), Bolsonaro 54% (aumentando).

        Responder

          Alan Cepile

          14 de julho de 2018 às 17h20

          Analisar os numeros sem contextualizar dá nisso… Que Lula não ganha no 2º turno é uma intuição minha sim, mas vc somou os votos da direita e da esquerda e comparou? E os 15% que provavelmente estão indecisos, considerou??

          Sem contar que as pesquisas da XP dão sempre um resultado diferente de todas as outras (Datafolha, Ibope, CNI, Vox) que tem resultados parecidos entre si.

          Exemplo, a XP dá rejeição do Ciro como 60%, a última Ibope deu 18%… Eu fico com os outros institutos de pesquisa, tem mais tradição e são 4, a XP nem instituto de pesquisa é, e tem procedência duvidosa…

          Outra coisa, 60% não vota no Lula, 30% vota nele… É realmente necessário terminar essa conta??

          Alan Cepile

          14 de julho de 2018 às 17h28

          Rejeição pesquisa Ibope de 16 dias atrás:

          Bolsolixo 32%
          Lula 31%
          Alckmin 22%
          Marina e Ciro 18%

          NeoTupi

          14 de julho de 2018 às 19h47

          Amigo, então vamos contextualizar:
          1) A maioria do eleitorado não se guia por identidade ideológica claramente definida entre esquerda e direita. E candidato de direita ou esquerda no primeiro turno não transfere todos seus votos para outro de mesma tendência.. Então não vejo a soma de candidatos classificados como esquerda ou direita no primeiro turno significante para definir o segundo turno. Se assim fosse a própria pesquisa em segundo turno daria para Bolsonoro a soma dos candidatos de direita e ele venceria qualquer candidato de esquerda no segundo turno. Ex: há uma parte do eleitorado de Lula que vota em Marina sem ele, e há o de Marina que vota em Lula no segundo turno contra Bolsonaro.
          2) Apenas para efeito de informação a XP Investimentos paga a pesquisa semanalmente, mas o instituto que faz é o IPESPE de Antonio Lavareda. Não confio em pesquisas de qualquer instituto e não acho que longe das eleições grandes institutos pagos pela direita sejam mais imunes a manipulações do que outros. E precisamos ter em mente que o objetivo das pesquisas honestas é captar a tendência do eleitorado e a mudança de tendência ao longo do tempo (as pesquisas desonestas é para inflar candidaturas que vão mal).
          3) Novamente você leu errado a pesquisa confundindo os 15% brancos e nulos com indecisos. Quem declara que que votará branco ou nulo não está indeciso, está decidido a anular o voto.
          4) A rigor, a essa altura, indecisos é melhor medido pela pesquisa espontânea, onde 35% dizem não saber ainda em quem votará. Mas historicamente a medida que se aproxima da eleição os indecisos acompanham a tendência de quem decidiu.
          5) Acredito que a grande diferença de rejeição entre os institutos que você citou está na metodologia. Tem instituto que usa disco e o pesquisado escolhe só um nome que rejeita. Tem outros que deixa escolher vários ou todos. A alta rejeição de todos os candidatos no IPESPE provavelmente é porque grande parte dos pesquisados respostou que rejeita todos os candidatos. É sintomático da anti-política propagada na mídia e pela lava jato.
          6) Com intuição eu não discuto, cada um tem a sua. Mas tem alguma coisa coisa errada quando você desqualifica a rejeição mais alta do IPESPE para os outros candidatos, mas acha que ela vale só para Lula. Se você acredita mais no IBOPE, então sua intuição deve trabalhar com a rejeição de 31% para Lula, que é menor do que a de Bolsonaro (32%) na mesma pesquisa, portanto mesmo no quesito rejeição Lula continua mais competitivo do que Bolsonaro. E mesmo com a rejeição de 60%, se metade dos que rejeitam Lula, rejeitarem todos os outros candidatos da mesma forma, ele continua competitivo.

          Alan Cepile

          15 de julho de 2018 às 10h44

          Contextualizando…

          Sobre o seu 1) Concordo que essa coisa de esquerda e direita apresenta variáveis, mas alto lá, como explicar que lulista vota na extrema direita na ausência de Lula no pleito??? Isso é totalmente inexplicável, seria a mesma coisa que um milionário querer comprar uma ferrari roxa, como não tem ele compra um fusca… Surreal né!

          Sobre o 2) Disse o óbvio, só faço um adendo, no meu caso eu não usaria o termo confiar, mas as pesquisas dos institutos mais tradicionais tem errado muito pouco nos últimos anos, essa da XP, que não se encaixa nos tradicionais, apresenta números bem diferentes, logo…

          3) Volte e repare que eu uso o termo “provavelmente”, pois muita gente fala agora que não vai votar em ninguém, o que teoricamente é um voto válido, mas PROVAVELMENTE esta pessoa está sim indecisa.

          4) Pode ser que sim, mas tb pode ser que não, esta eleição tem componentes únicos difíceis de serem previstos por pesquisas.

          5) Voltamos ao assunto de todos os (tradicionais) institutos darem um resultado semelhante e a XP (não tradicional) outro bem diferente. Coincidência, ou não, a XP utiliza uma metodologia diferente das demais. 60% contra 18% não me parece apenas diferença de metodologia, algo está ausente ou foi maximizado na pesquisa XP, quem entende um pouco de estatística sabe que metodologias diferentes trazem resultados semelhantes se o “N” amostral é robusto, e provavelmente a amostra da XP é deficitária e, por isso, provavelmente não reflete a realidade. Claro que o que estou dizendo é apenas uma suposição, pois não conheço os números gerados pela coleta de dados da XP.

          6) E onde foi que eu disse que só vale pro Lula?? O fato é que estávamos falando do Lula, apenas isso, é claro que o Bolsonaro tem ainda menos chances que Lula por ter rejeição maior.

          NeoTupi

          15 de julho de 2018 às 12h23

          Creio que pessoas que declaram voto em Lula e na ausencia dele em Bolsonoro (e vice-versa), tem 3 perfis típicos (todos sem identidade com direita ou esquerda). O primeiro busca a ordem na governança: o governo Lula tinha emprego, crescimento da renda, escola para os filhos, conquista da casa própria, etc. Na ausencia de Lula, vêem Bolsonoro, com seu discurso autoritário, como alternativa para botar ordem, e veem os outros políticos tradicionais com desalento (mal sabem que Bolsonaro é um político tradicional). O segundo é o cidadão menos politizado e menos informado possível. Ele só conhece bem Lula e reconhece seu bom governo, na ausência dele, cita Bolsonaro porque é o mais citado por seus amigoss depois de Lula. O terceiro é o corporativista de famílias de policiais e bombeiros. Se eles conquistaram uma casa do minha casa, minha vida, ou tem filhos que foram beneciados por Prouni, Pronatec, Cotas, expansão universitária, e se tem pais e avós aposentados de salário mínimo que melhoraram o poder aquisitivo, tendem a votar primeiro em Lula. Na ausência de Lula, votam em Bolsonaro por corporativismo, porque é quem mais representa a classe.

          Quanto a metodologia se as perguntas forem diferentes sobre rejeição dá resultados diferentes. O Ibope usa discos, e o cidadão aponta no disco o nome que rejeita. O IPESPE pesquisa telefônica, logo deve perguntar: rejeita fulano, sicrano, beltrano, e o cidadão rejeita todos osn que ele conhece menos o que ele declara o voto. A amostragem, todos seguem os dados do censo do IBGE, senão não tem validade nenhuma. A margem de erro do IPESPE é mais alta 3,2%. Mas de forma geral os resultados de intenção de votos são próximos entre os institutos, não variando muito quem está em 1o. em 2o. em 3o. etc, dentro da margem de erro.

          Alan Cepile

          15 de julho de 2018 às 14h44

          Tem o 4º fator: O petista (aquele não muito atento) que compra a ideia insana, canalha e desonesta de blogs totalmente irresponsáveis como o brazil247 de que ou é a esquerda petista, ou nada, esse joguinho sujo de contra tudo e contra todos muito bem usado por quem quer iludir e influenciar as massas.

          Não vou citar o nome desse imbecil ex-Veja editor daquele blog pq o Miguel já me pediu pra não fazer isso, mas um dia a verdade aparecerá do pq ele está fazendo isso e quais vantagens ele recebe em causar esse enorme desserviço inflamando a esquerda e abrindo brecha pra direita vencer a eleição.

          Zé dos Bagos

          16 de julho de 2018 às 17h47

          Intriguento !

ari

13 de julho de 2018 às 16h23

A menos que ocorram mudanças nas regras do jogo – e nada é surpresa no brasil de hoje – não tenho dúvidas da vitória do Lula ou do seu indicado. Desde o início,defendo a estratégia do PT/Lula e não posso deixar de ver ali o dedo de um gênio, quem quer que seja ele. Se a simples informação de que o Haddad pode ser o nome escolhido pelo Lula faz seu nome crescer muito nas pesquisas, imagine quando isto for trabalhado junto às grandes massas, que na verdade são os que de fato definem a eleição

Responder

    Marcelo

    13 de julho de 2018 às 18h07

    “não tenho dúvidas da vitória do Lula ou do seu indicado.” Verdade, Lula já demonstrações de como suas indicações podem levar um candidato à vitória. Indicou Haddad á prefeitura de São Paulo e o pobre coitado nem ao segundo turno foi. Indicou Jandira Feghali á prefeitura do Rio e a exploradora de trabalhadores obteve a miserável 6º lugar. Indicou o candidato à prefeito a São Bernardo do Campo, e o pobre coitado não foi nem mesmo ao segundo turno!

    Responder

Sergio Sete

13 de julho de 2018 às 16h22

Na minha opinião, todas as pesquisas até o momento são apenas uma gigantesco exercício de imaginação.

Algo mais próximo do concreto só acontecerá quando todos os candidatos tiverem seus registros confirmados pelo TSE e a campanha efetivamente começar. Sem saber os nomes e as “chapas”, tudo não passa de um tablete de LSD.

Responder

Fábio Ribeiro

13 de julho de 2018 às 16h17

Miguel, enfim saiu sua análise da XP, que eu aguardava e confirmou o que eu sentia que seria o momento “atual , Lula na liderança, o único que vence o capitão no segundo turno e o Hadad como o indicado por Lula vira um candidato viável saindo de 2 para 12% a frente de Marina e Ciro, desta forma, entendo a ansiedade para a definição do que vai acontecer com o Lula e quando a posição do PT se tornará definitiva com o impedimento ou não do candidato líder, portanto penso que não devemos desprezar a estratégia do Lula e o máximo que todo o campo progressista devia fazer é buscar um debate com ele sem posições pré concebidas, ou corremos o risco de uma divisão perigosa.

Responder

    JC

    13 de julho de 2018 às 16h39

    O Ciro há alguns meses parou de tecer comentários acerca do PT. Tentou uma aliança com o PSB. O PT trata o Ciro como inimigo e os petistas tentam jogar aos ventos a ideia de que Ciro é um direitista disfarçado. Agora o PT chantageado (normal da política) o PSB a apoiá-lo no Pernambuco ou ser seu concorrente direto, enfraquecendo assim o avanço das negociações do Ciro com o PSB em esfera nacional. O PT vai tentar tirar de Ciro o apoio de TODAS as legendas de esquerda pra poder reforçar a ideia de que o Ciro é de direita. Tudo isso para ganhar dentro de uma meia dúzia de estados. Vitórias importantes, mas nem de longe tão importantes quanto a maior. A interrupção do projeto entreguista antinacional.
    O que ocorre é que a candidatura do Lula, em termos práticos só existe no imaginário popular e na estratégia do PT. Não se sabe quando e nem em quais circunstâncias o Lula vai anunciar seu substituto.
    Infelizmente o PT está brincando com o nosso pescoço. Se a esquerda ficar de fora desse segundo turno, desculpe-me, será única e exclusivamente devido aos caprichos do PT. 30% de intenções de voto do Lula é mais do que prova que o campo popular está mobilizado pra interromper esse projeto antinacional que aí está. Só a politicagem é capaz de desmobilizar ou pior, jogar no LIXO esse enorme potencial.
    Rezo diariamente para estar errado…

    Responder

    Alan Cepile

    13 de julho de 2018 às 17h16

    A divisão já existe, e infelizmente colocou gente que vota no Lula a votar no Bolsonaro caso Lula seja barrado (4% segundo o último IBOPE divididos entre Bolsonaro e Alckmin).

    O pior não é só isso (como se fosse pouco) Isso pode ter um efeito reverso, ou seja, eleitores do Ciro tb ficarem de picuinha e não votarem no Lula, caso ele seja aceito pelo golpismo por uma obra divina, ou no poste que ele indicar. Considerando um aumento dos eleitores do Ciro, podemos considerar que serão mais de 10%, e isso impedirá uma eventual vitória do PT.

    A esquerda está em apuros e a direita rindo a toa com a nossa briguinha interna.

    Responder

      Ultra Mario

      13 de julho de 2018 às 17h39

      Progressistas tem toda razão de estarem cansados do PT, não dá mais pra ficar nesse lenga lenga de paz e amor.

      Responder

        Quero-quero

        16 de julho de 2018 às 08h05

        Lula livre !!! Lula ou nada !!!

        Responder

          Alan Cepile

          16 de julho de 2018 às 09h08

          É pros eleitores do Ciro lembrarem desse “ou nada” caso um petista estiver no segundo turno pedindo votos da esquerda?

          Ah, esqueci, Ciro “não é de esquerda”…


Deixe uma resposta