Boulos em Recife

Bolsonaro? Consciência pesada? Não se preocupe…

Por Mariana T Noviello

15 de outubro de 2018 : 20h00

Seja qual for o resultado das eleições, podemos ter certeza de uma coisa: a culpa será posta no PT e, principalmente do Lula.

As eleições desse ano são, sem dúvida nenhuma, o resultado concreto do processo de um impeachment sem crime de responsabilidade e o PT foi de longe o partido que menos perdeu, apesar de todo o bombardeio que recebeu, vejamos:

Geraldo Alckmin, amargou no primeiro turno menos de 5%. Pífio resultado para o PSDB que, desde sua emergência, vem protagonizando as eleições presidenciais com o PT. Não fez um só governador no primeiro turno, reduziu a sua bancada de deputados federais em quase 50%, passando de terceiro maior partido para o nono, perdeu quatro senadores e está vivendo o fratricídio no 2ndo turno no seu berço, São Paulo.

O MDB, que mudou de nome para se distanciar de sua história recente idem, perdeu mais ou menos 50% da sua bancada na Câmara, um terço dos 18 senadores, governava 7 estados (incluindo o Rio de Janeiro), mas conseguiu eleger somente um governador no primeiro turno (aliás o único que se elegeu, se aliou ao PT, Renan Filho), apesar de ainda disputar o 2ndo turno em três estados. E sabe-se lá por que razão resolveu sair com um candidato inviável à presidência, dividindo ainda mais a chamada ‘centro-direita’.

A Rede se saiu bem no Senado, com cinco senadores, mas elegeu uma única deputada, a indígena Joênia Wapichana, e Marina derreteu, com apenas 1% dos votos na disputa presidencial.

O impeachment, levado a cabo pela ganância e desespero de um partido (PSDB) que não via suas chances nas urnas e por outro (PMDB) que temia a eliminação de seus quadros pela Lava Jato, se revelou um ato auto-destruidor.

Os ganhadores? Além de ascensão exponencial de Bolsonaro, foram os partidos do chamado ‘centrão’ que, apesar de terem pactuado com Alckmin para transmitir ao ex-governador de SP seus míseros segundos de televisão, foram migrando para a campanha de Jair Bolsonaro, como é de suas naturezas fazer, uma vez confirmada a súbita popularidade do capitão. O PP, partido conhecido por ter o maior número de envolvidos em atos corruptos, incluindo o notório Maluf, foi o que mais ganhou.

Temos na câmara agora 30 partidos! Todos sabemos que a fragmentação partidária é uma das razões para a falta de governabilidade, o fisiologismo e a corrupção.

Outro ganhador destas eleições é o partido Novo, que saiu do nada para fazer uma bancada de oito deputados, com a possibilidade de eleger um governador em Minas Gerais. O Novo, com ideologia claramente de mercado, não tem o empecilho do rótulo ‘social democracia’ e ainda (por ser novo) não tem casos de corrupção. O PSDB que se cuide.

Com isso, teremos (quase não é possível imaginar) o que deve ser, o pior Congresso já visto desde a redemocratização (isto é, se a maltratada democracia se manter). Pior que o congresso eleito em 2014. Mais fragmentado, mais conservador e mais fisiológico, com um aumento das bancadas BBB. A consolação? Algumas mulheres a mais e uma indígena.

Ah, e Ciro?

O Partido alugado por Ciro Gomes, o PDT se saiu bem, ganhou nove cadeiras, elegendo 28 deputados. Pena que não poderemos contar totalmente com esta bancada quando for necessário proteger (pois é só isso que vamos conseguir fazer) a agenda progressista.

Ciro teve uma votação digna, 12%, mas nada que justificasse a campanha que seus apoiadores fizeram, tentando convencer a massa petista a trocar de partido, sendo que era impossível Ciro tirar o voto da maioria dos petistas e grande parte de seus eleitores, especialmente no Nordeste, com exceção do seu estado, o Ceará.

O antipetismo subestimou a força do PT. Mas quando Haddad, o substituto de Lula, começou a dar sinais, em tão pouco tempo, de chegar ao segundo turno, o desespero bateu forte.

Então todos os candidatos, todos, com exceção de Boulos, começaram a equivaler o candidato do PT – o acadêmico de fala mansa e ‘o mais tucano dos Petistas’ Haddad – ao candidato abominável. Risível se não fosse trágico e criminoso, considerando a atual conjuntura.

Erro fatal esse, os votos que esperavam ganhar, retirados de Haddad e Bolsonaro, nunca vieram. Em vez disso, foram transferidos diretamente para Bolsonaro.

Perderam eles e perdemos nós. Perdemos nós porque parte considerável da população realmente acredita que não há diferença entre Haddad e Bolsonaro e, sem ninguém ainda para desmentir, continuam acreditando.

Pois Haddad patinou, enquanto Marina e Alckmin derreteram.

Mais de dez anos de mensalões, impeachments e lavas jatos impulsionaram o “candidato novo e apolítico”, e fundamentou o trabalho sigiloso e sujo nos zaps que, com a ajuda de algumas igrejas, de forma eficiente e precisa, inventou FakeNews e mentiras, sem ser incomodado.

Assim chegamos no segundo turno: o ‘Mito’, que se diz contra a corrupção, vai ganhar com base nas mentiras que vem espalhando e sem ter dito quase nada publicamente ou defendido suas ideias.

E não há nada de surpreendente neste segundo turno, infelizmente.

Marina, a candidata que mais bateu no Bolsonaro, a representante das mulheres, lavou as mãos e foi para casa – como fez depois de ter apoiado o Aécio e o impeachment, sem fazer críticas à Lava Jato. Pelas mágoas com o PT, a mulher que construiu toda a sua carreira no ambientalismo achou que não era necessário lutar contra um candidato que, não é só misógino e machista, mas que declarou querer renunciar ao Acordo de Paris, unir os ministérios da agricultura e meio ambiente e acabar com a demarcação das terras indígenas e quilombolas.

O PSDB também lavou as mãos, e apesar de Haddad ter se declarado aberto, não há conversa com o PT até que haja a tal ‘autocrítica’.

E o que seria a ‘autocrítica’, quando o PT reconhece que houve corrupção de alguns de seus quadros? Quando Haddad e até a própria Dilma já admitiram erros na condução da economia e em outras áreas?

Miriam Leitão, que só agora descobriu que o PT é mais democrático que Bolsonaro e admitiu que o partido foi republicano no trato da corrupção, nos dá uma pista: a ‘autocrítica’ é reconhecer que não há perseguição jurídica contra o PT.

Em outras palavras, implicaria rejeitar as exceções do judiciário. Ora, isto é completamente fora de cogitação para os petistas. Primeiro, porque não são só petistas que lamentam o ‘estado de exceção jurídico’ no qual estamos mergulhados e principalmente porque isso quer dizer a cabeça de Lula dada de bandeja.

Podemos, portanto, supor que o PSDB, ou aquilo que resta de vagamente decente no partido, também lave as mãos em relação ao futuro do país. Porém, considerando os resultados das eleições, não seria de tudo implausível pedir que os Tucanos também fizessem sua própria ‘autocrítica’.

E Ciro, o novo herói da classe média progressista, se encontra estranhamente calado. Flertou, ele também, com a equivalência PT-Bolsonaro. Alguns no seu partido, já até confiam na ‘contra-revolução’, propondo que Haddad ceda o lugar a Ciro. Quem sabe Ciro, já esperando uma derrota do PT, queira manter distância para se fortalecer, sem se imiscuir com o petismo para que, quando Bolsonaro cair, ele possa retornar como herói?

Estranha ironia a que vivemos, Lula, o “Salvador (ou destruidor) da Pátria”, tem partido e militância. Mas é ele o ‘Monstro Maquiavélico’, escondido em sua cela de Curitiba, ditando a sorte do país, mexendo os títeres da política brasileira, de esquerda e de direita. Enquanto os progressistas não-petistas esperam que Ciro, político solitário, de fala bonita e gatilho rápido, salve o Brasil das garras do Petismo e Antipetismo.

Seja qual for o resultado, as reclamações choverão sobre o Lula: porque ele – e só ele – dono imperioso e voluntarioso do seu partido detém as chaves do futuro do Brasil. E, vejam só, ainda que na prisão, ele não quer ceder!

Seja porque não convidou Ciro para ser cabeça de chapa, ou porque Haddad não cederá a candidatura a ele ou porque o PT não fez a devida autocrítica, se o Bolsonaro ganhar as eleições, Lula será o culpado.

E se, por ventura, o PT ganhar, ele será responsabilizado diretamente e sozinho, pela sua incapacidade de nos retirar da crise tamanha em que nos encontramos.

E é bom que assim seja, porque ninguém precisará ter a consciência pesada ou se remoer sobre os estragos que o impeachment e o golpe jurídico-mediático-parlamentar causaram.

Que todos agradeçam, FHC e seus Tucanos, Ciro, Marina e até Bolsonaro que na mitologia política brasileira Lula passou de um despreparado analfabeto para se tornar o mais brilhante criminoso que o Brasil já viu.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

50 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Franco Mesquita

18 de outubro de 2018 às 18h51

O que a classe média esperou foi que surgisse um nome novo que não era o Ciro que, apesar da simpatia dos universitários e intelectuais não consegue reciclar a imagem de destemperado e arrogante que a falta de tato que parece ser marca da família o acompanha.

A verdade é que o sistema, contando com o apoio da mídia amestrada e seus interesses escusos e com a adesão sistemática do poder judiciário jamais iria permitir, se não pelo voto, com a ruptura do regime, mais uma vitória das forças não alinhadas.

Somente a frustração dessa insana aventura prestes a ser consumada poderá servir de aprendizado para tanta insensatez e falta de discernimento, isto se houver uma nova chance. Haverá sobreviventes?

Franco

Responder

Sandro

17 de outubro de 2018 às 13h10

Esse texto é um exemplo cirúrgico da arrogância, da prepotência e do orgulho petista. Até quando o assunto é autocrítica se envolve o PSDB? Pois eu quero que o PSDB se exploda (já se autoexplodiu por sinal)!!! Não é a toa que o antipetismo cresce dentro da esquerda de forma avassaladora. Depois de tudo o que o PT fez para boicotar e isolar a candidatura do Ciro, precisa ser muito prepotente querer exigir apoio irrestrito. É impressionante como os petistas trasmutam-se da Arrogância ao Vitimismo como se fosse a coisa mais normal do planeta. O país inteiro indignado com as manobras petistas contra um aliado histórico e com qual moral vcs agem como vítimas? Pois vão é perder feio!!!

Responder

Alan Cepile

16 de outubro de 2018 às 14h16

Achei o texto razoável, acertou na questão do impeachment mas achei um pouco presunçoso em relação a Lula, dando-o um poder que evidentemente ele não tem mais.
Além disso há um erro, Ciro foi sim chamado para encabeçar a chapa, ele, que de forma muito acertada, não aceitou.
Esses textos pós 1º turno me dão a impressão de que o petismo está considerando que a culpa pela derrota do PT é do Ciro, o que é um pensamento (mais um) altamente prepotente.
O PT parece aquele gatinho que se olha no espelho e vê um leão.
Precisa acordar….

Responder

    J Fernando

    17 de outubro de 2018 às 15h39

    Mas, o texto está dizendo justamente que Lula NÃO TEM esse poder que lhe incutem…

    Responder

Guimarães Roberto

16 de outubro de 2018 às 10h16

Se o judiciário não soltar o Lula até 31/12/2018 existe a possibilidade de ser apagado lá onde está. Muitos ainda não perceberam que grupos, mais ou menos autônomos, seguidores das ideias do Coiso estão se formando para a caça às bruxas. Estão só aguardando ele ser eleito e tomar posse. Já vimos algumas amostras grátis até agora e tudo leva a crer que vai piorar, já que, provavelmente, terão o apoio das pms e ffaa. Quando começar a acontecer não vai ser importante saber de quem foi a culpa pela perda da eleição, se da direita, do centro ou da esquerda. A solução será aquela que constava em uma frase antiga: “A melhor saída é o aeroporto do Galeão”.

Responder

    Eu Mesmo

    16 de outubro de 2018 às 13h14

    Já reservou sua passagem?? Vc é o primeiro que não fará falta.

    Responder

    Renato

    16 de outubro de 2018 às 15h11

    Já vai tarde. Não fará a mínima falta por aqui !

    Responder

IVANISE GONZAGA ALVES

16 de outubro de 2018 às 10h08

Vai dizer que o fiasco de Ciro nas urnas foi culpa do PT, Ciro não agradou em a direita e muito menos a esquerda, é um falastrão, um abusado , um revoltadinho que não tem jogo político e acha que eleição é um brinquedinho feito só pra ele…ele pra mandar os outros fazer mea culpa, precisamos ouvir as desculpas dele

Responder

Yan

16 de outubro de 2018 às 10h04

NÃO TENHO MAIS DÚVIDAS : CIRO GOMES É UM INVEJOSO.

TERÁ O MESMO DESTINO DE MARINA SILVA.
2022? NÃO.

Responder

Tamosai

16 de outubro de 2018 às 04h16

O texto é um excelente aviso. O que está em jogo é a democracia. Se a barbárie prevalecer, não vai ajudar nada depois dizer que a culpa é de A, B ou C. Provavelmente não vai ter 2022, seja via ditadura ou parlamentarismo evangélico-militar-jurídico.

Responder

    O Pai

    16 de outubro de 2018 às 09h09

    O conceito de democracia de vcs é mto curioso. Só é democracia se o presidente preferido de vcs ganhar?? E o parlamento?? E os deputados que vcs elegeram?? E as leis e as instituições?? Não se esqueçam que, se o parlamento quiser, derruba presidente!

    Responder

      Tamosai

      17 de outubro de 2018 às 05h25

      Nada contra o parlamentarismo, se os parlamentares eleitos forem representativos, o que não é o caso no atual sistema. Só para dar um exemplo do Congresso anterior: se houvesse parlamentarismo, o Primeiro-Ministro seria o Eduardo Cunha.

      As leis e as instituições foram manipuladas pelo Judiciário condenando a alta velocidade e sem provas e aliviando para os outros.

      Com relação à ditadura , basta ouvir as declarações dos trogloditas do grupo do Coiso. Não são chegados à democracia.

      Responder

Ruy Acquaviva

15 de outubro de 2018 às 23h37

Onde está o Ciro neste que é um dos momentos mais cruciais da democracia brasileira? É verdade que ele foi passear na Europa?

Responder

    JOÃO BATISTA

    16 de outubro de 2018 às 00h00

    Ciro está atrás de você!

    Responder

Paulo

15 de outubro de 2018 às 23h23

“Seja qual for o resultado das eleições, podemos ter certeza de uma coisa: a culpa será do PT e, principalmente do Lula”: Não, filha, a culpa só será do “Sapo Barbudo” se Bolsonaro for eleito! Se Haddad ganhar, ele será tido como o grande “estrategista”…parece técnico de futebol, no Brasil, se ganha é “bestial” (como diria Oto Glória); se perde, é uma besta…

Responder

    Tamosai

    15 de outubro de 2018 às 23h31

    Você leu o texto? Que tal ler mais do que o título?

    Responder

    Mariana T Noviello

    16 de outubro de 2018 às 04h48

    O que digo é exatamente isso! O texto é para ser irônico!! ou vc acha que a mídia vai por a culpa em quem? Nos Tucanos?? E se nos nao conseguirmos sair deste buraco causado pelo Golpe, quem vc acha que serah culpado? No clima de hoje, soh a historia nos absolvera.

    Responder

      Ricardo

      16 de outubro de 2018 às 09h17

      Que golpe ? Depois do pé-na-bunda que Dilma tomou em Minas e da consagradora votação de Janaína Paschoal em São Paulo , vocês ainda vêm com o mimimi de “É Golpe”? Respeitem as urnas !

      Responder

      Paulo

      16 de outubro de 2018 às 18h11

      “E se, por ventura, o PT ganhar, ele será responsabilizado diretamente e sozinho, pela sua incapacidade de nos retirar da crise tamanha em que nos encontramos.” Não, Mariana, aí já é vitimismo! Lula será aclamado, se Haddad vencer (o que seria um milagre, a estas alturas)…mas há um dado adicional nessa equação e juízos, que, a meu ver, está sendo negligenciado pela crítica, e que, se não absolve Lula totalmente, atenua sua culpa: o prejuízo, além de político, será pessoal e físico, dele próprio, em caso de derrota, pois continuará preso e sem perspectivas de sair tão cedo de Curitiba…

      Responder

Ultra Mario

15 de outubro de 2018 às 23h12

Não, as pessoas não viraram de direita porque o PT decepcionou, mas porque a mídia é malvadona, o STF é malvadão, o senado é malvadão, o Aécio é malvadão, o Ciro é malvadão…

Responder

    Tamosai

    15 de outubro de 2018 às 23h25

    Comentário típico de um cabo Anselmo.Coloca no mesmo saco Ciro e Aecio. Por favor vá para onde sua mãe está.

    Responder

    Marcelo Oliveira Soares

    21 de outubro de 2018 às 09h52

    A capacidade argumentativa padrão dos bolsominions. Vocês, não “viraram” de direita, foram transformados de “direita” por propaganda anti PT que começou assim que Lula venceu a eleição para presidente. Vocês da “direita” na verdade não passam de gado.

    Responder

Tamosai

15 de outubro de 2018 às 23h08

O texto mostra bem a complexidade da situação. Ainda dá tempo de evitarmos a barbarie.

Responder

    JESSE OLIVEIRA GUIMARAES

    16 de outubro de 2018 às 00h24

    “O Partido alugado por Ciro Gomes, o PDT”.Eu pela minha idade, não precisava votar no Ciro, mas votei. Não preciso votar no Haddad, a não ser por um imperativo de minha consciência, mas voto. A articulista poderia não chamar o PDT de partido de aluguel, pois ele não é. Não é o brilhante partido com que Brizola sonhou, mas nunca foi um partido de aluguel. Respeitar a história dos outros também é sabedoria. Li todo artigo e só faço este reparo. Quanto aos resto é o resto.

    Responder

      Mariana T Noviello

      16 de outubro de 2018 às 04h42

      O PDT não é de aluguel, O Ciro usa o PDT de aluguel, pq ele já passou por vários partidos. E o PDT não é totalmente fiável, já que muitos parlamentares votaram contra as nossas pautas: pro-impeachment, pro-reformas, etc.

      Responder

        Adecio

        16 de outubro de 2018 às 07h12

        Acabou! PT nunca mais! 12 no segundo turno!

        Responder

Fred

15 de outubro de 2018 às 22h54

Pois é… A culpa é dele mesmo… Não foi ele com seus 87% de aprovação, que não aprovou uma única reforma? Não foi ele que colocou Joaquim Barbosa no STF jogando as favas todo o seu histórico conservador? Não foi o Lula que escolheu a Dilma? Honesta! Mas incompetente e sem nenhum traquejo político pra lhe suceder? O que importava pro Lula e seu ego e arrogância era o status do HOMEM que escolheu o primeiro negro pro STF e elegeu a primeira mulher presidenta… Nada mais…
Lula também, por tudo que escrevi, é responsável pelo anti petismo, assim como a globo, SP, PSDB etc etc… E sim, Lula é responsável por entregar de bandeja o Brasil ao fascismo junto com a chave de sua cela…

Responder

    Tamosai

    15 de outubro de 2018 às 23h19

    Não sei se voce leu o texto. Ele fala de pessoas que procuram um bode expiatório e se esquecem dos vários motivos e causas da situação. Se você é progressista, ainda dá tempo de lutar contra a barbárie.

    Responder

Apolinario jose pereira

15 de outubro de 2018 às 22h54

Nao entendir o que a mariana escreveu, li e reli e nso entendir nada. A unica coisa que sei eh que sempre que se perde se culpa alguem, e quando se ganha mesmo apertado se culpa tambem alguem, impressionante como o ser humano eh mediocre. Temos que aprender ganhar e tambem a perder. O candidato do Pt Hadad foi o que tem e tinha de melhor, ganhando e ou perdendo e vamos ganhar sim no dia 28, vamos dar um troco nos covardes e hipocrita do brasil, politicos, ministerio publico, justica e imprensa fascista e safado, esses sim sao os culpados, caso esse bandido Bosalnaro e cia vencer, pois o candidato mesmo era Lula, mad como os acovardados da justica o impediram, o Pt escolheu o melhor, que foi o Hadad, e nao adianta vir com papo furado culpando esse e ou aquele, quando se vence todos vencedores, porem, quando se perde perde todos e ponto final e a luta continua. Pena que a populacao mais pobre eh quem sai prejudicada, apesar dela ter culpa por votar num pilantra como Bosalnaro se deixando levar pelas mentiras e safadesas da imprensa fascistas e dos idiotas golpitas
Eh Hadad 13 na vitoria e ou derrota, mad vamos vencer e desmoralizar a elite do brasil, poder judiciario, ministerio publico, politicos e imprensa nojenta. Hadad 13 dia 28. Vitoria do 13 Hadad.

Responder

    Luladrão

    16 de outubro de 2018 às 00h04

    O cérebro de vcs petistas, estão atrofiados. Não entendem que o povo tomou nojo do PT por conta da corrupção. Ou vão me dizer que não houve nada? Foi tudo uma conspiração? O povo nutre a ideia de que todos esses bilhões desviados nas mãos do Bolsonaro, serão destinados para onde devem ir ou seja, educação, segurança, saúde etc. Imagina o crescimento do país se esse dinheiro nao for para os paraísos fiscais da vida? O problema é que todo petista vive em um mundo de fantasia. A lavagem cerebral foi feita com sucesso em vossas mentes.

    Responder

    Marcelo Oliveira Soares

    21 de outubro de 2018 às 09h56

    Pobre tem que se lascar, assim quem sabe deixem de serem burros.

    Responder

Nill

15 de outubro de 2018 às 22h43

Miguel, cadê meu comentário postado há uma hora atrás?

Responder

Manuel Feijó

15 de outubro de 2018 às 22h39

O fenômeno Bolsonazi é fácil de se explicar:
O povo, diante das dúvidas lançadas (pelos EUA) sobre o sistema político brasileiro, refugia-se nas instituições mais sólidas (medievais) do país: forças armadas e igreja (católica ou protestante). A solidez interessa ao povo, depois de ver dois presidentes por ele escolhidos (Collor e Dilma) destituídos por motivos fúteis (fiat elba e pedaladas fiscais); é mais difícil destituir um militar. Além disso, é claro, existe a imagem no inconsciente coletivo (que data da Idade Média) do cavaleiro andante de armadura e lança, que vai nos livrar dos bandidos malvados e matar o dragão da corrupção, qual samurai japonês.
O inconsciente coletivo tem mentalidade de criança de 5 anos.
A mesma regressão psicológica aos tempos medievais inspirou o nazismo. Trata-se do encolhimento da criança, que volta a chupar o polegar, diante de uma situação externa assustadora (a nível mundial, o rápido avanço da técnica a exigir novas formas de organização socioeconômica).

Responder

Nill

15 de outubro de 2018 às 22h02

Ah, faça-me o favor! Pra escrever esse texto irônico precisaria primeiro ter um pouco de conhecimento do que ocorreu nos últimos anos. Ciro esteve do lado do PT todos esses último 16 anos, inclusive indo pra linha de frente defender o partido e principalmente Lula por ocasião do mensalão, quando quase o derrubaram, enquanto a maioria da cúpula do partido enfiou o rabo entre as pernas, abandonando até o Genuíno e o Zé Dirceu à própria sorte. Depois, Lula prometeu e traiu Ciro dizendo que ele seria seu indicado à presidência em 2010, fazendo-o transferir seu domicílio eleitoral para São Paulo e depois abandonando-o num acordo espúrio com o Eduardo Campos. Agora, nesta eleição, manobrou para impedir o apoio do PSB ao Ciro, que estava praticamente certo, oferecendo a cabeça da candidata do PT ao governo de Pernambuco em favor de Paulo Câmara, obrigando o PSB também a rifar a candidatura do seu candidato em MG, que por sinal apoiava Ciro e já tinha sido seu assessor no ministério da integração. E vêm vocês agora, dizer que porque o Ciro não aceitou se submeter e subir no palanque do Haddad ele é o grande vilão? Mesmo com ele já tendo manifestado seu apoio formal, ainda que crítico? Que dizer que não se pode dar apoio crítico, tem que ser vaquinha de presépio e concordar submissamente com o PT e suas verdades absolutas? Vão plantar batatas! Votei no PT em todas as últimas eleições, por isso posso dizer com legitimidade que, NUNCA MAIS. Eles tiveram 14 anos para, além das INEGÁVEIS melhorias pontuais que ofereceram não só aos pobres deste país, promover mudanças estruturais que na verdade nunca vieram e nem se esforçaram para tal, como agora estão dizendo que vão fazer. Lembro como se fosse hoje das propostas sobre segurança pública que a Dilma repetiu exaustivamente na sua campanha, mas que NUNCA saíram do papel depois da eleição, se é que um dia estiveram lá. Depois, promove com um banqueiro no ministério da economia, um dos maiores arrochos dos governos petistas, batizado de “reforma fiscal”. Tudo para acalmar essa entidade fantasmagórica chamada mercado. Isso para citar somente alguns exemplos. Não tenho nenhuma dúvida da honestidade da Dilma, mas administrativamente seu governo só perde mesmo para o do Sarney, depois da ditadura. É por isso, e só por isso, que o Bolsonaro está se elegendo, ele descobriu e se aproveitou disso, que era só trabalhar nos erros do PT, principalmente em relação à segurança pública que, de longe é a maior reivindicação da população de A a Z, de pobre a milionário. De que adianta ter emprego e poder de compra se ao sair de casa você, seu filho ou qualquer outro membro da família ou amigos podem ser mortos ali na esquina por qualquer coisa banal, como um celular por exemplo, ou mesmo pela polícia, que acha que qualquer pobre é bandido? É claro que o PT apanhou, teve muita desonestidade de juízes que passaram por cima da lei e etc. Mas com um governo forte e com autoridade, isso nem de longe teria acontecido. \Pode acreditar, existem inúmeros instrumentos democráticos para isso. E também não se esqueça que as redes de televisão são uma concessão pública com regras constitucionais que podem ser utilizadas pelo presidente para estancar abusos, mas ao invés disso, o PT encheu as burras dos barões da mídia de dinheiro com publicidade, na vã esperança de que iam cooptá-los, usando como argumento uma excrecência, a chamada “mídia técnica”. Qual o sentido de estatais como a Petrobrás, que detinha o monopólio do petróleo fazer propagandas caríssimas? Isso, pra ficar só num exemplo. Pra terminar, quem está no poder apanha mesmo, seja de que partido for, o que faz a diferença é como se reage a esses ataques, independente se tem só alguns ou quase todos contra você. Só pra ficar num dado: durante o governo do FHC, que também foi deplorável, pra dizer o mínimo, o PT entrou, nada mais, nada menos, com 56 pedidos de impeachment contra ele. Eu, se estive no lugar do Ciro, estaria agindo da mesma forma, não por vingança, mas poque ele não é do PT e era o único que tinha um projeto de governo para o Brasil nestas eleições, talvez o melhor das últimas décadas, depois da redemocratização, fruto de muito trabalho e anos de estudos, inclusive com livros publicados sobre o assunto. Não dá mesmo pra subir num palanque com o PT, que mesmo depois dos erros grosseiros desses últimos anos no poder, nem se deu ao trabalho de apresentar um projeto consistente e aceitável. Está tentando construir um agora, e fazendo adaptações durante a campanha. Agora é tarde.

Responder

Miguel Freitas

15 de outubro de 2018 às 21h58

Teremos eleições em 2022? ou vamos escolher o Parlamento onde o centrão e o baixo clero escolheram o 1º Ministro…….

Responder

Fernando

15 de outubro de 2018 às 21h57

Time que nao ataca nao ganha o jogo. Haddad e o PT sao uma moleza tremenda. Ficam esperando por FHC, FHC é um dos politicos mais cinicos do Brasil. O povo nao aprova 100% a lava jato. Por que nao atacam a lava jato ? Por que nao atacam com impetuosidade o Bozo, por que nao atacam o Mourao. Atacar a lava jato nao é atacar o Supremo.
Time que nao ataca, perde.
Mas uma coisa é inegável, o Lula errou em atrapalhar o centrao ficar com o Ciro. Isso foi uma bola fora porque pegou muito mal entre os proprios eleitores do pt.
E o Ciro tb errou em falar mal do Lula. Foi aí que ele perdeu a eleiçao. Lula é um gigante para o povo quer gostem ou nao.
Acho que agora é se conformar com o Bozo. Se o pt nao for mais agressivo na campanha vai ser muito dificil ganhar.

Responder

    CezarR

    15 de outubro de 2018 às 22h09

    É proibido criticar o Lula? Você acha que foi por isso mesmo que não ganhou apoio do PT? É muita ingênuidade!

    Responder

Lucas Almeida

15 de outubro de 2018 às 21h56

Claro que vai! Pq o pt quer tomar as decisões sozinhas e não quer se responsabilizar quando perde? Já falo há tempos neste blog, Lula foi um grande estrategista mas a partir de 2013 ERROU tudo! Volto a listar:
1) reação bizarra do pt contra as manifestações 2013
2) Dilma para reeleição
3) Lula nao ser ministro da Dilma
4) negociação frouxa no impeachment
5) não se voltou as bases pós golpe
6) lançou uma candidatura sabendo q ia ser impedido

E, nós, progressistas como bobos:
Não vai ter golpe! Teve
Fora temer! Ficou
Lula livre! Lula preso
Lula candidato! Haddad candidato.

Quem aguenta? Eu não, não mais. O PT acabou para mim, infelizmente, talvez o pdt ainda tenha quadros reacionários mas está se reformulando e seja uma alternativa. Quadros reacionários ate o pt tem (ou ninguem se lembra do excelentissimo Jorge Viana se recusando a assumir o lugar do Renan na presidência do senado em plena votação da pec da morte?)
Se o França for eleito em SP e sair a ventilada fusão psb-pdt, o pt passará ao esquecimento. Não pensem q os quadros de hj q são fortes continuarão no Nordeste com essa derrocada e com Lula preso. É bem possível q Camilo, Wellington dias e até Rui Costa se debandeem para um partido mais confiável e com menor rejeição.

E relaxa, não é só o pt q vai pagar. Os quadros petistas aliás estão muito bem com seus mandatos de deputados ou senadores, suas profissões de classe média burguesa. Quem vai se dar mal é o povão q mais uma vez confiou e ficou na mão, engolido pela sede infinita de poder e imbecil auto confiança petista.

Responder

    Serg1o Se7e

    16 de outubro de 2018 às 14h11

    “E, nós, progressistas como bobos:
    Não vai ter golpe! Teve
    Fora temer! Ficou
    Lula livre! Lula preso
    Lula candidato! Haddad candidato.
    Quem aguenta? Eu não, não mais. O PT acabou para mim”

    Resuminho bom da [email protected]

    Responder

CezarR

15 de outubro de 2018 às 21h53

Com a derrota dada, é hora de justificar, atacar o Ciro, manter a esquerda no cabresto, é o que sobrou ao PT.

Responder

Leandro_O

15 de outubro de 2018 às 21h30

Só o título basta como reconhecimento. Para os que subestimaram o potencial de Bolsonaro e superestimaram o de Haddad, para os que achavam que o Ciro não passaria dos 3%, 4%, sem tempo de TV, fez cerca de 12,5%, só o título basta como reconhecimento.

Responder

Eugenio Pacelli

15 de outubro de 2018 às 21h28

Não concordo com a Dra Mariana. A maioria do povo brasileiro esta votando em Bolsonaro, que prá mim é um Fernando Collor piorado por livre e espontânea vontade. Infelizmente temos uma população despreparada para realizar um minimo de análise sobre o perfil e histórico de quem quer que seja. As pessoas de juizo, inclusive o DR CIRO GOMES, deveriam estar aqui no batente, junto ao seu eleitorado tentando evitar este naufragio do TITANIC chamado Brasil.

Responder

Ricardo

15 de outubro de 2018 às 21h20

“s votos que esperavam ganhar, retirados de Haddad e Bolsonaro, nunca vieram”. Boulos ? Que votos Boulos teve ?

Responder

    O Pai

    15 de outubro de 2018 às 22h08

    Bo quem??

    Responder

Wilton Cardoso

15 de outubro de 2018 às 21h08

O único erro do PT foi não ter aproveitado o boom dos anos 2000 para industrilizar o país. O pouco que tentou, com indústria naval e petroquímica, foi sabotado pelos EUA com a ajuda dos quinta coluna da lava-jato e STF.
Com indústria forte, teria atravessado a crise de 2014 com mais tranquilidade.
No mais, a autora tem razão. Na crise, a população brasileira, que é conservadora em sua maioria, endireitou, como em 64 (o golpe teve muito apoio popular).
Uma chapa Ciro-PT seria demonizada também.
O Brasil gosta de salvadores reacionários, Jânio e Collor que o digam.
Evangélicos + mídia + STF + Forças Armadas + Lava-jato, todos sem o mínimo republicanismo nem ética (isso é coisa de democratas ingênuos) se juntaram e “manipularam” a população. Manipularam entre aspas, porque a tendência do brasileiro é o conservadorismo nos costumes e o individualismo consumista.

Responder

CezarR

15 de outubro de 2018 às 20h32

Pois é dona escriba…. a senhora está certa, quem está errado é o Jaques Wagner, Flávio Dino, Miguel, PHA, Wanderley Guilherme dos Santos, Josias de Souza…
Miguel, entendo que você deva dar oportunidade de contraditório e pluralidade de opiniões, mas usar uma senhora que chama o PDT de partido de aluguel? Por favor…

Responder

Elena

15 de outubro de 2018 às 20h09

Podem me xingar, mas a dona Mariana Noviello está equivocada. Ciro vai ser a Marina amanhã, aquela que teve 20% dos votos em 2014 e nessas eleições só teve 1% dos votos. Ciro disse que essas eleições era a última da qual participaria e agora já está falando que voltará em 2022. E aí eu faço coro com o jornalista Florestan Fernandes Junior: “Candidatar em 2022 pra quem?”

Responder

    Bozo & Andrade Artigos para Festas Infantis

    15 de outubro de 2018 às 22h48

    Lamentamos profundamente que a senhora não tenha entendido o sentido do texto. A articulista desenvolve seu raciocínio com o modo ironia ligado. Trata-se de artigo de clara louvação a São Lula e seu partido da estrelinha (Peteca).

    Responder

    Adecio

    16 de outubro de 2018 às 10h04

    Ciro vai ser a Marina amanhã… Como esse pessoal do PT consegue ver bem o futuro hein. É vocês que vão ganhar essa eleição, certo? Errado! A única certeza eh que o PT e sua hegemonia odienta vão acabar!

    Responder

      Marcelo Oliveira Soares

      21 de outubro de 2018 às 10h14

      Pode chorar. Em 2 anos o fracasso Bolsonaro vai ficar evidente (se não derem um golpe militar) e aí o PT voltará para limpar a bagunça. Se o Ciro quiser ele pode até ganhar um ministério se o comportamento dele for adequado.

      Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com