Câmara discute privatização da Eletrobras

Leo Pinheiro, o bandido confesso que atesta a “lisura” da Lava Jato

Por Miguel do Rosário

04 de julho de 2019 : 10h34

É uma situação irônica.

A Lava Jato, em crise de imagem por conta de vazamento de diálogos comprometedores entre Sergio Moro, Dallagnol e outros procuradores, é hoje “salva” pelo depoimento de um… criminoso confesso.

Durante esses 5 anos de Lava Jato, já vimos muita coisa. Já vimos, por exemplo, o fenômeno da “pré-delação”, em que depoimentos de réus sob o poder de Sergio Moro vazavam antes mesmo de existirem. O objetivo era sempre o mesmo: iniciar a fritura de alguém importante, e controlar a agenda política do país. Não havia nenhuma delação à vista para vazar? Sem problema, vazemos uma delação que ainda iria acontecer…

Pois bem, agora, em seus estertores finais, a Lava Jato inova com a “pós-delação” (créditos devidos ao Reinaldo Azevedo, cuja análise da carta do Leo Pinheiro é o que você vai ler hoje de melhor sobre o tema), em que o delator reafirma suas próprias denúncias, como se a prova do que falou seja simplesmente repetir tudo que ele mesmo disse.

Leo Pinheiro, ex-presidente da OAS, cuja delação foi um dos principais sustentáculos da condenação de Lula no caso do triplex de Guarujá, enviou carta, da prisão onde se encontra, em Curitiba, à Folha de São Paulo, sustentando seus depoimentos contra o ex-presidente.

A notícia é capa da Folha desta quinta-feira:

E também segue na capa do site do Globo há algumas horas, na manhã desta quinta-feira.

A carta de Leo Pinheiro, provavelmente articulada (aberta ou tacitamente) entre os advogados do executivo e procuradores da Lava Jato,  é um contra-ataque dos amigos de Sergio Moro às revelações trazidas à tôna pela Vaza Jato.

Leo Pinheiro tem interesse em obter benefícios de sua delação contra o ex-presidente Lula, conforme já foi noticiado no início deste ano pela Istoé. Se falasse outra coisa, se corroborasse, de alguma forma, as denúncias da Vaza Jato contra Sergio Moro e Dallagnol, Pinheiro estaria lascado. Ele está preso e aguardando um gesto de generosidade dos próprios juízes e procuradores envolvidos direta ou indiretamente nas irregularidades denunciadas pela Vaza Jato. No momento, é o elo mais frágil de toda essa história, e também a fonte menos confiável, em função de seu interesse (ou até mesmo de seu desespero) pessoal.

Sua carta, além disso, traz uma série de meia verdades, que são as piores mentiras.

Por exemplo: ele diz que estava em liberdade quando fez a delação contra Lula. Ora, não é bem assim, ele estava em liberdade provisória, e com as malas prontas para voltar à cadeia, e após ter ficado um bom tempo preso, ou seja, na pior condição emocional possível.

É o Reinaldo que nos lembra, no artigo já citado:

Só para lembrar: ele conheceu a cadeia pela primeira vez na 7ª fase da Lava Jato, em novembro de 2014. Foi condenado pela Justiça Federal, em primeira instância, a 16 anos e quatro meses de prisão, acusado de corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Foi posto em liberdade provisória em 2015 e voltou a ser preso no dia 5 de setembro de 2016 por determinação de Sergio Moro. E preso está até agora. Assim, mesmo a primeira delação, aquela que foi anulada, foi feita por um liberto provisório.

Pelo menos serviu para isso a série O Mecanismo, do José Padilha… O roteiro é anti-Lula, porque escrito com base no livro do filho da Miriam Leitão, um livro inteiramente chapa branca, colhido exclusivamente das fontes da polícia. Pois bem, na série, a polícia identifica Leo Pinheiro como o “elo fraco” dos empreiteiros, ou seja, aquele que é emocionalmente mais vulnerável, e, portanto, o mais apto a entrar no jogo da procuradoria, que consistia em forçar os empresários a corroborar uma narrativa já previamente escrita, muito parecida inclusive com a usada no mensalão, feita de “núcleos”: núcleo político, núcleo financeiro, núcleo operacional.

E foi assim que aconteceu. Leo Pinheiro tem sido o mais dócil delator da Lava Jato, embora a esta altura já não reste quase nenhum resistente, a não ser alguns petistas, que resistem porque são, efetivamente, militantes políticos, como Vaccari, Dirceu e o próprio Lula. De resto, quase todos cederam às chantagens pesadíssimas da Lava Jato, e que, agora está provado, nunca foram blefe. Para que Paulo Roberto Costa, por exemplo, se decidisse a delatar, a Lava Jato teve que pegar toda a sua família: pai, mãe, irmã, filha, genro, todo mundo ficou sob ameaça de ser preso. E, foram, de fato, todos denunciados, e ai de quem voltar atrás e der entrevistas afirmando que falaram sob coação!

As ameaças de destruir a Odebrecht se cumpriram plenamente, e Marcelo, o que mais resistiu, não conseguiu salvar a maior empresa de engenharia nacional.

Outro ponto – muito importante – a considerar é que a OAS, a empresa de Leo Pinheiro, pagou mais de R$ 6 milhões, segundo denúncia de um de seus ex-executivos, para que as delações dos funcionários da empresa fossem todas ajustadas. Está no Conjur.

Com a Odebrecht houve uma negociação semelhante, e ainda mais cheia de estranhezas. 77 executivos da empresa fizeram delação simultânea, homogênea, em que tudo foi combinado previamente entre os advogados da empresa e procuradores, num hotel em Brasília, que foi chamado numa reportagem do Estadão, de QG da Delação. E todos os delatores que concordaram  receberam salários por 15 anos.

Um dia, alguém ainda há de escrever a história suja da Lava Jato…

***

Leia a íntegra da carta de Léo Pinheiro:

Estou preso há 3 anos e 7 meses, por ter praticado crimes que fui responsável. Chegou o momento de falar um pouco sobre o noticiário a meu respeito.

A matéria veiculada nesta Folha de S. Paulo, sob o título “Lava a Jato via com descrédito empreiteiro que acusou Lula, no último domingo, dia 30 de junho de 2019, necessita de alguns esclarecimentos, todos eles amparados em provas e fatos.

A minha opção pela colaboração premiada se deu em meados de 2016, quando estava em liberdade, e não pela preso pela operação Lava Jato. Assim, não optei pela delação por pressão das autoridades, mas sim como uma forma de passar a limpo erros que cometi ao longo da minha vida. Também afirmo categoricamente que nunca mudei ou criei versão e nunca fui ameaçado ou pressionado pela Polícia Federal ou Ministério Público Federal.

A primeira vez que fui ouvido por uma autoridade sobre o caso denominado como tríplex foi no dia 20 de abril de 2017, perante o juiz federal Sergio Moro, durante meu interrogatório prestado na ação penal referente ao tema.

Na oportunidade, esclareci que o apartamento nunca tinha sido colocado à venda porque o ex-presidente Lula era seu real proprietário e as reformas executadas foram realizadas seguindo suas orientações e de seus familiares. O ex-presidente e sua família foram ao tríplex e solicitaram reformas como a construção de um quarto, mudanças na área da piscina etc. Tudo devidamente testemunhado por funcionários da empresa que acompanharam a visita e prestaram testemunhos sobre isso.

Afirmei ainda que os valores gastos pela OAS foram devidamente contabilizados e descontados da propina devida pela empresa ao Partido dos Trabalhadores em obras da Petrobras, tudo com anuência do seu maior líder partidário. A conta corrente com o PT chegou a aproximadamente R$ 80 milhões, por isso havia um obrigatório encontro de contas com o Sr. João Vaccari.

O meu interrogatório foi confirmado por provas robustas que o Poder Judiciário, em três instâncias, entendeu como material probatório consistente para condenação de todos os envolvidos.

O material que comprova a minha fala está no processo do tríplex e foi todo apreendido pela Operação Lava-Jato na minha residência, na sede da empresa OAS, na residência do ex-presidente Lula, na sede do Instituto Lula e na sede do Bancoop, o que quer dizer que não há como eu, Léo Pinheiro, ter apresentado versões distintas, já que o material probatório é bem anterior à decretação da minha prisão em novembro de 2014. Além disso, plantas das reformas do tríplex, projetos do apartamento e do sítio, bem como contratos, foram apreendidos na própria residência do ex-presidente, cabendo à minha pessoa tão somente contar a verdade do que tinha se passado. O próprio ex-presidente Lula, em seu interrogatório no mesmo caso, confirmou que voltamos no seu carro após nossa visita ao tríplex do Guarujá.

As provas que estão presentes no processo são bem claras e contundentes, tais como:

1. Documentos que indicam o ex-presidente e sua família como proprietário do imóvel antes mesmo de a OAS assumir o empreendimento, apreendidos na residência do ex-presidente Lula e na sede da Bancoop;

2. Emails internos da OAS que demonstram a necessidade de “atenção especial” com a cobertura 164, bem como os projetos da obra;

3. Registros dos meus encontros com Paulo Okamotto, João Vaccari Neto e o ex-presidente Lula, em minha agenda do celular, no Guarujá, no Instituto Lula e na residência do ex-presidente em São Bernardo do Campo;

4. Mensagens sobre encontro de contas com João Vaccari;

5. Depoimentos de pessoas que não estão vinculadas à OAS e que trabalharam nas obras da reforma, bem como de funcionários do prédio Solaris e também dos demais funcionários da empresa envolvidos na obra da cobertura.

Neste mesmo período, surgiu um novo pedido do ex-presidente Lula, uma forma no seu sítio.

Fui ao sítio com o ex-presidente ver e ouvir os pedidos de reforma e reparos, visita que foi fotografada e testemunhada pelo diretor da empresa designado para supervisionar as obras no sítio e no tríplex. Me recordo que fui em um sábado até o apartamento do ex-presidente, em São Bernardo do Campo, mostrei os projetos do sítio e do tríplex para que fossem aprovados. Esta visita consta dos registros da minha agenda e em mensagens, além de ter sido confirmada no processo judicial pelo testemunho do diretor que me acompanhou.

Com o aval do ex-presidente Lula e seus familiares, as obras começaram. O sigilo era uma especial preocupação nos trabalhos.

As obras do sítio e no tríplex tinham custos relevantes e eram devidamente contabilizadas. Documentos internos da OAS provaram no processo que as despesas das duas obras eram lançadas em centros de custos próprios, com uma referência ao ex-presidente (Zeca Pagodinho) e as divisões “praia” e “sítio”.

Preciso dizer que as reformas não foram um presente. Os empreendimentos da Bancoop assumidos pela OAS apresentavam grandes passivos ocultos, com impostos, encargos que não deveriam ser assumidos pela OAS. Em paralelo, João Vaccari cobrava propina de cada contrato entre OAS e Petrobras. Combinei com Vaccari que todos os gastos do tríplex e sítio seriam descontados da propina. Repito, esse encontro de contas está provado por uma mensagem minha trocada na época dos fatos, devidamente juntada no processo e ainda pelo depoimento do diretor da empresa.

Tenho consciência de que minha confissão foi considerada no processo que condenou o ex-presidente Lula, assim como as minhas provas que apresentei espontaneamente. Não sou mentiroso nem vítima de coação alguma. A credibilidade do meu relato deve ser avaliada no contexto de testemunhos e documentos.

Meu compromisso com a verdade é irrestrito e total, o que fiz e faço mediante a elucidação dos fatos ilícitos que eu pratiquei ou que eu tenha tomado conhecimento é sempre respaldado com provas suficientes e firmes dos acontecimentos.

Trata-se de um caminho sem volta, iniciado em 2016 e apresentado nesta caso do tríplex, bem como em diversos outros interrogatórios que prestei, como no caso do sítio de Atibaia, Silvio Pereira, Cenpes, CPMI da Petrobras e prédio Itaigara/Torre Pituba.

Os fatos por mim retratados ao Poder Judiciário foram feitos de maneira espontânea e voluntária, sem qualquer benefício prévio pactuado, onde, inclusive, abri mão do meu direito constitucional ao silêncio.

Leo Pinheiro
Curitiba, 02 de julho de 2019

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

90 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Osiris

05 de julho de 2019 às 14h11

Para o Brasil Bolsonaro e seus milicianos são uma diarreia, uma caganeira brava, já o PT e seus petralhas é um câncer em fase de metástase

Responder

Osiris

05 de julho de 2019 às 13h55

Mais emocionante que isso só o vídeo do lula rasgando elogios ao sergio cabralzinho! Isso sim era uma milicia!!!

Responder

Admar

05 de julho de 2019 às 12h15

“Delação boa é a delação de Bandidos”. Bolsominions estão no inferno e parece que não sentiram ainda o calor das chamas!!!

Responder

Ulisss

05 de julho de 2019 às 00h33

Alguns comentaristas daqui parecem ser a Ultima Velhinha de Taubaté! Não vão soltar Lula! Nem com provas chumbo grosso que já vieram ou vão sair! Vocês ainda acreditam que estamos vivendo em uma normalidade democrática e jurídica? Os que comentam que Lula foi condenado também em outras instâncias, ignorantes históricos, devo lembra-los que nos julgamentos Nazistas, Stalinistas ou Macarthistas também as condenações eram unânimes, não importando as provas. Os julgamentos também eram rápidos e sumários como o de Moro contra Lula. As condenações também eram severas. Morte por enforcamento, fuzilamento, pendurado em gancho de açougues, campos de extermínios ou da Sibéria ou cadeia pura e simples (Sugiro aos incautos um bom filme sobre o Macarthismo chamado “Trumbo, Lista Negra”)! Isto se chama ditadura! Não importa se o réu era inocente! O sistema era o culpado! Mas tenho esperança num futuro não tão longo como o foi os anos da ditadura militar, que após superarmos estes tempos desprezíveis, que não ocorra uma nova anistia total e irrestrita. Que vejamos os togados pagando pelo golpe e a destruição do Brasil!
https://www.google.com/search?q=dalton+trumbo+trumbo:+lista+negra&stick=H4sIAAAAAAAAAONgFuLQz9U3MDLLNVDiBrEMjSzNDMtLtHgDUouK8_NC8n3zyzJTF7EqpiTmlOTnKZQUleYm5UMpK4WczOKSRIW81PSiRAAiluo9TAAAAA&sa=X&ved=2ahUKEwjcqNbAmJzjAhXyHrkGHUJvB1QQxA0wGHoECA0QBQ&biw=1517&bih=730

Responder

Alan C

04 de julho de 2019 às 20h44

SÓ TEM MILICIETE… kkkkk

Responder

    Edibar

    04 de julho de 2019 às 21h03

    Vai Alan C, continue assim. Xingue bastante, desça ao mais baixo nível q vc for capaz. É o q de melhor vc poderá fazer para a direita.

    Responder

      Alan C

      04 de julho de 2019 às 21h17

      Dou a mínima, quero mais que vcs postem bastante assim vai aumentar as propagandas do blog, que só quer os vossos numeros, seu trouxa!

      Responder

Alexandre Neres

04 de julho de 2019 às 19h14

Mais uma vez entra em cena o timing da Lava Jato. Veio apoio de um réu confesso, que tentou várias estratégias de defesa, sempre negando qualquer participação ao Lula, até que se deu conta de que para se safar teria que tocar no nome que todos da LJ queriam ouvir. Aí pôde celebrar a delação, embora não tenha tido tempo hábil pra sair à época, mesmo assim foi usada pra reduzir a sua pena, lembrando-se que nos diálogos vazados Dalanhinho mencionou pra terem o cuidado de não parecer um prêmio por ter delatado o Lula. A condenação do processo do tríplex baseia-se nesse depoimento, que teve várias versões e só serviu quando se ajustou à narrativa estabelecida de antemão pela força-tarefa. Leo Pinheiro está preocupado em não gozar suas benesses de delator, vejam a que nível chegou o poder judissiário. Trata-se de uma omertá. A força-tarefa, presidida pelo conge, recorreu a um bandido pra tentar salvar a organização criminosa que está sob fogo cruzado.

Responder

Onofre Junqueira

04 de julho de 2019 às 18h49

Estou ansioso aguardando o próximo p.e.i.d.o de Glenn Greenwald ! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Responder

    Alan C

    04 de julho de 2019 às 18h53

    Pobres de direita com sorriso amarelo com o * na mão rsrsrs

    Responder

Justiceiro

04 de julho de 2019 às 17h58

Pois é. O empreiteiro diz que o triplex era pagamento de propina pro Lula; Verdevaldo diz, em conversas vazadas, que o triplex era um presente de Léo Pinheiro, mas sem pedir nada em troca. E Lula disse que queria comprar o imóvel, NUNCA disse que tinha ganhado de presente.

Quem tá mentindo?

Responder

Dario

04 de julho de 2019 às 17h07

Um dos ex sócios corruptos do presidiário cachaceiro

Responder

Wenceslau Cornucópia Milionakis

04 de julho de 2019 às 16h28

Processo stalinista do começo ao fim.
Aliás o governo Bolsonaro pratica todas as mazelas da URSS , perseguição de adversários , internos e externos , culto a personalidade , desrespeito aos direitos humanos.
Temos o governo mais próximo do stalinismo da nossa história.
Quanto ao depoimento , se eu tivesse como ameaçar prender a família do Justiceiro ou do Degas , por exemplo , eles gritariam até Lula Livre se eu mandasse.
Acho que faria até o Miguel admitir que é um bolsonarista infiltrado.

Responder

Admar

04 de julho de 2019 às 15h27

“Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira.” (João 8 : 44)

Responder

cid

04 de julho de 2019 às 14h47

Queria saber dos filhos da puta milicianos pagos que infestam este sitio se algum tem imoveis que nao estao no nome de vcs canalhas, os quais nunca moraram, e ainda foram dados como garantia na Caixa? Bora , com a palavra o bando de milicianos corruptos, defensores do juiz ladrao!

Responder

    Marcio

    04 de julho de 2019 às 16h30

    Eu.

    Responder

    Justiceiro

    04 de julho de 2019 às 17h55

    Ei, Cid, acorda, Alice!

    Você já viu um comprador ir visitar um triplex, pedir mudança na piscina, cozinha padrão internacional, sauna e até um elevador privativo, porque tem preguiça de subir escadas e depois de tudo feito, dizer, NUM QUERO MAIS????

    Responder

      Dany

      04 de julho de 2019 às 18h44

      E quem disse isso? Está provado aonde? Qual a materialidade? Tem???
      Ou só tem uma “delação” de um cara que foi o ÚNICO mantido preso por um ano sem nenhum motivo??

      Responder

      cid

      04 de julho de 2019 às 18h44

      Acorda tu, miliciano filha da puta! Se a cobertura~muquifo era dele por que nunca morou e por que foi dada a Caixa pela Oas, oh imbecil pago???? Com a palavra o miliciano mais filho da puta do Cafezinho, o ladrao que posta com varios nomes falsos, exemplo de cidadania. Vai te lascar corrupto miliciano do laranjal dos asnos!

      Responder

Alan C

04 de julho de 2019 às 14h38

Leo Pinheiro, aquele que fez uma delação, não foi aceita e ficou preso mais de ano até não aguentar mais e aceitar nova delação falando o que a vaza jato queria ouvir.

O dia do marreco ir pra panela vai chegar.

Responder

    Marcio

    04 de julho de 2019 às 16h58

    Ele mesmo, o que negociou com Lula.

    Responder

      Onofre Junqueira

      04 de julho de 2019 às 17h10

      Eu só não entendo o porquê de um sujeito tão esperto e tão honesto como Lula pode fazer negócios com tantos bandidos : Leo Pinheiro, Marcelo Odebrecht, Sérgio Cabral, Eduardo Cunha, Michel Temer..

      Responder

        Osiris

        05 de julho de 2019 às 13h56

        HAHAHAHAHAHA
        Sabe de nada inocente!

        Responder

      Alan C

      04 de julho de 2019 às 17h44

      Petrobrás e OAS trabalharam juntas, mas não conte pra ninguém.

      Responder

      Alexandre Neres

      05 de julho de 2019 às 12h30

      A Veja emendou mais um petardo de proporções épicas. Mostrando de forma didática que a Liga da Justiça andava unida sob a batuta do conge. Pobre infeliz. Que peninha. Mentiu ao Teori Zavascki. Até o Faustinho aparece na parada dando conselhos ao dito conge. Ah, o Faustinho confirmou que a conversa ocorreu, conforme consta no Telegram. Entenderam, seus rematados imbecis, como se atesta a veracidade de um diálogo? E o capacho do Dallanhinho, que sabujo mais subserviente é aquele? Parece um súcubo. “Aha uhu o Fachin é nosso.” Pelas suas feições abatidas na Câmara, o justiceiro provinciano não vai conseguir segurar tamanha pressão. Imaginem quando surgir o áudio com aquele falsete inconfundível?

      Responder

degas

04 de julho de 2019 às 13h40

Só vou fazer mais uma observação sobre a expressão “criminoso confesso”, que é usada de modo depreciativo em muitas ocasiões, inclusive aqui. Obviamente, todo participante de uma delação premiada (Lei 12.850/2013, sancionada por Dilma Roussef) é alguém que decidiu confessar seu crimes e entregar seus comparsas. E o seu valor está justamente no fato dele ter participado da organização criminosa.

Responder

    Justus

    04 de julho de 2019 às 13h48

    Mas não adianta. Por mais obviedades que se diga, eles nunca vão se conformar com o fato do idolatrado Lulinha estar de forma justa e correta condenado e preso.

    Responder

João do Amor Divino de Santana e Jesus

04 de julho de 2019 às 13h33

Mais um bandido petista que, graças a Deus e a santíssima trindade(Ddzinho, Ministro Sérgio e a PF) passou para o nosso lado e se transformou em um homem honrado.
Tudo podemos naquele que nós fortalece. Bendito seja o senhor.

Responder

    Alan C

    04 de julho de 2019 às 20h32

    Vai arder no mármore do inferno falando tanta MERDA

    Responder

Onofre Junqueira

04 de julho de 2019 às 12h34

É o mesmo mimimi de sempre . Se Leo Pinheiro atestasse o honestidade de Lula , para os militontos o dono da OAS não seria bandido confesso, mas apenas um honestíssimo empresário que sucumbiu a uns pecaditos

Responder

    Alan C

    04 de julho de 2019 às 20h36

    para com essa choradeira escrota, parece uma mulherzinha

    Responder

Marcos

04 de julho de 2019 às 11h49

Miguel não entendi. A delação do Léo Pinheiro recheada de provas não vale nada. Porém, a pajelança do Verdevaldo com conversas obtidas através de um hacker anônimo e repleta de edições, são válidas? Me perdoe, mas vc está completamente perdido nas suas análises parciais. Um pouco de lucidez sobre o que está acontecendo, é o que seus leitores esperam do seu site.

Responder

    Edibar

    04 de julho de 2019 às 11h55

    Pelo Mula, digo Lula, vale tudo!!!!

    Responder

    Marcio

    04 de julho de 2019 às 12h02

    Sào profissionais do disfarce, expertalhoes.

    Responder

      Alan C

      04 de julho de 2019 às 17h19

      Deixa de ser fanfarrão

      Responder

    cid

    04 de julho de 2019 às 12h10

    miliciano de merda, mostra as provas

    Responder

      Onofre Junqueira

      04 de julho de 2019 às 12h37

      As provas, militonto, foram mostradas a quem de direito, os juízes que condenaram Painhoao e não para qualquer Zé Ruela

      Responder

      Alan C

      04 de julho de 2019 às 14h42

      Nunca teve prova nenhuma, tanto é que os pobres de direita do fórum não sabem citá-las.

      Responder

      Marcos

      04 de julho de 2019 às 16h18

      Quer as provas? Faça advocacia, passe na OAB, arrume um emprego na banca de advogados do calango bebum condenado e aí sim vc vai ter direito a ver todas as provas. É cada pelego esfomeado que aparece…

      Responder

degas

04 de julho de 2019 às 11h34

Vamos entender a lógica petista:

Condenações judiciais por unanimidade em várias instâncias e delações de gente como Léo Pinheiro e Palocci, que viveu o dia a dia da quadrilha, menciona conexões que só uma criança não percebe existir e apresenta provas do que diz, NÃO TÊM VALOR.

Supostas transcrições de mensagens obtidas de maneira criminosa, algumas das quais comprovadamente alteradas por um militante que é falso vencedor do Pulitzer (quem ganhou foi a revista) e que não são apresentadas à Justiça porque não contêm nada de mais, SÃO VALIOSÍSSIMAS.

Responder

    Marcio

    04 de julho de 2019 às 11h36

    Nào se acham ridiculos, o problema è esse.

    Responder

      Alan C

      04 de julho de 2019 às 17h20

      Vc se acha, o problema é esse

      Responder

    Eduardo Pereira

    04 de julho de 2019 às 11h55

    Vamos entender a lógica bolsominion:

    Transcrições de mensagens obtidas de maneira criminosa, algumas das quais comprovadamente alteradas por um militante que é falso vencedor do Pulitzer (quem ganhou foi a revista) e que não são apresentadas à Justiça porque não contêm nada de mais, NÃO TÊM VALOR.

    Condenações judiciais por unanimidade em várias instâncias e delações de gente como Léo Pinheiro e Palocci, que supostamente viveu o dia a dia da suposta quadrilha, menciona supostas conexões que só uma criança não percebe existir e apresenta “provas” do que diz, SÃO VALIOSÍSSIMAS.

    Responder

      degas

      04 de julho de 2019 às 12h00

      A posição dos citados não é suposta. Palocci era o número dois ou três da máfia petista, braço direito do chefão Lula. Léo Pinheiro também era íntimo dele, há fotos de ambos no sítio e no triplex que só uma criança acredita não pertencerem ao líder da gang. E assim por diante.

      Responder

        Alan C

        04 de julho de 2019 às 14h44

        Eu tenho fotos na casa dos meus amigos. Será que a casa deles é minha tb?

        Responder

          Justus

          04 de julho de 2019 às 15h02

          se vc é agente público, contrata teus amigos com isso, e faz uso dessas casas como se fossem tuas, tome cuidado.

          Marcio

          04 de julho de 2019 às 15h53

          Larga de ser palhaço.

          Marcio

          04 de julho de 2019 às 15h54

          Quando digo que são petistas disfarçados não é a toa.

          Alan C

          04 de julho de 2019 às 17h22

          Diga algo que preste

    Alan C

    04 de julho de 2019 às 14h43

    Esse pessoal que votou no Aécio é RIDÍCULO.

    Responder

Paulo

04 de julho de 2019 às 11h04

Eu vi o LP com o Lula, na foto tirada no Edifício Solaris. Alguém mais viu?

Responder

    Marcio

    04 de julho de 2019 às 11h23

    Todo mundo viu.

    Responder

      Paulo

      04 de julho de 2019 às 11h29

      Pois então…

      Responder

    Alan C

    04 de julho de 2019 às 14h45

    E???

    Responder

Marcio

04 de julho de 2019 às 10h47

Apòs uma condenaçào atè na 3° instancia nào precisava mais de confirmaçào nenhuma..

Responder

    Eduardo Pereira

    04 de julho de 2019 às 11h19

    Condenação baseada em delações feitas por criminosos condenados? Seems legit ¯\_(ツ)_/¯

    Responder

      Marcio

      04 de julho de 2019 às 11h22

      Me poupe.

      Responder

        Alan C

        04 de julho de 2019 às 20h33

        Me poupe tb

        de tanta imbecilidade

        Responder

      Edibar

      04 de julho de 2019 às 11h57

      O q interessa são as provas q acompanham a delação. Subindo até a 3ª instância sem ngm conseguir rebater as versões, seems realy legit.

      Responder

      Onofre Junqueira

      04 de julho de 2019 às 12h35

      Ora militonto, você queria que fosse baseada na delação de quem, das freirinhas do convento

      Responder

        Eduardo Pereira

        04 de julho de 2019 às 14h45

        Condenação deve ser baseada em fatos, provas querido.
        Você aceitaria ser condenado e preso apenas com base na delação de um preso condenado?
        Aposto que não né?
        Não entendo. Defendem uma coisa que se fosse colocada contra vocês não aceitariam.

        Responder

          Onofre Junqueira

          04 de julho de 2019 às 15h12

          Querida, os juízes que condenaram o corrupto ex-presidente entenderam que , além da deleçao , há substanciais provas. Por isso o corrupto ex-presidente foi condenado em três, eu disse três instãncias. O resto, querida, é mimimi !

          Eduardo Pereira

          04 de julho de 2019 às 15h17

          Querida é pica que tu gosta de colocar na boca palhaço. Tenha educação numa conversa seu babaca! queria ver tu ter coragem pra falar dessa forma na minha frente otário FDP!!

          Onofre Junqueira

          04 de julho de 2019 às 16h15

          “queria ver tu ter coragem pra falar dessa forma na minha frente otário FDP!!”. Quer marcar dia e local, pu.ti.nha petista?

          Eduardo Pereira

          04 de julho de 2019 às 16h52

          Onofre, segura tua onde que com um nome desses mal deve conseguir conter a bexiga.. faz o seguinte vovô, vai trocar tua fralda geriátrica pois tu deve estar todo cagado..

          Onofre Junqueira

          04 de julho de 2019 às 17h32

          É como sempre eu digo os bun.dões petistas, só são valentes quando estão com os avantajados glúteos sentados em frente ao computador. No mundo real são umas moçoilas !

          Alan C

          04 de julho de 2019 às 20h35

          vi chupar uma rola fdp

          Onofre Junqueira

          04 de julho de 2019 às 21h06

          É bom chupar rola, caro militonto ?

          Alan C

          04 de julho de 2019 às 20h42

          pra de comer merda, tá saindo pelo nariz já kkkkkkkkk

      Alan C

      04 de julho de 2019 às 14h40

      Só na vaza jato que uma condenação é baseada em delações, em qualquer outro canto do planeta Terra é diferente.

      Vai ver que a vaza jato do marreco tá certa e o universo errado né? rs

      Responder

        Onofre Junqueira

        04 de julho de 2019 às 15h15

        Baseada em delações e comprovada por fatos ,provas, caro militonto. Até quando você militontos vão ficar com esse mimimi de que nao há provas contra o corrupto ex-presidente ? Até que isso vire verdade ? kkkkkk

        Responder

          Alan C

          04 de julho de 2019 às 15h23

          Quais fatos? Quais provas?? Já leu a condenação?? Claro que não né… rsrs

          Marcio

          04 de julho de 2019 às 15h51

          Larga de ser fanfarrão.

          Alan C

          04 de julho de 2019 às 17h17

          Larga de ser fanfarrão e responda.

          Onofre Junqueira

          04 de julho de 2019 às 16h21

          Não li, militonto, pois minha opinião, assim como a sua , não tem valor algum, mas quem leu e as opiniões que têm valor, dos oito juízes que condenaram o corrupto ex-presidente dizem que há provas. O resto é mimimi de militonto. E aguarde quem vem mais condenações por aí. Enquanto isso, Lula continua preso, babaca ! kkkk .

          Alan C

          04 de julho de 2019 às 17h18

          Se não leu cala a boca e não fala merda.

          Onofre Junqueira

          04 de julho de 2019 às 17h29

          Se você não nenhum dos juízes da causa, militonto, pode continuar falando merda, pois é só merda o que sai da sua boca e é o que recheia seu diminuto cérebro……e Lula continua preso, babaca ! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          Alan C

          04 de julho de 2019 às 20h36

          foda-se o lula babaca kkkkkkkkkkkk

          Onofre Junqueira

          04 de julho de 2019 às 21h08

          Lula vai mandar cortar seu bolsa-família , babaca ! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          Eduardo Pereira

          04 de julho de 2019 às 15h24

          O CUZÃO NÃO FALA UM ARGUMENTO QUE PRESTE SÓ SABE ATACAR IDEIAS OPOSTAS COM OFENSAS À PESSOA. O CARA SE CHAMA ONOFRE, DEVE TER UNS 900 ANOS COM UM NOME DESSE MAS AGE COMO UM ADOLESCENTE DE 13. ONOFRE VAI TROCAR TUA FRALDA GERIÁTRICA VAI.. TU TÁ TODO CAGADO E NÃO PERCEBE!

          ar i

          04 de julho de 2019 às 20h37

          Se há provas, mencione uma, uma só

          Alan C

          04 de julho de 2019 às 20h43

          Só tem retardado, sabem dizer lula ta preso babaca kkkkkkkkkkk

          Onofre Junqueira

          04 de julho de 2019 às 22h32

          Só petista retardade. Só sabem dizer não há provas contra Lula ! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          Onofre Junqueira

          04 de julho de 2019 às 22h31

          Você é juiz da causa ou é só um petistas de m.e.r.d.a. ?? Como eu sei que é só mais um petista de merda nem adianta mencionar as provas !


Deixe uma resposta