Economistas discutem a desindustrialização no Brasil

Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Câmara vota hoje reforma da Previdência

Por Redação

10 de julho de 2019 : 11h45

10/07/2019 – 01h23
Câmara conclui discussão e deve votar reforma da Previdência nesta quarta

O Plenário da Câmara dos Deputados concluiu, no início da madrugada desta quarta-feira (10), a discussão do texto da reforma da Previdência (PEC 6/19). A votação foi transferida para a manhã desta quarta-feira.

O texto precisa ser votado em dois turnos, com voto favorável de 308 deputados, para ser enviado ao Senado.

A discussão foi encerrada após mais de 3 horas de obstrução. O governo, no entanto, demonstrou força ao arregimentar 331 votos favoráveis ao início da votação da matéria, placar superior ao mínimo necessário para a aprovação.

Para encerar a discussão, foram 353 votos favoráveis. Veja como votaram os deputados, distribuídos por partido.

Negociações

O dia foi de intensas negociações e discussão em Plenário: antes mesmo de entrar na pauta, a Previdência já tinha sido citada mais de 300 vezes em discursos ao longo do dia.

O líder do Cidadania, deputado Daniel Coelho (PE), destacou que o placar aponta a maioria em favor da proposta. “O Cidadania ressalta o sentimento do Plenário para o Brasil: foram 331 votos no último requerimento. Já está comprovada a formação de maioria”, disse.

Em termos gerais, a reforma da Previdência estabelece uma idade mínima para a aposentadoria: 65 anos para homens e 62 para mulheres. São impostas também mudanças no cálculo dos benefícios, que vai contabilizar a média de todas as contribuições e exigir mais tempo na ativa para um valor maior na aposentadoria. Serão exigidos 40 anos de contribuição para um benefício igual a 100% da média das contribuições, enquanto o piso será de 60% da média. Há regras de transição para quem já está na ativa.

A proposta também aumenta as alíquotas de contribuição previdenciária.

Regras para mulheres

A bancada feminina em peso foi ao Plenário pedir apoio para mudanças em três pontos: pensão por morte, proteção à maternidade e regras de cálculo de aposentadoria mais favoráveis às mulheres. Deputados demonstraram intenção de apoiar o pleito das deputadas.

“As condições de inserção da mulher na sociedade nos colocam na situação de requerer um olhar diferenciado do País, desta Casa e, acima de tudo, um compromisso de reverter e reconhecer que a mulher precisa ser olhada de maneira diferenciada”, disse a coordenadora da bancada, deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-GO).

Estados e municípios

O líder do Novo, deputado Marcel Van Hattem (RS), disse que o partido vai brigar para colocar estados e municípios na reforma. “Esperamos que este Plenário possa, com sabedoria, reincluir estados e municípios”. Já o líder do Podemos, deputado José Nelto (GO), adiantou que é contra a proposta do Novo.

Também há expectativas para negociações sobre critérios diferenciados para policiais.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Carol Siqueira
Edição – Pierre Triboli

Na Agência Câmara Notícias

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Gustavo Horta

10 de julho de 2019 às 16h09

REGRAS NO PUTEIRO? SALVE-SE QUEM PUDER, OU ENCONTRE UMA PAREDE PARA SE ENCOSTAR
> https://gustavohorta.wordpress.com/2019/07/10/regras-no-puteiro-salve-se-quem-puder-ou-encontre-uma-parede-para-se-encostar/

… …Já faz alguns anos que venho publicando algumas crônicas nas quais eu tenho apresentado minhas tristes conclusões de que o nosso país havia sido transformado em um bordel.

A pior parte é que neste bordel só o ânus do Povo é que serve para fazer a farra dos muitos gigolos, cafetões e tarados que hoje ocupam, como golpistas, o cenário político nacional.

Mas, muitos entre nós, sistematicamente, consideraram que a minha comparação é chula e coloca o nosso povo … … …

Responder

NeoTupi

10 de julho de 2019 às 12h44

Tábata Amaral acabou de trair o PDT, votando junto com Rodrigo Maia, Bozo e o mercado financeiro. Confisca uma parte da aposentadoria do trabalhador para entregar o dinheiro aos bancos, e ainda privatiza a previdência nos moldes neoliberais chilenos.
Brizola é traído por mais uma encantada com a elite neoliberal. 11 deputados do PSB também traíram os trabalhadores.

Responder

    Justus

    10 de julho de 2019 às 13h46

    Seguidores desse seu pensamento torto e atrasado é que são os traidores de fato dos trabalhadores. E os trabalhadores, cada vez mais, estão se dando conta disso.

    Responder

Wilton Santos

10 de julho de 2019 às 11h55

Tábata Amaral é fã do FHC, tira foto abraçada e sorrindo com o Doria, reconheceu Guiadó presidente da Venezuela, é financiada pelo Paulo Lehmann e pelo Luciano Huck, cobra 30.000 reais para dar palestra em universidade e agora vota pelo fim das aposentadorias dos mais pobres. Falta mais o que para concluírem que ela não é progressista?

Responder

Admar

10 de julho de 2019 às 11h48

Pobres de Direita vão comer o pão que eles Elegeram!!!
A Classe Merdia não perde por esperar!!!

Responder

Deixe uma resposta