Manuel Castells na FGV

O comércio de veículos subiu 22,3% na comparação com maio do ano passado - Foto: Licia Rubinstein/Agência IBGE Notícias

IBGE: Varejo estável em maio

Por Redação

11 de julho de 2019 : 10h56

Na Agência IBGE Notícias

Vendas no varejo ficam estáveis em maio e acumulam alta de 0,7% no ano

Por Adriana Saraiva

11/07/2019 09h00 | Atualizado em 11/07/2019 09h00

O volume de vendas variou -0,1% em maio, o que é considerado estabilidade, porém avançou 1% na comparação com maio de 2018. No ano, o comércio teve alta de 0,7%, e acumula crescimento de 1,3% nos últimos 12 meses. Esses resultados são da Pesquisa Mensal de Comércio, divulgada hoje pelo IBGE.

Segundo a gerente da pesquisa, Isabella Nunes, o ano de 2019 é como se não tivesse começado para o varejo, devido ao alto nível de incerteza dos empresários quanto aos investimentos futuros e ao mercado de trabalho. Isso se reflete, por exemplo, no indicador acumulado em 12 meses, que permanece estável há três meses.

“Embora com maior estabilidade do mercado de trabalho, são 13 milhões de desempregados e 28,5 milhões de subutilizados. A população ocupada está crescendo, mas esse aumento é explicado pela informalidade, então a qualidade de renda é baixa para o consumo se estender para além de atividades que não sejam básicas”, destaca Isabella.

No mês, duas das oitos atividades do comércio ficaram negativas, pressionando o índice para baixo. Outros artigos de uso pessoal e doméstico, que abrange as vendas pela internet, caiu 1,4%, em maio, pelo segundo mês consecutivo, acumulando -2%. Já combustíveis e lubrificantes caíram 0,8%, após alta de 0,6% em abril, praticamente descontando esse crescimento.

O setor de hipermercados e supermercados, que tem o maior peso na pesquisa, em torno de 50% no índice, voltou a crescer, 1,4%, após retração de 3,5% entre fevereiro e abril. “Esse crescimento pode estar associado à redução de inflação dos alimentos no domicílio, de -0,89% registrada pelo IPCA no mês”, afirma Isabella.

Dinamismo no varejo ampliado

O dinamismo que falta ao comércio varejista em 2019 está presente no varejista ampliado, que inclui as atividades de veículos e materiais de construção. O setor mostrou alta de 0,2% em maio e de 6,4% na comparação com maio de 2018, refletindo os bons resultados de veículos (22,3%) e de material de construção (11,6%).

“Por conta da crise econômica na Argentina e da redução de exportações para o país, teve um movimento interno de escoamento da produção com melhoria das condições de financiamento [de veículos]”, explica Isabella.

A pesquisadora acrescentou que o volume de crédito para pessoas jurídicas para aquisição de veículos cresceu de R$ 1,7 bilhão para R$ 3 bilhões, entre maio 2018/2019, segundo dados do Banco Central.

Regionalmente, 16 das 27 unidades da federação tiveram resultados positivos no comércio varejista, com destaque para Amapá (8,1%). Entre os estados que apresentaram maiores reduções nas vendas estão Minas Gerais (-1,5%), Roraima e Rio de Janeiro (ambos com -1,4%).

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Alan C

11 de julho de 2019 às 13h39

“Varejo estável em Maio” significa provavelmente que há pouca margem pra piorar, o consumo chegou perto do fundo do poço após tanto azul e rosa e Jesus na goiabeira.

“Segundo a gerente da pesquisa, Isabella Nunes, o ano de 2019 é como se não tivesse começado para o varejo, devido ao alto nível de incerteza dos empresários quanto aos investimentos futuros e ao mercado de trabalho.”

Reparem que quem está dizendo isso é uma funcionária de órgão público subordinado à bozolândia…

Mas tá proibido gay na piscina, rs

Responder

    Adevir

    11 de julho de 2019 às 15h49

    Desde os tempos do Temerário, o IBGE tem mais credibilidade do que tinha antes.

    Responder

      Alan C

      11 de julho de 2019 às 16h53

      ñ

      Responder

NeoTupi

11 de julho de 2019 às 11h53

Nem os dados que seriam positivos, o são:
“O dinamismo que falta ao comércio varejista em 2019 está presente no varejista ampliado, que inclui as atividades de veículos e materiais de construção. O setor mostrou alta de 0,2% em maio e de 6,4% na comparação com maio de 2018, refletindo os bons resultados de veículos (22,3%) e de material de construção (11,6%)”.
Ora, maio de 2018 foi o mês da greve dos caminhoneiros. Crescimento na venda de veículos e materiais de construção em relação àquele mês, que ficou mais de uma semana parado, não é uma comparação muito animadora.

Responder

Deixe uma resposta

x