Incêndios na Amazonia mobilizam governos do mundo inteiro

Exportações de gasolina made USA para o Brasil crescem 26%

Por Redação

16 de julho de 2019 : 14h12

Os derivados de petróleo já representam mais de 40% das exportações dos EUA para o Brasil, segundo dados atualizados até junho pelo sistema Comexstat, do Ministério da Economia.

Olhem essa tabela.

Você vai ver o peso do petróleo na balança comercial brasileira. O produto que mais pesa é o diesel, que vem dos EUA. Mas também importamos grandes quantidades de petróleo cru (!), carvão, gasolina, ureia, e mil outros derivados de petróleo.

Considerando todos produtos da indústria do petróleo, e não apenas combustíveis (plataformas de exploração, caminhões, carros, gás), eles representaram quase US$ 13 bilhões em Jan/Jun 19, ou 15% de tudo que importamos, aumento de 19.5% sobre ano anterior.

Um detalhe, as importações brasileiras de trigo cresceram 21% nos 6 primeiros meses do ano e totalizaram US$ 773 milhões. Com toda essa terra agricultável, o Brasil ainda gasta com importação de trigo…

EUA são, de longe, maior exportador de diesel para o Brasil, respondendo por mais de 80% (tem variado de 80% a 90% nos últimos 2 anos) de tudo que importamos desse produto. Mas os EUA também nos vendem gasolina, nafta, petróleo cru, ureia, e todos os derivados finos de petróleo.

No total, os derivados de petróleo correspondem a mais de 40% dos produtos que os EUA exportam para o Brasil.

Os EUA viram suas vendas de diesel para o Brasil caírem um pouco, mas as exportações de gasolina norte-americana para nós aumentaram 26%, e a de petróleo cru americano, 56% (!).

As exportações de nafta (um dos derivados mais finos do petróleo) dos Estados Unidos para o Brasil saltaram pra US$ 231 milhões em Jan/Jun 2019, crescimento de 164% sobre ano anterior!

A exportação americana de querosene para aviação, para o Brasil, cresceu 1.372%, e totalizou US$ 74 milhões em Jan/Jun 2019.

Nos 6 primeiros meses do ano, os EUA venderam US$ 5,7 bilhões em derivados do petróleo para o Brasil. Uma comparação: a americana Boeing pagou US$ 4 bilhões para assumir o controle de 80% da Embraer.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

27 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Marcio

17 de julho de 2019 às 18h28

Essa palhaçada continua com a Petrobras, com o a Gasolina, com o diesel dos Estados Unidos è estrumentalizaçào politica da esquerdalha podre (que nào conheçe o assunto)…è uma isca para idiotas abocanhar.

Responder

Marcelo Quaresma

17 de julho de 2019 às 17h13

Eu acho que o Brasil precisa importar não porque reduziu o refino, é pra refinar, nossas refinarias não refinam petroleo brent, o nosso, é pesado demais, tem que misturar com petroleo fino.

Responder

    NeoTupi

    17 de julho de 2019 às 17h16

    Isso explicaria parte da importação de petróleo leve para refinar (o que sempre houve) e não de combustíveis já refinados.

    Responder

Franklin Goulart

17 de julho de 2019 às 15h38

Respeito muito as opiniões do Ciro. Mas, salvo engano, a coisa funciona assim: o Brasil utiliza apenas 75% de sua capacidade de refino, por conta de uma reserva técnica de manutenção, contingenciamento, para evitar estresse do sistema, etc. Isto nos obriga a importar estes 25% ou 26% de combustíveis.

Responder

    NeoTupi

    17 de julho de 2019 às 17h14

    Nada a ver. A capacidade de refino de uma refinaria é o que ela pode produzir efetivamente com segurança (e isso inclui rotinas de manutenção preventiva e preditiva).
    E a coisa é bem simples. O Brasil refinava mais antes do que refina hoje, logo está longe da capacidade máxima. O Governo Temer (e Bozo continua) obrigou a Petrobras a tabelar com preços internacionais os combustíveis (uma estupidez, pois Petróleo bruto é comoditie mundial, mas combstível refinado tem preços diferentes conforme os custos de produção em cada lugar, de cada empresa), por isso o preço da gasolina na bomba subiu aqui. E se postos da subsidiária da Shell, Esso podem importar gasolina de suas refinarias no exterior com capacidade ociosa pelo mesmo preço, porque iriam comprar da Petrobras?
    O acionista controlador, governo, parecer cometer crime do colarinho branco ao entregar fatias de mercado para concorrentes, de mão beijada, tendo como concorrer em preço aqui, ganhar mercado e ter mais lucro.
    O governo está resolvendo o problema de petroleiras estrangeiras com excesso de capacidade de refino no exterior e trazendo o problema para a Petrobras.
    Para piorar, isso deprecia o valor de mercado das refinarias que o governo Bozo quer privatizar, ou melhor, vender, porque ninguém proibe que a estatal da Arábia Saudita compre para garantir o mercado de combustíveis brasileiro para o petróleo saudita, deixando a Petrobras literalmente a ver navios petroleiros estrangeiros dos outros. A estatal do Irã estuda construir a refinaria do Maranhão para grantir a venda de 600 mil barris por dia do seu petróleo ao Brasil.
    Ciro tem toda a razão em dizer que alguém está levando dinheiro nisso, pois não existe outra explicação razoável para a direção de uma empresa sabotar vendas de sua própria empresa em favor de concorrentes. O “petrolão” elevado ao quadrado, está correndo solto, ao vivo e em cores, desde a posse de Temer, e só não vê quem não quer.

    Responder

Wenceslau

17 de julho de 2019 às 15h21

29% de inflação , aumento de aproximadamente 80% na gasolina.
A gasolina subiu quase o triplo da inflação , graças ao entreguismo.
Seu argumento foi destruído.

Responder

Wenceslau

17 de julho de 2019 às 13h25

E a PF do Moro acaba de matar duas mulheres e ferir uma criança.
Que orgulho desses bravos guerreiros.

Responder

Luccas

17 de julho de 2019 às 13h08

Esse era exatamente o plano de governo de Jair Bolsonaro 2018, quem votou concorda com esse entreguismo ou é ignorante e votou as cegas.

Responder

LUPE

17 de julho de 2019 às 12h53

Caros leitores

Esta é talvez a maior negociata escabrosa do momento.

É assim:

1. O governo de direita no poder obriga a Petrobrás a reduzir o refino do petróleo para 70%, obrigando o Brasil a importar derivados diesel e gasolina
2. O petróleo brasileiro “vendoadado” aos donos das petroleiras estrangeiras
a até centavos por barril é transportado até os EUA e lá refinado
3. O petróleo brasileiro baratinho
volta ao Brasil a preços internacionais.
4. A Petrobrás é obrigada a tabelar a gasolina nos postos
com lucro de mais de 100 (cem) %.
(na Bolívia e no Paraguai
postos da BR
vendem gasolina importada do Brasil
a cerca de R$ 1,80)
5. A Petrobrás tem imenso lucro através da BR,
mas, também as outras distribuidoras
(Shell, Postos Ypiranga, etc.)

Fantástico lucro para os donos das petroleiras estrangeiras (Shell, Chevron, etc.)
às custas dos brasileiros.

Fantástico lucro para as distribuidoras de gasolina.

Perguntinha: >>> Quem é o dono dos Postos Ypiranga????????
Para quem não sabe,
é o atual ministro da Fazenda do governo de direita do Bolsonaro, >>>> PAULO GUEDES.

Como se diz em teatro,

PANO, RÁPIDO !

Responder

Rick

17 de julho de 2019 às 00h49

Era exatamente o que os EUA queriam: Transformar o Brasil numa colônia de exploração, que fornece a eles toda matéria prima em troca do produto final industrializado . . . e muito, mas muito caro! Mas tem imbecis miseráveis de direita que aplaudem de pé tal submissão!

Responder

    Edibar

    17 de julho de 2019 às 08h37

    Submissão…. q papo furado.
    Me dê seu endereço q te encaminho minhas contas para vc pagar.

    Responder

Admar

16 de julho de 2019 às 20h14

Querer comparar os USA com a Venezuela!😁😁😁😁😁😁😁😁😁

Responder

Renato

16 de julho de 2019 às 19h50

Acaso o Brasil estivesse comprando gasolina da Venezuela os esquerdistas estariam aqui levantando as patinhas e balançado o rabinho !

Responder

Admar

16 de julho de 2019 às 19h20

O Espírito de Cachorro Vira Latas é difícil de combater!!!

Responder

Edibar

16 de julho de 2019 às 16h02

Isso é irrelevante. O que interessa é isso aqui https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/07/15/preco-medio-da-gasolina-nas-bombas-cai-pela-9a-semana-seguida-diz-anp.ghtml

Responder

    Luiz Schmitz

    16 de julho de 2019 às 16h59

    Depois de subir por 6 meses!

    Responder

    Ulisses

    16 de julho de 2019 às 17h29

    Irrelevante o desemprego,a venda das refinarias e os gastos de divisas comprando gasolina americana? Você quis ser irônico e eu não entendi?

    Responder

      Edibar

      17 de julho de 2019 às 08h35

      Não fui irônico. É irrelevante de onde se compra a gasolina. O q interessa é o preço na bomba. Concordo que ainda assim não está barato.

      Responder

    Francisco

    16 de julho de 2019 às 20h18

    Ainda está alto para um país que detém maior das reservas de petróleo.

    Responder

    Vanderson

    17 de julho de 2019 às 12h49

    2 centavos de queda tá de sacanagem, em 2014 a gasolina era 2,60 seu merda.

    Responder

      Edibar

      17 de julho de 2019 às 13h20

      Ah tah… e a inflação??
      Se fosse assim em 1995 tava por volta de R$0,50…….

      Responder

        Wenceslau

        17 de julho de 2019 às 13h32

        Bolsominion tem problema com matemática.
        De 2014 para cá quanto tivemos de inflação?
        20 e poucos %.
        O preço estava quase a metade do que é hoje.
        Só fazer as contas.
        Fora o desemprego gerado pelo entreguismo.

        Responder

          Edibar

          17 de julho de 2019 às 14h08

          2014 = 6,41%
          2015 = 10,67% (viva Dilma!!)
          2016 = 6,29%
          2017 = 2,21%
          2018 = 3,75%

          Soma = 29,33%

          Quem tem problemas com matemática mesmo?? Acorda bixo veio, de 2014 pra cá já se foram 5 anos!! E não 2.

          Edibar

          17 de julho de 2019 às 14h12

          Sem falar q o IPCA é uma média. Enquanto uns preços sobem outros caem e assim q vai….

          NeoTupi

          17 de julho de 2019 às 17h33

          O Bolsominion acabou de confirmar que seu argumento está certo. Mesmo ele fazendo as contas não consegue chegar à conclusão do que os números mostram.

    vinicius de almeida teixeira

    17 de julho de 2019 às 14h31

    então fanatico de governo panaca, o preço caiu em relação de um indice para o outro no curto prazo, de 4,89 – 4,79, acho que voce não sou be ler o grafico ou porque é tão cego que não quer enxergar que esta se fazendo de panaca por ter votado como em um time de futebol, por magoa tola que tem…no medio longo prazo o preço esta aumentando seu trouxa, ou seja se sobe 1 ponto decresce entre 0,2-0,5…caralho! voce é analfabeto para não conseguir enxergar no grafico gado novo? “viu abaixou tem razão”…pffffffffffffffffffffffffff…nossa me de paciencia dessa estupidez, isso eu peço a papai do ceu todo dia…

    Responder

Deixe uma resposta