Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Análise da pesquisa CNI/Ibope sobre Bolsonaro

Por Redação

25 de setembro de 2019 : 18h39

A pesquisa CNI/Ibope divulgada hoje mostra uma relativa erosão da popularidade do presidente Bolsonaro.

No total nacional, 44% dos brasileiros responderam que aprovam o presidente, contra 50% que não aprovam.

Em abril e junho, os números de aprovação de Bolsonaro eram um pouco melhores.

A queda foi muito acentuada na região Sul, onde o presidente era aprovado por 63% dos entrevistados em abril, 65% em junho, e agora, em setembro, caiu para 50%.

No Sudeste, a aprovação à maneira de governar do presidente Bolsonaro é hoje aprovada por 44%, contra 50% em junho e 52% em abril.

No entanto, Bolsonaro melhorou sua performance no Norte e no Nordeste.

No Norte/Centro Oeste, a aprovação de Bolsonaro, que havia caído para 46% em junho, subiu agora para 54%.

No Nordeste, a aprovação à maneira de Bolsonaro governar era de apenas 30% em junho, e hoje subiu para 34%.

Na segmentação por renda, a aprovação a Bolsonaro perdeu fôlego nos estratos mais altos, onde ainda é, todavia, superavitária, mas oscilou positivamente entre os mais pobres.

Entre quem ganha de 1 a 2 salários, a aprovação a Bolsonaro subiu de 44% em junho para 46% em setembro.

Entre quem ganha até 1 salário de renda familiar, a aprovação a Bolsonaro subiu de 34% para 36%.

Entre homens, a aprovação a Bolsonaro perdeu apenas um ponto, de 54% em junho para 53% hoje. Entre mulheres, a aprovação a Bolsonaro já caiu 10 pontos desde abril: era de 46% em abril, caiu para 39% em junho, e hoje está em 36%.

Na segmentação por faixa etária, Bolsonaro ganhou alguns pontos entre cidadãos com 35 a 44 anos, onde sua aprovação subiu de 44% em junho para 47% hoje, e com mais de 55 anos, onde sua aprovação passou de 46% em junho para 49% hoje.

Na segmentação por grau de instrução, Bolsonaro ganhou 5 pontos de aprovação entre brasileiros com até a quarta série do ensino fundamental: em junho, apenas 41% brasileiros com este grau de instrução o aprovavam, hoje são 46%.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Tiago Silva

26 de setembro de 2019 às 08h49

Falta um candidato de esquerda que fale com o povão e Bolsonaro vai ocupando esse vácuo enquanto cerceiam Lula.

Responder

LUPE

25 de setembro de 2019 às 23h28

Caros leitores

Infelizmente,
o Brasil tem um povo
bastante precário e confuso,
com muitas culpas infantis que o transtornam.

E o confundem.

É vítima fácil da Mídia
(Grande Mídia e Redes sociais,
dominadas pelo poder do dólar
de nossos inimigos….).

É muito,
muito complicado para discutir aqui…

O fato é que ,
influenciado pelas Mídias ,
o brasileiro dá apoio,
adora,
e bate palmas
para seus inimigos.

E odeia em prazeroso ódio
criado pela Mídia,
àqueles
que deveria tratar
como seus heróis.

Sorry;;;;;;;;;;;;;;;

Responder

Karla

25 de setembro de 2019 às 21h50

A extrema direita continua jogando com as brancas e tem 30% do eleitorado cativo.
A direita encontrou o seu Lula.

Responder

Paulo

25 de setembro de 2019 às 19h37

Bolsonaro faz e fala muita bobagem, mas, se a economia crescer, e ele conseguir se candidatar pra 2022, tendo a esquerda contra, no outro pólo, leva…se a economia não crescer o suficiente, o candidato polarizador, à direita, será Moro…

Responder

Ricardo

25 de setembro de 2019 às 19h01

Ainda e muita gente aprovando!!

Responder

Deixe um comentário