Fórum Reforma Tributária BandNews

Balança comercial brasileira do petróleo bate recorde histórico e gera US$ 12 bilhões

Por Miguel do Rosário

11 de outubro de 2019 : 15h52

A má notícia é que as exportações de derivados estão estagnadas há vinte anos; o que tem crescido muito são as exportações de petróleo cru. Como as cotações internacionais do barril de petróleo, no entanto, estão boas, as receitas de exportação tanto do cru como dos derivados registraram forte alta.

Nos últimos 12 meses, a balança comercial brasileira do petróleo, considerando tanto o óleo cru como os derivados, registrou a sua melhor performance histórica, atingindo a marca positiva de US$ 12,0 bilhões de dólares.

De outubro de 2018 a setembro de 2019, o Brasil exportou o equivalente a US$ 30,4 bilhões em petróleo, e importou, no mesmo período, US$ 18,4 bilhões. Tanto a exportação como a importação foram recordes, mas a exportação aumentou 25,6% sobre o ano anterior, ao passo que a importação cresceu apenas 10%.

Até 2016, o Brasil mantinha, desde que passou a usar combustíveis feitos a partir do petróleo, em meados do século XIX, déficits crescentes na sua balança comercial, o que tornava o país extremamente dependente de fornecedores externos.

Hoje não mais.

Não apenas agora o Brasil tem superávits crescentes como o petróleo já se tornou o nosso principal produto de exportação, desbancando até mesmo a toda poderosa soja.

Nos últimos tempos, ao analisar o comércio exterior do nosso petróleo, eu andava enxergando apenas o copo meio vazio, pois estava impressionado com a escalada das nossas importações de derivados de petróleo, em meio à crise.

Essa escalada ainda é notável: nos últimos 12 meses, o Brasil importou US$ 13,3 bilhões em derivados. É mais do que gastamos do que com qualquer outra coisa.

Se você atentar para o fato de que a maior parte dos derivados importados têm vindo do mesmo destino, Estados Unidos, é um fato que merece muita atenção, por suas implicações geopolíticas.

Infelizmente, a maior parte da nossa exportação de petróleo ainda é na forma bruta, sem processamento, com pouco valor agregado.

Do ponto de vista dos derivados, e olhando as quantidades importadas (e não seus valores, muito inchados por causa das cotações em alta do produto), a nossa exportação, todavia, permanece estagnada há vinte anos, embora oscilando muito ano a ano, e obtendo máximas de 8 a 9 milhões de toneladas. Este ano, a exportação brasileira de derivados deve ultrapassar a marca de 10 milhões de toneladas, um recorde histórico, mas não muito distante da exportação de 9,6 milhões de toneladas de derivados exportadas em 2006.

A exportação brasileira de petróleo cru, no acumulado dos últimos 12 meses até setembro, gerou US$ 24,7 bilhões, alta de 15% sobre o período anterior, ao passo que a de derivados subiu 107%, gerando US$ 5,76 bilhões.

Há somente quatro anos, em 2016/17, a receita da exportação brasileira total de petróleo (cru e refinado), em função das cotações internacionais menores do barril, além da quantidade menor exportada, foi quase três vezes menor, de US$ 10,7 bilhões.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

13 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Tenorio

13 de outubro de 2019 às 20h22

Mais um documentário trazendo Steve Bannon e a bagunça que virou a política americana
e também, por proximidade de conservadores, a política brasileira. São vários documentários produzidos lá no norte. Por aqui anda tudo muito calmo na esfera progressista. E ainda temos “progressistas” atacando progressistas. Estamos no mal caminho.
American Dharma (Official Trailer)
https://www.youtube.com/watch?v=c7XvQW8HLnI

Responder

Ricardo

12 de outubro de 2019 às 22h53

Ótimo artigo. Neste caso estas receitas vão para o orçamento geral da União ou para a Petrobrás?

Responder

    Redação

    13 de outubro de 2019 às 11h53

    Petrobrás, na maioria.

    Responder

    Everton Garcia

    13 de outubro de 2019 às 19h59

    Para a Uniào cerca de 30% se nào me engano e para os brasilerios sobra a gasolina cara e a falta do algodào nos hospitais….Viva a Pertobras !!

    Responder

maria do carmo

12 de outubro de 2019 às 16h25

bolsonaro criminoso estroina dilapidando o Brasil, brasileiros, trabalhadores e empresarios passou da ahora de impedi-lo, bolsonaro nao tem nocao de sua posicao de presidente, impedimento Ja!!

Responder

NeoTupi

12 de outubro de 2019 às 15h49

Trump acaba de dar um tiro de misericódia no Bozo ao fechar com a China acordo para exportar de US$ 40 a 50 bilhões de agronegócio por ano.

Peguemos o caso principal, a soja.
Em 2017, dados da OMC, os EUA exportaram US$ 12,4 bi de soja para a China, enquanto o Brasil exportou US$ 20,3 bi.
A demanda da China foi de US$ 48 bi naquele ano.
Para cumprir o comprimisso de comprar entre US$ 40 e 50 bi dos EUA advinha que país irá vender muito menos?

Perto disso a barrada na OCDE não é nada.

Responder

    Alan C

    13 de outubro de 2019 às 15h41

    Alguém que andou trocando de nome recentemente vai dizer que a China não compra nada dos EUA, que compra tudinho da bozolândia…rs

    Responder

Thiago

12 de outubro de 2019 às 13h16

Bolsonaro esnoba Joice e diz que Datena é “a garota mais bonita da praça”

Primeiro foi o “I love you, Trump”

Agora o “Datena é “a garota mais bonita da praça”

Gay por gay eu prefiro o Jean Wyllys para governar Sampa, ouviu, Datena? Pelo menos o Jean assume a sua homossexualidade.

Responder

Guilherme Nagano

12 de outubro de 2019 às 08h51

O PT construiu refinarias SEM ROUBAR para resolver esse problema? Resposta: lógico q NÃO

Responder

    NeoTupi

    13 de outubro de 2019 às 14h41

    Existe corrupção até maior no comércio de petróleo e derivados, do que em obras. Na própria lava jato tem denúncias: https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/reuters/2019/09/05/lava-jato-delator-acusa-vitol-e-trafigura-de-conhecerem-esquema-que-atingiu-petrobras.htm

    A maioria das refinarias foram construídas antes dos governos petistas. Mas nos governos petistas não só a Petrobras construi algumas novas (Abreu e Lima, Clara Camarão, Polo Petroquímico RJ em construção), como ampliou outras. Escândalos na Petrobras sempre existiram, mas sempre foram engavetados antes. Tivesse o MPF e o Judiciário feito o trabalho para o qual são muito bem pagos até 2002, não haveria 400 picaretas no Congresso, não haveria PP (na época o partido do Bozo) indicando Paulo Roberto Costa para diretoria da Petrobras, não haveria Eduardo Cunha mandando e desmandando na Câmara. E empreiteiros, funcionários e políticos corruptos já teriam sido presos muito antes. O ambiente de governabilidade seria muito mais limpo, com ou sem PT.

    Corrupção é igual higiene. Tem que fazer limpeza todo dia para ficar limpo. São o MPF e o judiciário os responsáveis pela limpeza. E são os grandes responsáveis pelo acúmulo de sujeira em décadas de engvetamentos que levou à péssima qualidade da representação política. Mesmo quem defende a lava jato, tem que perguntar o que procuradores e juízes faziam antes, pois a corrupção vem de muito longe, e só diminuiu nos governos do PT porque respeitaram autonomia do MPF e do judiciário, além de equipar com recursos a PF. Criou a institucionalidade para dissuadir a corrupção. Mesmo com a lava jato, como esses órgãos também não são imunes à corrupção, acabaram se corrompendo com parcialidade política (perseguição à esquerda e blindagem à direita), acordos de delações estranhos onde criminosos mantém boa parte do produto do roubo, através de advogados amigos e parentes de procuradores e juízes que intermediam os acordos ganhando milhões. Além de municiar escritórios de advocacia estrangeiros para arrancar bilhões da Petrobras nos EUA.

    Mas jamais pode-se usar a corrupção como argumento para não fazer o desenvolvimento. Existiu corrupção na construção de Itaipu, de Tucuruí, de outras hidrelétricas, de rodovias, portos, de hospitais, etc. Onde há dinheiro, atrai ladrão. Se pagamos MPF, juízes e polícias para prender ou dissuadir a ladroagem, não é solução deixar de fazer refinarias para ninguém roubar nas obras e para procuradores e juízes ficarem palestrando ou fazendo cursos no exterior em vez de trabalharem na função para a qual foram contratados.

    Responder

Paulo

11 de outubro de 2019 às 19h34

E ainda querem comemorar possíveis 100 bilhões, a serem obtidos no leilão do Pré-Sal…

Responder

Pedro

11 de outubro de 2019 às 18h48

Polícia militar do Brasil , neste caso especificamente no Rio.

VÍDEO: PM de Witzel mostra despreparo em protesto, ameaça manifestantes e atira
https://twitter.com/raullsantiago/status/1182763850233458691

fonte: DCM.COM.BR

Responder

Mocelin

11 de outubro de 2019 às 17h48

República de bananas. Exporta cru e importa derivados.

Responder

Deixe uma resposta