Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Conversa com Bial entrevista Gilmar Mendes

Por Redação

15 de outubro de 2019 : 17h00

Para assistir à entrevista, clique na imagem abaixo. É preciso ter cadastro na Globoplay.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Netho

15 de outubro de 2019 às 16h45

O “Darth Wader” do STF, na expressão de Mino Carta, não passou recibo em nenhuma das tentativas de Bial para demonstrar as razões pelas quais o Ministro indicado por FHC é o membro do STF mais questionado – e com o maior número de pedidos de impeachment – da história do STF.
“Dart Wader” esculachou a Globo e Bial ficou mudo.Esculachou a Lava Jato. E Bial ficou mudo. Esculachou a Mídia e Bial ficou mudo.
Ao final, “Dart Wader” transformou Bial em seu gatinho de estimação.
“Dart Wader” não deixou dúvida sobre o fato de que o fim da Lava Jato, com Supremo, com tudo, chegou.
Jucá estava certo. A sangria não só será estancada, como o sangue derramado voltará às veias dos gatunos, sacripantas, farsantes, rastaqueras e salteadores do Erário.
“Dart Wader” tornou-se o “Ministro Pop” e o Demiurgo das Tenebrosas Transações da Casa Grande.
Além de tudo, o “Dart Wader” também é o Ministro mais tietado pelo lulo-petismo e pelo PT.

Responder

Andressa

15 de outubro de 2019 às 16h09

Gilmarzinho anda basta mediático ultimamente, está preparando o terreno para a anulação de alguma sentencia ?

Como conseguiu um sujeito nojento e de tão baixo nível como esse chegar no STF…?

Responder

Deixe um comentário