Ministro da Saúde explica chegada do coronavírus ao Brasil

Privatização da Eletrobras Eletrosul começa pela Incorporação da Eletrosul pela CGTEE

Por Tiago Bitencourt Vergara

01 de janeiro de 2020 : 18h05

Foi marcada para o dia 2 de janeiro de 2020 a 159a Assembleia Geral Extraordinária da Eletrosul com início às 14h na sede da empresa em Florianópolis. Na pauta da AGE, está a incorporação da Eletrosul pela CGTEE que na prática, significa a extinção da Eletrosul enquanto empresa estatal.

Os ativos da Eletrosul somam R$ 9.147 bilhões contra R$ 1.576 bilhão da CGTEE. Na comparação das Receitas Operacionais Líquidas, a Eletrosul tem R$ 2.231 bilhões enquanto a CGTEE possui R$ 451 milhões. A CGTEE ainda possui R$ 3.546 bilhões de dívida.

Na imagem, podemos ver a CGTEE que possui apenas uma usina Termelétrica, representada na parte baixa do mapa por um quadrado. As instalações da Eletrosul, com energia 100% limpa, estão representadas pelos círculos e espalhadas pelos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul.

A diretoria da empresa decretou dia de compensação de final de ano para seus empregados, que perderão o plano de saúde gerido pela empresa caso a operação aconteça.

Os sindicatos que compôem a Intersul, buscam judicialmente uma liminar a fim de impedir este absurdo praticado pelo governo Federal prejudicando o patrimônio público e o Estado de Santa Catarina.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

19 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

PRIVATIZA JÁ

27 de janeiro de 2020 às 00h09

Que balela kkkkk…..O CARA AFIRMA QUE É UM PLANO DE CONSPIRAÇÃO FEITA PELA DIREITA E MIMIMI….CARAMBA ME EXPLICA PR QUE ENTÃO ESTA FUSÃO ESTA EM PAUTA DESTE DA ERA DILMA?ME EXPLICA COMO PGN DA EMPRESA JÁ AGENDADO PARA TAL FUSÃO?NADA MAIS É PARA ENCHER A BUNDA DESTES SAFADOS DIRETOS APADRINHAS,POIS SEUS INVESTIMENTOS EM BOLSAS ETC….ELES NÃO PODEM PERDER SEU GANHA PÃO,(DESVIOS E MARACUTAIAS).ACAPOU A MAMATA E ESPERO QUE AGORA PRIVATIZEM MESMO ESTA EMPRESA TEINHA DE POLITICOS.

Responder

Lázaro

02 de janeiro de 2020 às 17h24

A CGTEE faz parte da Eletrobrás é uma empresa de economia mista, oriunda da cisão da antiga Companhia Estadual de Energia Elétrica do Rio Grande do Sul.
Para que interessar, o setor de energia elétrica no Brasil foi privado desde o século XIX. A Eletrobrás proposta no governo Vargas, só aprovada pelo Congresso Nacional em 1961 no governo Jânio Quadros. As ferrovias também eram todas privadas desde o Brasil Império (Barão de Mauá). A Rede Ferroviária Federal foi criada em 1957.
Estas duas empresas prestaram bons serviços ao Brasil. Mas com o hoje chamado presidencialismo de coalizão e “interesses” dos políticos pairando acima dos interesses nacionais nenhuma empresa sobrevive. Nem aquelas que transformam água em dinheiro, como é o caso da hidrelétricas.

Responder

    Paulo

    02 de janeiro de 2020 às 20h09

    Tivemos o caso da Light canadense, no Estado de São Paulo, desde fins do século XIX até fins do século XX – quando estava para vencer o contrato de concessão centenário, o Governo de São Paulo encampou a empresa e pagou uma indenização desnecessária e de forma obscura, aos canadenses, criando a Eletropaulo, que durou pouco mais de 30 anos, sendo privatizados os serviços, novamente, os quais, por sinal, vêm sendo alvo atualmente de muitas reclamações.

    Já em relação às ferrovias, o desastre estava nas bitolas, todas diferentes, o que impedia o processo de integração das linhas, sendo invocada como uma das razões para a estatização, já que os serviços eram prestados mal e porcamente.

    A Vale, por sua vez, carrega nas costas o assassinato de centenas de brasileiros.

    A telefonia, talvez, seja a única área em que a privatização trouxe resultados. Mas eu me pergunto: será que com a tecnologia muitos desses resultados não viriam mesmo sob administração estatal, e a um custo menor?

    Com essas ressalvas quero dizer que não sou estatista convicto, mas não compreendo a tara privatista ideológica de Porco Guedes e cia…

    Responder

      Wellington

      02 de janeiro de 2020 às 22h38

      Não há um centavo para empresas públicas, aeroportos, portos, estradas, infraestruturas, escolas, hospitais ecetera… só dividas monstruosas, não me parece difícil de entender.
      30 anos e bilhões de dólares dos brasileiros foram jogados no lixo, ou alguém de fora põe um dinheiro ou fica tudo parado por mais 50 anos.

      Responder

        Paulo

        03 de janeiro de 2020 às 00h57

        Falta de dinheiro é o problema de toda a administração pública brasileira, mas não me consta que o Estado esteja sendo privatizado…

        Responder

Rubens

02 de janeiro de 2020 às 11h08

Alemanha pretende fechar todas as usinas nucleares até 2022.

Responder

Alan C

02 de janeiro de 2020 às 09h16

Algumas perguntinha aos “inteligentes” pseudo liberais:

Pq EUA, China, Rússia, Canadá, Índia, França, Alemanha, Itália, etc, etc, nunca privatizaram suas respectivas redes de energia???

Pq esses países estão reestatizando companhias de serviços básicos???

O posto ipiranga tá certo e todos esses países errados???

Aliás, pergunta que a elite odeia, a quem este governo serve???

Que silêncio…

Responder

    Wellington

    02 de janeiro de 2020 às 10h00

    Terroncello,

    eu acho que è porque o Brasil està pelo menos com 30 anos de atràso dos paises que voce mencionou (India e China a parte) e alèm disso nao hà um centavo para tocar pra frente as empresas estatais que necessitam de investimentos periodicos, sò dividas.

    Os Correios por exemplo quebraram apòs ter caido nas maos dos mesmos de sempre, com a nova gestào militar tiveram que subir todos os preços para pagar as dividas…a gente paga a conta como sempre.
    Atè a Petrobras quase conseguem quebrar…precisa dizer mais ?

    Porque os paises que voce mencionou privatizaram na epoca…? Onde tà escrito que na epoca erraram…? Nao eram idiotas na epoca e nao sao agora. Se privatiza quando è necessario e nao se privatiza quando nao convem….qual o problema ?

    Moro na Europa e varios serviços basicos sào fornecidos por empresa privadas que criam concorrencia, inclusive luz, agua e esgoto, gas, eccetera…onde està o problema, na ideologia como sempre ?

    Mas o unico e verdadeiro problema è que o brasileiro nao possui grau minimo de seriedade de competencia e civildade para nao fazer merda acima de merda, menos o estado poe as maos melhor è, principalmente o Brasileiro que me pareçe ter amplamente demostrado ser uma montanha de estrume de proporçoes galacticas.

    Jà antecipo a minha replica pois jà sei que voce costuma tentar impor a sua opiniao e vai dizer que nao respondì, segue: “A proxima vèz voce me adianta o que voce quer que eu escreva e eu colo aqui.”

    A Bientôt !!

    Responder

      Alan C

      02 de janeiro de 2020 às 14h17

      “Andressa”,

      Ah o Brasil está atrasado? Então me responda pq países mais atrasados que o Brasil tb não privatizam…

      Correio quebrou?? Uma empresa que não tem concorrência???????? Onde isso aconteceu neste universo?? Diga!!! Tu acredita nisso mesmo??? Ou será que os pseudo liberais inventaram essa ladainha pra privatizar e ganharem dinheiro enganando trouxas como vc??? hum……

      Petrobrás quebrou???????????????????????????????????????? Meu Jesus amado… Empresa que bate recorde todo ano do que produz tá quebrada como filho??? Explica isso….rs

      “Porque os paises que voce mencionou privatizaram na epoca…? Onde tà escrito que na epoca erraram…?” BASTA VER O QUE PUBLICARAM!!! Sabe? Informação? Já ouviu falar??? rs

      “Nao eram idiotas na epoca e nao sao agora” POR ISSO REESTATIZARAM! É necessário mesmo eu ter que dizer algo tão óbvio? Pqp…..

      De resto é o de sempre, não tem o que dizer e diz que o brasileiro é isso, aquilo e etc e tal.

      E vê se para de comentar cada hora com um nome, tá ridículo.

      Responder

        Wellington

        02 de janeiro de 2020 às 18h08

        Tenho contrato com os Correios desde 2012 ou 2013 na lembro e por tanto acredito no que passei, nas centenas de reclamaçoes dos meus clientes dos ultimos 3-4 anos, nos atrasos biblicos, nos objetos roubados ou quebrados, nas indenizaçoes dos mesmos que demorarm anos, eccetera… saiu das maos dos partidos e passou com gestào militar se nao me engano e como jà disse deram uma organizada e aumentaram todos os preços para sanar as dividas.
        Antigamente eram um orgulho nacional mas agora basta simplismente perguntar aos brasilerios o que acham do serviço dos Correios. Ainda tenho contratto mas faço o possivèl para trabalhar mais com Fedex e Azul Cargo. Uma empresa que possui o monopolio e consegue fazer prejuizos bilionarios è o que se nao ridicula…? Sobrevive porque alguem coloca dinheiro dos outros nela mas nao se nao se sustenta e gera prejuizo è o que…?

        O que fizeram com a Petrobras chega a dar dò mas obviamente nunca serà privatizada…a produçao de uma empresa ou o faturamento é somente uma voz do balanço.

        Nao sou a favor das privatizaçoes em massa, menos ainda da estatizaçao de tudo a principio e muito menos tenho inimigos imaginarios com nomes idiotas sem significado que alguem criou e colocou na minha cabeça algumas decadas atras me fazendo de militante trouxa arrogante.

        Na Europa muitos serviços foram privatizados e terceirizados em governos de esquerda, agora reestatizam e quando for preciso privatizam novamente o que for necessario…nao vejo onde està o problema.

        Eu ainda prefiro escolher com qual empresa de entrega trabalhar, com qual por gasolina no carro, com qual comprar a energia, eccetera….se voce tem outros gostos, tudo bem, degustibus…Boa Sorte.

        Responder

          Luis Gustavo

          03 de janeiro de 2020 às 09h10

          Bom, não sei se tem algum país com dois conjuntos de poste na rua, onde você pode escolher de qual empresa você quer energia elétrica. Isso por enquanto não é permitido no Brasil (e duvido que seja viável). Significa que você, consumidor cativo, é obrigado a comprar energia da distribuidora local, pelo preço que já é definido por oferta vs demanda (bandeiras).

          Para aumentar a oferta, o governo faz leilões de novas usinas, linhas de transmissão e subestações onde, pasmem, as empresas públicas já concorrem com as privadas e em várias ocasiões são as vencedoras pelo menor preço.

          Não há nenhuma indicação de que a privatização resulte em melhores condições para a população. O serviço estatal de energia elétrica tem melhor desempenho que o privado, e a concorrência onde possível (leilões) para baixar os preços está garantida. Ou você acha que, imediatamente após a venda, os novos proprietários irão baixar os preços porque não precisam de muito lucro?
          Quero ver qual vai ser a empresa privada que vai topar construir aquela usina lá na PQP com risco altíssimo e baixa taxa de retorno.

          Por fim, a Eletrobras dá lucro ao governo todos os anos. Perder esse rendimento significa que haverá alguma compensação (imposto provavelmente) para fechar as contas do governo no ano seguinte ao da venda.

          Para a Eletrobras a privatização vai ser ótima. Diminuem-se as amarras da burocracia, amplia-se a oferta de recursos para investir. Para nós brasileiros? Preparemos os bolsos, a conta vai subir.

          Alan C

          03 de janeiro de 2020 às 09h51

          Como escrever 29 linhas num texto sem dizer absolutamente nada.

          Inscrições abertas com o professor Andressa.

          Andressa

          04 de janeiro de 2020 às 10h22

          Luis Gustavo,

          como jà disse nào sou a favor de privatizaçoes em massa, se privatiza onde necessario e o contrario onde nao precisa, continuo nao vendo onde està o problema…

          Desde quando a conta de energia, agua e luz nào sobem…? Baixar atè agora eu nunca vì em lugar nenhum, nem no Brasil nem fora.

      João Ferreira bastos

      02 de janeiro de 2020 às 22h23

      Em 2001 a petrobras valia 12.5 bilhões

      Em 2014 valia 130 bilhões

      O que fizeram com a Petrobras ??? Até um cego consegue enxergar

      Mas a França fica muito longe do Brasil para voce poder ver alguma coisa.

      Responder

        Wellington

        02 de janeiro de 2020 às 22h43

        Bom prós acionistas como eu.

        Responder

    Lourival C Cardoso

    03 de janeiro de 2020 às 15h53

    Não adianta chorar, eu conheci a Vale do Rio Doce e seus intestinos, Conheci várias empresas ferroviárias e suas “Robautos”, conheci a Eletronorte e seus desvios de dinheiro jorrando pelo Amazonas, conheci os Aeroportos de Guarulhos, Galeão (Tom Jobim – só mudou o nome), conheci a CEEE Rio Grande do Sul, (ninguém conseguia ler um amperimentro se não corresse “bola”), conheci o porto de Vitória (para entrar tinha que começar distribuindo chaveirinhos, agendas…) porto de Santos etc. conheci a CSN e seus espetaculares desperdícios, conheci a PETROBRAS (reconcavo Baiano, plataformas e sua famosa sede no RJ, participei de muitas concorrências nestas empresas tudo isto quando atendia todas estas empresas pela GE, (eu como engenheiro de campo). Tem que privatizar sim, além da corrupção ainda prevalecia a incompetência gerada por apadrinhados politicos. (Sem contar a SBESP – a Eletropaulo…)

    Responder

Douglas

01 de janeiro de 2020 às 22h58

Acabei de pesquisar na internet e vi que a GGTE é uma empresa do holding Eletrobrás.

Tanto que a própria Eletrosul também faz parte do mesmo holding.

Responder

    Alan C

    02 de janeiro de 2020 às 09h23

    Isso não me causa nenhuma surpresa, a bozolândia já tinha criado uma empresa para intermediar, e fazer lucro, não pra união, da energia que o Brasil compra do excedente do Paraguai pelo acordo de Itaipu. Devido a esse atravessador – O PRÓPRIO ATUAL GOVERNO – o Brasil iria comprar a energia mais cara e obviamente esse custo seria repassado ao consumidor. A justiça, num raro sopro de lucidez, descobriu a trapaça e barrou.

    Essa é a bozolândia, o governo da milícia.

    Responder

Paulo

01 de janeiro de 2020 às 22h31

É o particular (CGTEE) incorporando o todo (Eletrosul), para se entregar a um corpo estranho (empresa privada). Daqui a alguns anos, teremos que reestatizar tudo, a custo dobrado. Tem sido assim no mundo todo, menos o custo dobrado, que, como diria Sílvio Santos, é “coisa nossa”. Já vi esse filme antes…

Responder

Deixe uma resposta