Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Foto: Reprodução.

MP-RJ: Adriano de Nóbrega repassou R$ 400 mil a Queiroz

Por Redação

19 de junho de 2020 : 10h07

O Ministério Público do Rio de Janeiro estima que Adriano de Nóbrega, o “capitão Adriano”, transferiu mais de R$ 400 mil a contas bancárias de Fabrício Queiroz, preso nesta quinta (18).

Adriano de Nóbrega era o chefe da milícia Escritório do Crime, equipe clandestina de assassinos de aluguel composta de, entre outros, Ronnie Lessa, policial militar da reserva acusado de assassinar Marielle Franco.

Ele foi morto em fevereiro durante operação policial na Bahia.

A mãe e a ex-mulher do capitão Adriano eram funcionárias fantasmas do gabinete de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) quando ele era deputado estadual.

Diz o decreto de prisão preventiva de Queiroz:

“Há registros bancários de Fabrício José Carlos de Queiroz que indicam que o Restaurante e Pizzaria Rio Cap Ltda (administrado por Raimunda Veras Magalhães, mãe de Adriano) e o Restaurante e Pizzaria Tatyara (administrado por Adriano Magalhães da Nóbrega) transferiram R$ 69,5 mil para sua conta mediante cheque e TED”.

A mãe de Adriano realizou 17 depósitos no valor de R$ 91.796 na conta de Queiroz entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017.

A quantia representava porcentagem de seu salário como funcionária do gabinete de Flávio.

Queiroz teria sugerido ainda a Raimunda Magalhães que deixasse o Rio e se escondesse no interior de Minas Gerais, em Astolfo Dutra.

A investigação do MP-RJ indica que o advogado Botto Maia, responsável pelas contas eleitorais de Flávio Bolsonaro, reuniu-se em Atibaia com Queiroz e o advogado Frederico Wassef, antes de ele mesmo seguir para Astolfo Dutra.

Lá, ele se encontrou com a mãe e a ex-mulher de Capitão Adriano, no dia 4 de dezembro do ano passado, indicam as investigações.

Flávio Bolsonaro já havia sido vinculado anteriormente ao financiamento de imóveis de milícias do Rio de Janeiro com o uso de dinheiro desviado do gabinete.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Miramar

19 de junho de 2020 às 13h01

Alexandre Neres é um canalha. que faz acusação sem provas.

Responder

Paulo

19 de junho de 2020 às 12h42

Se eu fosse o Queiroz estaria preocupado…

Responder

Antunes

19 de junho de 2020 às 10h14

P L U T O C R A C I A
F A S C I S M O
C A Q U I S T R O C R A C I A

Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?