Live do Cafezinho (21 h): análise das eleições, pós-segundo turno

Foto: REUTERS.

Entregadores de app preparam greve para dia 1° de julho

Por Redação

27 de junho de 2020 : 17h52

Há algumas semanas, entregadores de aplicativos começaram a se organizar para reivindicar melhores condições de trabalho e pagamento.

As organizações levaram ao estabelecimento de uma greve, marcada para o próximo dia 1° de julho.

É um movimento que começou em São Paulo, por volta de março, mas que tem ganhado força em estados como Minas Gerais e Pernambuco.

O objetivo é parar o serviço de entregas em boa parte do país, setor dominado por iFood, Rappi e Uber Eats.

Os entregadores exigem maior transparência sobre as formas de remuneração adotadas pela plataforma, aumento dos valores mínimos para entrega, mais segurança, fim dos sistemas de pontuação e de bloqueio.

Um dos motoboys afirma que sua renda diminuiu nos últimos meses de maneira a lhe exigir 12 horas de trabalho todos os dias, sem folga, para ser remunerado com pelo menos R$ 2 mil.

Segundo uma pesquisa da BBC, entregadores de aplicativos começaram a trabalhar mais e ganhar menos durante a pandemia.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Paulo Cesar Cabelo

28 de junho de 2020 às 07h46

E Miguel disse outro dia que a esquerda tinha que abandonar o discurso trabalhista citando entregadores de aplicativo como exemplo , segundo Miguel eles se veêm como empreendedores( sic) e não tem consciência de classe.
Você não dá uma dentro em Miguel?

Responder

Paulo

27 de junho de 2020 às 22h37

Só uma sugestão: 1º de julho será dia de semana, e, portanto, acho mais interessante pra categoria marcar a paralisação para um sábado (2º dia mais importante de entregas, após o domingo). Assim, eles dão o recado e não serão tão prejudicados pela perda de arrecadação, como se fizessem no domingo. 4ª feira nem será notado o movimento…

Responder

    Kleiton

    28 de junho de 2020 às 08h17

    O Toalha é genial…

    Responder

    gaspar

    28 de junho de 2020 às 10h43

    Paulo Toalha,

    “Depois de ser responsável por pelo menos umas 10 mil mortes nesta pandemia…”

    Sua eminencia poderia contar pra nos simples mortais como voce fez esse calculo…?
    Usou o mesmo metodo do Doria que segundo ele salvou 25.000 almas…?

    Conte pra nòs aì…fiquei curioso.

    Responder

      Paulo

      28 de junho de 2020 às 17h16

      Andressa, não se morda de curiosidade: vá lá no texto de ontem! Tá na coluna da direita, ao lado…Mas não se esqueça de opinar, ok!?

      Responder

        gaspar

        28 de junho de 2020 às 19h59

        Conta pra nòs ai Toalha como vc féz esse calculo…a ciencia e o mundo querem saber !!

        Responder

Deixe uma resposta